Procure no JP

quarta-feira, 26 de junho de 2013

JP na Copa das Confederações (parte 1 de 8): Um (novo) Maracanã lotado para México x Itália

Fala pessoal!

É, amigos... Nesses últimos dias deixamos os queridos jogos perdidos de lado e fomos nos aventurar em pelejas válidas pelo campeonato menos alternativo que acompanhamos em todos os tempos. Nada mais justo, já que qualquer pessoa que goste de futebol nesse Brasil varonil se interessou a acompanhar in loco a edição 2013 da Copa das Confederações da FIFA.

Claro que estamos ligados na efervescente cena política do país, na enorme lista de falcatruas relacionadas à construção dos estádios, nas (inexistentes) obras de infra-estrutura nas doze sedes da Copa 2014 e também aos conluios denunciados por parte da mídia envolvendo pessoal da FIFA, CBF, COL, governo federal e afins. Mas saber tudo a respeito disso não significa que nós, verdadeiros amantes do ludopédio, estaríamos de fora desse evento, realizado pela primeira (e talvez última) vez por aqui.

Ainda no mês de novembro (e sem a definição dos confrontos), já nos adiantamos e garantimos nossos ingressos para o certame. Por questões logísticas acabei escolhendo acompanhar as duas partidas da primeira fase que seriam realizadas no Rio de Janeiro e em Belo Horizonte, lamentando sempre a bagunça política que deixou a capital paulista de fora dessa competição.

No começo de dezembro ficamos sabendo finalmente quais seriam os duelos entre as oito seleções e logo vi que o primeiro jogo que acompanharia in loco seria entre as seleções do México e da Itália. Já tinha visto os norte-americanos por duas vezes nos Jogos Panamericanos de 2007, mas legal mesmo foi ver que a Itália, segunda maior campeã mundial, passaria a figurar na minha Lista.

Desde então foram feitas várias reuniões de cúpula e encontros secretos para a definição de todo o cronograma das viagens. Depois de esquentarmos bastante a mufla ficou definido que a primeira parte das coberturas seria feita num carro alugado, única opção para comportar todos os amigos interessados em ir para o (novo) Maracanã.


Fachada do (novo) Maracanã antes do jogo entre México e Itália. Foto: Fernando Martinez.

Mas é claro que a FIFA daria um jeito de nos mantermos preocupados até o último minuto. A entidade esperou, esperou, esperou e somente no finalzinho de maio divulgou os locais de retirada dos ingressos. De forma inexplicável e absolutamente sem sentido foi definido que a retirada poderia ser feita apenas nas seis cidades-sede do certame.

Essa decisão "brilhante" não levou em conta o "pequeno" detalhe que pessoas do país inteiro compraram ingresso, e que grande parte delas não tem condições de armarem uma viagem para a retirada dos bilhetes e outra para ver os jogos. Não teria sido mais fácil ter montado um quiosque, por menor que fosse, em cada capital do país para que a missão dos torcedores fosse facilitada? Pelo jeito não... Com isso os burocratas de plantão foram devidamente agraciados com mais um "Troféu Ideia de Jerico".


Bandeiras de México e Itália hasteadas no alto do estádio. Foto: Fernando Martinez.

Sem alternativa melhor, pegamos a via Dutra com uma simpática Doblô alugada e seguimos até o Rio de Janeiro ainda no sábado, dia anterior do México x Itália. A caravana da coragem dessa vez foi composta, além do que vos escreve, pelos amigos Sérgio, Paulo "Shrek", Jamil, Nílton e o casal Luiz Fôlego/Juliana. A viagem foi recheada de histórias geniais, como a do cachorro dançarino de break e do funcionário do DER que bebia água de esgoto. Nem vimos o tempo passar e pouco antes das 16 horas já estávamos nas redondezas do aeroporto do Galeão para a retirada dos nossos ingressos.

Ficamos exatas duas horas na fila e já estava escuro quando deixamos o terminal de passageiros com os bilhetes em mãos. A noite de sábado foi um tanto quanto surreal e depois de uma dormida bem meia-boca logo chegou o domingo, dia de nosso debut numa competição internacional de seleções da FIFA. Por ficarmos sediados na casa do grande amigo e figuraça Cláudio Burger, o rei-mór de São Januário, não demoramos mais do que um minuto para chegarmos ao (novo) Maracanã.

O clima por ali era sensacional, pois pessoas de todos os lugares possíveis zanzavam pelas alamedas que levam ao (novo) Estádio Mário Filho. Torcedores de vários estados do país ostentando camisas de equipes como Bonsucesso, Santa Cruz/RN, Canto do Rio e Aimoré se misturavam com um sem número de mexicanos, italianos e outros estrangeiros. Nunca tinha sentido uma vibração assim antes, nem mesmo quando estive no Pan de 2007.

E ao contrário do amigo Estevan (que também estava no estádio pra ver esse jogo), que enfrentou alguns perrengues quando da sua visita ao (novo) Maracanã no clássico entre Brasil x Inglaterra realizado duas semanas antes, não tive nenhum problema durante a tarde toda. A entrada foi feita de forma tranquila e as várias placas espalhadas em torno do estádio eram auto-explicativas. Felizmente não tive que andar muito para chegar ao meu portão.

Já lá dentro, confirmei o relato do amigo e notei que a organização dividiu as antigas arquibancadas em uma série de blocos. Confesso que esperava mais confusão para encontrar o meu respectivo lugar... Ao invés disso, cheguei facilmente no meu assento, limpo e bastante confortável. Por sorte, o sorteio aleatório da FIFA me deixou à beira do gramado, com uma visão espetacular. O mais bizarro é que o amigo Renato, mais conhecido como "Super México", ficou do meu lado.


Fotógrafos internacionais no gramado do estádio antes da peleja começar. Enquanto ali eles podem usar bermuda à vontade, em São Paulo precisamos usar calça comprida para ver jogo da terceira divisão estadual. Algo errado, não? Fotos: Fernando Martinez.

E por mais que alguns ainda considerem que o Maracanã ainda é o mesmo que foi inaugurado em 1950, definitivamente o que temos no Rio de Janeiro é um outro Estádio Mário Filho. Esqueçam a mística da geral, dos públicos de mais de 120 mil pessoas, de títulos históricos de times do estado (e de fora também)... O local não tem mais NADA que faça lembrar de tempos mais remotos. É muito, muito bonito, mas é "apenas" uma arena contruída para a Copa de 2014.


Seleções nacionais do México e da Itália perfiladas para a execuçlão dos respectivos hinos nacionais. Foto: Fernando Martinez.


Troca de passes no meio de campo italiano. Foto: Fernando Martinez.

Itália e México entraram em campo para o segundo jogo do Grupo A da nona edição da Copa das Confederações. O Brasil já tinha vencido o Japão no dia anterior, e quem vencesse a peleja no Rio empataria com o onze canarinho na liderança da chave. Essa foi a 12ª vez que as duas seleções se enfrentaram em todos os tempos, e a vantagem é ampla para os europeus. Foram seis vitórias da Azzura, quatro empates e apenas um triunfo norte-americano, justamente no último jogo em 2010. Destaque que três desses jogos foram realizados em Copas do Mundo (1970, 1994 e 2002).


Estádio lotado para o confronto que fechou a primeira rodada do Grupo A. Foto: Fernando Martinez.

O jogo em si foi a cereja do bolo da agradável tarde que passei. As duas seleções nacionais mostraram bastante vontade e deliciaram os mais de 73 mil pagantes (esse se tornou o jogo com maior público em que estive até hoje). Com o status de ser a atual vice-campeã da Europa, a Itália fez valer a maior tradição e conseguiu ser superior ao atual campeão olímpico.


Marcação firme da zaga mexicana. Foto: Estevan Mazzuia.


Pela primeira vez na sua história o onze norte-americano utilizou essa combinação (camisas verdes, calção e meia vermelhos) na sua história. Mais um momento histórico. Foto: Fernando Martinez.

O primeiro gol da peleja saiu numa magistral cobrança de falta do veterano craque Andrea Pirlo aos 27 minutos. Não demorou para o México empatar, num gol de pênalti da estrela do Manchester United "Chicharito" Hernandez aos 34. Com o 1x1 estampado nos belíssimo telões do (novo) Maracanã, os times saíram para os vestiários após o tempo inicial.




Sequência do belíssimo gol de falta do meia Pirlo, abrindo o marcador para o time europeu no gramado do (novo) Maracanã. Fotos: Fernando Martinez/Estevan Mazzuia/Paulo Afonso.


Chicharito empatando o jogo para o México em cobrança de pênalti. Foto: Paulo Afonso.

Com mais posse de bola, a Itália buscou com mais afinco o gol durante todo o tempo final. E para delírio do pessoal que torcia para a seleção azul no estádio, o polêmico atacante Balotelli fez o segundo da Azzura com um gol de puro oportunismo aos 33 minutos. A zaga mexicana bateu cabeça e o camisa 9 apareceu sorrateiro para decretar a primeira vitória europeia na competição.


Arrancada do camisa 10 Giovanni dos Santos no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.


Início de ataque italiano. Foto: Fernando Martinez.

Final de jogo: México 1-2 Itália. Após o fechamento da primeira rodada, brasileiros e italianos somavam três pontos, enquanto mexicanos e japoneses estavam com zero. Bom, depois do apito final ainda ficamos muito tempo dentro do estádio conferindo cada detalhe da gigantesca obra. A noite ainda reservou uma edição carioca do "Dia do Gordo".


Placar final da pugna com vitória italiana. Foto: Fernando Martinez.

Dos sete integrantes da caravana original, três - Nílton, Luiz e sua namorada Juliana - voltaram para São Paulo. Os "sobreviventes" passaram a bizarra noite sem percalços e na segunda-feira cedo, quando milhões saíam de casa para iniciar mais uma semana de trabalho, nós pegávamos a estrada com destino a Belo Horizonte para assistir um dos jogos oficiais mais perdidos de todos os tempos... E não tinha como ficar de fora.

Até lá!

Fernando

3 comentários:

  1. sr. Fernando parabéns nota cem pela cobertura da copa da confederações 2013. sr. Fernando gostaria de pedir para vocês quando começar de novo a 2 divisão 2013 sábado dia 6 7 2013 e 7 7 2013 domingo se vocês podem fazer os seguintes jogos taboao da serra e elosport , xv de jau e radium, americo e pirassununguense, palistinha e palmeirinha, dia 12 7 2013 os seguintes jogos jacarei e atlético mogi, paulistinha e xv de jau, palmeirinha e pirassununguense, radium e americo. se vocês puderem mostrar estes jogos agradeço de coração porque pode ser que um destes clubes não vao para 2 FASE. ESPERO UMA RESPOTA ATE 2 FEIRA DIA 01 07 2013.



    ResponderExcluir
  2. sr. Fernando gostaria que vocês mostrassem ate o final da primeira fase da 2 divisão os seguintes clubes que na minha conta que fiz não vao para a 2 fase são os seguintes clubes desportivo brasil de porto feliz, radium de Mococa, palmeirinha de porto ferreira, bandeiramte de birigui, fernandopolis, tanabi, jacarei, elosport capao bonito, pirassununguense, xv de jau, se não der para fazer alguns destes ´jogos gostaria que o sr. conseguisse mostrar as fotos novas de 2013 dos u niformes destes clubes pois eu tenho um cADERNO E TENHO TODOS OS UNFORMES DOS 20 CLUBES DA SERIE A2 2102 3 SERIE A 3 2013 DOS 40 CUBES. QUE VOCES MOSTRARAM E 2013. AGORA TENHO ALUGUNS TMES DA 2 DIVISAO 2013 OS UNIFORMES QUE A REDE VIDA ESTA MOSTRANDO. MAS PARA COMPLETAR OS 45 CLUBES NAO VAI DAR PORQUE A PRIMEIRA FASE ESTA NO FIM . ENTAO GOSTARIA DE PEDIR PARA VOCES CONSEGUIREM FAZER ESTES JOGOS QUE CITEI ACIMA. AGRADEÇO DE CORAÇAO E FICO NO AGUARDO DE UMA RESPOSTA ATE 3 FEIRA DIA 3 DE JULHO DE 2013. OU ENTAO SO POR AS FOTOS DESTES CLUBES UNIFORMES NOVOS 2013 SEM FAAZER O JOGO. UM A BRAÇO SR FERNANDO.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, como já foi respondido em algum post antigo, NÃO iremos mostrar essas equipes ainda na primeira fase da Segundona 2013. Elas aparecerão SOMENTE quando jogarem perto da capital a partir da segunda fase. Abraços.

      Excluir