Procure no JP

terça-feira, 13 de abril de 2010

Portuguesa Santista vence o Força e ambos são rebaixados na Série A3

Olá,

No último domingo bem cedo, desci novamente a Serra do Mar, com destino à cidade de Santos, para conferir no Estádio Ulrico Mursa, a partida A.A. Portuguesa x Força E.C., válida pela última rodada (19ª) da primeira fase do Campeonato Paulista da Série A3.

Esse confronto era decisivo para definição de uma ou duas equipes que seriam rebaixadas para a Segunda Divisão em 2.011, que é o quarto escalão na hierarquia do futebol paulista. O time da casa necessitava vencer e torcer para uma combinação de pelo menos dois resultados envolvendo três jogos, com participações de outras três equipes também ameaçadas pelo rebaixamento. Os jogos eram: Itapirense x Taubaté, Olímpia x Batatais e Francana x Sport Barueri. 

Por outro lado, os visitantes só dependiam de si, pois com a vitória, estariam livres da degola. Caso fossem derrotados ou houvesse empate, ainda poderiam se salvar, desde que acontecesse apenas um resultado a seu favor, considerando os três jogos citados e mais São Carlos x Bandeirante. Portanto, o Força contava com 5 possibilidades para escapar do rebaixamento, ou seja, a vitória ou algum tropeço de um dos seus quatro concorrentes.

Quando cheguei ao estádio, percebi um clima de preocupação por parte das pessoas ligadas aos dois times, em especial, as da Briosa, pois o time santista não dependia apenas de si. Depois de conseguir as escalações, fui para o gramado e aguardei a entrada dos participantes da partida, que posaram com exclusividade para a câmera do JP. As fotos estão apresentadas abaixo:


A.A. Portuguesa - Santos/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Força E.C. - Caieiras/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Quarteto de arbitragem com o árbitro Marcelo Prieto Alfiéri, os assistentes Flávio Alexandre Silveira e Maurício Diacov e o quarto árbitro André Luís de Oliveira acompanhado pelos capitães dos dois times. Foto: Orlando Lacanna.

A partida teve início com a Briosa tomando as primeiras inicativas de ataque e, mesmo demonstrando nervosismo, chegou à abertura da contagem, aos 5 minutos, num gol anotado por Cairo, que converteu uma penalidade máxima. Após o gol, a Portuguesa assumiu uma postura mais cautelosa, tentando chamar o Força para o ataque e, ao recuperar a posse de bola, sair com velocidade para o contra-ataque.


Gol de pênalti marcado por Cairo da Briosa. Foto: Orlando Lacanna. 

O jogo transcorria com poucos lances ofensivos, pois o Força apresentava dificuldades para articular jogadas de ataque, enquanto a Portuguesa ficava na dela, só esperando o momento certo para nova estocada e, dessa forma, o jogo não empolgava, com muitos erros de passe e jogadas sem objetividade.


Zagueiro da Portuguesa afastando cruzamento do ataque do Força. Foto: Orlando Lacanna. 

Somente na marca dos 35 minutos, o time visitante deu um susto na torcida santista, quando o volante Rodrigo Paulista cobrou uma falta da entrada da área com perigo, exigindo boa defesa de Rodrigo. Aos 42 minutos, o Força voltou a assustar, numa trama do seu ataque pelo lado direito, que culminou com a conclusão de Reinaldo, mandando a bola por cima do travessão. Mais alguns minutos e o primeiro tempo foi encerrado com a vantagem mínima a favor da Portuguesa, cujo resultado, por conta das outras partidas, não a livrava da queda.


Um dos raros ataques da Briosa no final da primeira etapa. Foto: Orlando Lacanna.


Disputa acirrada de bola junto à lateral. Foto: Orlando Lacanna. 

Durante o intervalo permaneci do gramado e percebi uma enorme preocupação dos dirigentes do Força, que estavam junto ao alambrado, quanto a derrota parcial e alguns resultados dos outros jogos que não eram nada favoráveis. O drama iria continuar por mais 45 minutos.

Com a bola voltando a rolar, o Força procurava sair para o ataque, entretanto não conseguia incomodar o setor defensivo do time praiano, que estava bem postado e contava com o recuo dos seus atacantes para ajudar na marcação. Apesar dos esforços dos atletas dos dois times, o jogo não agradava e, em alguns momentos, parecia que todo mundo estava mais interessado em saber os resultados dos outros jogos, que não estavam sendo divulgados pelo serviço de som do estádio.

Os poucos lances de ataque na segunda etapa, foram criados pela Portuguesa, quase no final da partida, como aconteceu aos 37 e 45 minutos, em jogadas com as participações de Cris e João Diego, cujas finalizações morreram nas mãos do goleiro Nilson. 


Tentativa de ataque de Cris da Portuguesa pelo lado esquerdo. Foto: Orlando Lacanna.


Jogada de ataque da Briosa no fim da partida. Foto: Orlando Lacanna.

Jogo encerrado com o placar final de Portuguesa Santista 1 - 0 Força, que só serviu para rebaixar as duas equipes para a Segundona do próximo ano, quando terão a companhia do Olímpia e do Bandeirante de Birigui, que também foram rebaixados. Resta a esses dois times, começarem uma nova etapa a partir de 2.011, visando sairem do último escalão no futebol paulista.

Depois do apito final, início do retorno a São Paulo para um merecido descanso e acompanhar, via telinha, jogos importantes dos campeonatos estaduais. Foi isso.

Abraços,

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário