Procure no JP

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Nacional perde a invencibilidade no sub-20 para o Atlético Mogi

Fala, pessoal, 

Nesse final de semana acabei não acompanhando jogos profissionais, e vi apenas duas pelejas da categoria (antiga) de juniores. A primeira delas aconteceu no Estádio Nicolau Alayon, aonde Nacional e Atlético Mogi se encontraram em situações muito opostas no Campeonato Paulista sub-20 da 2ª divisão


Escudo do Atlético Mogi com alguns detalhes diferentes - a borda em preto, por exemplo - do que todos conheciam. Foto: Fernando Martinez. 

Enquanto o time ferroviário era o líder invicto do Grupo 5 e possuía uma das melhores campanha do certame, a equipe mogiana amargava a lanterna, ainda sem nenhuma vitória em sete jogos disputados. Logo, o favoritismo era óbvio para o onze paulistano. Antes de tudo, segui para as fotos inéditas. 


Nacional AC (sub-20) - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez. 


CA Mogi das Cruzes (sub-20) - Mogi das Cruzes/SP. Foto: Fernando Martinez. 


Trio de arbitragem e capitães das equipes. Foto: Fernando Martinez. 

Vale registrar que o Nacional não disputava a categoria sub-20 desde 2009, o último ano que jogou a A3 profissional. Naquele ano, o time chegou às oitavas de final e foi eliminado pelo Monte Azul. O onze da Barra Funda tem enorme história no sub-20, tendo sido campeão da Copa São Paulo por duas vezes e campeão paulista em 1982, 1983, 1991 (da divisão intermediária) e 1994 (da Série A3). É muita tradição. 


Troca de passes no ataque nacionalino. Foto: Fernando Martinez. 

Mas o espectador mais desavisado poderia se confundir completamente nos primeiros minutos de jogo, já que o time que entrou em campo e jogou de forma avassaladora foi o Mogi. Logo aos 6 minutos, a equipe visitante já estava vencendo por 2x0. Murilo fez o primeiro se aproveitando de enorme falha do arqueiro nacionalino aos 5, e no minuto seguinte Augusto invadiu a área sozinho e chutou cruzado no canto direito. 


Saída de bola do ataque local. Foto: Fernando Martinez. 


Cobrança de falta para o Atlético Mogi. Foto: Fernando Martinez. 

O Nacional se assustou com esse ímpeto mogiano, e demorou um pouco para acordar na peleja. Meio que à fórceps a equipe diminuiu aos 22 com um gol de Hamílton, chutando forte após receber bom passe na direita. E apesar de infernizar bastante a zaga visitante, o time ferroviário não conseguiu chegar à igualdade ao final do primeiro tempo. 


Ataque perigoso do Mogi pela direita na etapa inicial. Foto: Fernando Martinez. 


Chance de ouro perdida pelo time visitante no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez. 

Na etapa final, os garotos paulistanos se lançaram ao ataque buscando evitar que a invencibilidade do time fosse para o espaço. Só que além de se defender bem, o Mogi estava com a estrela em dia, pois em dois contra-ataques precisos praticamente definiu a vitória. Aos 14, Renato cobrou pênalti e marcou o terceiro. Aos 18, após belíssima troca de passes de todo o ataque mogiano, Charles apareceu livre dentro da área e tocou sem problemas na saída do arqueiro. 


Terceiro gol do Mogi, marcado por Renato. Na foto, uma pomba quis também aparecer no JP, ei-la! Foto: Fernando Martinez. 

Perdido por quatro, perdido por dez. Então o Naça desistiu de qualquer tática querendo ao menos não tomar uma sonora goleada em casa. Aí brilhou a estrela do arqueiro Antônio. Com uma série de defesas difíceis, ele impediu que a equipe ferroviária marcasse mais gols. De tanto insistir, o segundo aconteceu aos 38, mas nada que tirasse o doce gosto da primeira vitória da equipe da Grande São Paulo. 


Zagueiro chutando a bola para longe da sua área. Foto: Fernando Martinez. 


O Nacional tentou, mas não conseguiu furar o bloqueiro defensivo do Atlético. Foto: Fernando Martinez. 

Final de jogo: Nacional 2-4 Atlético Mogi. A vitória não tirou o Naça da liderança, mas a luz amarela foi acesa pelos lados da Comendador Souza. O ECUS, vice-líder, agora soma 15 e está apenas dois atrás do time de São Paulo. Na próxima rodada haverá o choque entre os dois primeiros colocados, também no Nicolau Alayon. E mesmo ainda na lanterna, o Mogi comemorou bastante o resultado, já que isso pode significar um horizonte mais feliz para o clube. 

O restante do final de semana foi marcado por uma grande comemoração em família, e apenas a tarde de domingo ficou reservada para outro joguinho. 

Até lá! 

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário