Procure no JP

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Flamengo e Taquaritinga realizaram um jogão em Guarulhos pela Série A2

Olá,

No sábado do último final de semana, não houve futebol para mim, pois tive o prazer de comparecer a um evento social imperdível e, por conta disso, somente no domingo pela manhã, voltei a campo para acompanhar mais uma partida válida pelo Paulistão da Série A2, que está se aproximando das rodadas decisivas que definirão os quatro times que ascenderão a Série A1 em 2.010. A pedida dessa vez foi retornar à vizinha cidade de Guarulhos, para conferir o jogo A.A. Flamengo x C.A. Taquaritinga que foi realizado no Estádio Antônio Soares de Oliveira, valendo pela terceira rodada da segunda fase do Grupo 2 da competição.

Como essas duas equipes não haviam vencido nenhum jogo na segunda fase, a conquista da vitória era fundamental para que não houvesse um grande distanciamento na tabela de classificação em relação aos outros dois times do grupo que são o Monte Azul e o Rio Claro. Dessa maneira, a expectativa era de que os dois times partissem para o ataque, em especial o Flamengo por jogar em sua casa.

Antes de começar a falar da partida, vamos com as fotos dos personagens do espetáculo, as quais apresento abaixo:


A.A. Flamengo - Guarulhos/SP. Foto: Orlando Lacanna.


C.A. Taquaritinga - Taquaritinga/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Trio de arbitragem com o árbitro Raphael Claus e os assistentes Aline Lopes Lambert e Fábio Aparecido Ribeiro junto com os capitães dos times. Foto: Orlando Lacanna.

Conforme se previa, o time da casa foi com tudo para cima da defesa dos visitantes e, nos primeiros quinze minutos, acabou criando e desperdiçando pelo menos quatro boas chances para abrir o marcador aos 2, 9, 10 e 15 minutos, nos pés de Didi, Luiz Carlos e Vinícius por duas vezes, sendo que nesses lances, o goleiro do CAT Leandro Bahia praticou três boas defesas e, na única jogada que não conseguiu defender, a bola foi para fora, levando o torcedor guarulhense a ficar com o grito de gol preso na garganta.


Um dos muitos ataques do Flamengo no início da partida. Foto: Orlando Lacanna.

Confirmando mais uma vez os caprichos do futebol, na primeira boa jogada ofensiva do Taquaritinga, o placar foi inaugurado, aos 16 minutos, através do zagueiro Danilo que participou de uma bela jogada pela direita, concluindo com sucesso uma bola recebida no interior da área flamenguista, deixando a torcida local apreensiva.

Em desvantagem no placar, o "Corvo" continuou pressionando o setor defensivo do "Leão da Araraquarense", mas o fazia de maneira atabalhoada, porém, mesmo assim, quase chegou ao empate aos 33 minutos, num leve desvio de cabeça do zagueiro e capitão Gustavo que raspou o poste esquerdo da meta do CAT, levando novamente o torcedor rubro-negro ao desespero.


Tentativa de bicicleta do atacante guarulhense buscando o empate. Foto: Orlando Lacanna.

Os últimos vinte minutos se caracterizaram pelo equilíbrio das ações, muito embora o Flamengo tenha permanecido por mais tempo com a bola em seu poder. Nesse contexto de equilíbrio, a primeira etapa foi encerrada com a vantagem mínima a favor dos visitantes, fazendo com que a torcida local ficasse na bronca com os atacantes da sua equipe por conta das várias chances perdidas.

Depois de um intervalo que passou rapidinho, a bola voltou a rolar e, logo no primeiro minuto, o Taquaritinga quase aumentou o placar, numa cabeçada à queima-roupa desferida pelo avante Carlos Henrique, que foi milagrosamente defendida pelo goleiro Jorge Miguel. Esse lance foi o prenúncio de que teríamos uma segunda etapa eletrizante.


Defesa milagrosa de Jorge Miguel evitando o segundo gol do CAT. Foto: Orlando Lacanna.

Refeito do susto, o Flamengo foi ao ataque e teve uma falta a seu favor pelo lado esquerdo , a qual foi cobrada por Paulinho, aos 4 minutos, desferindo um chute venenoso que acabou surpreendendo o goleiro adversário e a todos que estavam no estádio, decretando a igualdade no marcador.


Bola viajando em direção ao fundo da rede do CAT no gol de empate do Flamengo. Foto: Orlando Lacanna.

Ainda embalado pelo gol de empate, o Flamengo encurralou o Taquaritinga no campo de defesa e foi criando uma oportunidade atrás da outra, como aconteceu aos 12 minutos, quando o zagueiro Sandoval cabeceou por cima, uma bola cruzada da direita, desperdiçando uma chance incrível de virar o placar. .


Oportunidade incrível desperdiçada por Sandoval do Flamengo. Foto: Orlando Lacanna.

O time da casa permaneceu atacando e, aos 20 minutos, foi a vez de Paulinho desperdiçar mais uma chance, ao realizar ótima jogada individual pela esquerda e concluir para fora. O centro-avante Didi quase foi à loucura nessa jogada, pois estava livre de marcação no interior da pequena área, só aguardando o passe para empurrar a bola para o fundo da meta do CAT.

Apesar do maior domínio flamenguista, o Taquaritinga não estava morto no ataque e quase chegou ao seu segundo gol, aos 23 minutos, num chute frontal de Daniel Costa que obrigou o goleiro rubro-negro a fazer um verdadeiro milagre. O jogo estava sensacional e, aos 25 minutos, outro gol perdido pelo Flamengo, agora em cabeçada de Didi desferida no interior da pequena área, com a bola indo pela linha de fundo e acabando com a paciência dos torcedores com o avante Didi que logo em seguida foi substituído por Nelson.


Posição curiosa do avante flamenguista em mais um ataque do Corvo. Foto: Orlando Lacanna.

A sequência de gols perdidos continuou e, aos 30 minutos, novamente Paulinho chegou perto de desempatar a partida para o Flamengo, mas outra vez a conclusão foi defeituosa. Aos 43 minutos, foi a vez do CAT chegar perto do segundo gol, mas o meia Guim foi travado na hora que iria concluir para o fundo da rede. Incrível como esses dois times conseguiram criar e desperdiçar tantas chances, uma atrás da outra. Não me recordo de ter acompanhado uma segunda etapa tão emocionante como essa.


Bola passando por cima do travessão do CAT em mais um ataque do Flamengo. Foto: Orlando Lacanna.

Quem pensou que não iria acontecer mais nenhum lance de perigo, acabou se enganando, uma vez que aos 47 minutos, o goleiro Jorge Miguel do Flamengo praticou outra difícil defesa. Acabou? Ainda não, pois aos 48 minutos, o zagueiro e capitão Moreira do Taquaritinga, salvou uma bola em cima da linha fatal, numa jogada em que o goleiro Leandro Bahia já estava vencido no lance.

Ufa! Finalmente a partida foi encerrada com o placar apontando Flamengo 1 - 1 Taquaritinga que não espelhou o que foi o jogo em termos ofensivos, em especial na segunda etapa. Esse jogo teve o maior número de chances criadas e desperdiçadas que vi nos últimos tempos. Com esse empate, as duas equipes continuam vivas na competição, ficando tudo para ser decidido nos próximos três jogos restantes da segunda fase. O CAT leva a vantagem de jogar duas vezes em seus domínios, enquanto o Flamengo só jogará uma única partida em sua casa.

Jogo encerrado e, mais uma vez, contei com aquela carona especial do Sr. Natal que me permitiu chegar rapidinho em casa para saborear um almoço especial por conta do Dia das Mães. Foi isso.

Abraços,

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário