Procure no JP

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

JP na festa bugrina pelo acesso à Série B 2009

Fala povo!

Depois da rodada dupla de manhã, fui descansar um pouco para poder recuperar minhas forças pois o grande jogo do final de semana era o próximo na lista. Debaixo de chuva fui até a Rodoviária do Tietê para ir, num ônibus lotado e sem ar condicionado, até a cidade de Campinas, para um jogo decisivo do Campeonato Brasileiro da Série C. Um motivadíssimo Guarani definiria sua sorte no torneio contra a surpresa Águia de Marabá no Estádio Brinco de Ouro da Princesa.

Mesmo pegando um verdadeiro dilúvio na estrada, cheguei antes do horário programado em Campinas e segui até o estádio. Já de longe percebi que não seria nenhum jogo comum, pois o verde se espalhou por Campinas e a torcida do Bugre, que fazia tempo que estava desanimada, resolveu aparecer de vez. Entrei no Brinco e já fui para dentro de campo, e lá já me arrepiei. Mais de 20 mil torcedores faziam um barulho incrível antes da bola rolar, empurrando o time em busca do acesso.


O indiozinho fazendo a festa dentro do gramado e a concorrida entrada dos jogadores bugrinos para o começo do jogo. Fotos: Fernando Martinez.

Devidamente autorizado pela FPF, fiquei no gramado para as fotos oficiais da festa. Notem o tobogã do Brinco lotado nas fotos abaixo:


Guarani FC - Campinas/SP. Foto: Fernando Martinez.


Águia de Marabá FC - Marabá/PA. Foto: Fernando Martinez.

Após as fotos, era a vez da bola rolar. Então fui buscar meu lugarzinho e acompanhar o ataque bugrino. Não me arrependi nem um pouco, já que o Bugre começou a partida a mil, mandando no jogo e criando muitas chances claras de gol. A torcida fazia uma festa a cada boa jogada do Guarani, transformando o Brinco num verdadeiro caldeirão.


Ataque perigoso do Bugre pela direita, cortado pela zaga do Águia. Foto: Fernando Martinez.


Num ótimo primeiro tempo, essa foi mais uma perigosa chance do Guarani. Foto: Fernando Martinez.

Caldeirão que explodiu em felicidade aos 20 minutos, quando o atacante Dairo abriu o placar enchendo o pé depois de linda jogada de Maranhão pela direita. Festa absoluta no estádio e se dependesse da força da torcida, mais gols viriam ainda no primeiro tempo.

Mas o Bugre cansou de perder gols e desperdiçar as suas chances. Se o primeiro tempo tivesse terminado com uns três gols de diferença para time da casa não seria nenhum absurdo. O Águia não viu a cor da bola, e caso quisesse subir, teria que melhorar muito para o segundo tempo.


O jogador Dairo comemorando seu gol pertinho da torcida e com os reservas. Foto: Fernando Martinez.


O goleiro do Águia afastando qualquer chance do time sofrer o segundo gol no primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez.

No intervalo conversei via fone com o Emerson, que atualizou toda a tabela da Série C e ali mesmo já passamos as informações precisas para o pessoal da imprensa. Era unânime que só um desastre absoluto tiraria o Bugre da Série B no ano que vem. Restava saber de quem seriam as outras vagas.

Na volta para o segundo tempo, o Guarani voltou errando muitos passes e o Águia criou mais chances, louco atrás do empate que o levaria também para a Segundona. Mas o time pecava no toque final e não conseguia furar o bloqueio bugrino. E ainda deixava o contra-ataque todo para o time da casa, que perdeu mais gols em chances assim.


Detalhe de ataque bugrino no segundo tempo de jogo. Foto: Fernando Martinez.

O nervosismo ia aumentando conforme o tempo ia passando, e uma ducha de água fria para a torcida veio aos 31 minutos, quando o jogador Soares empatou o jogo num gol todo esquisito e comemorado demais pelos paraenses. Mas o silêncio no Brinco foi momentâneo, e logo a torcia continuou a empurrar o time.

Mas nem demorou muito para a festa começar de vez por lá, já que aos 34 minutos o Guarani marcou o segundo gol no jogo, com o iluminado Dairo completando uma jogada sofrida dentro da área. Faltando 10 minutos para acabar e com dois a um no placar, agora o sofrimento seria ainda maior.


Quase mais um gol do Guarani, mas o atacante chegou um pouco atrasado. Foto: Fernando Martinez.


O Guarani fazendo o tempo passar em busca do sonhado acesso. Tudo sob o olhar de mais de 20 mil bugrinos. Foto: Fernando Martinez.

Mas no ritmo da torcida, o Guarani nem sofreu tantos sustos para conseguir conquistar o maior sonho do time desde o segundo semestre de 2007, a tão sonhada volta à Série B em 2009. Quando o árbitro apitou o final do jogo, com o placar de Guarani 2-1 Águia, uma festa magnífica foi vista entre os jogadores, torcida e comissão técnica no gramado do Brinco de Ouro.


Jogadores e torcida do time comemorando o acesso em cima do escudo do clube. Foto: Fernando Martinez.


Todo mundo queria entrevistar os heróis que colocaram o Guarani na Segundona Nacional. Fotos: Fernando Martinez.

Nós do JOGOS PERDIDOS só temos que parabenizar a conquista bugrina, que ainda por cima ficou com o vice-campeonato da Série C 2008. Posso garantir que mesmo não sendo torcedor do time do Brinco, a festa que presenciei foi um dos momentos emocionantes que vi dentro do gramado desde o início do JP. Ver a torcida comemorar tanto, resgatando um pouco da história gloriosa desse clube, é algo histórico.


Mais um detalhe da enorme comemoração que se viu no gramado do Brinco. Foto: Fernando Martinez.


Agora era a hora de pagar as promessas feitas durante o campeonato. Foto: Fernando Martinez.

Ainda fiquei por um bom tempo dentro do gramado acompanhando a festa do time com seus torcedores. Após muito tempo consegui sair do Brinco de Ouro com a certeza de mais um trabalho bem feito, com mais um time na Lista e mais uma vez a sensação de dever cumprido. nem o táxi que demorou muito tempo para chegar, nem o ônibus lotado novamente e nem a chegada em São Paulo só após a meia-noite me fizeram desanimar, pois sei que vivi um momento histórico e espero que tenha conseguido ilustrar bem o que aconteceu nas páginas do JP!

Até a próxima!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário