Procure no JP

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2007

Uma Volta ao Passado, volume 18: CA Ceteiense (Taubaté/SP)

CA CETEIENSE


Escudinho do Clube Atlético Ceteiense. Reprodução: www.distintivos.com.br

Fala pessoal!

Em mais um post da nossa querida série "Volta ao Passado", hoje vamos falar mais um pouquinho do segundo time que jogou futebol de forma profissional representando a cidade de Taubaté através dos tempos (em tempo, o primeiro foi o Taubaté e o terceiro o Corinthians Vale do Paraíba, no final dos anos 90). A equipe em questão é o Clube Atlético Ceteiense, que foi fundado como clube social dos funcionários da CTI. Mais para chegarmos na história do time, é bom relembrar a história desde o começo...


Entrada da Companhia Taubaté Industrial, que fica na hoje Praça Félix Guisard, no centro de Taubaté. Foto: Fernando Martinez.

A nossa história começa no final do século XIX, quando o empresário Félix Guisard chegou a Taubaté em 1890 vindo do estado do Rio de Janeiro. Em 1891 ele fundou a Companhia Taubaté Industrial, que ficou conhecida por CTI e por muitos anos foi a maior indústria do Vale do Paraíba e a pioneira na fabricação de diversos tipos de tecidos.


Pomposo prédio que fazia parte da antiga Companhia Taubaté Industrial. Foto: Fernando Martinez. [290411]


Placa indicando o antigo Departamento Social da CTI. Foto: Fernando Martinez. [290411]


Dois detalhes da Praça Félix Guisard... as árvores e a placa de rua, que homenageia um dos maiores empresários brasileiros de todos os tempos. Fotos: Fernando Martinez.

A indústria, que inclusive contava com uma Usina hidrelétrica própria - a Usina Félix Guisard, submersa em 1976 na cidade de Paraibuna - só crescia em tamanho e importância, e nada mais justo do que a criação de um clube para os seus funcionários. Então, em 04 de maio de 1941, foi fundado o Clube Náutico CTL, que mais tarde passou a ser chamado de CTI Clube.


Placa atual indicando uma reforma no gramado do estádio em que o Ceteiense mandava seus jogos. Foto: Fernando Martinez.

O empresário Félix Guisard morreu em 1942 e não viu a equipe da sua fábrica se profissonalizar e disputar os campeonatos paulistas profissionais de 1952 e 1954, respestivamente na 2ª e 3ª divisões. Em 1952, a equipe disputou a segundona ainda com a denominação de CTI Clube. Nesse ano, o time foi vice-lanterna do seu Grupo que também contou com Paulista, São Caetano, Taubaté, Estrela da Saúde, Corinthians de Santo André, Votorantim, Primavera, XI de Agosto e São Bernardo.

Em 1954 a FPF promoveu o primeiro campeonato da terceira divisão da história do futebol paulista. A equipe jogou nessa competição já com a denominação de Clube Atlético Ceteiense. Na primeira fase, a equipe ficou em segundo lugar num grupo que tinha ainda as equipes da Ferroviária de Pindamonhangaba, Esportiva e São Bernardo, garantindo seu lugar na segunda fase.

Já na segunda fase, numa chave com Velo Clube, Mogi Mirim, Rigesa, Gran São João e de novo Ferroviária, a equipe ficou na última colocação e deu um ponto final na sua história no profissionalismo. Nessas duas disputas, o CAC disputou 34 partidas, com 9 vitórias, 6 empates e 19 derrotas. O time marcou 71 gols e sofreu 100. A maior vitória foi um 5x0 em cima do EC São Bernardo em 1952, e a maior derrota foi no jogo de estreia no profissionalismo, quando perdeu por 9x1 para o Paulista de Jundiaí.


Vista geral do estádio da Ceteiense, com seus refletores e cabines de imprensa restauradas. Foto: Fernando Martinez.


Cabine de imprensa do estádio. Foto: Fernando Martinez.

Com a CTI perdendo sua importância, com sucessivas vendas e surgimento de outras empresas, o Ceteiense também não tinha mais motivos para existir. Assim, com o encerramento das atividades da CTI em 1983, aconteceu a pá-de-cal na história do Clube Atlético Ceteiense. O time hoje encontra-se extinto, e acreditamos que é uma equipe que não voltará mais a nenhuma atividade esportiva, por motivos óbvios.


Das cabines de imprensa, essa é a vista do lado esquerdo do estádio. Foto: Fernando Martinez.


Agora, a vista do lado direito... e notem a grama, recém-colocada na reforma do local. Foto: Fernando Martinez.

Mas o Complexo Esportivo da CTI ainda existe na cidade de Taubaté, e com ele o estádio aonde o Ceteiense mandava suas partidas. Hoje tendo a Prefeitura de Taubaté tomando conta do local, o estádio está com o gramado novo e suas instalações muito bem conservadas. Na nossa visita pudemos conhecer as boas condições do local, e voltarmos no passado, quando o time da fábrica disputava as partidas profissionais por ali.


Mais uma visão dos refletores e da cabine de imprensa, agora do centro do gramado. Foto: Fernando Martinez.


Nas arquibancadas, árvores e bancos que possivelmente viram o Ceteiense desfilar pelo gramado nos anos 50 e 60. Foto: Fernando Martinez.

Felizes por termos encontrado esse pedaço da história do futebol de Taubaté perdido por entre memórias vagas e lembranças quase vazias, voltamos para São Paulo naquele dia com o dever cumprido.

Abraços e até a próxima,

Fernando

Um comentário:

  1. A Usina Félix Guisard ficava no município de Redenção da Serra, não em Paribuna.
    Somente para o registro correto do local.

    ResponderExcluir