Procure no JP

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Brasil Campeão do Torneio Cidade de São Paulo 2009

Fala pessoal!

Para fechar com chace de ouro o ano de 2009 de coberturas futebolísticas aqui no JOGOS PERDIDOS, tivemos a grande decisão do Torneio Internacional Cidade de São Paulo no Estádio Paulo Machado de Carvalho, o famoso Pacaembu. Um grande público na bela tarde de sol e calor do domingo na capital bandeirante se deslocou até o templo futebolístico paulistano para ver a partida entre a favoritíssima Seleção do Brasil jogando contra a Seleção do México.

Mais uma vez eu e o Mílton, que recusou convite para cantar acapela o Hino Nacional Brasileiro do meio do gramado, ficamos lá no alto das arquibancadas verdes para acompanhar a partida, e o Orlando foi devidamente credenciado para as fotos de dentro do campo de jogo. Agora elas seguem aqui para todos os amigos do JP:


Seleção do Brasil. Foto: Orlando Lacanna.


Seleção do México. Foto: Orlando Lacanna.


Quarteto de arbitragem da partida em foto exclusiva do JOGOS PERDIDOS. Foto: Orlando Lacanna.

Cerca de 25 mil pessoas, um público considerável, se espremeram pelas arquibancadas e numeradas do estádio para ver uma das melhores seleções do mundo em busca de mais uma taça para sua coleção. Todos esperavam ansiosamente o início da partida para também acompanhar mais um jogo da melhor jogadora de futebol feminino de todos os tempos, a camisa 10 Marta. Ter a chance de ver um jogo dela no estádio é algo que não pode ser desperdiçado. O que ela faz com a bola é algo de espetacular e mostra que ela não parece ser desse planeta.


Detalhe do grande público presente para a final do Torneio Internacional Cidade de São Paulo no Pacaembu. Foto: Fernando Martinez.

Outro destaque do time brasileiro é a atacante Christiane, também sempre citada como uma das melhores jogadoras da atualidade. As duas formam uma dupla infernal e junto com outras belíssimas jogadoras do time nacional, realmente mostram a força do futebol feminino aqui no Brasil. Pena que a CBF não dê muita bola a essa categoria e prefira gastar os tubos com o time masculino. Quem sabe se as meninas do Brasil tivessem mais reconhecimento elas não seriam também as melhores do mundo?


Marta e Christiane, uma das duplas mais afinadas de todos os tempos, fazendo aquecimento antes da grande decisão. Foto: Orlando Lacanna.

Mas apesar de todo o favoritismo, a decisão não seria fácil para as brasileiras. A Seleção do México já tinha dado trabalho jogando contra a seleção verde-amarela no domingo anterior e merecia sair de campo com um empate naquela ocasião. E depois de ter goleado o Chile no meio de semana por 6x0 e conquistado um lugar na final, todo cuidado era pouco jogando contra a seleção mexicana.

Pontualmente às 16 horas a decisão começou para grande festa da torcida brasileira. O Brasil tentou marcar seu gol logo nos primeiros minutos, mas não conseguiu encaixar nenhum ataque certeiro em cima da defesa do time verde. E para susto de todos no estádio, a Seleção do México abriu o marcador aos 11 minutos, em golaço da atacante Dinora Garza de fora da área que encobriu a goleira local. Mesmo atrás no placar as brasileiras, empurradas pela animada torcida, continuaram em cima da equipe visitante.


Marta, a melhor do mundo, sofrendo marcação firme de zagueira mexicana. Foto: Orlando Lacanna.


Belíssimo drible da atacante Christiane em cima de defensora do México. Foto: Orlando Lacanna.

E aos 22 minutos finalmente o esperado empate chegou. Em escanteio pela esquerda cobrado pela jogadora Maurine, a capitã Aline Pellegrino apareceu para completar e deixar tudo igual no marcador. A pressão em cima do México era imensa, e a melhor do mundo deu o ar da sua graça aos 34 minutos e virou o jogo para o Brasil. A jogadora Marta ganhou na corrida de duas zagueiras do México e tocou forte e cruzado no canto esquerdo da goleira Sophia Perez. Festa de todas as torcidas presentes no Pacaembu.


Bola viajando dentro da área mexicana aos 22 minutos do primeiro tempo... Foto: Fernando Martinez.


... para conclusão de Aline Pellegrino no segundo pau. O empate do Brasil no JP. Foto: Orlando Lacanna.

A partida chegou ao seu intervalo com a vantagem de 2x1 para as brasileiras. Ainda continuei minha infrutífera busca por um copo d'água nas arquibancadas do estádio, mas o que mais me chamou a atenção foi o sem número de camisas de diversos times nacionais por lá. Só falando do Estado de São Paulo, as camisas dos quatro "grandes" mais Portuguesa e Juventus eram vistas em bom número, e todas convivendo sem nenhum problema dentro do mesmo espaço. Quem sabe um dia ainda veremos novamente isso num jogo de futebol masculino. Mas acredito que essa situação, se um dia vir a acontecer de novo, vai demorar demais.


Ataque do Brasil pela direita. Foto: Fernando Martinez.


Mais uma chegada da seleção brasileira pelo alto no primeiro tempo. Foto: Orlando Lacanna.

O segundo tempo começou com o México assustando a defesa brasileira. Em menos de cinco minutos, a equipe visitante já tinha mandado dois balaços na trave tupiniquim e num desses rebotes a bola acabou batendo numa atleta do time verde e quase entrou no gol. Se o time mexicano chegasse ao empate o jogo ficaria complicado para a seleção local. E para mostrar a estrela que tem acompanhado o Brasil aos 9 minutos, num rápido ataque pela esquerda, a jogadora Érika Cristiano recebeu na área e chutou forte. A goleira espalmou a bola, mas ela acabou batendo numa zagueira do seu time e foi parar no fundo das redes. Brasil 3x1.


Chegada forte do Brasil no começo da segunda etapa. Foto: Orlando Lacanna.

Menos de cinco minutos depois, a seleção brasileira ampliou a vantagem. A camisa 10 Marta cruzou da direita e a zaga tentou cortar, mas mandou a bola para o fundo do seu próprio gol. Os gritos de "É Campeão" já começaram a ser ouvidos por todas as dependências do Pacaembu. Mostrando uma força de vontade incrível, o México ainda diminuiu aos 25 minutos, quando a atleta Nayele Rangel chutou de longe e contou com um desvio na zaga brasileira para marcar o segundo das norte-americanas.


Bola no fundo as redes mexicanas no quarto gol do Brasil na partida. Foto: Orlando Lacanna.


Ataque brasileiro num lotado Pacaembu. Foto: Orlando Lacanna.

Mas para fechar a apresentação de gala de uma seleção que dá gosto de assistir, a camisa 10 Marta fechou com chave de ouro sua participação com a amarelinha e marcou o quinto gol do selecionado brasileiro, seu terceiro do dia, aos 28 minutos. Ela foi substituída logo depois, e teve o gosto de escutar seu nome ser gritado em uma só voz por todos os torcedores. Torcedores que ainda entravam no estádio aos 30 do segundo tempo, algo que nunca tinha visto antes.

O México até tentou marcar o terceiro nos acréscimos com mais uma bola que bateu na trave, mas o dia era mesmo brasileiro. Final: Brasil 5-2 México. A seleção brasileira se sagrou campeã do Torneio Internacional Cidade de São Paulo com muita folga para os seus três adversários. Esperamos que com mais essa mostra de entusiasmo do público com as meninas e com o brilhante futebol da seleção, a CBF e os órgãos de imprensa respeitem o futebol feminino e os que curtem acompanhar esse futebol tão cheio de brilho. E parabéns ao México por ter mostrado tanta garra durante os quatro jogos do torneio.

Após o jogo, as jogadoras Marta e Christiane foram de helicóptero até o aeroporto de Cumbica, aonde seguiram direto para Zurique, aonde participariam da festa de gala da FIFA. E pela quarta vez seguida a camisa 10 Marta recebeu o prêmio de melhor jogadora do mundo. Algo extremamente justo, já que ela é a melhor de todos os tempos!


Capitã do México recebendo a taça pelo vice-campeonato. Foto: Orlando Lacanna.


Agora o time todo posando com a taça. Foto: Orlando Lacanna.


A capitã do Brasil recebendo das mãos do presidente da FPF a taça de Campeão. Foto: Orlando Lacanna.


Festa das jogadoras e de toda comissão técnica com o título. Foto: Orlando Lacanna.

E foi isso, pois com essa partida encerramos as atividades de partidas in loco nesse difícil e traumático ano de 2009, aonde conseguimos no apagar das luzes acompanharmos mais jogos do que no ano passado. Isso tudo com menos braços nas reportagens, mas uma determinação que não esmorece nunca. E em 2010 esperamos que possamos continuar trazendo muitos jogos "perdidos" à todos, jogos que não tem o devido respeito que merecem, e que por muitas vezes, somente nós estamos lá para registrar e não deixamos que os mesmos se tornem apenas uma linha qualquer em algum livro histórico.

A luta já vai começar no dia 2 de janeiro, com a sensacional Copa São Paulo... um dos campeonatos mais esperados pelo pessoal do JOGOS PERDIDOS desde o início dos tempos.

Até lá!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário