Procure no JP

terça-feira, 31 de maio de 2011

Barretos vence outra e mantém 100% de aproveitamento na Segundona

Olá,

Seguindo com a minha rodada tripla do último fim de semana, logo após conferir a partida Américo x Jaboticabal, rumei até a imponente cidade de Ribeirão Preto, indo mais precisamente ao Estádio Dr. Francisco Palma Travassos, com o objetivo de cobrir a partida Olé Brasil F.C. S/A x Barretos E.C., válida pela quinta rodada da primeira fase do Campeonato Paulista da Segunda Divisão.

Deixei a cidade de Américo Brasiliense com a expectativa de ver ao vivo uma equipe, o Barretos, que já havia jogado 3 partidas e conseguido vencer todas, acumulando 9 pontos e liderando a classificação do Grupo 2, tornando-se uma das equipes favoritas a passar de fase e brigar com muitas chances pelo acesso. Por outro lado, havia também a expectativa de ver a equipe do Olé Brasil, formada na sua maioria por garotos e que também vinha com boa campanha, tendo conquistado 6 pontos em 3 jogos, situando-se na terceira colocação do grupo. O jogo prometia.

A viagem até Ribeirão Preto foi tranquila, me permitindo chegar com tempo de sobra para aguardar a entrada das equipes e dos árbitros para fazer as tradicionais fotos oficiais, as quais apresento abaixo. Por falar em fotos, nesse jogo senti dificuldades para conseguir fotos melhores, em razão da limitação técnica da máquina fotográfica utilizada e pela iluminação do estádio, que não ajudou muito.


Olé Brasil F.C. S/A - Ribeirão Preto/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Barretos E.C. - Barretos/SP. Foto: Orlando Lacanna.


O árbitro Carlos Roberto dos Santos Jr, os assistentes Dante Mesquita Junior e Paulo de Souza Amaral e o quarto árbitro Silvio Renato Silveira posam junto com os capitães dos times. Foto: Orlando Lacanna.

Tão logo o árbitro autorizou o início da partida, o Barretos foi ao ataque e teve uma falta a favor pela meia esquerda. Na cobrança, a bola foi alçada ao interior da área e no bate-rebate, o volante Vina, com muita categoria, bateu de chapa e mandou a bola para o fundo da rede do Olé Brasil, inaugurando o marcador logo no primeiro minuto de jogo.

Mesmo sofrendo o gol no início da partida, o Olé Brasil não se intimidou e procurou jogar de igual para igual, porém ficava nítida a diferença de experiência entre os dois times, sendo que o Barretos, quando atacava, levava perigo constante à meta defendida pelo goleiro Lau.


Arremesso lateral a favor do Barretos com a torcida "Fúria Jovem" ao fundo. Foto: Orlando Lacanna.

Até por volta do vigésimo minuto, o Barretos deus as cartas, mas, aos poucos a garotada do Olé Brasil foi equilibrando as ações, porém encontrava dificuldades para ultrapassar o setor defensivo barretense e, com isso, pouco concluía contra a meta guarnecida pelo goleiro Remerson.


Bola viajando em direção à área do Barretos. Foto: Orlando Lacanna.


Atleta do Olé Brasil procurando articular jogada ofensiva. Foto: Orlando Lacanna.

O jogo transcorria num ritmo acelerado, com o Barretos passando a impressão que poderia chegar ao seu segundo gol a qualquer momento e não deu outra, pois na marca dos 38 minutos, o camisa 7 Vina voltou a marcar, após jogada iniciada pelo lado direito, que gerou um bate-rebate, com o atleta barretense aproveitando a sobra e mandando a bola para o fundo da meta adversária.

Com a vantagem de dois gols, o Barretos deu uma segurada até o término da primeira etapa, só administrando as tentativas de ataque do Olé Brasil, que conseguia articular jogadas ofensivas, mas pecava em não conseguir concluir.


Falta a favor dos donos da casa ainda na primeira etapa. Foto: Orlando Lacanna.

A primeira etapa foi encerrada com o placar de 2 x 0 a favor do time barretense, ficando a expectativa para o segundo tempo se o time amarelo teria forças para tentar tirar a diferença. Passei a maior parte do intervalo ao lado dos amigos da Rede Vida acompanhando as entrevistas feitas enquanto os ateltas descansavam.


Tudo pronto para o reinicio da partida. Foto: Orlando Lacanna.

Com a bola voltando a rolar, o Olé Brasil foi ao ataque e, logo no primeiro minuto, marcou o seu gol através do camisa 18 Fábio que entrou no intervalo. Aliás, diga-se de passagem, foi um golaço, com o atacante tocando por cima do goleiro com muita categoria. A marcação do primeiro gol animou o jovem time do Olé Brasil, que partiu decidido para o ataque visando chegar à igualdade. Nos primeiros 15 minutos o time amarelo foi mais incisivo, tendo conseguido três escanteios consecutivos em apenas um minuto.


Início de mais uma arrancada ofensiva do Olé Brasil no começo do segundo tempo. Foto: Orlando Lacanna.

Após o período de maior domínio do Olé Brasil, a partida ficou equilibrada, com os dois time se alternando em lances ofensivos, sendo que a partida estava totalmente em aberto, com as duas equipes podendo chegar às redes a qualquer momento. No segunda metade do segundo tempo, fiquei com a impressão que o Barretos cansou e, com isso, permitiu um maior equilibrio, até porque a moçada do Olé Brasil corre demais.


Saída do Barretos para o ataque na segunda etapa. Foto: Orlando Lacanna.

A partida já se encaminhava para o final, quando na marca dos 40 minutos, o Olé Brasil só não chegou ao empate graças a uma ótima defesa do goleiro Remerson que se esticou todo e desviou para escanteio uma bola que tinha o endereço certo. Nos acréscimos, os anfitriões tiveram outra chance, mas o gol não saiu e, com isso, a partida foi encerrada com o placar indicando Olé Brasil 1 - 2 Barretos. Com esse resultado o "Touro do Vale" manteve 100% de aproveitamento, mantendo a liderança do seu grupo com 12 pontos. Apesar da derrota, o Olé Brasil permaneceu no G4, agora na 4ªcolocação com 6 pontos.

Tão logo a partida foi encerrada, deixei o estádio e fui tomar um chopp na famosa Choperia Pinguim, porque ninguém é de ferro. Aliás, ir a Ribeirão Preto e não ir ao Pinguim, é a mesma coisa que ir ao Vaticano e não ver o Papa. Depois de uma boa relaxada, o negócio foi dormir, até porque no dia seguinte, logo cedo, teria mais uma viagem para conferir o terceiro e último jogo da Segundona nessa minha rodada tripla. Foi isso.

Abraços,

Orlando

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Jaboticabal consegue primeira vitória na Segundona

Olá,

Depois de ter feito uma viagem especial no fim de semana retrasado, indo até Penápolis para conferir a decisão da Série A3 entre Penapolense e Santacruzense, no último final de semana voltei a botar o pé na estrada como nos velhos tempos e, com isso, estive presente em três partidas em três cidades diferentes, todas válidas pelo Grupo 2 do Campeonato Paulista da Segunda Divisão.

Os jogos acompanhados valeram pela quinta rodada da primeira fase da competição, sendo que comecei a jornada tripla no sábado à tarde, indo até a simpática cidade de Américo Brasiliense, também chamada de "Cidade Doçura", distante apenas 8 km. de Araraquara, para conferir ao vivo e em cores a partida Américo E.L. x Jaboticabal Atlético, realizada no Estádio Joaquim Justo.

As campanhas das duas equipes não eram boas, uma vez que nenhuma delas havia conseguido vencer até o início da quinta rodada. O time da casa, entrou em campo com apenas um ponto conseguido em três partidas, enquanto os visitantes também só haviam conquistado um único ponto, mas em quatro jogos. Portanto, a expectativa era saber qual time conseguiria a primeira vitória e, quem sabe, deslanchar no campeonato chegando à próxima fase.

Para começar, vamos com as fotos oficiais da partida, que são marca registrada do JP e que estão apresentadas abaixo:


Américo E.L. - Américo Brasiliense/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Jaboticabal Atlético - Jaboticabal/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Quarteto de arbitragem formado por Marcos Antônio Gomes Filho, Luiz Quirino da Costa, Alexandra Aparecida Rodolpho e Mateus Pulini, ao lado dos capitães das equipes. Foto: Orlando Lacanna.

Como de costume nos jogos da Segundona, a partida começou com muita pegada e disposição por parte dos dois times. Quem chegou primeiro com perigo, foi o Jaboticabal logo aos 2 minutos, numa cobrança de falta executada por Leandro Fonseca, fazendo o goleiro Rafael mostrar serviço.


Boa defesa de Rafael logo no início da partida. Foto: Orlando Lacanna.

Não demorou muito e os visitantes balançaram a rede do Américo, aos 12 minutos, num belo gol anotado por Vinicius, aproveitando rebote da zaga em jogada que teve início na meia esquerda. Após ter sofrido o gol de abertura, o Américo saiu mais para o campo ofensivo, mas os seus atacantes não tiveram vida fácil com a defesa dos visitantes, tanto que concluíram pouco à meta defendida por Juninho.


Atacante do Américo buscando alcançar a bola no interior da área para tentar o empate. Foto: Orlando Lacanna.

Ao longo da primeira etapa, o Jaboticabal mostrou melhor desenvoltura em campo, criando algumas situações de perigo, como aconteceu na marca dos 31 minutos, numa cabeçada de Leandro Fonseca, exigindo outra boa intervenção do goleiro Rafael. Aos 39 minutos não teve jeito, pois o avante Leandro Fonseca aumentou a vantagem, através de um gol em que o goleiro do Américo quase conseguiu evitar, mas a bola escapou das suas mãos e mansamente ultrapassou a linha fatal. O assistente muito bem colocado, não teve dúvidas para confirmar o segundo gol do "Tigre de Atenas".


Início da jogada que resultou no segundo gol do Jaboticabal. Foto: Orlando Lacanna.


Bola indo mansamente pera o fundo da meta do Américo. Foto: Orlando Lacanna.

A primeira etapa já se aproximava do final, quando aos 43 minutos o camisa 11 do Jaboticabal, Valmir, esteve perto de aumentar a vantagem numa escapada pela esquerda, livre de marcação, mas a conclusão foi por cima do travessão e, sendo assim, o primeiro tempo foi encerrado com a vantagem de 2 x 0 a favor do time alvinegro.

Depois do descanso regulamentar, as equipes voltaram a campo e, logo aos 4 minutos, o Jaboticabal mandou a bola para o fundo da rede do Américo, agora através de uma cabeçada do zagueiro Willian, naquele que seria o terceiro gol dos visitantes, porém a assistente impugnou o lance, assinalando corretamente a posição de impedimento, frustando os tocedores que vieram de Jaboticabal.


Cabeçada do zagueiro do Jaboticabal que foi para o fundo da rede. mas não valeu. Foto: Orlando Lacanna.

Mesmo em desvantagem no placar, o Américo lutou com bravura buscando diminuir a diferança e foi recompensado aos 7 minutos, quando Robinho anotou o primeiro gol dos anfitriões cobrando pênalti, mandando a bola no alto da meta do goleiro Juninho.


Bola estufando a rede do Jaboticabal no primeiro gol do Américo. Foto: Orlando Lacanna.

A marcação do primeiro gol animou o time da casa, que passou a pressionar o setor defensivo do Jaboticabal, criando alguns lances mais agudos, como aconteceu na marca do 10 minutos, numa chance incrível desperdiçada por Robinho. Aos 13 minutos, foi a vez de Bruno perder a chance do empate, mas nesse lance houve muito mérito do goleiro Juninho, que chegou junto e abafou o chute do atacante. O gol de empate estava amadurecendo.

Como diz o velho ditado: "água mole em pedra dura, tanto bate até que fura", finalmente aconteceu o gol de empate, aos 15 minutos, anotado por Diogo Rincon que escorou cruzamento vindo da direita. O atleta do Américo pegou mal na bola, mas mesmo assim a mandou para o fundo da rede alvinegra, fazendo com que renascesse a esperança do Américo chegar à primeira vitória.


Gol de empate do Américo anotado pela camisa 14 Diogo Rincon. Foto: Orlando Lacanna.

Após a igualdade no placar, a partida ganhou em emoção e a briga para chegar a vitória ficou ainda mais intensa. Numa dessas, aos 25 minutos, o zagueiro e capitão do Amércio, Edson se excedeu e acabou recebendo o cartão vermelho direto por ter cuspido num adversário, segundo o que consta na súmula da partida, pois na minha posição no gramado não foi possível observar a atitude do atleta. O árbitro foi convicto e estava muito próximo da jogada que originou toda confusão. O jogador do Amércio ficou irritadíssimo e foi tirar satisfação com o árbitro, mas a turma do "deixa disso" e o policiamento entraram em ação e evitaram maiores consequências.

Com um homem a mais, o Jaboticabal retomou o controle da partida, tanto que, aos 27 minutos, o camisa 8 Vinicius, quase anota o terceiro gol, numa cabeçada que passou muito perto. Aos 38 minutos, os visitantes retomaram a vantagem no placar, quando Leandro Fonseca, balançou a rede do Amércio mais uma vez, só desviando com sutileza um cruzamento da direita executado por Vinicius, que criou ótima jogada individual, deixando o lateral Cristhian na saudade.


Bola no fundo da meta dos donos da casa no terceiro gol do Jaboticabal. Foto: Orlando Lacanna.

Dois minutos após ter sofrido o terceiro gol, o autor do gol de empate do Amércio, Diogo Rincon também recebeu o cartão vermelho direto, por uma entrada durissíma num adversário, deixando sua equipe com nove homens. Nos acréscimos, o Jaboticabal perdeu o atacante Valmir por ter recebido o segundo cartão amarelo, totalizando três expulsões na partida.

Fim de jogo com o placar registrando Américo 2 - 3 Jaboticabal, resultado que deu a primeira vitória ao time alvinegro, deixando-o na 6ª posição com 4 pontos em 5 jogos, ainda fora do G4. Por outro lado, a derrota colocou o time de Américo Brasiliense na última posição do grupo (7ª) com apenas um ponto em 4 jogos. Como ainda restam 8 jogos a realizar, com 24 pontos a disputar, o Américo poderá se recupaerar na competição.

Assim que o árbitro encerrou a partida, voltei para a estrada e iniciei nova viagem até uma cidade próxima a Américo Brasiliense, com o objetivo de conferir o segundo jogo do dia que seria realizado à noite, mas essa história fica para mais tarde. Aguardem...

Abraços,

Orlando

No "Clássico dos desesperados", Palestra vence e afunda ainda mais o Nacional na Segundona

Fala pessoal!

Mesmo comigo fora de combate no sábado e domingo, o JP teve um final de semana cheio, com direito a um clássico do litoral e três jogos pelo interior do estado, em locais que há muito não visitávamos. Eu pude apenas contribuir com a partida Palestra x Nacional, disputada na sexta à noite no Baetão valendo pelo Campeonato Paulista da Segunda Divisão.

Como tem feito muito frio por essas bandas, cheguei em São Bernardo do Campo devidamente agasalhado debaixo de uma temperatura fantástica. Sem problemas, fiz as fotos oficiais e exclusivas das equipes e do trio de arbitragem.


Palestra SB - São Bernardo do Campo/SP. Foto: Fernando Martinez.


Nacional AC - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


O árbitro Eduardo César Coronado Coelho e os assistentes Daniel Paulo Ziolli e Ricardo Pavanelli Lanutto posam junto com os capitães dos times. Foto: Fernando Martinez.

O jogo foi um verdadeiro "clássico dos desesperados", pois as duas equipes somavam oito derrotas nos oito jogos disputados até ali, num assustador 0% de aproveitamento combinado. Jogar entrei si poderia signifcar um ânimo extra, mesmo nessa terrível situação. O Palestra perdeu o técnico que iniciou o campeonato, e jogando dentro de casa queria os três pontos.

Já o Nacional, que na derrota para o São Vicente completou o pior início num campeonato paulista desde 1978 (naquele ano o time perdeu os quatro primeiros jogos. Mas com o detalhe que era na segunda, e não na quarta divisão), contava com algumas alterações na equipe para buscar o triunfo.


Zagueiro do Nacional sobe no terceiro andar para interceptar passe longo para atacante palestrino. Foto: Fernando Martinez.

A partida então começou com o Palestra melhor e tendo melhores oportunidades. Nos primeiros minutos chegou muito perto de marcar, mas os atacantes não conseguiram completar. Com o passar do tempo o Nacional melhorou e passou a ter mais vontade em campo. O time foi se soltando e aos 29 minutos abriu o placar.


Início de ataque do onze ferroviário. Foto: Fernando Martinez.


Grande defesa do goleiro Rafael no primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez.

Após cobrança de escanteio pela direita, o jogador Israel surgiu no meio da zaga palestrina e marcou o primeiro do time paulistano. Nos minutos finais do tempo inicial, o jogo ficou equilibrado e o intervalo veio com a vantagem parcial do onze ferroviário.


Escanteio para o Palestra na direita do seu ataque. Foto: Fernando Martinez.

Saí do campo e resolvi ir para as cabines no segundo tempo. No caminho encontrei o Mau, dono do blog As Mil Camisas, e sua namorada Mari. Eles formam um casal apaixonado pelo futebol "menor", e ficamos nas numeradas confabulando sobre o que está acontecendo no futebol de hoje em dia. Um abraço a eles!

Já instalado nas cabines de imprensa do Baetão, e pronto para um lanchinho providencial com bolacha e suco, o segundo tempo começou com o Palestra melhor e disposto a buscar a virada no marcador. E não demorou muito para que isso acontecesse. Aos 8 minutos, após cobrança de escanteio, Felipe, goleiro do Nacional, soltou a bola nos pés de Diego. Ele encheu o pé e deixou tudo igual no placar.


Falta na lateral direita do ataque visitante, com a bola prestes a ser jogada na área. Foto: Fernando Martinez.

O time da casa se lançou ao ataque e o Nacional tentava fazer o segundo com o contra-ataque todo a seu favor. Mas os atacantes paulistanos não estavam numa noite inspirada. A partida ficou muito disputada, com lances perigosos para os dois lados.


Aqui foi a vez do Palestra cruzar a bola na área adversária. Foto: Fernando Martinez.

Mas o Palestra mostrou mais disposição, e finalmente conseguiu virar o marcador aos 30 minutos. Brito recebeu na entrada da área e chutou forte. O goleiro Rafael caiu antes da bola e mesmo tocando nela não teve como fazer a defesa. A pequena torcida alvi-verde presente no Baetão comemorou bastante. O terceiro quase aconteceu aos 33, numa cabeçada na trave.


Rápido ataque local pela esquerda, sem que a zaga do Nacional chegasse a tempo. Foto: Fernando Martinez.

O Naça continuou tentando seu gol, mas não conseguiu. No final, a vitória foi dos donos da casa. Final de jogo Palestra 2-1 Nacional. Primeira vitória do time do ABC paulista, que agora fica isolado na sétima colocação do Grupo 6. O futebol melhorou, e quem sabe o time não consiga uma melhor sorte na competição.

Já para o time paulistano a coisa fica pior a cada dia que passa. Além das cinco derrotas seguidas, algo que não acontecia com a equipe num campeonato paulista desde o longínquo ano de 1950 (naquele ano o time ainda estava na elite estadual, com adversários de muito mais expressão), o clube foi indiciado pelo artigo 214 no TJD, e pode perder pontos na tábua de classificação. Realmente desgraça pouca é bobagem.

O que me deixa realmente triste é saber que a equipe estava na Série A2 paulista até 2007, e é assustador demais presenciar essa vertiginosa queda. Um time tradicional com 92 anos de história não merece uma campanha vergonhosa dessas. E o pior é que não conseguimos sequer cogitar uma melhora nesse panorama. Mas a esperança é a última que morre.

Bom, com o sábado e domingo reservados para um trabalho muito prazeroso (mas cansativo também), só fiquei de antena ligada para o que o Orlando e o Emerson estavam preparando para o JP.

Até lá!

Fernando

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Estádios pelo Brasil, volume 37: Estádio Tenente Carriço (Penápolis/SP)

Olá,

Depois de um bom tempo sem aparecer nas páginas virtuais do JP, estamos retomando a série "Estádios pelo Brasil" e, aproveitando o momento da conquista recente do Campeonato Paulista da Série A3 de 2.011 pelo Clube Atlético Penapolense, vamos recomeçar apresentando informações e fotos do tradicional Estádio Tenente Carriço, também chamado de Tenentão.


Fachada do Estádio Tenente Carriço. Foto: Orlando Lacanna.

Antes de falarmos do estádio em si, vamos com algumas informações da cidade de Penápolis, também chamada de "Cidade Princesa da Cidadania" ou ainda "Cidade Cidadã". A distância de São Paulo é de 494 kms. e está situada na região noroeste do estado. O acesso, saindo da Capítal, é através das Rodovias Castello Branco e Marechal Cândido Rondon, sendo que a sua população atual é de 60.000 habitantes aproximadamente. Suas atividades econômicas são a indústria canavieira, pecuária, lavoura de café, indústria e comércio.

Voltando ao estádio, o seu nome tem origem na doação do terreno à Prefeitura para construção do mesmo. O doador foi o Tenente Carriço, que colocou como condição à doação, que o estádio tivesse o seu nome para sempre. A sua inauguração ocorreu em outubro de 1.928 com a realização da partida Penápolis x Corinthians (não há informação sobre qual Corinthians). Conforme consta no site da FPF, o resultado foi 0 x 0, mas há controvérsias, havendo citação de um 11 x 0 a favor dos locais em outro site.


Um dos lances de arquibancada descoberta. Foto: Orlando Lacanna.


Arquibancada coberta. Foto: Orlando Lacanna.


Outro lance de arquibancada descoberta. Foto: Orlando Lacanna.

Com relação à capacidade de público, fui informado por pessoas ligadas ao Penapolense, que em novembro de 2.009 foi iniciada e já concluída, uma ampliação de 1.270 lugares, através da construção de um novo lance de arquibancada de concreto, localizado atrás do gol de entrada do estádio, elevando sua capacidade atual para 9.000 espectadores aproximadamente. Para disputar a Série A2 em 2.012, a exigência da FPF é de 15.000 pessoas. Vale ressaltar que no site da FPF, não consta a capacidade oficial de público.


Visão dos três lances de arquibancada juntos. Foto: Orlando Lacanna.


Visão do centro do gramado visto da arquibancada coberta. Foto: Orlando Lacanna.


Gol da direita com o novo lance de arquibancada ao fundo. Foto: Orlando Lacanna.


Agora o gol da esquerda. Foto: Orlando Lacanna.

Quando da visita, tivemos a oportunidade de conhecer vários pontos do estádio, que no geral, está conservado. Como o estádio tem mais de 80 anos, é natural que parte das suas dependências estão defasadas e exigem uma adequação aos novos tempos. Diante do grande entusiasmo pelo acesso demonstado pelos dirigentes, torcedores, imprensa local, homens públicos, patrocinadores, etc, com certeza o estádio será ampliado e reformado, pois a elite do futebol paulista está batendo às portas do Penapolense, uma vez que falta apenas um degrau para atingir o ápice regional.


Visão geral do gramado vista do próprio gramado. Foto: Orlando Lacanna.


Pista de atletismo e tribuna emergencial para convidados e autoridades. Foto: Orlando Lacanna.


Outro lado da pista de atletismo e os bancos de reservas. Foto: Orlando Lacanna.


Finalizando, agora as arquibancadas com boa parte do público da partida decisiva. Foto: Orlando Lacanna.

Depois da visita foi só descansar da viagem para estar inteiro no dia seguinte, quando ocorreria a grande decisão. Foi isso.

Abraços,

Orlando

terça-feira, 24 de maio de 2011

Virada fantástica do Atlético Mogi pelo Paulista Feminino

Opa,

A correria foi forte, pois seguir num esquema metrô/trem/ônibus de um ponto a outro da Grande São Paulo não é tarefa fácil. Tudo para que pudesse trazer para as páginas virtuais do JP um jogo válido pelo Campeonato Paulista Feminino. No Baetão, São Bernardo FC e Atlético Mogi jogaram pela sétima rodada do Grupo 2.

Mas todo o esforço deu resultado, pois cheguei ao estádio na hora do Hino Nacional Brasileiro, e com isso deu o tempo certo para as fotos oficiais e exclusivas da partida:


São Bernardo FC (feminino) - São Bernardo do Campo/SP. Foto: Fernando Martinez.


CA Mogi das Cruzes F (feminino) - Mogi das Cruzes/SP. Foto: Fernando Martinez.


Capitãs das equipes e trio de arbitragem. Foto: Fernando Martinez.

A peleja reuniu o antepenúltimo lugar (São Bernardo FC) e o penúltimo (Atlético Mogi) da chave, ambos em busca de dias melhores no torneio. As duas equipes já sofreram goleadas históricas nesse ano. O Tigre do ABC sofreu um 10x0 para o Centro Olímpico na 6ª rodada, enquanto as mogianas já sofreram um 10x1 para o Santos na 1ª rodada e um 10x0 também para o Centro Olímpico, esse na 4ª rodada. O jogo do domingo poderia servir como um grande alento para o restante do campeonato.


Jogada no campo de ataque do Mogi no começo de partida. Foto: Fernando Martinez.

Mas jogando em casa, o São Bernardo FC queria fazer valer o mando e o primeiro tempo foi todo das meninas do ABC. O time se aproveitou da insegurança da zaga mogiana e marcou o primeiro aos 17, com um chute colocado de Elisângela chegando pela esquerda. O segundo veio aos 28, e aconteceu depois de falha da arqueira do Mogi. Após escanteio da esquerda, ela deixou a bola passar, e Maressa, livre de marcação, só tocou para o fundo das redes.


Disputa de bola no meio de campo. Foto: Fernando Martinez.


Falta para o São Bernardo FC pela esquerda. Foto: Fernando Martinez.

O Mogi tentou diminuir a contagem, mas não teve sucesso. Sem sofrer sustos, o São Bernardo FC levou a partida para o intervalo com a vantagem parcial de 2x0. Cansado, fui acompanhar o segundo tempo das cabines de imprensa do Baetão junto com o Mílton.


Ótima chance de gol das donas da casa, com grande defesa da goleira do Mogi. Foto: Fernando Martinez.

E a segunda etapa foi simplesmente espetacular, e contou com a recuperação fantástica do time visitante. O Tigre começou perdendo boas chances, e isso foi deixando as mogianas dispostas a virarem o placar. O time azul insistiu muito, e conseguiu o primeiro gol aos 24 minutos. Cybele acertou um chutaço de longe após rebatida da zaga e fez o primeiro.


Zaga do time local afasta a bola em chance do onze visitante no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.

O São Bernardo FC estava nervoso, e logo após o gol ficou com uma atleta a menos em campo. O Atlético mandava no jogo, e conseguiu o empate num lance improvável. Com uma falta a favor da equipe aos 37 minutos ainda na intermediária, a camisa 6 Karine acabou chutando direto para o gol. Acho que nem ela acreditava, mas a bola fez uma verdadeira parábola e foi parar no ângulo esquerdo da arqueira do Tigre, que falhou no lance. Muita festa das jogadoras do onze visitante.


Exato momento em que a bola entrava no gol do São Bernardo FC. Era o empate do Atlético Mogi. Foto: Fernando Martinez.

Mas o lance da partida ainda estava por vir, e ele aconteceu aos 41 minutos. Após rebatida da zaga, a jogadora Cybele resolveu arriscar um chute mesmo estando quase na linha do meio de campo. E não é que que o chute tinha endereço certo? A goleira, que estava adiantada, nada pôde fazer, e só viu a bola estufar suas redes. Virada jogando fora de casa com um gol do meio de campo... está aí algo que não se vê todo dia.


O São Bernardo FC tentou o empate nos minutos finais, mas sem sucesso. Foto: Fernando Martinez.

O Tigre ainda tentou diminuir nos minutos finais, mas o dia era mesmo do time visitante. Final de jogo: São Bernardo FC 2-3 Atlético Mogi. Grande vitória das mogianas, que ultrapassam justamente as meninas do ABC e estacionam na 8ª posição do Grupo 2. O time provavelmente não irá se classificar, mas esse jogo foi inesquecível para elas.

Cansados, mas satisfeitos com duas grandes partidas vistas no mesmo dia, fizemos o caminho de volta para a capital paulista para descansar um pouquinho. Afinal, o dia foi cheio!

Até a próxima!

Fernando