Procure no JP

quarta-feira, 6 de setembro de 2006

Noite glacial no Canindé

Fala povo!

No meio de tantas mensagens se solidarizando comigo pelo fato lamentável em Mogi das Cruzes no último domingo, nessa terça-feira glacial em São Paulo tivemos mais uma rodada noturna do Campeonato Brasileiro da Série B. No Estádio do Canindé, vimos uma desesperada Portuguesa jogar suas fichas na partida contra o CRB de Alagoas. Mais do que ameaçada, o jogo era chave para que a Lusa pudesse pelo menos tentar chegar mais perto do pelotão de clubes que estão fora da zona de rebaixamento.

Junto comigo o Mílton foi para lá, e no Canindé mesmo encontramos o Jurandyr perdidaço. Olha, no alto dos 7º Celsius que cobria São Paulo, cheguei à conclusão que esse foi o jogo com mais frio que já vi em estádios na minha vida na capital banderante. Cachecóis, gorros, luvas, casacos e mais casacos fizeram a paisagem do Canindé na gélida noite de terça-feira. Mas sempre tenho que lembrar: acho o frio simplesmente maravilhoso! Mesmo congelado, acho esse tempo muito mais legal do que aquele calor dos infernos que temos por 10 meses no Brasil.

Bom, agora falando do jogo, devido à temperatura baixíssima, os times não começaram a partida com toda a vontade do mundo. Mas aos poucos, e por jogar em casa, a Portuguesa passou a dominar o meio de campo e criou as melhores chances. Mas insistentemente o gol não saía. Só aos 40 minutos do primeiro tempo o zero saiu do placar. Em cobrança de falta na área, o atacante Souza apareceu no meio da confusão e cabeceou dentro da meta alagoana. Um a zero para a Lusa e a vantagem no intervalo.


Lance do primeiro gol da Portuguesa, ainda no primeiro tempo da partida. Foto: Fernando Martinez.

No intervalo o amigo Rafael Lusitano apareceu por lá, e mais uma vez todos ficaram indignados com minha descrição do terror em Mogi. Ainda teremos desdobramentos do caso, fiquem ligados!

No segundo tempo, a Portuguesa voltou criando algumas boas chances, todas desperdiçadas com o velho problema no ataque. O CRB, que também não estava morto, passou a levar perigo claro em algumas boas chances dentro da área rubro-verde. A Lusa passou a contar muito com a sorte, coisa que não aconteceu nas outras partidas.


Zagueiro do CRB tenta cortar ataque da Lusa e quase faz um golaço contra. A bola passou raspando. Foto: Fernando Martinez.


Ataque da Portuguesa que levou perigo à meta do time alagoano. Foto: Fernando Martinez.

Mesmo com vários sustos na torcida da Lusa, e a certeza que o resultado não foi merecido para alguns dos presentes, o final do jogo foi de festa rubro-verde: Portuguesa 1-0 CRB. Agora o time tem a pedreira chamada Coritiba pela frente, e a esperança não sai do Canindé. Esperamos que o time possa fazer uma bela partida no sábado que vem.

Logo mais tem mais pessoal!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário