Procure no JP

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Volta ao Passado, volume 33: A Cafelandense de E (Cafelândia/SP)

A. CAFELANDENSE E.


Escudo do time presente no Almanaque do Futebol Paulista e ao lado, escudo presente no muro do estádio. Reprodução/Foto: www.distinitvos.com.br / Orlando Lacanna.

Seguindo com o passeio pelo interior de São Paulo, durante o feriadão do último Carnaval, continuei levantando informações sobre a situação presente de times que no passado fizeram parte do mapa futebolístico paulista.

Ainda trafegando pela Rodovia Marechal Cândido Rondon, fiz uma parada na cidade de Cafelândia, distante 432 km da Capital, cuja localização fica mais ou menos no meio do caminho entre Bauru e Lins. Conta atualmente com cerca de 17.000 habitantes e suas principais atividades econômicas se concentram na agricultura e pecuária.

O motivo da parada em Cafelândia foi pesquisar sobre a Associação Cafelandense de Esportes, que foi fundada em 17 de março de 1.968, tendo participado de competições profissionais em 17 oportunidades, começando em 1.968 e parando em 1.984 sem nenhuma interrupção. Suas cores sempre foram a vermelha e a branca, sendo que durante a sua participação no futebol profissional, não conseguiu conquistar nenhum título e sempre transitou pelo terceiro e quarto escalões do futebol paulista.

A trajetória da Cafelandense no profissionalismo, começou com uma derrota por 3 a 1 diante do Dracena em 4/08/1.968 e, a primeira vitória, aconteceu em 01/09/1.968 sobre o União de Potirendaba por 2 a 1. Por outro lado, a última vitória ocorreu em 26/08/1.984 frente ao Paulista de Nhandeara por 3 a 1 e fechou sua participação no futebol profissional em 30/09/1.984 com a derrota por 3 a 0 diante do Nevense em casa.

Ao chegar à cidade, fui direto ao Estádio Duque de Caxias, de propriedade da ACE, cuja capacidade gira em torno de 3.000 lugares. Quando cheguei ao estádio, não encontrei ninguém no local, mas mesmo assim foi possível entrar e conhecer as suas dependências, as quais, na ocasião da visita (21/02/2.009), não estavam em bom estado de conservação. Atualmente há um casal que passou a morar no estádio para cuidar da limpeza.


Fachada do Estádio Duque de Caxias. Foto: Orlando Lacanna.


Dependências destinadas aos vestiários. Foto: Orlando Lacanna.


Arquibancada coberta vista do gramado. Foto: Orlando Lacanna.


Vista lateral da arquibancada coberta. Foto: Orlando Lacanna.


Da arquibancada, vista do gol da direita. Foto: Orlando Lacanna.


Agora, o gol da esquerda. Foto: Orlando Lacanna.

Como não encontrei ninguém que pudesse prestar informações, deixei a cidade só com as fotos do estádio, porém, dias depois, consegui localizar e contatar o Presidente atual da ACE, o Prof. Carlos Camargo e, daí em diante, foi possível conhecer um pouco do momento atual do time. O Presidente assumiu o comando em 1.990 e o seu mandato terminará em junho de 2.010.

Depois de abandonar o profissionalismo, a ACE permaneceu sem atividades por seis anos e, após a eleição do atual mandatário, voltou a disputar uma competição amadora em 1.990, participando do Campeonato Amador da Região de Bauru - Setor 68 A. Daí em diante, se manteve disputando a competição, tendo a conquistado em três oportunidades, nos anos de 1.992, 1.994 e 1.996.


Equipe da ACE em 1.990 após abandonar o profissionalismo. Reprodução: Orlando Lacanna.

Mais recentemente, a Cafelandense participou do Campeonato Amador da Região de Jaú em 2.007, bem como da Copa Nacional de Futebol de Marília em 2.008, conquistando a segunda colocação.


Equipe amadora de 2.007. Reprodução: Orlando Lacanna.


Equipe Vice-Campeã da Copa Nacional de Futebol de Marília. Reprodução: Orlando Lacanna.

Em 2.008 o time ainda participou de competições, porém em 2.009 parou de jogar, uma vez que, segundo apurei, não estaria havendo apoio da Prefeitura local. Com relação às categorias de base, uma escolinha funcionou até 2.004, quando foi organizado um projeto que criou a "Copa Sul Americana", com a participação de quase 2.000 atletas. A partir daí, segundo o Presidente da ACE, não houve mais interesse e apoio por parte das autoridades municipais e, com isso, o projeto não continuou.

Resumindo, atualmente, a ACE, não está participando de nenhuma competição em todas as categorias, porém, fica da nossa parte, aquela torcida para que a Cafelandense volte a se estruturar e passe a disputar novamente os torneios amadores da região e, quem sabe no futuro, volte ao profissionalismo.


Time profissional de 1.975 que empatou em 2 a 2 com o Taquaritinga em jogo da Terceira Divisão. Reprodução: Orlando Lacanna.

Ao deixar Cafelândia, continuei o meu roteiro e fui parar na cidade de Penápolis para acompanhar a partida Penapolense x Bandeirante, válida pela Série A3. De lá, segui para outras cidades, sempre procurando saber alguma novidade sobre os times atualmente fora do profissionalismo, mas que ajudaram a construir um pedaço da história do futebol paulista.

Antes de encerrar, faço questão de registrar os meus agradecimentos ao Prof. Carlos Camargo pela atenção dispensada ao JOGOS PERDIDOS, inclusive por ter respondido todas as perguntas formuladas, cujas respostas me permitiram fazer esse relato e também pelo envio de algumas fotos.

Abraços,

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário