Procure no JP

sábado, 6 de janeiro de 2018

América Mineiro sofre, mas vence e vai para a segunda fase

Texto e fotos: Fernando Martinez


Depois de ver a Portuguesa derrotar o Remo e se garantir na segunda fase da Copa São Paulo de Futebol Júnior, foi a vez do América Mineiro entrar em campo para tentar também se garantir na próxima fase. O adversário foi a Associação Atlética Portela Teixeira de Freitas da Bahia, o 669º time a fazer parte da Lista, em confronto do Grupo 32.

O Teixeira de Freitas, semi-finalista do estadual sub-20 de 2017, é o 13º clube baiano a disputar a Copinha em todos os tempos (o Atlântico é o 12º e também fez sua estreia nesse ano). Se tirarmos Bahia e Vitória, o histórico de clubes do estado na competição é pífio: 51 jogos com apenas quatro vitórias (!) e um total de 42 derrotas. Nunca uma equipe passou de fase a não ser, claro, a dupla Ba-Vi.

Já o América tem muito mais tradição. O clube joga sua 27ª Copa São Paulo em todos os tempos e ostenta no currículo o título em 1996 e presença entre os quatro primeiros em 1975, 1999, 2011 e 2016. O bizarro é que apesar de tudo isso, eu já não via o Coelho há nove anos. O último foi um duelo contra o Fluminense também pela Copinha em 2009. Uma partida que sinceramente eu nem me lembrava que tinha visto.


Associação Atlética Portela Teixeira de Freitas (sub-20) - Teixeira de Freitas/BA


América Futebol Clube (sub-20) - Belo Horizonte/MG


Capitães dos times junto ao quarteto de arbitragem

Já sem um público tão grande no Estádio Osvaldo Teixeira Duarte, os times foram a campo e o Teixeira de Freitas dificultou bastante as coisas pros mineiros. Os baianos se aventuraram pelo ataque e foram responsáveis pela maior chance de gol no primeiro tempo. Num chute de longe do camisa 11 Eric, a bola bateu na trave, nas costas do goleiro americano e por pouco não entrou no gol.

Aos 24 minutos o América perdeu seu camisa 10 Emiliano. Ele sofreu uma entrada criminosa e saiu de campo com suspeita de fratura na perna esquerda. O árbitro não deu nem falta e muito menos o cartão amarelo ao jogador que cometeu a infração, um absurdo. Com ambas as equipes atuando na base do equilíbrio, o tempo inicial ficou no zero.

No tempo final o Coelho ficou com um a menos em campo aos 13 minutos depois da expulsão de Makton. Incrivelmente o time não sentiu a ausência do atleta e criou várias boas oportunidades de abrir o placar. O onze baiano também teve uma chance de ouro num contra-ataque em que Mito, camisa 10, conseguiu desperdiçar cara-a-cara com o arqueiro.

A peleja foi seguindo com esse rol de gols perdidos e parecia que eu veria meu primeiro 0x0 do ano. Menos mal que aos 36 do segundo tempo o América resolveu quebrar o galho. A bola foi levantada na área em falta pela esquerda (que gerou a expulsão de Jairo) e Luís Henrique apareceu no segundo pau para completar.


Dividida no meio do gramado do Canindé


O Teixeira de Freitas foi bem durante o primeiro tempo e não deixou o América gostar do jogo


Emiliano sendo atendido depois de sofrer entrada criminosa


Lance de Teixeira de Freitas x América Mineiro e o belo colorido dos uniformes


Boa saída do arqueiro americano no tempo final


Detalhe do único gol da tarde, o tento que deu a vitória e a vaga na segunda fase ao Coelho

O resultado final de Teixeira de Freitas 0-1 América Mineiro definiu a situação do Grupo 32 com uma rodada de antecedência. Os classificados Portuguesa e Coelho decidem o primeiro lugar da chave na rodada derradeira enquanto o onze baiano joga contra o Remo no duelo de eliminados.

Foi isso. Eu voltei aos gramados na tarde/noite de sábado sem time novo, mas com equipes geniais jogando na cidade de Barueri. É o JP na rota da Copa São Paulo...

Até lá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário