Procure no JP

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Portuguesa, Grêmio e o rebaixamento do Palmeiras no JP

Fala, pessoal! 

Como não vivo só de jogos perdidos, no último domingo fui curtir um joguinho com promessa de grande emoção válido pelo Campeonato Brasileiro 2012. Já fazia mais de cinco meses que não assistia uma peleja desse certame (a última, olhem só, foi o Náutico Botafogo na minha última viagem interestadual em junho), e o duelo entre Portuguesa e Grêmio no Canindé era uma ótima opção para voltar à ativa. 

O jogo era crucial para o time rubro-verde tentar se afastar da incômoda zona de rebaixamento. A equipe estava sem vencer há sete rodadas e de todas as equipes que estão nas últimas posições na tabela, a Portuguesa é a que tem jogado o pior futebol. Mesmo com tudo isso, a torcida da equipe compareceu em número razoável ao Canindé para incentivar os atletas um busca da vitória. 

E para aumentar a pressão no estádio, se o Grêmio não vencesse, o Palmeiras seria rebaixado para a Série B com duas rodadas de antecedência. Muitos anti-palmeirenses estavam com as atenções voltadas para o Canindé, e no alto de sua sabedoria, o amigo Sérgio Oliveira soltou uma frase que resume bem o que isso significaria: "Agora a galera que torce contra o Palmeiras vai saber o sofrimento que é torcer para a Portuguesa". 


Troca de passes no campo de defesa gremista. Foto: Fernando Martinez. 

Mas conforme o jogo foi rolando, a Lusa foi mostrando que estava tranquila. O Grêmio não assustava, e durante toda a etapa inicial a equipe da casa foi melhor. Isso não quer dizer que a equipe tenha criado dezenas de chances de gol, pois isso não aconteceu nem em sonho, mas era melhor mesmo assim. 


Boa presença da torcida gaúcha observando escanteio para a Portuguesa. Foto: Fernando Martinez. 

Falando a real mesmo, o primeiro tempo foi bem sonolento e terminou sem a abertura do placar. Na volta para o segundo, a Portuguesa mostrou que estava afim de resolver a parada de uma vez. A equipe marcou 2x0 jogando fácil, vendo o Grêmio acuado e sem mostrar nenhuma inspiração. 


Agora escanteio para o Grêmio ainda no primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez. 

O primeiro gol foi aos 10 minutos com a precisa cobrança de pênalti de Moisés. Os gremistas reclamaram da marcação sem razão. O segundo aconteceu cinco minutos depois com um chute forte de Léo Silva. Entre a enorme festa vista nas arquibancadas do estádio, muitos já comemoravam também o iminente rebaixamento do Palmeiras. 


Primeiro gol da Portuguesa em cobrança de pênalti de Moisés. Foto: Fernando Martinez. 

Mas aí pintou aquele tipo de coisa que estamos acostumados a ver em jogos da equipe rubro-verde. Mesmo jogando mal, muito mal, o Grêmio achou na base da sorte um gol aos 28 minutos em cabeçada de André Lima. Os atletas locais sentiram demais esse lance e quatro minutos depois, o que até então parecia impossível aconteceu quando Zé Roberto invadiu a área e fez bela jogada para chutar firme e deixar tudo igual no marcador. 


No final, Portuguesa e Grêmio ficaram no empate no Canindé. Foto: Fernando Martinez. 

Em apenas quatro minutos a Portuguesa tinha jogado toda a bela partida que vinha fazendo no lixo. Pior que nem dá pra dizer que a equipe paulista teve azar, pois nos últimos minutos os gaúchos chegaram muito perto de virar a peleja. E como desgraça pouca é bobagem, chegava a notícia que o Sport estava ganhando do Botafogo em Recife. A frase do amigo Sérgio fazia todo sentido nesse momento.

No final, o jogo ficou em Portuguesa 2-2 Grêmio. Faltando duas rodadas para o campeonato acabar, a Lusa tem 41 pontos e vê o Sport, que agora soma 40, chegar muito perto. Depois de ser rebaixada em 2002 entrando no Z4 na última rodada e depois do time ser rebaixado no Paulistão desse ano também entrando no Z4 na rodada derradeira, o rubro-verde corre o risco de voltar para a Série B de novo entrando na zona de rebaixamento só no final da competição. Lamentável. 

Independente do que acontecia no Canindé, acabamos acompanhando um momento histórico, pois quando o árbitro Marcelo de Lima Henrique apitou o final da pugna no estádio lusitano, o Palmeiras foi rebaixado sem choro nem vela pela segunda vez em 10 anos. Paixões clubísticas à parte, é lamentável ver uma equipe tão grande numa situação dessas por incompetência de vários setores. A esperança para os palmeirenses é que finalmente o pessoal dos lados do Palestra finalmente aprendam a lição que não aprenderam há 10 anos atrás. 

Bom, o clima do Canindé na saída era de velório, talvez pelos torcedores do time saberem que a situação se complicou de vez e de forma quase irreversível. Domingo o time pega o Inter no Beira Rio, enquanto recebe a Ponte Preta na última rodada, em partida que provavelmente estarei. Confesso que torço, e muito, para que a equipe consiga sua redenção. 

Até a próxima! 

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário