Procure no JP

terça-feira, 13 de abril de 2010

Linense assume liderança do Grupo 3 da Série A2

Olá,

Depois de ter curtido uma folga no domingo de Páscoa, no último final de semana, voltei à ativa e tive a oportunidade de conferir um importantíssimo jogo válido pela terceira rodada da segunda fase do Campeonato Paulista da Série A2, realizado no histórico Estádio Conde Rodolfo Crespi, também chamado de Rua Javari. O jogo em questão foi Pão de Açúcar E. C. x C.A. Linense.

Essa partida fechava a participação das duas equipes no primeiro turno da segunda fase, sendo que ambas tinham jogado em casa na rodada anterior, sendo que o PAEC havia empatado com o São Bernardo em 2 a 2, enquanto o time de Lins havia vencido o União Barbarense por 3 a 1. Os donos da casa entraram em campo com 4 pontos e os visitantes com 3 pontos e, diante disso, a conquista da vitória era fundamental para seguirem sonhando com o acesso à elite do futebol paulista.

Ao chegar no portão do estádio, observei a presença de vários torcedores do Linense, quase todos vestindo a camisa do "Elefante da Noroeste", fazendo muita festa e demonstrando confiança no seu time, em especial, no artilheiro da competição e ídolo do time, o centro-avante Fausto, autor de 19 gols até aquele momento. Fui informado que vieram 5 ônibus de Lins trazendo os torcedores.

Tão logo ingressei no estádio, fui fazer meu credenciamento e obter as escalações das duas equipes, sendo que em seguida, me posicionei junto à lateral do gramado, permanecendo por lá até a entrada dos jogadores e dos árbitros, visando fazer as tradicionais fotos oficiais da partida, as quais apresento abaixo:


Pão de Açúcar E.C. - São Paulo/SP. Foto: Orlando Lacanna.


C.A. Linense - Lins/SP. Foto: Orlando Lacanna. 


Quarteto de arbitragem com o árbitro Antonio Rogério Batista do Prado, os assistentes Dante Mesquita Junior e Rogerio Pablos Zanardo e o quarto árbitro Paulo Estevão Alves da Silva posando ao lado dos capitães das equipes. Foto: Orlando Lacanna. 

A partida começou num ritmo excelente, com as duas equipes mostrando que estavam dispostas a buscarem a vitória, tanto que, logo aos 3 minutos, o Pão de Açúcar criou e desperdiçou a primeira grande oportunidade, numa arrancada do ala Valdo pela meia esquerda, que culminou com um forte arremate cruzado, sendo defendido parcialmente por Paulo Musse, cujo rebote não foi aproveitado por Juca, que acabou chutando fraco e propiciando nova defesa. A resposta do Linense foi imediata, pois aos 4 minutos, o artilheiro Fausto chegou com perigo pela esquerda, mas o goleiro Cairo estava esperto e praticou a defesa.


Meia Juca do PAEC desperdiçando ótima oportunidade no início da partida. Foto: Orlando Lacanna.

O PAEC era o dono da maioria das ações ofensivas, mantendo a bola por mais tempo no seu campo de ataque, tendo chegado mais uma vez com perigo, aos 9 minutos, numa jogada iniciada por Sérgio Lobo, em que o atacante Caihame foi lento no lance e permitiu à zaga desviar para escanteio.


Mais uma jogada ofensiva do PAEC no primeiro tempo. Foto: Orlando Lacanna. 

Até o vigésimo minuto, o PAEC tinha mais volume de jogo e tudo indicava que o time amarelo poderia chegar ao seu gol, porém, aos 22 minutos, o experiente time do Linense abriu a contagem, através de mais um gol anotado pelo artilheiro Fausto, agora o 20º, concluindo com sucesso, uma jogada iniciada por Tarracha, pelo lado esquerdo. 

O gol inaugural deu uma derrubada no time da casa, que permitiu ao Linense jogar com mais tranquilidade e sair com mais frequência para o seu campo de ataque, tanto que, aos 26 minutos, o time de Lins quase aumentou a vantagem, numa roubada de bola de André Luiz, que cruzou para a área, mas, dessa vez, o artilheiro Fausto chegou atrasado e perdeu a chance. 

Com o crescimento do Linense, o segundo gol dos visitantes não demorou muito para acontecer, pois, aos 31 minutos, o bom meia-atacante Gilsinho mandou, de cabeça, a bola para o fundo da rede da meta do PAEC, aproveitando uma jogada iniciada pelo lado direito, cujo cruzamento foi ajeitado de cabeça por Fausto, que deixou o seu companheiro na cara do gol, para marcar o segundo gol dos visitantes.


Bola no fundo da meta e Gilsinho comemorando o segundo gol do Linense. Foto: Orlando Lacanna.

Durante os últimos quinze minutos, as equipes continuaram procurando o ataque, com o PAEC chegando mais perto de diminuir a vantagem no finalzinho do primeiro tempo, mas o atacante Caihame não foi feliz na cabeçada e, com isso, a primeira etapa terminou mesmo com 2 a 0 a favor do Linense. 

A bola voltou a rolar e, como já era esperado, o PAEC buscou o campo de ataque desde o início, tentando diminuir a diferença. O primeiro lance mais agudo do ataque dos anfitriões, ocorreu na marca dos 14 minutos, quando o avante Sérgio Lobo escorou de cabeça, um cruzamento vindo da esquerda, mandando a bola contra a rede, só que pelo lado de fora, fazendo com que alguns torcedores gritassem gol, mas ficou só na vontade. 

O Linense, como quem não queria nada, deu uma estocada perigosa, aos 15 minutos, num lance em que Gilsinho invadiu pela direita e chutou cruzado, obrigando ao goleiro Cairo a se desdobrar para fazer a defesa.


Defesa do goleiro Paulo Musse do Linense na segunda etapa. Foto: Orlando Lacanna.

A insistência do Pão de Açúcar continuava e só não houve a diminuição do placar, graças a uma defesa excepcional do goleiro Paulo Musse, aos 18 minutos, parando um petardo de Dênis, desferido do interior da área, após aproveitar cruzamento milimétrico executado por Sérgio Lobo. Foi mesmo uma defesa espetacular. 

Cinco minutos após, o PAEC chegou a marcar um gol, através de Rafael Martins, mas o assistente marcou impedimento do atacante, ao aproveitar rebote do goleiro, após cobrança de falta por intermédio de Juca. Esse lance gerou muitas reclamações por parte do time da Capital.


Bola no fundo da meta do Linense, no gol do PAEC não validado pela arbitragem. Foto: Orlando Lacanna.

Com a não validação do gol do Pão de Açúcar, o time deu uma desanimada e praticamente não criou mais nenhuma jogada mais perigosa. Nos últimos cinco minutos, foi o Linense que quase ampliou a vantagem, em dois bons momentos protagonizados por Alessandro Cambalhota, aquele mesmo que jogou no Santos e no Corinthians. 

O primeiro lance aconteceu aos 40 minutos, quando o meia invadiu a área pela esquerda e cruzou para trás, encontrando Gilsinho, que mandou um foguete que explodiu contra o travessão da meta de Cairo. Um minuto após, outra jogada parecida com a anterior, só que agora, quem concluiu foi o próprio Alessandro, de cabeça, mandando a bola pela linha de fundo, rente ao poste esquerdo.


Chance desperdiçada por Alessandro no finalzinho da partida. Foto: Orlando Lacanna.

Partida encerrada com o tradicional placar da R. Javari indicando Pão de Açúcar 0 - 2 Linense, que colocou o time de Lins na liderança do seu grupo com 6 pontos e com amplas possibilidades de voltar à elite de futebol paulista depois de 53 anos, pois jogará duas partidas em casa durante essa fase decisiva. As chances são enormes, mas não poderá achar que já levou. Quanto ao PAEC, nada está perdido, apesar da 3ª colocação no seu grupo com 4 pontos. 

Ficou uma pouco mais complicado, uma vez que fará dois jogos como visitante nessa etapa, contra equipes que brigam diretamente pelas duas vagas (o próprio Linense e o São Bernardo), mas como quem quer subir não pode escolher adversário ou campo, terá que lutar para conseguir os resultados positivos necessários para o acesso. Time para isso o PAEC tem, porém terá que jogar mais do que jogou no último sábado. 

Após o encerramento da partida, conversei com o técnico do Votoraty, o Fernando Diniz, sobre a mudança de nome e da sede do time de Votorantim. Ele confirmou que está tudo praticamente decidido e definido, faltando apenas alguns pequenos detalhes. Num primeiro momento, o time passaria a se chamar Ribeirão F.C. e mandaria seus jogos em Ribeirão Preto, já valendo pela Copa Paulista de Futebol de 2.010. No próximo ano, haveria a fusão com o Olé Brasil e aí o time passaria se chamar Olé Ribeirão. Vamos aguardar e, caso tudo se confirme, será mais um time que muda da sua cidade de origem. 

Saindo do estádio, permaneci no bairro da Mooca para almoçar na tradicional Esfiha Juventus, especializada em comida árabe. Depois do almoço, fui a Guarulhos para passar o resto do sábado em companhia de familiares, mas não esquecendo do jogo de domingo cedo, pela Série A3, que iria definir o rebaixamento de uma ou das duas equipes. Aguardem.

Abraços,

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário