Procure no JP

segunda-feira, 21 de novembro de 2005

Brasileiro Série B: Portuguesa 0-2 Náutico

Fala pessoal!

Com os jogos cada vez mais rareando, e aguardando a divulgação da tabela da Fase Final da terceirona do campeonato mineiro, nesse final de semana teve mais rodada do Clube dos Doentes. O Emerson viu a rodada dupla no Parque São Jorge no domingo de manhã (depois tem o post), e eu vi dois jogos. Um no sábado e outro no domingo, posto agora aqui.

No sábado, fomos (eu e o Mílton, mais uma vez) nos despedir da Série B, do Canindé e de jogos da Portuguesa em 2005. Pela penúltima rodada da Fase Final, o jogo foi contra o limitado time do Náutico, e ela só dependia dela para conseguir o tão esperado acesso a Série A em 2006. Bom, dependia...

Para comprar o ingresso foi aquele sofrimento de novo, já que eles não abrem guichês antes das duas da tarde e nem avisam aonde vendem até o horário. Depois de caçar informações a esmo, consegui os ingressos antes que a torcida começasse a chegar. Dessa vez, alguém teve a idéia de colocar mais catracas e abrir mais um dos portões da entrada. A medida, mesmo que ainda não sendo perfeita, foi suficiente para não deixar tão pauleira a entrada do público. Já é um bom começo.


Visão geral do jogo entre Portuguesa e Náutico. Foto: Fernando Martinez.

Esperávamos que a Portuguesa fosse jogar em cima do Náutico, mas o time estava um tanto quanto travado e mesmo jogando melhor do que a partida que fez contra o Grêmio (a do Canindé), o time ainda não mostrava o que sabia. Assim mesmo o time perdeu algumas boas chances, a melhor delas quando o máscara Celsinho perdeu um gol feito, cara-a-cara com o goleiro. Tanta bobeira fez com que o Náutico fosse gostando do jogo e também perdendo chances claras, inclusive outra também cara-a-cara com o jogador Kuki.

Mas como a Portuguesa tem mesmo o dom de estragar tudo: ela fez duas faltas coladas à grande área em menos de três minutos. A segunda delas num dos lances mais estúpidos que já vi num estádio, aonde o zagueiro da Lusa cortou a bola com as duas mãos, num completo sinal de desespero. A primeira falta foi pra fora, mas a segunda desviou na barreira, que se abriu toda e entrou. Náutico 1 a 0.


A barreira abre, a bola toca em algum jogador lusitano. Resultado: Náutico 1 a 0. Foto: Fernando Martinez.

Na segunda etapa o panorama não foi diferente, a Portuguesa com a posse de bola, mas sem fazer nada de efetivo. E o Náutico, com seu time limitado, aproveitando os contra-ataques e deixando a defesa da Portuguesa apavorada. Em mais uma bola perdida, o Náutico acabou aproveitando e, costurando pela defesa rubro-verde, acabou marcando seu segundo gol. Isso praticamente matou o time da Lusa.

Ainda que ela teve uma ajudinha do juiz, quando ele marcou um pênalti completamente inexistente logo depois do segundo gol. Mas o morto Leandro Amaral perdeu o chutando na trave.


Leandro Amaral corre para perder um pênalti contra o Náutico. Foto: Fernando Martinez.

Até o final foi aquele show de bolas cruzadas na área do time de Recife para a consagração do goleiro adversário. Resultado final: Portuguesa 0-2 Náutico. O Náutico só precisa ganhar do Grêmio para subir, e a Portuguesa tem a fácil missão de ganhar do Santa Cruz, no Arruda. Vamos ver o que dá, mas eles (mesmo com o time meia-boca) tem a nossa torcida!

Depois tem o post do jogo de domingo.

PS: Vale registrar que encontrei o repórter Fernando Rocha. Isso mesmo, o que fez a nossa reportagem no Esporte Espetacular. Na hora ele me reconheceu e fez uma graça. Valeu!

Até

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário