Procure no JP

terça-feira, 12 de junho de 2012

São José conquista a Copa do Brasil de Futebol Feminino

Olá, 

Depois de passar 11 dias zanzando pelo Nordeste, retornei a São Paulo no último sábado e, no domingo cedo, fui até o Estádio Paulo Machado de Carvalho, o tradicional Pacaembu, com o objetivo de conferir a partida de volta da decisão da Copa do Brasil de Futebol Feminino. O confronto reuniu o time paulistano da A.D. Centro Olímpico contra o São José E.C. da cidade de São José dos Campos. 

Como na partida de ida, realizada no interior, o São José venceu por 1 x 0, entrou em campo precisando apenas de um empate para conquistar o título, sendo que até uma derrota por um gol, desde que marcasse pelo menos um tento, também lhe garantiria a taça. 

A chegada ao Pacaembu foi muito tranquila, sem enfrentar aqueles congestionamentos monstros, que são habituais em São Paulo. Diante disso, cheguei com tempo de sobra para o credenciamento e aguardar as equipes para fazer as fotos oficiais, sempre uma cortesia do JP aos amigos internautas que nos acompanham. As fotos estão apresentadas abaixo: 


A.D. Centro Olímpico - São Paulo/SP. Foto: Orlando Lacanna. 


São José E.C. - São José dos Campos/SP. Foto: Orlando Lacanna. 


Quarteto de arbitragem ao lado das duas capitãs. Foto: Orlando Lacanna. 


Troféu de Campeão que seria entregue ao final da partida. Foto: Orlando Lacanna. 

O Centro Olímpico tinha que reverter a vantagem do adversário e foi com tudo para o ataque, sendo que, logo aos 5 minutos, abriu a contagem, num gol olímpico anotado pela musa Maurine, que cobrou com muito efeito um tiro esquinado pelo lado esquerdo. Foi um golaço. 


Bola indo para o fundo da meta no gol de Maurine. Foto: Orlando Lacanna. 

O gol animou ainda mais as atletas paulistanas, mas não contavam com a falha incrível do setor defensivo, aos 7 minutos, quando a camisa 9 Giovânia marcou o gol de empate, sem sofrer nenhuma marcação das zagueiras que ficaram estáticas assistindo a atacante empurrar a bola para o fundo da meta, ao aproveitar uma sobra num bate-rebate, após cobrança de escanteio pela esquerda. 


Início da jogada que resultou no gol de empate do São José. Foto: Orlando Lacanna. 

A partida era disputada num ritmo intenso, com as duas equipes se lançando ao ataque de forma alternada, sendo que, em apenas quatro minutos, foram criadas três chances reais de gol. A primeira, aos 10 minutos, a favor do São José, quando Giovânia escapou pela esquerda, deixou a goleira para trás e, mesmo sem ângulo, tocou para o gol vazio, mas a zagueira Andréia salvou em cima da linha fatal.

Um minuto depois, foi a vez da camisa 7 Debinha, do Centro Olímpico, desperdiçar ótima chance. Aos 14 minutos, Michele Carioca, do São José, perdeu o gol mais feito do jogo, ao tocar por cima, uma bola recebida cara a cara com a goleira Vivi. A defesa paulistana parou esperando a marcação de impedimento que não aconteceu e quase sofreu o segundo gol. 


Chance incrível desperdiçada por Michele Carioca. Foto: Orlando Lacanna. 

Com o passar do tempo, o time do interior assumiu o controle das ações e foi chegando com perigo à área do Centro Olímpico. Aos 20 minutos, a camisa 7 Michele Carioca, invadiu a área, driblou a goleira e foi derrubada. Todos esperavam a marcação do pênalti, mas para surpresa geral, a árbitra mandou o lance seguir. Talvez a árbitra estivesse encoberta e não viu a jogada faltosa dentro da área. 


Momento exato em que Michele Carioca foi derrubada pela goleira Vivi. Foto: Orlando Lacanna. 

Pelo lado do time paulistano, a camisa 2 Maurine, fazia toda diferença, correndo e driblando como nunca, porém não conseguia que as suas companheiras dessem sequência às jogadas criadas por ela. Diante disso, tentava as jogadas individuais, sendo que, aos 21 minutos, levou muito perigo à goleira Kaká, que saltou, mas não achou nada. 

Durante seis minutos, o setor defensivo do Centro Olímpico teve um apagão e acabou sofrendo dois gols. O segundo tento joseense foi marcado por Franciele, aos 24 minutos e o terceiro, por Michele Carioca, aos 30 minutos. Com isso, o time de São José dos Campos abriu uma grande vantagem, indo para o intervalo com uma mão na taça, pois naquele momento, só perderia o título, se o adversário marcasse quatro gols e não sofresse nenhum. Difícil, mas como em futebol surpresas acontecem, o jeito era aguardar os 45 minutos finais. 

Na segunda etapa, como não poderia ser diferente, o Centro Olímpico acelerou o ritmo buscando a diminuição da diferença. Aos 5 minutos, a camisa 7 Debinha, exigiu ótima defesa da goleira Kaká. Aos 15 minutos, foi a vez da camisa 21 Raquel, chegar bem perto da marcação do segundo gol paulistano, porém, mais uma vez, a goleira Kaká fez a diferença. 


Ótima chance desperdiçada pelo Centro Olímpico no início da segunda etapa. Foto: Orlando Lacanna. 

O time do São José procurava administrar o jogo, tocando a bola com calma e saindo em contra-ataque e, numa dessas, aos 20 minutos, chegou ao seu quarto gol, anotado por Michele carioca, num verdadeiro gol "espírita". A atacante invadiu pela direita, deixou a zagueira sem ação e bateu totalmente sem ângulo, mas, para surpresa geral, a bola fez uma curva maluca e foi morrer no fundo da rede da meta defendida por Vivi, que ficou sem entender nada. 


Momento exato da conclusão de Michele Carioca, marcando o quarto gol joseense. Foto: Orlando Lacanna. 

Com o placar registrando 4 x 1 e com o título praticamente garantido, o São José passou a tocar a bola com mais frequência, só aguardando o apito final. Na marca dos 42 minutos, o Centro Olímpico chegou ao seu segundo gol, anotado pela camisa 30 Karen, mas já era tarde. Nos acréscimos, algumas atletas se estranharam e as duas camisa 9 (Chu e Giovânia) foram expulsas. 


Sururu ao final da partida, que resultou em duas expulsões. Foto: Orlando Lacanna. 

Fim de jogo com o placar eletrônico do Pacaembu mostrando Centro Olímpico 2 - 4 São José, resultado que deu o título da Copa do Brasil e uma das vagas à Libertadores de 2.013 ao time de São José dos Campos. Aliás, o time do Vale do Paraíba vai disputar a Libertadores desse ano, por ter conquistado o título no ano passado, quando derrotou o Santos. Em 2.012, o Foz do Iguaçu também disputará o título continental por ter vencido a Copa do Brasil de 2.011. 

Vale ressaltar que ainda não está definida a cidade que será sede da Libertadores de 2.012, havendo chance da cidade pernambucana de Vitória de Santo Antão ser a escolhida. Se essa hipótese for confirmada, a equipe do Vitória também participará como promotora da competição. 

Assim que a árbitra levantou o braço encerrando a partida, começou a festa pelo título, com as atletas indo até o alambrado para comemorar junto com a torcida joseense presente. 


Jogadoras do São José comemorando junto com a torcida. Foto: Orlando Lacanna. 

Mesmo tristes e com algumas atletas chorando muito, as meninas do Centro Olímpico subiram ao pódio e receberam as medalhas comemorativas ao Vice-Campeonato. Parabéns a todas elas e aos demais componentes da equipe paulistana. 


Equipe do Centro Olímpico com as medalhas pelo Vice-Campeonato. Foto: Orlando Lacanna. 

Depois da premiação às meninas do Centro Olímpico, foi a vez da delegação do São José subir ao pódio e receber as medalhas e o troféu pela conquista do título. 


A capitã Bagé erguendo a taça conquistada. Foto: Orlando Lacanna. 


Delegação do São José fazendo a festa pelo título. Foto: Orlando Lacanna. 


Início da tradicional volta olímpica. Foto: Orlando Lacanna. 


Elenco e comissão técnica junto com o troféu conquistado. Foto: Orlando Lacanna. 

Como de hábito, deixo aqui registrados os cumprimentos do JP, às atletas, comissão técnica, dirigentes e torcedores por terem alcançado o primeiro lugar numa competição de nível nacional e que abre as portas à uma competição de nível internacional. 

Assim que a festa terminou, deixei o Pacaembu e fui rapidamente curtir um almoço de domingo na companhia de pessoas super queridas. Foi isso. 

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário