Procure no JP

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Após 19 anos, a volta do Sporting Cristal aos gramados paulistas

Opa, 

Após quatro anos, na última quinta-feira fiz minha volta triunfal a jogos da Taça Libertadores da América. Com a minha nova ordem mundial, fui para o Estádio Paulo Machado de Carvalho acompanhar a estreia do Palmeiras no certame jogando contra o sensacional Sporting Cristal, sonho de consumo e 551º time a entrar na minha Lista. 

Desde 29 de janeiro de 2009, quando vi Palmeiras 5x1 Real Potosí no Palestra Itália não tinha tido mais chances de ver alguma peleja válida pela principal competição de clubes do continente. Os motivos são vários, mas os principais são a quase impossibilidade de comprar ingressos nos dias atuais e a programação de horários ridículos para indivíduos que vivem de condução. De qualquer forma, a partir desse ano ficará mais fácil minha presença nesses jogos. 

Gosto bastante da Libertadores pois nela temos oportunidade de "matar" equipes geniais e que não visitam o país com tanta frequência. Só para terem uma ideia, antes desse jogo do alviverde, tinha visto 46 jogos pelo torneio, e neles "matei" 38 times diferentes. É a maior porcentagem jogos vistos/times novos da minha lista. 

E o atual campeão peruano não é um time muito fácil de se ver. A equipe da cidade de Lima havia jogado na capital bandeirante pela última vez em 16 de novembro de 1994, quando perdeu para o São Paulo por 3x1 na disputa da Copa Conmebol (no famoso evento em que o tricolor jogou duas vezes na mesma data). Dezenove anos depois, não tinha como perder essa. 

E mesmo depois de um dilúvio que alagou parte da cidade, cheguei ao Pacaembu sem problemas e com muito tempo para o apito inicial. Logo fui para a parte coberta e ali fiquei ouvindo o pré-jogo em emissoras de rádio. Entre uma informação desinteressante e outra, um dos famosos "entendidos" do assunto informou aos ouvintes que o Sporting Cristal "não tinha absolutamente NENHUMA tradição na Libertadores". 

Mal sabe esse infeliz jornalista que os "Cerveceros" disputaram esse certame "somente" por 29 vezes e até hoje detém o recorde de maior sequência de jogos invictos em todos os tempos (17 jogos sem perder de 1962 até 1969). Se não bastasse, a equipe foi vice-campeã em 2007 e ocupa também a sexta posição no ranking de participações consecutivas na história (disputou direto de 1995 até 2007). Se essa performance não faz o time ter uma certa história na Libertadores, eu não sei mais nada de futebol. 

Bom, depois de ter que ouvir essa pataquada, desliguei o pequeno aparelho e preferi ficar com o som ambiente proporcionado pela barulhenta torcida palmeirense, animada com o primeiro jogo do time no tão louvado certame. Logo, as equipes foram a campo. Mesmo de longe captei as imagens posadas. Se elas não tem a qualidade JP, pelo menos valem como registro. 


SE Palmeiras - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez. 


C Sporting Cristal - Lima (Peru). Foto: Fernando Martinez. 

As duas equipes fazem parte do interessante Grupo 2 da edição 2013 da Libertadores da América junto com os argentinos do Tigre e os paraguaios do Libertad. Por jogar em casa contra um adversário não tão forte assim (para mim o mais fraco da chave), o alviverde precisava vencer. 


Escanteio para o Palmeiras no primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez. 

Só que o jogo teve uma atuação ruim do time brasileiro. A equipe jogou bem somente no final da etapa inicial e durante 10 minutos do segundo tempo. Tirando isso, uma performance fraca e preocupante para sua torcida. A sorte que o adversário era o limitado time peruano, pois se fosse uma agremiação com mais qualidade a coisa teria ficado feia. 


Troca de passes no ataque local. Foto: Fernando Martinez. 

Num dos lampejos felizes no ataque, o zagueiro Henrique abriu o placar aos 39 do primeiro tempo com um belo gol de cabeça. A volta do segundo tempo teve um Sporting Cristal melhor e levando preocupação para a zaga local. Aos 6, o time celeste chegou ao empate com o gol de pênalti de Lobatón. 


Comemoração pelo primeiro gol do time paulista, marcado por Henrique. Foto: Fernando Martinez. 


O empate do Sporting Cristal aconteceu em pênalti cobrado por Lobatón. Foto: Fernando Martinez. 

Melhor em campo, o Sporting Cristal acabou sofrendo o segundo gol no primeiro bom ataque palmeirense no tempo final. Patrick Vieira foi o autor do gol aos 22 minutos. A insistência peruana em busca de um bom resultado ainda fez com que o goleiro Fernando Prass salvasse a pátria com duas ótimas defesas nos minutos finais. 


Zaga do Palmeiras afastando o perigo. Foto: Fernando Martinez. 

No final, o jogo ficou mesmo em Palmeiras 2-1 Sporting Cristal. Foi no sufoco, com o time jogando mal e com muita preocupação para quem é torcedor que vê a realidade dentro das quatro linhas... Mas o que valeu mesmo foram os três pontos. Agora o alviverde tem dois jogos complicados fora de casa contra Libertad e Tigre. 

Na companhia do Mílton, feliz da vida por ter "matado" o time peruano, peguei um táxi até a Avenida Paulista e dali segui de metrô até o meu lar. Por sorte, fiz o trajeto em meia hora, recorde absoluto em todos os tempos. No final de semana voltei novamente aos gramados com jogos válidos pela A2 e A3 paulista. 

Até lá! 

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário