Procure no JP

terça-feira, 26 de julho de 2011

Nacional vende caro a classificação do Guarujá na Segundona

Salve, amigos!

Dando início à minha cobertura da 13ª rodada da primeira fase do Campeonato Paulista da Segunda Divisão de Profissionais de 2011, estive no último sábado na cidade de Guarujá, a Pérola do Atlântico, para acompanhar a disputa entre a AD Guarujá, em busca por uma vaga na fase seguinte, e o Nacional AC, cumprindo tabela.

Ao chegar ao simpático Estádio Antônio Fernandes, fui recebido pelo assessor de imprensa do Cavalo-Marinho, Beto Junior, a quem desde já agradeço a atenção dispensada a mim e minha namorada-ajudante, Bruna. Seguem as fotos oficiais da partida, com exclusividade para o JP:


AD Guarujá - Guarujá/SP. Foto: Estevan Mazzuia.


Nacional AC - São Paulo/SP. Foto: Estevan Mazzuia.


Arbitragem composta por José Cláudio Rocha Filho, Vitor Carmona Metestaine, Risser Jarussi Correa e Allan da Silva Bonardi, com os capitães Léo Souza (ADG) e André (NAC). Foto: Estevan Mazzuia.


Visão panorâmica da partida. Foto: Estevan Mazzuia.

Precisando da vitória para se classificar, o cavalo-marinho foi para cima do onze ferroviário, e logo aos 11 minutos conseguiu acertar a trave, em chute de Buiu. Concentrando o volume de jogo no campo de ataque, a equipe do litoral abriu o placar aos 17 minutos, com o guerreiro Buiu, de cabeça, se aproveitando de uma falha na zaga ferroviária.


Escanteio para o Guarujá. Foto: Estevan Mazzuia.


Lance da primeira etapa. Foto: Estevan Mazzuia.

Quatro minutos depois, o Guarujá quase ampliou, em mais um chute de Buiu, desta vez de fora da área. O segundo gol acabou saindo aos 38 minutos, em boa jogada de Luizinho, após rápido contra-ataque. Já no final da primeira etapa, Buiu quase marcou o terceiro, acertando um chute cruzado da direita, que levou muito perigo à meta defendida por Pedro Júnior.


Detalhe do segundo gol do Guarujá. Foto: Estevan Mazzuia.

Aos 42 a ADG chegou ao terceiro gol, por intermédio de Leandro, de cabeça, se aproveitando de cruzamento da esquerda. Segundo informações obtidas com colegas da imprensa, o jogador estreou na equipe, e é oriundo do SC Corinthians Paulista.


Bola na área para cabeçada de Leandro. Foto: Estevan Mazzuia.

Com 3x0 no placar, e um adversário que nada fez na primeira etapa, a expectativa da torcida era de grande goleada. Torcida que, diga-se de passagem, acompanhava a partida de um alambrado em um terreno vizinho ao estádio, vez que o mesmo encontra-se interditado. Aproveitei o descanso pra me abrigar da fria garoa que se abatia sobre a cidade, e fui às tribunas saborear alguns biscoitos praianos comprados na fila da balsa, em companhia do pessoal da NET cidade.


Minha namorada e eu entre colegas da NET Cidade e a torcida acompanhando a partida de alambrado vizinho. Fotos: Estevan Mazzuia.

Logo aos cinco minutos da segunda etapa, o Guarujá perdeu a chance de ampliar, com Saulo batendo à esquerda do gol. Mas a esperada goleada não sairia. Na verdade, o Guarujá pouco fez na segunda etapa além de se defender.


Fofão realiza defesa. Foto: Estevan Mazzuia.

Aos 9 minutos, o Nacional descontou, após cobrança de falta da intermediária, por meio Ronaldo Félix, que havia entrado ainda na primeira etapa. Aliás, o técnico Tulio Tangioni fez as três alterações, incluindo a substituição do goleiro (entrou Felipe Silva, no intervalo), antes do início da segunda etapa.


Bola pro campo do Guarujá: a tônica da segunda etapa. Foto: Estevan Mazzuia.

Aos 24 minutos do segundo tempo, em contra-ataque rápido, Bruno silva fez bela jogada individual pela esquerda, driblando dois zagueiros e o goleiro Fofão, e marca o segundo gol do onze visitante.


Detalhe do segundo gol do Nacional. Foto: Estevan Mazzuia.

Daí pra frente, o que se viu foi um Guarujá desesperado, não acreditando no que via. O tempo passava e o empate do Nacional amadurecia. A equipe chegou perto do terceiro gol em várias oportunidades, e a carruagem andava com destino a uma virada histórica.

Aos 40 minutos, Bruno Silva pegou uma sobra de voleio, dentro da área, e bateu fraco, mas com muito perigo à meta defendida por Fofão. Nos cinco minutos finais, o Nacional foi para o abafa, numa fantástica demonstração de garra que encheria de orgulho o mais incrédulo membro da “Almanac”.


Confusão na área do Guarujá, em momentos do “abafa” nacionalino. Foto: Estevan Mazzuia.

Mas o empate não saiu, e o jogo ficou nisso mesmo: Guarujá 3x2 Nacional, resultado que garantiria o Guarujá na segunda fase da competição, caso o Jabaquara não vencesse o são Vicente no domingo. Jogo que acompanhei e postarei em breve o relato. Foi isso!

Abraços

Estevan

Nenhum comentário:

Postar um comentário