Procure no JP

terça-feira, 5 de julho de 2011

Partida eletrizante pelo Grupo 1 da Segundona em Votuporanga

Olá,

Depois de ter visto de perto o confronto Atibaia x Desportivo Brasil, cujo post já foi divulgado, deixei a cidade de Atibaia em disparada com destino a São Paulo, pois em menos de duas horas, iria começar mais uma longa viagem ao interior paulista, rodando 547 km para chegar à linda cidade de Votuporanga, nunca antes visitada pelo JP.

O meu destino final era o Estádio Dr. Plínio Marin, local da realização da partida C.A. Votuporanguense Ltda. x C.A. Assisense, válida pela décima rodada da primeira fase do Campeonato Paulista da Segunda Divisão, no seu Grupo 1. Cheguei em Votuporanga por volta das 2:30 hs. e fui diretamente para um dos hotéis da cidade, visando dormir algumas horas, pois logo de manhã já estaria me dirigindo ao estádio. Lá chegando, fui muito bem recebido por pessoas ligadas ao clube, bem como pelos companheiros de imprenssa, que tudo fizeram para eu me sentir à vontade. A hospitalidade foi a marca registrada das pessoas com as quais tive contato. Um abraço a todos.

Esse jogo colocou frente à frente, duas equipes com companhas bem distintas, pois enquanto o Votuporanguense pisou no gramado com 12 pontos, na 4ª colocação, o Assisense carregava a lanterninha do grupo, na 7ª posição, com apenas 3 pontos. Vale ressaltar que o time de Assis mudou literalmete tudo durante a competição, uma vez que trocou o elenco e a direção de futebol passou para um grupo da cidade de Marília. A situação anterior estava tão confusa, que a equipe foi punida pelo TJD da FPF, com a perda de 3 pontos, por ter utilizado atleta em situação irregular. Se esse fato não tivesse ocorrido, o time visitante estaria com 6 pontos.

Após ter dado um giro pelo estádio, fui para o gramado aguardar a entrada dos artistas do espetáculo, cabendo ressaltar a novidade apresentada pelos dois assistentes da arbitragem, pois foram para o gramado usando boné na cor preta, com distintivo da FPF e da patrocinadora. De agora em diante, os bonés poderão ser usados sempre que o sol estiver atrapalhando a visão dos assistentes.

Agora vamos com as fotos oficiais, as quais estão apresentadas abaixo:


C.A. Votuporanguense Ltda. - Votuporanga/SP. Foto: Orlando Lacanna.


C.A. Assisense - Assis/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Trio de arbitragem liderado por Thiago Silva Egídio, seus assistentes Rogério Pablos Zanardo e Rafael Ferreira da Silva, usando bonés, ao lado dos capitães das equipes. Foto: Orlando Lacanna.

Antes de falar da partida, vale registrar que o Estádio Dr. Plínio Marin, num prazo aproximado de dois anos, será desativado e demolido, dando lugar a um condomínio. Fui informado que já está em andamento o início das obras (terraplenagem) da construção do Complexo Esportivo, que contará com uma arena multiuso para 16.000 espectadores, além de ginásio de esportes, piscina olímpica e pista de atletismo. Vamos aguardar.

Bem, agora vamos para o jogo, cujo início foi favorável ao time de Assis, que saiu para o ataque, surpreendendo a todos no estádio. Nos primeiros dez minutos, o time azul foi mais incisivo, exigindo cuidados do setor defensivo alvinegro.


Jogada aérea do ataque do Assisense no início da partida. Foto: Orlando Lacanna.

O time da casa demonstrava um certo nervosismo, que podia ser observado nos sucessivos erros de passe. Parecia que a bola estava queimando os pés dos atletas da casa, que procuravam soltar a bola com muita rapidez, confundindo velocidade com pressa. A torcida não deixava barato, uma vez que quando ocorria erro de passe, a chiadeira era geral, pressionando os atletas. Com o passar do tempo, o time do Votuporanguense foi se acertando no gramado e criando alguns bons momentos e, com isso, foi mudando o humor dos torcedores locais.


Goleiro Tiago do Assisense socando cruzamento do ataque alvinegro. Foto: Orlando Lacanna.

Aos 21 minutos, o ala Manjinha, chegou com perigo pelo lado direito, mas foi infeliz na hora da conclusão, mandando a bola por cima do travessão. Três minutos depois, o mesmo ala Manjinha, em mais uma ótima arrancada pela direita, desperdiçou uma chance de ouro de abrir o marcador. Invadiu a área e tocou com categoria na saída do goleiro, porém para sua infelicidade, a bola tocou caprichosamente no poste direito, indo pela linha de fundo, levando ao desespero o atleta e a torcida local.


Chance incrível perdida por Manjinha, com a bola tocando no poste direito. Foto: Orlando Lacanna.

A melhoria do time da casa foi se acentuado e, na marca dos 31 minutos, o camisa 7 Thauan fez a torcida local explodir de alegria, ao inaugurar o marcador, após receber um passe perfeito em profundidade pela meia direita. Um minuto após, o camisa 11 alvinegro Pedrinho, exigiu ótima defesa do goleiro de Assis.


Bola viajando pelo alto para a área do Assisense. Foto: Orlando Lacanna.

Mesmo em desvantagem, o Assisense não esmorecia, mantendo a pegada e indo ao ataque com perigo, tanto que, aos 36 minutos, o avante Léo assustou o goleiro Cairo do Votuporanguense, ao cobrar com muito perigo uma falta que lambeu o poste esquerdo. Aos 41 minutos, o centroavante Dione dos visitantes, teve boa chance de empatar a partida, mas o zagueiro Pedro salvou ao desviar o arremate para escanteio. Mais alguns minutos e a primeira etapa foi encerrada com a vantagem mínima a favor dos anfitriões.

Ao longo do intervalo, fiquei conversando com repórteres de emissoras locais e com alguns torcedores, que demonstraram preocupação com relação ao segundo tempo, pois estavam surpresos com a atuação do Assisense ao longo dos primeiros 45 minutos. Ficava a expectativa se o Votuporanguense conseguiria manter a vitória.

A partida foi reiniciada e logo nos primeiros minutos, era possível notar que seria uma segunda etapa eletrizante, por conta do empenho dos dois times e também por ambos buscarem o ataque incessantemente. A primeira emoção aconteceu aos 8 minutos e foi do ataque do Votuporanguense, nos pés do camisa 7 Thauan, que tocou por cima do travessão um bola recebida praticamente em baixo do gol. Foi uma chance enorme perdida. Mas era apenas o começo.


Thauan desperdiçando chance de ouro embaixo da meta. Foto: Orlando Lacanna.

Após a chance perdida e até o vigésimo quinto minuto, a partida foi marcada pelo equílibrio, com os dois times se jogando ao ataque com uma volúpia que poucas vezes tive a oportunidade de ver, criando vários momentos de perigo para as duas defesas. Pelos lados do Votuporanguense, a melhor chance para aumentar o placar surgiu aos 16 minutos, através de Pedrinho, num arremate perigosíssimo por cima do travessão. A torcida alvinegra estava preocupada, pois a sua equipe não aproveitava as chances criadas e, a qualquer momento, os visitantes pederiam complicar.


Ataque aéreo do Assisense no segundo tempo. Foto: Orlando Lacanna.

Aos 17 e 25 minutos, o time de Assis criou e desperdiçou duas ótimas chances, sendo a primeira através do camisa 17 Joabison e a segunda nos pés de Léo, numa jogada individual sensacional, passando em velocidade por três defensores e arrematando com força, mas aí apareceu o experiente goleiro Cairo e acabou com a festa. Um minuto depois, não teve jeito, pois o empate acabou acontecendo, através de um gol anotado pelo camisa 10 Leandro, concluíndo com êxito jogada iniciada pela meia esquerda.

A partir do vigésimo quinto minuto, presenciei uma sequência de ataques perigosos, jamais vista por mim nos últimos tempos, não dando tempo nem de fazer as anotações, uma vez que acontecia um ataque superperigoso a cada 2 minutos. As duas melhores chances do Assisense aconteceram aos 30 e 34 minutos respectivamente, através de lances com as participações de Léo e Leandro. Nos dois lances, a defesa alvinegra salvou na hora "H".

Pelos lados do Votuporanguense, a sequência de chances perdidas começou aos 27 minutos, através do artilheiro Carlos Henrique, continuando aos 38, 39, 41 e 42 minutos, com Thauan duas vezes, Lucas e Sabará. Eu estava próximo ao alambrado e vi vários torcedores literalmente passando mal com a série de gols perdidos pelo time da casa. Um deles clamava até por ajuda de Jesus Cristo. Nunca tinha visto algo parecido.


Um dos vários ataques do Votuporanguense pela direita com a T.U.R.A. ao fundo. Foto: Orlando Lacanna.


Uma das várias chances despediçadas pelo time da casa nos últimos minutos. Foto: Orlando Lacanna.

Quando tudo indicava que a partida terminaria empatada, eis que, aos 43 minutos, o artilheiro Carlos Henrique escora um cruzamento da esquerda, executado por Uélison e manda a bola para o fundo da rede do Assisense, levando literalmente a sua torcida à loucura e anotando o segundo gol da sua equipe. A festa da torcida e dos jogadores do Votuporanguense foi incrível, após a marcação do gol salvador.


Carlos Henrique mandando a bola para o fundo da rede no gol da vitória alvinegra. Foto: Orlando Lacanna.

Nos últimos minutos o Assisense ainda tentou estragar a festa do Votuporanguense, mas o máximo que conseguiu foi ter o seu capitão Soler expulso por ter agredido um adversário. Logo em seguida o árbitro encerrou a partida com o placar indicando Votuporanguense 2 - 1 Assisense, resultado que poderia ter sido 4 x 3 ou 5 x 4 que não seria nenhum exagero por conta das diversas situações de gol que foram criadas e perdidas. Os três pontos colocaram o time da casa na 2ª posição, agora com 15 pontos. Com a derrota, o time de Assis permaneceu na última colocação (7ª) com 3 pontos, porém ficou claro que se o time que começou o campeonato fosse esse que jogou em Votuporanga, a história seria outra, mas como o "se" não joga, o time azul continua na lanterna.

Partida encerrada, um lanche rápido e pé na estrada novamente, encarando mais 547 km até São Paulo, mas valeu a pena por conta de ter conhecido mais uma cidade, mais um estádio e um grupo de pessoas hospitaleiras. Em breve haverá novas viagens especiais. Aguardem...

Abraços,

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário