Procure no JP

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Capivariano assume liderança do Grupo 7 da Segundona

Olá.

Dando início à costumeira cobertura pelo JOGOS PERDIDOS de partidas válidas pelo Campeonato Paulista da Segunda Divisão, no sábado à tarde, em companhia do amigo Luciano Claudino, segui até a aconchegante cidade de Capivari e me dirigi ao belo Estádio Carlos Colnaghi, local da realização da partida Capivariano F.C. x Paulínia F.C. que valeu pela segunda rodada da segunda fase do Grupo 7 da competição.

Esse jogo colocou frente à frente duas equipes que vinham de bons resultados obtidos na rodada inaugural dessa nova fase, sendo que o Capivariano conseguiu arrancar um bom empate fora de seus domínios contra o Américo, enquanto o Paulínia conquistou os três pontos no confronto contra o Atibaia jogando em casa. Diante dessas campanhas, havia grande expectativa em relação ao jogo, em especial da torcida do "Leão da Sorocabana" que compareceu em número apenas razoável, mas que mostrou muito entusiasmo no incentivo aos atletas da sua equipe.

Nunca é demais lembrar que o Capivariano conseguiu se classificar à segunda fase, graças a bobeada incrível da equipe do Roma, que além de ser derrotada pelo próprio Capivariano na última rodada da primeira fase, ainda escalou um jogador de forma irregular e acabou sendo punida pelo TJD da FPF com a perda de seis pontos e, dessa maneira, adeus classificação. O pessoal de Capivari agradece. Antes de começar a relatar a partida, vamos com as tradicionais fotos das equipes e do quarteto de arbitragem que estão abaixo:


Capivariano F.C. - Capivari/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Paulínia F.C. - Paulínia/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Quarteto de arbitragem formado por Welton Orlando Wohnrath, seus assistentes Osny Antônio Silveira e Leonardo Ferreira Alves, além do quarto árbitro Fabiano Pereira, ao lado dos capitães das equipes. Foto: Orlando Lacanna.

A bola começou a rolar com as equipes ainda procurando se encontrar no gramado, quando logo aos 4 minutos, o Capivariano abriu o marcador, num gol que nasceu de uma cobrança de falta pelo zagueiro Cláudio, que alçou a bola na área e o seu companheiro de zaga Juca, com um leve desvío de cabeça, venceu o goleiro Fabrício Santana, mandando a bola para o fundo da meta do Paulínia, provocando muita festa da torcida local.


Jogada que originou o primeiro gol do Capivariano. Foto: Orlando Lacanna.

Em desvantagem no placar, os visitantes procuraram se lançar mais ao ataque, mas esbarravam no forte setor defensivo do Capivariano que pouco permitia aos atacantes contrários e, além disso, o time do Paulínia não estava numa tarde favorável quanto às finalizações. Quando o Capivariano recuperava a posse da bola, apresentava dificuldade para dar continuidade às jogadas, demonstrando uma afobação desnecessária e, dessa forma, acabava rifando a bola.


Cruzamento do ataque do Paulínia na área do Capivariano. Foto: Orlando Lacanna.

Na primeira etapa a partida foi marcada por muito equilíbrio com poucas jogadas de perigo e, além disso, a maioria das ações se concentrou entre as duas intermediárias, muito embora, o Paulínia tivesse tido maior posse de bola.


Armação de jogada ofensiva do Paulínia, com o lindo visual ao fundo. Foto: Orlando Lacanna.

Como os dois ataques acabaram produzindo pouco, a contagem mínima a favor do time de Capivari foi mantida até o fim do primeiro tempo, sendo que durante o intervalo ficamos conversando com o assessor de imprensa do Paulínia e apreciando a paisagem que circunda o estádio.

A segunda etapa começou com as equipes mostrando que tinham voltado dispostas a mostrar um futebol de melhor qualidade e, com isso, logo aos 15 minutos, o Paulínia desperdiçou uma chance de ouro para empatar, quando o seu zagueiro Willian, livre de marcação dentro da área, cabeceou para fora uma bola que raspou o travessão da meta defendida por César.


Oportunidade desperdiçada pelo Paulínia no segundo tempo. Foto: Orlando Lacanna.

O jogo continuava equilibrado com as equipes se alternando na construção de uma ou outra jogada mais perigosa, quando numa dessas, o Capivariano quase chegou ao seu segundo gol, aos 25 minutos, com a bola passeando junto à linha fatal, sem que aparecesse um pé para mandá-la para o fundo da meta. Essa jogada teve origem numa cobrança de escanteio pela direita que acabou gerando uma tremenda confusão no interior da área do Paulínia com chutes para todo lado, menos para o gol.


Agora a oportunidade foi perdida pelo Capivariano. Foto: Orlando Lacanna.


Ataque do Paulínia pela esquerda quase no fim do jogo. Foto: Orlando Lacanna.

Apesar dos esforços das equipes em mexer no placar, a partida caminhava para o seu final sem alteração no marcador, quando nos acréscimos, num rápido contra-ataque, o Capivariano marcou seu segundo gol através do ágil atacante Daisson que realizou excelente jogada individual pela esquerda.

Após o segundo gol do time da casa, não houve tempo para mais nada e a partida foi encerrada com o placar indicando Capivariano 2 - 0 Paulínia que colocou o time da casa na liderança do seu grupo com quatro pontos e encheu de esperança sua torcida de que o time possa chegar à próxima fase da competição. Quanto ao Paulínia, o negócio é esquecer essa derrota e tocar para frente, até porque ainda faltam oito jogos para cada equipe e muita água vai rolar por debaixo da ponte.

Tão logo o árbitro deu por encerrada a partida, retornei a Campinas ainda com a companhia do Luciano Claudino, para voltar a São Paulo e começar a enfrentar mais uma vez as dificuldades causadas pela inauguração precoce da nova estação rodoviária de Campinas, cujos problemas continuam judiando dos coitados dos usuários, como eu. Lamentável. Ah! Quase ia esquecendo, no domingo teremos mais coberturas. Aguardem.

Abraços,

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário