Procure no JP

terça-feira, 3 de setembro de 2013

"Déjà vu" ao avesso no Canindé com goleada da Portuguesa em cima do Bahia

Opa,

Na sessão noturna de futebol do sábado passado, mais uma vez fui ao Canindé - já adianto a todos que minha presença lá acontecerá ainda em muitas pelejas até o fim de 2013 - para outro jogo não-perdido no Campeonato Brasileiro. Ali rolou o duelo "Déjà vu" entre Portuguesa e Bahia pela terceira vez num curto período de 10 dias. Overdose que teve suas duas primeiras doses válidas pela Copa Sul-Americana.


Pela terceira vez em dez dias, Portuguesa e Bahia jogaram na sessão "Déjà vu", mas que terminou diferente aos dois jogos anteriores. Foto: Fernando Martinez.

Para os clubes (e as respectivas mentalidades tacanhas) esse terceiro encontro, parte da 17ª rodada do nacional, era a mais importante de todas. Para a Portuguesa era mais do que isso, já que a pífia campanha realizada até aqui não deixa o time sair da zona de rebaixamento há várias rodadas. A hora de voltar a vencer, e talvez vingar a eliminação na Sul-Americana, era essa.


Visão geral do Canindé em mais um jogo do Brasileirão. Foto: Fernando Martinez.

E nem o torcedor rubro-verde mais fanático imaginava um começo de partida alucinante por parte do time da casa. Não me lembro de ter visto recentemente uma equipe aniquilar um adversário num espaço tão curto de tempo. Quando o cronômetro atingiu o sétimo minuto de jogo, a Lusa já vencia por 3x0.


Segundo gol da Portuguesa, marcado pelo atacante Gilberto. Foto: Fernando Martinez.

Moisés Moura abriu o marcador logo no minuto inicial com um gol de cabeça. Gilberto fez aos 5 e aos 7, o primeiro em penalidade máxima e o segundo após completar livre um cruzamento da esquerda. O Bahia morreu em campo e passou a sofrer demais com a pressão local. O 3x0 poderia ter virado 6x0 se a Portuguesa não errasse tanto nas conclusões.


Grogue com a blitz lusitana, o Bahia fez pouco no primeiro tempo. Aqui uma rara chegada chance em cobrança de falta. Foto: Fernando Martinez.

O primeiro tempo acabou nos 3x0 mesmo, e na volta para o segundo, para deixar a peleja com uma pitadinha de emoção, a Lusa deu uma baixada de guarda e o Bahia se aproveitou disso. O time visitante foi pra cima e conseguiu um pênalti aos 9 minutos. Fernandão, honrando o nome que tem, bateu forte e deu nova esperança ao torcedor baiano.


Gol de Fernandão, o primeiro do Bahia, aos 9 do segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.


Confusão na área nordestina. Foto: Fernando Martinez.

Esperança que sumiu cinco minutos depois com o gol de cabeça de Bergson, atleta que tinha acabado de entrar no jogo. Atuando em ritmo de treino, a Portuguesa ficou só na boa e nem o segundo gol nordestino, marcado aos 28 minutos em belo chute de fora da área de Wallyson, estragou a festa e a melhor apresentação do time paulista no certame.


Bola no fundo das redes do Esquadrão de Aço no gol de Bergson, o quarto da Portuguesa. Foto: Fernando Martinez.

O resultado de Portuguesa 4-2 Bahia não tirou a Lusa da zona de rebaixamento, mas pelo menos deu um estímulo para que isso aconteça em breve. A equipe agora está em 17º lugar com 16 pontos ganhos. O Esquadrão de Aço permanece com 23, agora ocupando a 8ª posição.

Antes de voltar para casa, rolou uma genial mesa-redonda com os amigos Paulo "Shrek", Jamil, Luiz e Ricardo Espina, todos prontos para curtir todas as emoções do sábado à noite... Só que não. No domingo, a pedida foi única, mas com direito a time novo na Lista.

Até lá!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário