Procure no JP

segunda-feira, 19 de julho de 2021

Presente de grego no empate sem gols entre Santos e Grêmio

Texto e fotos: Fernando Martinez


O segundo jogo da minha semana comemorativa de aniversário foi na quinta-feira, dia em que completei nova primavera. No ano passado não pisei fora do QG no 15 de julho, então mesmo não sendo tão próximo de casa eu quis "comemorar" a data vendo um joguinho in loco. Fui ao Estádio Primeiro de Maio ver o duelo entre Santos e Grêmio pelo Campeonato Brasileiro de Aspirantes. Sim, o Peixe está jogando em São Bernardo do Campo tanto no sub-23, quanto no sub-20.

Essa foi a sétima vez que vi uma partida de futebol no meu aniversário, a terceira nos últimos cinco anos. Particularmente eu acho sensacional quando isso acontece, ainda mais levando em conta, como disse no parágrafo anterior, que em 2020 fiquei confinado no QG, uma espécie de bunker durante a pandemia. Não que eu seja o maior fã de comemorações, longe disso, porém é bom ter a chance de fazer algo diferente.

Como estava rolando uma greve da CPTM, fiz o caminho via Jabaquara até o ABC. Aproveitei a deixa e encontrei o amigo-abelha Renato Rocha no metrô para um rápido papo e uma troca de itens que já se arrastava desde o início da era pandêmica. Não o encontrava desde a última Copa São Paulo e foi um prazer rever o querido amigo. Acho que de tudo que essa era pandêmica trouxe de diferente, a distância dos amigos é um dos fatores mais complicados.

Depois do papo segui com o trólebus até o terminal de SBC. O trajeto foi rápido, sem nenhum problema e ainda consegui tempo de fazer uma boquinha na tradicional lanchonete que fica ao lado do local. Dali subi até o estádio e faltando uma hora para o apito inicial já me encontrava devidamente credenciado na arquibancada. O calor era forte, algo um tanto quanto incomum nessa data.


Quarteto de arbitragem e capitães de Santos e Grêmio

O encontro entre santistas e gremistas foi válido pela quinta rodada e, assim como aconteceu ano passado, a diferença técnica entre os dois grupos está bastante grande. Os times do Grupo A, chave do Grêmio, fazem uma campanha muito pior do que os do Grupo B, do Santos. Cortesia da fórmula com equipes e grupos diferentes jogando entre si. Quem aprova um regulamento desses merece uma menção honrosa no Prêmio Darwin.

Eu não via um 0x0 desde o dia oito de março, um Santo André 0x0 São Caetano ainda pelo Paulistão. Estava com uma série boa... estava. Bem no aniversário, Santos e Grêmio não se dignaram a me presentear com um mísero golzinho e fizeram com que eu passasse a o dia em branco. Não foi um jogo bom, longe disso, mas os dois chegaram a criar bons momentos para não deixar o marcador inalterado.

Nos primeiros minutos o tricolor gaúcho foi melhor e chegou a colocar uma bola na trave aos sete. O Santos respondeu aos 20 com um chute ótimo de Fernandinho que também encontrou a trave. Rwan Seco foi bem aos 30 e quase anotou de voleio. Dois minutos depois o mesmo Rwan recebeu bom passe, se livrou dos zagueiros e acertou um tirambaço que Hugo defendeu bem. Moraes teve a última chance aos 40 chutando à esquerda da meta gaúcha.


Pedro Lucas (10) tocando de cabeça próximo de Rwan Seco, camisa 9 do Santos


Atacante do Peixe se contorcendo todo para tocar de cabeça na pelota


Bom ataque local pela esquerda


Fernandinho (7) encarando a marcação gremista


Rwan Seco (9) ganhando de Ericson (3) em um dos bons ataques do Santos na etapa inicial


Cabeçada de Moraes (11) no final do primeiro tempo

Quando os times deixaram o gramado aquela pulguinha atrás da orelha começou a me alertar que a chance de 0x0 era enorme. Não dei muita atenção no começo, porém foi só a etapa final começar que passei a acreditar piamente na hipótese. As equipes retornaram ao péssimo gramado do Primeiro de Maio e a inspiração ficou em baixa. Nesse cenário a peleja caiu de produção.

O primeiro momento real de perigo foi do Santos aos 22 em novo tiro no travessão de Fernandinho. O Grêmio respondeu com ataques bonitos aos 27 e 29 minutos. Aos 35 perderam uma oportunidade claríssima e aos 40 a zaga santista salvou um gol certo. Já nos acréscimos, mais precisamente aos 49, o lance derradeiro. Kevin Malthus acertou um grande tiro e Hugo mandou pela linha de fundo. No escanteio Felipe Carvalho cabeceou na pequena área e o goleiro salvou novamente. Poderiam estar em campo até agora que o zero não teria saído do placar.





No tempo final os times criaram bons momentos, mas não conseguiram sair do zero

O Santos 0-0 Grêmio frustrou um pouco a minha expectativa, mas tudo bem. O empate murcho deixou o Grêmio na liderança do Grupo A com oito pontos. O Peixe segue no meio da tabela e o fato de estar na chave mais complicada não dá muitas esperanças de classificação. Apesar de tudo, pretendo ver outro jogo deles "perto" de casa.

Após o apito final passei o restante do 15 de julho com o astral elevadíssimo com profundo carinho de pessoas próximas e o melhor aniversário em muitos anos. Depois de passar coisas complicadas no começo da faixa dos "enta", apesar do 2020 tenebroso o astral está um pouco diferente. Foi um dia bastante feliz.

Voltei aos gramados já no dia seguinte com novo duelo no Allianz Parque e dia de confronto decisivo no Brasileiro sub-17.

Até lá!

_____________

Ficha Técnica: Santos 0x0 Grêmio

Local: Estádio Primeiro de Maio (São Bernardo do Campo); Árbitro: Douglas Marques das Flores/SP; Público e renda: Portões fechados; Cartões amarelos: Victor Yan, Rwan Seco, Bruno Silva (TG-S), João Cubas, Thiago Macedo (AT-S), Jefferson, Thiago Rosa, Gazão.
Santos: Paulo Mazoti; Sandro Perpétuo (Felipe Carvalho), Dérick, Robson Reis e João Cubas; Kevin Malthus, Victor Yan (Mikael Doka) e Lucas Lourenço. Fernandinho (Victor Braga), Moraes e Rwan Seco. Técnico: Thiago Lima.
Grêmio: Hugo; Thomas Luciano, Ericson, Emanuel e Thiago Rosa (Jefferson); Jhonata Varela, Wesley (Vitor Barreto), Gazão e Pedro Lucas (Bitello); Elias Manoel (Émerson) e Vini Paulista (Juan Christian). Técnico: César Lopes.
._________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário