Procure no JP

segunda-feira, 19 de dezembro de 2005

Fútbol Argentino, volume III: General Lamadrid & Estudiantes

Buenas!

Pessoal, como teremos umas duas semanas praticamente sem joguinhos, estou resgatando essa série que ficou paralizada durante quase o ano todo, devido ao grande número de jogos que nós cobrimos. Bom, só para relembrar, essa série de posts visa relatar minha última visita a Argentina, entre janeiro e fevereiro de 2005. Como nesse período existiam poucos jogos para assistir, acabei por visitar uma série de clubes na cidade de Buenos Aires e arredores.

Hoje vamos com mais dois, sendo que o primeiro é o fantástico Club Atlético General Lamadrid, fundado em 11/05/1950, que disputa a Primeira C, equivalente a quarta divisão argentina. O clube fica no bairro da Villa Devoto, extremo oeste de Buenos Aires. Apesar de ficar bastante afastado do centro, é possível chegar lá com apenas um ônibus.


Entrada da sede social do C.A. General Lamadrid. Foto: Emerson Ortunho.

O bairro é bem tranqüilo, posso dizer que seria de classe média baixa, com ruas e avenidas arborizadas e bem limpas. O mais curioso é que bem ao lado do Estádio do General Lamadrid fica situada uma das maiores penitenciárias da Capital Federal.


Parte interna do Estádio Enrique Sexto. Foto: Emerson Ortunho.

Um fato curioso sobre a penitenciária é que os presos assistem os jogos da equipe pelas janelas das celas, inclusive chegando a exibir os "trapos" nos dias de jogos (trapos são aquelas faixas que os torcedores argentinos costumam pendurar nos alambrados). Com isso o General Lamadrid ganhou o apelido de "carcelero".


Parte da arquibancada, notem no lado esquerdo o inicio da penitenciária. Foto: Emerson Ortunho.

Esse setor da arquibancada estava em ampliação e eu comprei um adesivo no valor de 2 pesos, para ajudar na construção da arquibancada. Essa contribuição, apesar de modesta, para mim foi fantástica e histórica, pois eu sempre vou saber que ajudei na ampliação daquele estádio.


Cabine de imprensa e banco de reservas. Foto: Emerson Ortunho.

Na secretaria do clube, eu ainda comprei uma belíssima camisa para minha coleção e fui agraciado com uma linda flâmula, sulvenir comum na argentina, mas que atualmente é raro nos clubes do Brasil.


Vista dos fundos do estádio. Foto: Emerson Ortunho.

Saindo do Lamadrid, ainda na Villa Devoto, fui visitar o outro clube profissional do bairro, o Club Atlético Estudiantes de Buenos Aires, fundado em 15/08/1889, que disputa a Primeira B (terceira divisão). Aos desavisados lembro para não confundir com o Estudiantes de La Prata, equipe da primeira divisão.


Fachada do Club Atlético Estudiantes. Foto: Emerson Ortunho.

O Estudiantes seria... digamos, o clube rico do bairro. Tem uma sede muito bem arrumada, com academia, piscinas e tudo que um clube tem direito. Lá, eu fui recebido pelo simpático vice-presidente e pelo técnico da equipe profissional.


Sala da presidência com alguns troféus do clube. Foto: Emerson Ortunho.

O vice-presidente ficou desolado quando eu disse que queria comprar uma camisa e ele não tinha nenhuma disponível. Então, para não deixar passar minha inesperada visita em branco, também me presenteou com uma belíssima flâmula (sem querer fui obrigado a começar nesse dia uma coleção de flâmulas).

Ainda faltava conhecer o estádio da equipe, que curiosamente fica na cidade vizinha, chamada Caseros. A recepcionista me orientou qual ônibus tomar e lá fui eu para matar mais um estádio. Desci do ônibus na porta do estádio e me deparei com uma grande muvuca. Achei até que pudesse estar acontecendo algum jogo, mas na verdade é que as dependências do estádio estavam sendo usadas para um recadastramento de aposentados e pensionistas.


Fachada do estádio Ciudad de Caseros. Foto: Emerson Ortunho.

Para entrar no estádio foi uma complicação, pois o horário de chegada dos recadastrandos já havia terminado e a fila fora transbordada para dentro do estádio e os portões fechados para ninguém mais entrar. Quando eu fui pedir para entrar, os policiais começaram a achar que eu havia chegado atrasado e estava inventando uma história para entrar na fila. Foi difícil para eu conseguir chamar a pessoa que o vice-presidente havia me orientado a procurar, mas no fim consegui.


Vista da arquibancada principal do estádio. Foto: Emerson Ortunho.


Vista das sociais, cabines de imprensa e bancos de reservas. Foto: Emerson Ortunho.


Vista de uma das entradas do estádio. Foto: Emerson Ortunho.

Claramente da para perceber que se trata de um ótimo estádio, que pode tranqüilamente abrigar jogos da primeira divisão. Já a "ciudad" de Caseros que pertence ao partido de 3 de Febrero, é um pouco mais pobre que a Villa Devoto, mas ainda assim tranqüila. Vale ressaltar que é em 3 de Febrero que fica o famigerado Fuerte Apache, antiga vila militar ocupada por sem-tetos, onde nasceu o craque Carlitos Tevez.

A volta foi feita de ônibus e trem, para chegar mais rápido ao centro. Afinal, minha saga continuaria no dia seguinte... aguardem o Volume IV.

Saludos y re-gracias a todos por la buena onda!

Emerson

Nenhum comentário:

Postar um comentário