Procure no JP

quarta-feira, 28 de março de 2012

JP nos Pampas (3 de 3): Jogo parelho e empate entre Sapucaiense e Passo Fundo na Divisão de Acesso

Fala, pessoal!

Novamente com uma merecida folga, o domingo passado me reservou a oportunidade de fechar a "trilogia 2012" de times novos no Rio Grande do Sul. Pela terceira vez - já tinha visto dois jogos ali em 2006 e 2007 - fui ao Estádio Arthur Mesquita Dias, em Sapucaia do Sul, para acompanhar um joguinho de futebol. Em campo, Sapucaiense e o genial EC Passo Fundo se enfrentaram pela 7ª rodada da Divisão de Acesso 2012 (a antiga segunda divisão) do Campeonato Gaúcho.

Antes do futebol, a agenda marcou um almoço com muito churrasco com os amigos que me acompanham na viagem. De barriga cheia fui pegar o trem até a estação Sapucaia da Trensurb. Desci sem pressa e um quarteirão e meio depois já estava nas dependências do estádio. Por ter jogado a primeira divisão em 2008 e 2009, o local está bem diferente das outras vezes que estive ali. A cabine de imprensa foi remodelada, agora existe um espaço bom para a torcida visitante e no espaço destinado à torcida local existe uma pequena parte coberta e uma "tribuna".

O que não mudou foi que o local ainda mantém um delicioso charme que só estádios pequenos tem, pois é acanhado e a torcida fica perto do campo de jogo. Certamente ali não cabem nem mil pessoas, e nem por isso a FGF impede a equipe de jogar futebol profissional. Bem diferente do que acontece em São Paulo, aonde o controverso artigo a respeito das "capacidades do estádio" ainda vigora absoluto. Já passou a hora da Federação Paulista rever isso, pois com certeza essa obrigatoriedade é um dos motivos que está matando de forma irreversível o futebol do interior.

Polêmicas à parte, um simpático clone do Seu Madruga me deixou entrar no campo e pude então captar as imagens exclusivas das equipes e do trio de arbitragem:


GE Sapucaiense - Sapucaia do Sul/RS. Foto: Fernando Martinez. 


EC Passo Fundo - Passo Fundo/RS. Foto: Fernando Martinez.


Capitães dos times e trio de arbitragem da peleja. Foto: Fernando Martinez.

A sensação de poder ver o Passo Fundo ao vivo foi algo do mesmo nível do dia anterior, quando matei o Aimoré e o Santa Cruz. Os três times faziam parte do campeonato gaúcho na segunda metade dos anos 80, tempo em que comecei a me interessar por futebol. Dessa época faltam poucos times do estado na minha Lista, como o Inter de Santa Maria e o São Paulo de Rio Grande.

Falando novamente do Galo da Serra, o time foi fundado em 1986, resultado da fusão entre o 14 de Julho e Gaúcho. No primeiro ano já foi campeão da segundona e subiu para a elite do estado. Anos depois a fusão foi desfeita e o alviverde decidiu voltar ao profissionalismo. Isso fez com que em 2003 a equipe tirasse o verde do uniforme e passasse a usar apenas o vermelho e o branco como cores oficiais. Em 2006, no aniversário de 20 anos do time, a equipe foi rebaixada e não jogou a divisão de acesso em 2007. Em 2008 o time voltou ao profissionalismo e também colocou novamente o verde no uniforme.

Já o Sapucaiense foi fundado em 1941, e apenas em 2005 iniciou suas atividades no profissionalismo. Logo no terceiro ano foi campeão da segunda divisão e subiu para a elite. Em 2008 conseguiu um impressionante sexto lugar, mas em 2009 fez uma campanha ruim e foi rebaixado. Em 2010 ficou em terceiro lugar na Copa FGF e com isso garantiu vaga na Copa do Brasil desse ano. Na sua primeira disputa nacional, enfrentou a tradicionalíssima Ponte Preta, empatando o primeiro jogo em Porto Alegre e perdendo o segundo em Campinas.

Falando agora da segundona, os dois times fazem parte da Chave 2 da Divisão de Acesso desse ano. O grupo também conta com as presenças de União Frederiquense, Santo Ângelo, Esportivo, Panambi, Brasil de Farrroupilha, Glória, Juventus e Milan. Os seis primeiros colocados vão para a próxima fase enquanto os três últimos caem para a terceirona após jogos em turno e returno. Tanto Sapucaiense quanto Passo Fundo fazem campanhas boas e estão no G6 desde as primeiras rodadas.


Marcação firme de jogador do Passo Fundo em cima de atleta do Sapucaiense. Foto: Fernando Martinez.

Após todos os trâmites para a peleja finalmente se iniciar, resolvi acompanhar o ataque dos donos da casa durante a etapa inicial numa confortável sombrinha na linha de fundo. Para o desespero dos torcedores locais, o Passo Fundo foi melhor desde os primeiros minutos. Aos 9, Da Silva tentou cruzar na área e colocou a bola sem querer milimetricamente no ângulo direito do goleiro do Grêmio. Tricolor, 1x0.


O primeiro tempo foi com o Passo Fundo conseguindo neutralizar as jogadas do time local graças à forte marcação. Foto: Fernando Martinez.


Bola levantada dentro da área do time visitante, mas o jogador local não conseguiu alcançar. Foto: Fernando Martinez.

O Sapucaiense não conseguia criar boas chances, e embora chegasse perto da área adversária em jogadas pelas laterais, o arqueiro visitante não sofreu maiores sustos, pois as investidas ofensivas eram efêmeras. O tempo foi passando sem que o panorama fosse alterado. Mas quando o primeiro tempo estava chegando perto do seu final, o time vermelho e preto conseguiu deixar tudo igual no marcador.


A zaga do Tricolor afastando o perigo. Foto: Fernando Martinez.

A equipe teve uma falta marcada a seu favor na entrada da área. Leandro Nunes foi para a cobrança e colocou a pelota magistralmente no canto direito do arqueiro do Passo Fundo. O camisa 1 ainda tentou mandar a bola pra escanteio, mas não teve como impedir o gol dos donos da casa. O intervalo chegou com a igualdade estampada no marcador. O pessoal das rádios do interior gaúcho estavam indignados com o gol sofrido, pois para eles foi o "melhor tempo jogado pela equipe no certame desse ano".


Detalhe da cobrança de falta que originou o gol de empate do Sapucaiense. Leandro Nunes (na imagem encoberto pelo camisa 4 do Passo Fundo) bateu com muita classe. Foto: Fernando Martinez.

Durante o intervalo fui para o banco reservado a profissionais de imprensa no meio do gramado, logo ao lado do vestiário do time visitante. Assim como os repórteres, o técnico do Passo Fundo, Ricardo Attolini, também não gostou nada de ter dominado as ações e ter sofrido o empate no finalzinho. Colérico, ele desceu a lenha nos jogadores com termos não muito simpáticos, numa palestra motivacional às avessas.


Início de ataque local no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.


Mais uma chegada perigosa do Sapucaiense no tempo final. Foto: Fernando Martinez.

Decidi ficar por ali na paz durante o tempo final, e pude presenciar um verdadeiro jogo de futebol com o estilo gaúcho de ser: pegado, ríspido, com jogadas bruscas e concentrado no meio de campo. Quando o futebol reaparecia o Sapucaiense era melhor, e assim chegou muito perto de virar o marcador. Legal era curtir os comentários super "imparciais" do repórter da rádio de Passo Fundo. Para ele o árbitro estava comprado e todas as faltas marcadas a favor do Sapucaiense não existiram. Profissionalismo é a alma do negócio!


Cabeçada do camisa 9 do Grêmio que passou perto do gol. Foto: Fernando Martinez.


Atletas levitando no gramado do Arthur Mesquita Dias. Foto: Fernando Martinez.

Mesmo não sendo um jogo ruim (longe disso) a partida acabou terminando com o placar ainda do primeiro tempo: Sapucaiense 1-1 Passo Fundo. O Tricolor agora é terceiro lugar da Chave 2 com 12 pontos conquistados em 7 partidas. O Grêmio está na quinta posição, com 10 pontos em 5 jogos, já que tem duas partidas que foram adiadas em virtude da participação do time na Copa do Brasil.

Sem perder tempo, mas feliz com meu 1967º jogo visto em todos os tempos (o 2000 deve chegar em junho) e meu 538º time na Lista, voltei na boa para a cidade de Canoas, local do meu QG nessa semana. A noite de domingo foi regada a muito bate-papo e muita risada com o pessoal paulistano que está comigo nessa turnê 2012. Esse foi o ponto final nos meus posts da primeira parte da viagem, e já torço para que em abril consiga ver algo na parte II.

Até lá!

Fernando

3 comentários:

  1. otima a saga !
    eh impressao minha ou cada camisa do PAsso Fundo tem um patroc. diferente?

    ResponderExcluir
  2. ahahahaha faltou a foto do clone do seu madruga hhehe.

    e o luiz henrique reparou bem cada camisa do passo fundo tem um patrocinio diferente. q genial...

    ResponderExcluir
  3. BOA TARDE. É COMUM AQUI NO INTERIOR DO RIO GRANDE DO SUL E PRINCIPALMENTE NA 2ª DIVISÃO, VÁRIAS EMPRESAS COLABORAREM COM OS CLUBES. POR EXEMPLO DETERMINADA EMPRESA BANCA UM JOGADOR MAIS FAMOSO E A MESMA COLOCA SUA MARCA COM EXCLUSIVIDADE NA CAMISA DO CONTRATADO. JÁ TIVEMOS CASOS NO ESPORTIVO DE BENTO GONÇALVES, NO BRASIL DE FARROUPILHA, ALGUNS OUTROS DA SEGUNDONA E DA TERCEIRONA E AGORA NO PASSO FUNDO. E APAREÇAM SEMPRE NO RIO GRANDE.

    UM GRANDE ABRAÇO
    HOMERO QUEIROGA - PELOTAS-RS
    http://escudosdomundointeiro.blogspot.com

    ResponderExcluir