Procure no JP

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Red Bull vence e assume liderança do seu grupo na Série A3

Olá, 

Em pleno feriado nacional de 21 de Abril, foi realizada a segunda rodada da segunda fase do Campeonato Paulista da Série A3, composta por quatro jogos, sendo que o JOGOS PERDIDOS esteve presente em dois deles. Coube a mim, viajar até Campinas e conferir a partida Red Bull F.E.L. x C.A. Penapolense, que foi realizada do Estádio Moisés Lucarelli

Na primeira rodada dessa fase, o Red Bull havia empatado (1x1) com o Juventus na Rua Javari, enquanto em seus domínios o Penapolense tinha derrotado o Palmeiras B por 2x1. Dessa forma, o time de Penápolis entrava em campo como líder do Grupo 2 com 3 pontos. 

Fiz uma viagem sossegada e tive a oportunidade de rever um dos amigos do JP, o campineiro Luciano Claudino, depois de quase um ano. Chegando ao estádio, fui para o gramado para fazer o meu credenciamento e obter as escalações. Enquanto circulava, observei alguns torcedores do CAP colocando uma faixa da torcida junto ao alambrado e isso chamou minha atenção, pois a cidade de Penápolis fica distante quase 400 quilometros de Campinas, não sendo fácil a vinda de torcedores de tão longe. 

Fui informado que 15 abnegados vieram acompanhar a "Pantera da Noroeste", viajando numa van, numa demostração de amor ao seu time. Depois de conversar com alguns torcedores do CAP, fui para o outro lado do gramado e lá encontrei a mascote do Red Bull, representada pelo "Toro Loko", fazendo uma performance ao o público presente.


Faixa da Torcida Independenete do CAP e "Toro Loko" a mascote do Red Bull. Fotos: Orlando Lacanna. 

Após fazer as fotos da faixa da torcida do CAP e da mascote, permaneci no gramado, agora aguardando a entrada dos protagonistas do espetáculo, visando fazer as fotos oficiais, as quais apresento abaixo:


Red Bull F.E.L. - Campinas/SP. Foto: Orlando Lacanna.


C.A. Penapolense - Penápolis/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Quarteto de arbitragem com o árbitro Marcelo Pereira da Silva, os assistentes Marco Antônio Bagatella e Luciano Pereira de Souza e o quarto árbitro Leomar Oliveira Neves acompanhado pelos capitães dos dois times. Foto: Orlando Lacanna. 

A partida teve início num ritmo morno, com as duas equipes jogando com muita cautela, não criando praticamente nenhuma jogada ofensiva que pudesse levar maior perigo às defesas, até a marca dos 22 minutos, quando o meia Alê do Penapolense, arriscou uma investida pela direita, cujo arremate foi defendido por Luiz Fernando. 


Atacante do Penapolense cercado por dois defensores do Red Bull. Foto: Orlando Lacanna. 


Zagueiro do Penapolense, cortando cruzamento aéreo do Red Bull. Foto: Orlando Lacanna.

Até o trigésimo minuto, o predomínio do Penapolense prevaleceu, embora sem levar perigo à meta do Red Bull, que até então, não havia atacado. Somente aos 31 minutos, o time da casa, realizou a primeira grande jogada ofensiva, que acabou resultando na abertura da contagem, numa cabeçada à queima-roupa de Serginho, aproveitando cruzamento perfeito de Careca que se infiltou pelo lado direito.


Bola no fundo da meta do CAP e Serginho saindo comemorando o primeiro gol do Red Bull. Foto: Orlando Lacanna. 

Depois de ter inaugurado o placar, o Red Bull pegou no breu e passou a fustigar a defesa adversária, tanto que, na marca dos 34 minutos, chegou muito perto de aumentar a contagem, só não o fazendo, graças à intervenção do zagueiro Tom, que desviou praticamente em cima da linha fatal, uma bola que tinha o destino certo. Da cobrança do escanteio, nasceram outros dois bons momentos do ataque do time do energético, resultando em mais dois escanteios seguidos, O lance do gol e os três escanteios consecutivos cobrados pelo Red Bull, foi o que de melhor aconteceu durante toda a primeira etapa.


Um dos escanteios seguidos cobrado pelo Red Bull. Foto: Orlando Lacanna.

Nos últimos dez minutos a partida voltou ao ritmo cadenciado e o primeiro tempo foi encerrado com o placar de 1 a 0 a favor dos anfitriões, que embora estivessem à frente no placar, não faziam uma boa partida, ficando a expectativa de uma melhor exibição no segundo tempo.

A bola voltou a ser movimentada e o ritmo inicial foi o mesmo do primeiro tempo, ou seja, muita cautela e poucas ações ofensivas. Somente aos 15 minutos, o Penapolense chegou com força pelo lado direito, numa jogada que foi concluída por Ivanzinho, mandando a bola por cima do travessão. O Red Bull jogava num estilo cadenciado, procurando encaixar um lance de ataque, porém os seus avantes não estavam inspirados e nada acontecia.


Tentativa de ataque do Red Bull no segundo tempo. Foto: Orlando Lacanna.

Nos últimos quinze minutos a partida melhorou de ritmo, com os dois times saindo com mais determinação ao ataque e, numa dessas investidas, o Red Bull foi mais feliz e chegou ao seu segundo gol, aos 36 minutos, anotado por Henan, aproveitando cruzamento rasteiro vindo da direita, cuja conclusão pegou o goleiro Ricardo no contra-pé.

Com dois gols de desvantagem e faltando um pouco mais de dez minutos para o encerramento da partida, o Penapolense não tinha outra alternativa a não ser ir com tudo para o ataque, tendo chegado ao seu gol, aos 43 minutos, marcado de cabeça por intermédio de Alex Paulista, que aproveitou um cruzamento perfeito executado por Rubens pelo lado direito, numa jogada muito parecida com a do primeiro gol do Red Bull.


Ataque do Penapolense pelo lado esquerdo no final da partida. Foto: Orlando Lacanna. 

A marcação do primeiro gol deu uma animada no time de Penápolis, que foi com tudo para cima da defesa do Red Bull, tornando dramáticos os últimos cinco minutos. Nos acréscimos, o empate só não aconteceu por um verdadeiro milagre, já que o zagueiro e capitão Carlinhos, salvou a meio metro da linha fatal, aquele que seria o gol de empate do CAP. 


Sufoco para cima da defesa do Red Bull no finalzinho da partida. Foto: Orlando Lacanna.

Final de partida com o placar registrando Red Bull Brasil 2 - 1 Penapolense, que colocou o time campineiro na liderança do grupo com 4 pontos e deixou o Penapolense na terceira posição com 3 pontos. Como ainda restam quatro partidas para cada equipe, nada está definido e muita água ainda vai passar por baixo da ponte, com todos os time do grupo (os outros dois são o Juventus e o Palmeiras B) tendo chances matemáticas de chegarem às duas primeiras colocações do grupo e alcançarem o acesso à Série A2 em 2.011. A luta promete.

Jogo encerrado e, com aquela carona providencial do amigo Luciano, segui até o Terminal Rodoviário, para embarcar com destino a São Paulo, numa viagem que apaguei, só acordando quando cheguei em Sampa.

Abraços,

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário