Procure no JP

segunda-feira, 19 de dezembro de 2005

Mineiro 2ªdivisão: Extrema 2-3 Nacional de Uberaba

Opa,

Ontem, no que pode ter sido o último jogo de 2005, fui sozinho de ônibus para a cidade de Extrema acompanhar mais uma rodada decisiva do Hexagonal Final da Segunda Divisão Mineira. O jogo em questão foi entre o já habitué do JOGOS PERDIDOS, Extrema FC contra o Nacional FC de Uberaba. Valeu para colocar o Naça na minha lista e completar 47 times novos nesse ano que se finda. Um número que não atingia desde 2001, quando a minha Lista ainda era bem fraquinha.

Pena que tenha sido uma epopéia para chegar lá. Por causa de uma informação errada da Viação Cambuí, tive que esperar e pegar um ônibus de outra companhia e descer no meio da estrada, até chegar a Rodoviária de Extrema. Pelo menos serviu para testar esquemas alternativos até lá. Cheguei bem cedo, e esperei um bonde passar na rodoviária (que acabou não passando). Depois fui ao Estádio Sebastião Comanducci para já arranjar esquema e tirar as fotos dos times posados:


Extrema FC - Extrema/MG. Foto: Fernando Martinez.


Nacional FC - Uberaba/MG. Foto: Fernando Martinez.


Capitães das equipes junto com o quarteto de arbitragem em Extrema. Foto: Fernando Martinez.

Por se tratar de um jogo que vale vaga no Módulo II no ano que vem, desde o começo todos esperavam uma grande partida, com o Extrema defendendo uma série fantástica de 20 jogos invicto. Mas no começo, quem tomou conta da partida foi o time do Nacional, que com um ataque que jogava dentro da área do Extrema, perdeu dois ou três gols já nos dez minutos iniciais.

Tanta pressão resultou num golaço para o time de Uberaba. Numa jogada pela direita e num cruzamento preciso, o atacante nacionalino marcou, de voleio, o primeiro gol para os visitantes, sem nenhuma chance para o goleirão do Extrema.


Detalhe do jogo entre Extrema e Nacional com a belíssima paisagem ao fundo. Foto: Fernando Martinez.

Com um a zero contra, o Extrema acordou e logo aos treze minutos chegou ao empate, numa boa jogada trabalhada do seu ataque e com o gol marcado após cruzamento da direita também. Depois do empate, o Extrema teve três chances ótimas para virar o placar, mas não o fez. Depois dos vinte minutos o jogo ficou muito truncado no meio, e só foi melhorar no finalzinho dessa primeira etapa.

Em três lances o Extrema voltou a dominar a partida. Nos dois primeiros não teve sorte, mas no terceiro conseguiu chegar ao seu segundo gol, e virar a partida para dois a um, aos quarenta e dois minutos. O Nacional ainda teve duas chances imperdíveis (uma aos quarenta e cinco minutos e outra um minuto depois) para empatar, mas não foi feliz e o jogo foi para o intervalo com a vantagem do time da casa.



Duas fotos que gostei bastante: No alto um ataque perigoso do Nacional na primeira etapa com o zagueiro do Extrema acompanhando o lance. Abaixo, mais um ataque do Naça e uma bola dividida com outro zagueiro. Fotos: Fernando Martinez.

Depois de algumas zanzadas pelo gramado no intervalo, fui esperar pelo segundo tempo de novo atrás do gol das árvores. Pena que hoje escolhi os gols errados. Logo no reinício do jogo, o Nacional aproveitou uma bobeira da zaga do Extrema e empatou a partida novamente. Com isso os dois times deixaram o jogo bastante aberto.


Escanteio para o Extrema no segundo tempo com o zagueiro do Nacional afastando o perigo. Foto: Fernando Martinez.

O Extrema dominou o jogo territorialmente na segunda etapa, mas não chegou a levar tanto perigo ao gol do time de Uberaba. Já o Nacional tentava alguma coisa nos contra-ataques, e num deles meteu uma bola na trave, depois de uma cabeçada despretensiosa do seu atacante. Aos poucos o Extrema foi levando mais perigo ao gol do Naça, e numa jogada aos vinte e oito minutos, aconteceu o lance-chave da partida.

O técnico Marçal, do Extrema, colocou o jogador Foguinho em campo, buscando um melhor desempenho do seu ataque. E justo ele atrapalhou o time. Numa falta cobrada pela direita, depois de uma cabeçada que ia entrando para o gol, ele tentou cabecear a bola para garantir que ela entraria. Pena que não só ela não entrou, bateu na trave, como ainda ele ainda estava em impedimento. Se ele não tocasse na bola, teria sido gol e sem impedimento.


Detalhe do lance-chave da partida: notem a bola na hora em que o atacante do Extrema a cabeceia. O número 18, Foguinho, está impedido e com isso invalidaria o gol que faria o Extrema passar à frente do marcador de novo. Foto: Fernando Martinez.

E para azar do Extrema, três minutos depois, numa bobeada geral da zaga e oportunismo dos atacantes do Nacional, o time de Uberaba virou de novo a partida e marcou três a dois no placar. Depois o time recuou de vez e permitiu um domínio etéreo do time do Extrema. Sem muita objetividade o time se lançou ao ataque, mas chance real de gol que é bom nada. O jogo seguiu assim até o final e o placar não foi mais alterado.


Mais um ataque desesperado do Extrema no final do jogo. A invencibilidade foi perdida em casa! Foto: Fernando Martinez.

No final o jogo ficou: Extrema 2-3 Nacional de Uberaba. A primeira derrota do Extrema como profissional, e justamente em casa. Agora, o acesso que parecia certeza fica ameaçado com os dois jogos fora que o time vai fazer. Vamos esperar para ver o que acontece. Já o Nacional ainda mantém vivas as chances de acesso.

Depois foi só voltar para a Rodoviária, ficar 'de cara' (como dizem os amigos do Sul) com algumas coisas acontecidas por lá e voltar para São Paulo com muita, mas muita chuva na estrada. Mas valeu! Após 192 jogos vistos no ano de 2005, esse pode ter sido o último. Mesmo assim, acho que estou no Top 10 das pessoas que mais viram jogos no estádio nesse ano por aqui. Digno para o Guinness Livro dos Recordes.

Até mais

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário