Procure no JP

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2007

Massacre rubro-verde na Série A2

Fala povo!

Saindo de Santa Bárbara D'Oeste, ainda na correria, tivemos tempo para parar em um boteco qualquer para degustarmos aquela famosa Tubaína que só nosso interior tem. Com algumas garrafas na mochila, seguimos pela Via Bandeirantes para a cidade de São Paulo no maior gás, tudo para que eu pudesse acompanhar mais um jogo do Campeonato Paulista da Série A2. Sábado à noite, Canindé e um jogo que não acontecia desde 1996... a mistura perfeita.

O jogo em questão foi entre Portuguesa e XV de Jaú. Mais uma partida da saga lusitana pela A2 e a chance de ver um jogo que sempre quis ter visto. Bom, chegando lá encontrei o Jurandyr e entrei logo após o gol de abertura do placar, feito pelo XV. O clima estava nervoso, e a Portuguesa não jogava tão bem assim, pelo que todos diziam.

Mas acabei trazendo a boa sorte ao rubro-verde, pois não demorou muito para o time se encontrar em campo e virar o jogo ainda no primeiro tempo. Tudo bem que a tarefa ficou mais fácil com a expulsão de um atleta do time de Jaú aos 36 minutos, mas é inegável a garra lusitana nos últimos jogos pela A2. O gol de empate veio aos 42 minutos, quando o jogador Vaguinho aproveitou rebote do goleiro do XV e fez a festa no Canindé. Festa que só aumentou aos 47 minutos, quando o jogador Bruno virou o jogo, depois de boa cobrança de escanteio do mesmo Vaguinho.


Ataque da Portuguesa no final do primeiro tempo, aonde conseguiu uma virada fantástica. Foto: Fernando Martinez.

E o jogo foi para o intervalo em 2 a 1 para a Lusa. No intervalo, constatei com o Jurandyr o grande público presente no Canindé. Para nossa surpresa, depois ficamos sabendo que oficialmente tinham 1400 pessoas lá. estranho, com certeza tinha mais de 3 mil pessoas por lá. Aonde foram parar esses torcedores?


O massacre lusitano na segunda etapa. Mais um ataque e nenhum espaço para o XV de Jaú. Foto: Fernando Martinez.

No segundo tempo, vimos uma Portuguesa jogando como um rolo compressor. Desde o início deixando o XV de Jaú espremido na sua defesa, sem espaços e sem tempo para respirar depois de cada ataque rubro-verde. Aos 6 minutos a Portuguesa chegou ao seu teceiro gol, com o jogador Leonardo completando bola escorada vinda de cobrança de escanteio. Mais festa e êxtase completo nas arquibancadas.


Lance do terceiro gol da Portuguesa, marcado pelo jogador Leonardo. Foto: Fernando Martinez.

Depois desse gol, a Portuguesa se deu ao luxo de perder gol atrás de gol, lance atrás de lance. E nas únicas chances do XV nesse meio-tempo, duas bolas na trave lusitana assustaram a torcida. E quando o time de Jaú tentava assustar mais, a Lusa fechou o jogo com o quatro gol, aos 34 minutos. Depois de grande lançamento em profundidade, o jogador Wílton Goiano entrou livre e só deslocou. Portuguesa 4 a 1.


Jurandyr, emocionado com a grande torcida da Portuguesa e o placar "eletrônico" do Canindé, ainda sem mostrar o resultado final. Fotos: Fernando Martinez.

Quando o jogo parecia que iria terminar assim, a torcida da Portuguesa fez um gol junto com o goleiro Thiago.Em falta na entrada da área, todos os torcedores gritavam em alto e bom som o nome do goleiro Thiago. Como que retribuindo esse carinho da torcida rubro-verde, ele cobrou a falta com uma mistura de violência e perfeição, e a bola foi parar no ângulo esquerdo do goleiro Fabiano Heves, do XV. Portuguesa fechava o placar com louvor.


A cobrança de falta que originou o quinto gol da Lusa, marcado pelo goleiro Thiago. Foi o primeiro gol dele como profissional. Foto: Fernando Martinez.

Final de jogo: Portuguesa 5-1 XV de Jaú. Vitória maiúscula da Lusa, que segue em passos largos para a Segunda Fase da Série A2, buscando a sonhada volta à Série A1 de 2008. Tomara que o Campeonato seja uma injeção de ânimo para a Série B do Brasileiro também.

Depois do jogo fui para casa, curtir uma noite de filmes na TV e pronto para descansar no domingão. Mas o JOGOS PERDIDOS não descansou no domingo, e em breve, dois posts pintam por aqui!

Abraços

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário