Procure no JP

sexta-feira, 30 de junho de 2006

Efemérides Futebolísticas: 30 de junho

Opa,

Em plena reta final da Copa do Mundo, e como hoje é outra sexta-feira, vamos com mais uma coluna repleta de EFEMÉRIDES FUTEBOLÍSTICAS, fornecidas pelo Denis Haddad. Aqui vão acontecimentos futebolísticos de 30 de junho, com referências a 29 de junho e a 1º de julho:

- 29 de junho de 1906 - sexta-feira - Campeonato Paulista - Velódromo - Paulistano 2-0 São Paulo Athletic. Nessa partida, pela primeira vez, Charles Miller, introdutor do futebol no Brasil, que, habitualmente, ocupava a posição de centro-avante, atuou como goleiro do SPAC.
- 29 de junho de 1919 - domingo - Campeonato Carioca - Rua Figueira de Melo - São Cristóvão 11-1 Mangueira. Até hoje, é a maior goleada aplicada pelo São Cristóvão em partidas entre equipes principais.
- 29 de junho de 1958 - domingo - Final da 6ª Copa do Mundo - Estádio de Raasunda, Suécia - Suécia 2-5 Brasil, com 49.737 espectadores.
- 29 de junho de 1997 - domingo - Final da Copa América - em La Paz - Bolívia 1-3 Brasil, com 43.753 espectadores.
- 1º de julho de 1912 - segunda-feira - Torneio de Consolação dos Jogos Olímpicos - Estocolmo - Russia 0-16 Alemanha.
- 1º de julho de 1972 - sábado - Copa Governador do Estado do Rio Grande do Sul - Porto Alegre - Força e Luz 1-2 Ferro Carril de Uruguaiana.
- 1º de julho de 1989 - sábado - abertura da Copa América - Estádio da Fonte Nova, em Salvador - Brasil 3-1 Venezuela, com 9.213 pagantes.

E, agora, 30 de junho:

- 30 de junho de 1912 - domingo - Campeonato Carioca dos Segundos Quadros - Rua Campos Sales - Mangueira 0-3 São Cristóvão.
- 30 de junho de 1918 - domingo - Campeonato Carioca - campo do Andaraí, em Vila Isabel - Andaraí 3-3 Flamengo.
- 30 de junho de 1929 - domingo - Campeonato Paulista da Liga de Amadores de Futebol - campo do Independência, no Cambuci - Independência 1-1 Hespanha.
- 30 de junho de 1935 - domingo - em Salvador - Campeonato Baiano - Galícia 5-3 Fluminense da Capital. Na mesma data, pelo Campeonato Pernambucano, na Jaqueira, em Recife, Torre 0-6 Náutico.
- 30 de junho de 1940 - domingo - Parque São Jorge - Campeonato Paulista - Corinthians 7-0 Comercial da Capital.
- 30 de junho de 1946 - domingo - Campeonato Argentino da Primeira Divisão - Tigre 5-2 Atlanta.
- 30 de junho de 1951 - sábado - amistoso - Sidney - Austrália 0-17 Inglaterra, com 14.146 espectadores.
- 30 de junho de 1953 - terça-feira - falece em São Paulo, Charles Miller, nascido na mesma cidade em 24.11.1874, introdutor do futebol no Brasil. Foi o artilheiro do primeiro Campeonato Paulista, disputado em 1902, tendo feito 10 gols.
- 30 de junho de 1962 - sábado à noite - Maracanã - primeira rodada do primeiro turno do Campeonato do Estado da Guanabara - Fluminense 3-1 Canto do Rio. No campeonato daquele ano, o Canto do Rio terminou em último lugar, não tendo obtido nenhuma vitória. Empatou 6 vezes e perdeu 18 partidas. Marcou 10 gols e sofreu 53.
- 30 de junho de 1963 - domingo - Campeonato Paulista - Morumbi - São Paulo 2-0 São Bento, com 7.955 pagantes. Pela primeira vez, o São Bento atuava no Morumbi, tendo sido campeão da então Primeira Divisão de Profissionais em 1962.
- 30 de junho de 1968 - domingo - Campeonato Mineiro - Mineirão - Atlético Mineiro 4-0 Villa Nova, com 16.280 pagantes.
- 30 de junho de 1974 - domingo - Campeonato Brasileiro - Maracanã - Fluminense 0-1 São Paulo, com 3.157 pagantes.
- 30 de junho de 1976 - quarta-feira - Campeonato Pernambucano - Estádio dos Aflitos - Náutico 1-0 Sport, com 21.102 pagantes.
- 30 de junho de 1977 - quinta-feira - amistoso - Maracanã - Brasil 2-2 França, com 83.317 pagantes.
- 30 de junho de 1985 - domingo - Campeonato Paulista da Terceira Divisão de Profissionais - em São Carlos - Estrela da Bela Vista 0-0 Palmeirinha de Porto Ferreira.
- 30 de junho de 1990 - sábado - 14ª Copa do Mundo, Quartas-de-Final - Estádio Olímpico, em Roma - Itália 1-0 Irlanda, com 73.303 espectadores.
- 30 de junho de 1991 - domingo - Campeonato Estadual do Rio de Janeiro - Flamengo 2-0 Vasco da Gama, com 4.412 pagantes.
- 30 de junho de 1994 - quinta-feira - 15ª Copa do Mundo, Primeira Fase - em Boston - Nigéria 2-0 Grécia, com 53.001 espectadores.30 de junho de 1996 - domingo - Campeonato Pernambucano - Estádio do Arruda - Santa Cruz 2-0 Centro Limoeirense, com arrecadação de R$ 6.634,00 e 1.013 pagantes.
- 30 de junho de 1998 - terça-feira - 16ª Copa do Mundo - em Bordeaux - Croácia 1-0 Romênia.
- 30 de junho de 1999 - quarta-feira - Copa América - Ciudad del Este, Paraguai - Brasil 7-0 Venezuela. Na mesma data, pelo Campeonato Paulista da Série B1A, na Caneleira, Jabaquara 2-1 XV de Novembro de Caraguatatuba. Foi a primeira vitória do Jabaquara após 12 partidas que haviam sido disputadas, até então.
- 30 de junho de 2000 - sexta-feira - Eliminatórias para a Copa do Mundo - Djbuti 1-3 Burundi e Mauritânia 0-0 Burkina Fasso.
- 30 de junho de 2001 - sábado - Campeonato Paulista da Série B-1 - Estádio Anibal Freitas - Guapira 2-1 Palestra de São Bernardo.
- 30 de junho de 2002 - domingo - Final da 17ª Copa do Mundo - em Yokohama, Japão - Brasil 2-0 Alemanha, com 69.029 espectadores. Na mesma data, em Timphu, capital do Butão, Butão 4-0 Montserrat, em amistoso.
- 30 de junho de 2004 - quarta-feira - Final da Copa do Brasil - Maracanã - Flamengo 0-2 Santo André, com 71.933 pagantes.
- 30 de junho de 2005 - quinta-feira - Campeonato Sueco da Sexta Divisão - Série "Varnamo" - Nissafors 5-5 Ohsbruk.

E foi só. Semana que vem tem mais e nesse final de semana teremos mais joguinhos aqui no JP!

Até

Fernando

quinta-feira, 29 de junho de 2006

Crônica de um WO anunciado

Fala pessoal!

Bom, nessa quarta-feira, livre de jogos da Copa do Mundo e no primeiro dia "real" de férias sem o Mundial 2006, nem a pau ficaria em casa. Então a pedida óbvia foi seguir até a cidade de Sumaré, para acompanhar o único jogo, remarcado, do nosso Campeonato Paulista da Segunda Divisão 2006, entre o Sumaré AC e o SC Campo Limpo Paulista. Na caravana da coragem até Sumaré, seguimos com o táxi do Seu Natal e tivemos a presença do próprio, do que vos escreve, do JR (ex-Jandir), do Emerson e do aniversariante do dia, David! Lá chegando, encontramos o Victor também em férias.

Antes de mais nada, e de falar sobre o que aconteceu por lá, vamos às fotos dos times posados:


Sumaré AC - Sumaré/SP. Foto: Fernando Martinez.


SC Campo Limpo Paulista - Campo Limpo Paulista/SP. Foto: Fernando Martinez.


Trio de arbitragem liderados pelo árbitro Alexandre Augusto Costa e pelos auxiliares Cláudson Beggiato e Peterson Rodrigues, junto com os dois capitães dos times. Foto: Fernando Martinez.

Bom, chegamos às 14:45 e de cara vimos algo estranho: aonde estava o time do Campo Limpo? É, a equipe ainda não havia chegado, e por isso já vimos que o dia seria esquisito. Mas tudo bem, e como não somos de desanimar, fomos tirar as fotos do Sumaré (que estão acima) e procurar saber se o time estava à caminho. Às quatro e pouco, e quando tínhamos descido até o portão para ver se alguma novidade aparecia, vimos o busão do Campo Limpo virando a esquina. Ufa! Agora será que rolaria o jogo?

É... quando achávamos que estava tudo OK, chega a notícia que agora faltava um desfibrilador no campo. Mesmo tendo acontecido isso no primeiro jogo, não tínhamos o aparelho disponível novamente. Mais um problema, e mais um sem número de ligações para pessoas perdidas até arranjarem o aparelho! Isso já eram quase 3 e meia, e o árbitro, com um grande bom senso, aguardando os "dez minutos" passados pelos donos da casa.


Os dois times esperando a boa vontade do desfibrilador... ou do médico... ou dos dirigentes... ou de quem mesmo? Fotos: Fernando Martinez.

O tempo foi passando, e os jogadores foram se aquecendo, o pessoal foi se irritando, tudo na busca de um desfibrilador. Mas para a felicidade da nação JP, chega uma ambulância com o aparelho. Oba, será que dessa vez rola o jogo? Bom, o desfibrilador tinha chegado, mas a ambulância não trouxe nenhum médico. E quem poderia testar o desfibrilador? Um médico, né? Então, mais um impasse e mais ligações desesperadas agora para buscar um médico, para chegar "ontem" no estádio. Isso com o tempo já estourado em quase 50 minutos.

Depois de mais promessas e conversas, eram quatro da tarde quando aparece um médico no estádio! Tudo OK então, né? Desfibrilador funcionando, times em campo, policiamento OK e muita animação. Só faltava um detalhe essencial: a confirmação de que o médico era médico mesmo, com o seu famigerado CRM. Agora fica a pergunta: vcs acham que ele tinha levado o CRM? a resposta é NÃÃÃO!


Momento crucial na eventual partida: o médico chega e logo é apresentado ao desfibrilador. Perguntas no ar: será que teremos jogo? Será que o aparelho funciona? Fotos: Fernando Martinez.


De outro lado: toda a turma do JOGOS PERDIDOS (Victor, Fernando, JR e David) de costas, conferindo o médico testar o desfibrilador. Tudo OK... parecia que teríamos a partida. Parecia! Foto: Emerson Ortunho.

É pessoal, faltou o principal e o último detalhe: confirmar se ele era o médico mesmo. Tudo bem que ele é um conhecido na cidade, mas como o juiz e os auxiliares não são da cidade, eles precisaram da confirmação que não houve. Nessa hora, em que o pessoal soube que faltava a confirmação, tivemos um episódio lamentável: um diretor do clube, chamado Édson ou André (não me recordo), nervoso com alguma coisa paralela, ofendeu o JR de forma imbecil, sem o menor motivo para isso. Tudo bem que deveria estar nervoso, mas isso não lhe dá o direito de ofender da forma que foi o JR , que só tentava ajudar.

Depois dessa última coisa, o árbitro resolveu suspender de vez a partida. Isso já eram 16:20 e nada foi arrumado direito.


Momento da comunicação oficial de que o jogo não seria realizado. Foto: Emerson Ortunho.


Muvuca básica formada na hora da comunicação de que o jogo tinha sido cancelado. Foto: Fernando Martinez.

Fica aqui só uma dúvida que pairou no ar: porquê não foi visto antes o negócio do desfibrilador e do médico (com CRM)? Se já tinha acontecido isso uma vez, porquê não foi providenciado antes? Fica aqui o nosso questionamento com essas perguntas. É complicado viajar, e gastar uma grana à toa, para chegarmos e não ter como acompanhar a partida.

Mas de vez em quando acontece, e comigo foi a primeira vez que pude presenciar um WO. Genial! Agora o Sumaré deve perder os pontos da partida, e se jogar o ano que vem, já estaremos no lucro. A viagem de ida e volta foram engraçadas, até que valeu a pena.

E no final-de-semana tem mais.

Fernando

terça-feira, 27 de junho de 2006

Paulista Segunda Divisão: Boa Vista 3-0 Pinhalense

Olá,

Após ter assistido a um bom jogo no sábado, continuei acompanhando o Campeonato Paulista da Segunda Divisão, indo no domingo pela manhã, à cidade de São João da Boa Vista no Estádio Dr. Octávio da Silva Bastos e assisti ao jogo Boa Vista x Pinhalense que valeu pela décima rodada da primeira fase. O Boa Vista ainda luta pela classificação á segunda fase e o Pinhalense joga apenas para cumprir tabela. Mais uma vez, apresento as equipes e o quarteto de arbitragem nas fotos abaixo:


CF Boa Vista - São João da Boa Vista/SP. Foto: Orlando Lacanna.


G Pinhalense de EA - Espírito Santo do Pinhal/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Quarteto de arbitragem liderados pelo árbitro Leonardo Ferreira Lima, os auxiliares Rogério Gomes da Silva e Junivan Rodrigues de Souza e o quarto árbitro Paulo Estevão Alves da Silva, com os capitães das equipes. Foto: Orlando Lacanna.

Antes de falar sobre o jogo, passo algumas informações envolvendo a situação atual das duas equipes, começando pelo Boa Vista, que provavelmente não deverá disputar a segundona em 2007, uma vez que o empresário que vinha bancando a equipe, segundo apurei junto à imprensa local, teria largado tudo e deixado muitas dívidas. No momento, o time vem sendo tocado por abnegados da cidade e os jogadores, todos da região, são apenas profissionais no papel, pois nada recebem.

Essa situação levou o torcedor local a ter maior identificação com o time e com isso, o público que comparece ao estádio, embora ainda pequeno, vem aumentando. Apesar desse quadro desfavorável, a cidade não deverá ficar sem representante no campeonato do próximo ano, pois todos entendem que chegou o momento do tradicional Palmeiras FC retornar ao futebol profissional, ocupando o lugar do Boa Vista.

Quanto ao Pinhalense, ao fazer a foto do time posado, notei que o escudo na camisa não era o do time e procurei saber o motivo. Apurei junto à comissão técnica, que o uniforme utilizado era do Náutico de Roraima, que foi representado pelo Pinhalense na última edição da Copa São Paulo de Futebol Júnior. A razão de não haver uniforme próprio foi que a empresa que investia no time, também teria largado tudo e deixado todos de mãos abanando, inclusive levando embora os uniformes de jogo. Portanto, as duas equipes têm um lamentável ponto em comum, ou seja, ambas teriam sido abandonadas pelos empresários.


O escudo do Náutico de Roraima, utilizado pela equipe do Pinhalense. Foto: Orlando Lacanna.

Finalmente vamos ao jogo, que foi razoável no aspecto técnico e teve domínio da equipe local. Como quase sempre acontece, a partida começou equilibrada, mas com o passar do tempo, o time do Boa Vista foi gostando do jogo e abriu o placar aos 36 minutos por intermédio de David que escorou de cabeça cruzamento da direita.


Lance do primeiro tempo da partida entre Boa Vista e Pinhalense. Foto: Orlando Lacanna.


Disputa de bola entre jogadores dos dois times. Ao fundo, a boa visão de casas atrás da arquibancada. Foto: Orlando Lacanna.

No segundo tempo, o time da casa continuou dominando e foi marcando seus gols com naturalidade aos 28 e 34 minutos através de Clodoaldo e Mamá respectivamente, atletas que foram os destaques individuais da partida. Com essa vitória o Boa Vista continua com chances de classificação.


Detalhe do segundo gol do Boa Vista na partida. Foto: Orlando Lacanna.


Lance do terceiro gol dos donos da casa, sepultando qualquer chance de reação dos visitantes. Foto: Orlando Lacanna.

Com o placar final Boa Vista 3-0 Ginásio Pinhalense, fica clara a disparidade entre os dois times, e mais um ano com o Pinhalense na rabeira da tabela. Esperamos que o time consiga força para continuar no futebol no ano que vem.

Após o jogo, retornei a Poços de Caldas para curtir o resto do domingo em solo mineiro.

Abraços,

Orlando

segunda-feira, 26 de junho de 2006

Paulista Segunda Divisão: Jabaquara 0-2 Barcelona

Buenas!

Mesmo com a Copa do Mundo rolando, como um fiel escudeiro, fui acompanhar o grande Jabuca na sua trajetória de fracassos pela Segundona, fracassos esses ocasionados por um grupo de aventureiros que terceirizaram o futebol do Jabaquara com uma porção de promessas vazias... Mais uma vez o palco foi o Estádio Espanha, em Santos, e a partida: Jabaquara x Barcelona.


Jabaquara A.C. - Santos / SP. Foto: Emerson Ortunho.


Barcelona E.C.L. - São Paulo / SP (mandando os jogos em Ibiúna / SP). Foto: Emerson Ortunho.


Trio de arbitragem formado pelo sempre simpático árbitro José Roberto Marques e os auxiliares Alex Alexandrino e Felippe Cirillo Penteado. Foto: Emerson Ortunho.

Após fazer as fotos das equipes, percebi que faltava alguém no banco do Jabaquara, e era nada mais, nada menos que o técnico. Soube logo depois que o técnico Barbirotto havia pedido demissão, na sexta-feira, em protesto pelo não pagamento dos salários aos jogadores. E de maneira sui generis, o jabuca, time de quase 100 anos, disputou a partida sem técnico.

A partida foi terrível. Os jogadores do Jabaquara, em greve, estavam há quinze dias sem treinar, e se reuniram somente na sexta-feira para o jogo. O Barcelona, um pouco melhor preparado fisicamente, adotou uma postura defensiva para jogar no contra-ataque. Em um desses lances, a zaga do Jabaquara cometeu pênalti e o Barcelona abriu o placar, levando esse marcador para o intervalo.


Do lado oposto, o pênalti convertido pelo Barcelona. Foto: Emerson Ortunho.


Disputa de bola na partida Jabaquara x Barcelona. Foto: Emerson Ortunho.

No segundo tempo, o jogo que já era ruim, piorou ainda mais devido o cansaço dos jogadores. O Jabaquara até tentou alguns ataques e perdeu duas, ou três chances de gol. E nessa segunda etapa mais um fato inusitado ocorreu: os jogodores que estavam no banco do Jabaquara, não levantaram para fazer aquele tradicional aquecimento atrás do gol. Ficaram lá, tranqüilos, assistindo a partida. As substituições que ocorreram foram pedidas pelos jogadores que estavam mais cansados.


Cobrança de falta para o Jabaquara no segundo tempo. Foto: Emerson Ortunho.

Com tudo isso, o trabalho do Barça Paulistano estava muito fácil, e assim, em outro contra-ataque, chegou ao segundo gol. No final da partida, os jogadores do Leão começaram a sofrer com câimbras, devido ao longo período sem treinamento, fazendo com que o árbitro inteligentemente sequer levasse o jogo para os acréscimos.


Lance da partida no segundo tempo. Eu sei que o que vale é a intenção do pintor do gramado, mas mandando um Deus com "z", o recado não chega aos céus e o Jabuca continua penando... Foto: Emerson Ortunho.

Final de partida: Jabaquara 0 x 2 Barcelona. Resultado justíssimo, pois ganhou quem jogou um pouco melhor. E foi sorte do Jabaquara ter enfrentado o Barcelona, pois nessas condições, se fosse o Votoraty, teria sido uns 14 a 0.

Bom... é lamentável a situação do Jabaquara, e não dá pra culpar os jogadores, não. Pois, sem salário e sem técnico, até que eles não deram um vexame maior. Alguns até se aplicaram em campo, outros pra variar só fizeram número. Mas o que mais me aborrece nisso tudo, é que o time, por exemplo, é melhor tecnicamente do que o Barcelona e o Osasco, mas toda essa situação extra-campo, provocada pela empresa que terceirizou o futebol do Jabuca, impossibilita qualquer ânimo dos jogadores. A empresa negou a ajuda oferecida pela diretoria do Jabaquara na organização da equipe e preferiu fazer tudo sozinha, e está aí o resultado. Torço agora para que o Jabaquara jogue até a última partida, pois temo até um abandono... Perder já é o de menos.

Abraços!

Emerson

Paulista Segunda Divisão: Guarulhos 0-1 Jacareí

Opa,

Finalmente, mas depois de 21 dias sem acompanhar um joguinho perdido in loco, no domingo de manhã estive presente em mais uma partida do Campeonato Paulista da Segunda Divisão. Junto com o Mílton, fui até o Estádio Antônio Soares de Oliveira, em Guarulhos, para ver o jogo entre AD Guarulhos e Jacareí AC. Acredito que esse período de três semanas sem jogos no estádio tenha sido meu maior período sem acompanhar partidas nos estádios desde 1998. Um absurdo né? Já estava me sentindo mal por ficar tão longe dos nossos gramados.

Mas como ontem só tinha jogo da Copa ao meio-dia, e por morar a 12 minutos do estádio, acabei decidindo quebrar esse incômodo tabu. Pena que acabei perdendo depois todo o primeiro tempo do jogo entre Inglaterra x Equador (se bem que nem perdi muito), já que o time do Guarulhos não providenciou o desfibrilador, que agora - mais do que nunca - é obrigatório nos campos de SP. Todos os árbitros da FPF receberam um aviso de reforço, lembrando que se não houver o artefato no estádio, não haverá jogo.

Depois de um belo papo no centro do gramado com o trio de arbitragem, e com 28 minutos de atraso, o jogo começou. Mas, como sempre, antes tiramos as fotos oficiais e exclusivas da partida:


AD Guarulhos - Guarulhos/SP. Foto: Fernando Martinez.


Jacareí AC (com um uniforme belíssimo e que espero que seja adotado em definitivo) - Jacareí/SP. Foto: Fernando Martinez.


O simpático trio de arbitragem, liderados pelo árbitro Luciano Caliabetto Quilicini e pelos auxiliares César Augusto Ferro e Tércio Roberto Nogueira, junto com os capitães do Guarulhos e do Jacareí. Foto: Fernando Martinez.

Falar do jogo é uma tarefa extremanente fácil. O time do Guarulhos fez uma das piores partidas que eu já presenciei desde o século passado. Sem qualquer iniciativa no ataque e com a defesa batendo cabeça, o time foi presa fácil para o Jacareí. Isso que o AC não é nenhuma máquina propriamente dita, se fosse, o jogo poderia ter sido um massacre.

No primeiro tempo, o time da casa chegou apenas uma vez no gol do time do Jacareí, sem perigo. Já o Jacareí chegou algumas vezes ao gol guarulhense, mas sem levar um perigo efetivo à meta dos donos da casa. E o jogo acabou indo para o intervalo sem a abertura do placar.


Um dos raros ataques do Guarulhos no jogo. Esse, depois de uma cobrança de escanteio foi cortado pelo zagueiro do Jacareí. Foto: Fernando Martinez.

O intervalo foi bom para curtirmos o vazio bar do estádio. Mulheres bonitas, calor e muita sede foram os motes desse intervalo. Depois, foi só aguardar o reinício da partida para ver o que daria. O jogo não mudou seu panorama nessa segunda etapa. Durante os 45 minutos, o time do Guarulhos só chegou uma vez com perigo no gol do Jacareí, mas a bola acabou sendo chutada para fora.


Cabeçada do JAC no segundo tempo, mas que não levou perigo à meta do time da casa. Foto: Fernando Martinez.

O Jacareí voltou melhor e perdeu alguns bons ataques. Se o time tivesse mais cabeça fria, com certeza poderia ter feito alguns gols, de forma até relativamente fácil, graças à fragilidade da zaga guarulhense. Ainda por cima o time do ADG teve três jogadores expulsos, naquele tipo de jogada que não há nem como reclamar: em lances violentos e desnecessários. mesmo com tanta disparidade, os visitantes só acabaram fazendo um golzinho. foi ainda numa cobrança de pênalti, marcado pelo capitão Lara, aos 19 minutos.


Único gol da partida, marcado pelo jogador Lara em cobrança de pênalti. Gol mais do que merecido. Foto: Fernando Martinez.

Final de jogo: Guarulhos 0-1 Jacareí. O time da casa agora só cumpre tabela até o final da Segundona, mas ainda terá provavelmente o sub-20 para ficar em atividade arté o final do ano. O Jacareí mostrou uma pequena evolução no futebol, mas nem deve ter chance de classificação, em virtude da boa campanha dos três líderes do grupo: União Mogi, Mogi das Cruzes e ECUS.

Mas valeu, e no meio dessa semana - graças às minhas merecidas férias - teremos rodada no interior. Fiquem ligados!

Até lá

Fernando

Paulista Segunda Divisão: Atibaia 1-3 Campinas

Olá,

Depois de uma semana de paralisação por causa dos jogos da Copa, no último final de semana, voltamos a ter jogos pelo Campeonato Paulista da Segunda Divisão e, como o JP não deixa de acompanhar essa competição, no sábado, estive novamente na cidade de Atibaia no Estádio Salvador Russani e assisti ao bom jogo Atibaia 1 - 3 Campinas válido pela décima rodada da primeira fase. Vale ressaltar que essa partida foi incluída no concurso 219 da Loteca como sendo o jogo 7 que acabou dando a coluna 2.

Como de costume, começo apresentando as equipes e o trio de arbitragem nas fotos abaixo:


SC Atibaia - Atibaia/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Campinas FC - Campinas/SP. Foto: Orlando Lacanna.


O árbitro Luciano Aparecido Severo, junto com os auxiliares David Botelho Barbosa e Edvânio Ferreira Duarte, e os capitães Éder, do Atibaia e Rafael do Campinas, posam para o JP. Foto: Orlando Lacanna.

O jogo começou de forma equilibrada, com o Atibaia jogando de igual para igual contra o líder do grupo, demonstrando muita disposição e disciplina tática. Nessa etapa não ocorreram muitos lances de perigo, porém o Campinas, por possuir um time com melhor condição técnica, acabou abrindo a contagem, aos 18 minutos, através do atacante Caio, em jogada individual pela meia direita que acabou num tirambaço no canto direito do goleiro Carlão que nada pode fazer. Mesmo perdendo, o time da casa mantinha o ritmo e continuava causando dificuldades ao time campineiro, levando para o intervalo um resultado que poderia ser, teoricamente, considerado injusto pelo equilíbrio das ações.


Detalhe da bola no fundo das redes do SC Atibaia: Campinas 1 a 0. Foto: Orlando Lacanna.

Na etapa final, logo aos 5 minutos, o atacante Taborda, desviando de cabeça cruzamento vindo da direita em cobrança de falta, deixou tudo igual no placar, dando esperanças aos torcedores locais que o Atibaia poderia conseguir sua segunda vitória na competição. Depois do empate, a Águia campineira passou a dominar a partida, e foi empurrando os donos da casa para seu campo de defesa, e aos 16 minutos, o lateral esquerdo Samuel marcou o segundo gol do Campinas, com um chute forte cruzado em jogada pela esquerda.


Bela defesa do goleirão do Atibaia, em perigoso ataque do Campinas. Foto: Orlando Lacanna.


Lance do segundo gol do time campineiro, jogando em Atibaia contra o SC Atibaia. Foto: Orlando Lacanna.

Com esse gol, o Atibaia deu uma desanimada e pouco incomodou o adversário que continuou dominando, mas só chegou ao seu terceiro gol, aos 48 minutos por intermédio de Danilo, fechando o placar em 3 a 1. Ao final da partida, ficou a certeza de que o Campinas poderá ir longe na competição, a menos que tenha uma queda brutal de rendimento, como vem ocorrendo ao longo dos anos. Do Atibaia, ficou a imagem de uma equipe que está em evolução e poderá, com mais experiência e alguns reforços, pensar em ir mais longe nas competições futuras.

Depois de acompanhar a mais um belo jogo, saí em disparada para São Paulo, para em seguida iniciar outra viagem, agora em direção a Poços de Caldas, para curtir um domingo no sul de Minas, mas como sempre, incluindo mais um jogo perdido no cardápio, porém isso é assunto para outro post.

Abraços,

Orlando

sábado, 24 de junho de 2006

Estádios pelo Brasil, volume 6: Estádio Evandro B.Calvoso (Andradina/SP)

Olá,

Quando da minha ida à Ilha Solteira, parei na cidade de Andradina para fazer a troca de ônibus, permanecendo por lá por quase duas horas e, logicamente como o futebol está sempre presente, fui até o Estádio Evandro B. Calvoso, com capacidade para 8.392 expectadores, local aonde o Andradina F.C. mandava seus jogos.


Escudinho do Andradina FC, cópia do escudo clássico de vários Américas pelo Brasil. Fonte: Arquivo Fernando Martinez.

O clube, também conhecido como O Foguete da Noroeste, foi fundado em 28/05/1963, tendo participado de 23 campeonatos nas diversas divisões de acesso entre os anos de 1964 até 2000. Atualmente está montando time para disputar um torneio entre equipes da categoria Sub-20, promovido pela TVI de Araçatuba, com início previsto para junho. O clube mandava seus jogos no Estádio Municipal Evandro B. Calvoso.


Fachada do Estádio Municipal Evandro B. Calvoso, palco dos jogos do Andradina através dos tempos. Foto: Orlando Lacanna.


Detalhe da parte esquerda do estádio, vista pelas numeradas. Foto: Orlando Lacanna.


Completando a visão das numeradas, agora a parte esquerda do estádio. Foto: Orlando Lacanna.

Conversei com diversas pessoas ligadas ao clube e ficou muito evidente que há a idéia de voltar a disputar competições oficiais promovidas pela Federação Paulista de Futebol, retornando à Segunda Divisão tanto no Sub-20 como no profissional, faltando apenas um detalhe: GRANA. Assim que surgir um empresário ou recursos oriundos do comércio local ou da Prefeitura, o clube voltará às atividades. O estádio está em razoáveis condições, necessitando de algumas reformas visando adequá-lo ao Estatuto do Torcedor.


Arquibancadas cobertas do estádio, em boas condições mesmo sem jogos oficiais. Foto: Orlando Lacanna.


Mais uma visão das arquibancadas cobertas. Foto: Orlando Lacanna.


Arquibancada descoberta do estádio. Notem os postes COM iluminação, coisa que nem a Javari e nem a Comendador Souza possuem. Foto: Orlando Lacanna.


Visão central do campo de jogo. Foto: Orlando Lacanna. [200411]

Bem, depois de mais essa visita, segui viagem torcendo para que o Andradina F.C. realmente retorne ao futebol profissional, pois se trata de um time com tradição no futebol do nosso interior.

Abraços,

Orlando

sexta-feira, 23 de junho de 2006

Efemérides Futebolísticas: 23 de junho

Fala pessoal!

Em mais um post do JOGOS PERDIDOS no meio da Copa do Mundo 2006 (e aproveitando que o futebol está suspenso dos campos paulistas), vamos com mais um post repleto de EFEMÉRIDES FUTEBOLÍSTICAS, fornecidas pelo Denis Haddad. Vamos primeiro então com as referências aos dias 22 e 24 de junho:

- 22 de junho de 1958 - domingo - Campeonato Paulista da Segunda Divisão - campo do Estrela da Saúde - Estrela da Saúde 2-1 Radium.
- 22 de junho de 1978 - quinta-feira à noite - Campeonato Brasileiro - Maracanã - Botafogo 3-0 Comercial de Ribeirão Preto, com 2.688 pagantes.
- 24 de junho de 1950 - sábado - Abertura da IV Copa do Mundo e primeiro jogo oficial no Maracanã - Brasil 4-0 México, com 81.649 pagantes.
- 24 de junho de 1956 - domingo - amistoso - Vila Belmiro - Santos 4-0 River Plate de Buenos Aires. Todos os gols foram marcados no primeiro tempo.
- 24 de junho de 1978 - sábado - Campeonato Brasileiro - Estádio Serra Dourada - Vila Nova-GO 2-1 Rio Branco de Vitória, com 366 pagantes.

E, agora, 23 de junho, dia de hoje:

- 23 de junho de 1912 - domingo - Campeonato Carioca dos Segundos Quadros - campo das Laranjeiras - Paysandu 4-1 Mangueira.
- 23 de junho de 1923 - sábado - primeiro jogo noturno, oficialmente reconhecido na História do Brasil - Várzea do Glicério, em São Paulo - Linhas e Cabos 0-2 República. O Linhas e Cabos era equipe que disputava a Segunda Divisão da APEA e formada por funcionários da Light. O presidente da Linhas e Cabos, Severino Gragnani (falecido em 21.07.1951) foi o engenheiro responsável pelo evento histórico.
- 23 de junho de 1924 - segunda-feira - amistoso - Austrália 4-1 Canadá.
- 23 de junho de 1929 - domingo - Campeonato Baiano - em Salvador - Fluminense 4-3 Guarany.
- 23 de junho de 1935 - domingo - Campeonato Paulista da APEA - campo do Ipiranga, na Rua dos Ituanos nº 87, bairro do Ipiranga - Ipiranga 6-1 Sírio. Nesse Campeonato foram marcados 277 gols em 58 jogos.
- 23 de junho de 1940 - domingo - Campeonato Paulista - Pacaembu - São Paulo 1-2 Espanha. Primeira partida do Espanha no Pacaembu. Somente em 25.09.1956, já como Jabaquara, voltaria o rubro-amarelo a derrotar o São Paulo no Pacaembu, vencendo-o por 3x2. Na mesma data, pelo Campeonato Cearense, Ferroviário 4-0 Maguary.
- 23 de junho de 1946 - domingo - Campeonato Paulista - Estádio de Ulrico Mursa - Portuguesa Santista 4-2 Palmeiras.
- 23 de junho de 1951 - sábado a tarde - Campeonato Paulista - Pacaembu - Corinthians 9-2 Comercial da Capital. O primeiro tempo terminou apenas com 2x0 para o Corinthians.
- 23 de junho de 1956 - sábado - Campeonato Paulista, Fase Classificatória - Vila Belmiro - Jabaquara 3-1 Nacional, com 999 pagantes. Na preliminar, pela Liga de Amadores de Futebol de Santos, Jabaquara 4-1 Lanus.
- 23 de junho de 1963 - domingo - Campeonato Paulista - Morumbi - São Paulo 1-1 Juventus, com 7.836 pagantes. Foi a primeira partida do Juventus no Estádio Cícero Pompeu de Toledo.
- 23 de junho de 1968 - domingo - Campeonato Argentino da Primeira Divisão - River Plate 0-0 Boca Juniors, com 49.793 espectadores. Após a partida, devido a tumultos ocorridos, houve mais de 70 mortos e dezenas de feridos.
- 23 de junho de 1976 - quarta-feira - Campeonato Pernambucano - em Caruaru - Central 0-2 Náutico, com 1.753 pagantes.
- 23 de junho de 1982 - quarta-feira - Copa do Mundo - em Sevilha - Brasil 4-0 Nova Zelândia.
- 23 de junho de 1985 - domingo - Eliminatórias para a Copa do Mundo - Maracanã - Brasil 1-1 Paraguai, com 139.923 pagantes.
- 23 de junho de 1991 - domingo - Campeonato Estadual do Rio de Janeiro - Maracanã - Flamengo 1-1 Fluminense, com 8.597 pagantes.
- 23 de junho de 1996 - domingo - Campeonato Estadual do Rio de Janeiro - Rua Bariri - Olaria 5-4 Itaperuna, com arrecadação de R$ 215,00 e 32 pagantes. Até os 28' do segundo tempo, o Itaperuna vencia por 4-0.
- 23 de junho de 1999 - quarta-feira - Campeonato Paulista da Série A-2/Torneio da Morte - Rua Javari - Juventus 4-1 Noroeste. Nesse Torneio da Morte, o time da Móoca se livrou do rebaixamento à Série A-3, fato que acabou acontecendo com o time do Noroeste. Na mesma data, pelo Paulista da Série A-3, no Estádio Nogueirão em Mogi das Cruzes, União de Mogi 2-1 Nacional.
- 23 de junho de 2000 - sexta-feira - Eliminatórias para o Campeonato Asiático Sub-16 - em Teerã - Irã 11-0 Quirguistão.
- 23 de junho de 2001 - sábado - Campeonato Paulista da Série A-2 - Rua Comendador Souza - Nacional 1-0 Etti Jundiaí. Na mesma data, pelo Campeonato Paulista da Série B-1, em Mauá, Mauaense 2-2 Guapira.
- 23 de junho de 2002 - domingo - Campeonato Paulista da Série B-3 - Estádio Espanha - Jabaquara 2-1 Águas de Lindóia.
- 23 de junho de 2004 - quarta-feira - Final da Copa do Brasil - Parque Antárctica - Santo André 2-2 Flamengo/RJ, com 20.994 pagantes.
- 23 de junho de 2005 - quinta-feira - Campeonato Feminino Sueco da Segunda Divisão - Série Nordvastra gotland - Rollanda 2-5 Trollhattans, com 32 espectadores.

Então foi isso. Esperamos que tenham gostado e segunda-feira teremos (finalmente) o retorno da Segundona Paulista às páginas de tão distinto blog!

Até lá...

Fernando

quinta-feira, 22 de junho de 2006

JP na Argentina #3: Defensores de Belgrano x Atlanta

Boa tarde,


Escudinhos dos times do Defensores de Belgrano e do Atlanta. Fonte: Arquivo Fernando Martinez.

Mesmo em dia de jogo do Brasil na Copa do Mundo, o JOGOS PERDIDOS continua à mil. E como vocês já devem ter visto na primeira parte da minha lua-de-mel, estive no Chile acompanhando o jogo entre Cerro Navia e Hosanna, válido pelo terceira divisão local. Agora na segunda parte, já em Buenos Aires, acompanhei o jogo entre Club Atlético Defensores de Belgrano X Club Atlético Atlanta, válido pelo campeonato da Primeira B, uma espécie de terceira divisão. A partida aconteceu no Estádio Juan Pasquale, localizado no bairro de Nunez, bem pertinho do campo do River Plate.


Destaque para os times alinhados para o início da partida. Foto: Victor Minhoto.

Logo de início pude perceber como é diferente acompanhar um jogo "de terceira divisão" na Argentina. Enquanto no Brasil os jogos desta categoria são pouco divulgados e os estádio geralmente ficam vazios, no país vizinho a presença de público é muito boa, principalmente pelo fato das equipes contarem com torcedores que a acompanham em todos os jogos, mesmo na casa do adversário. Ademais, existe uma grande rivalidade entre os times, como por exemplo no jogo que eu assisti, o que explica e grande presença de policias no campo.

Como o Defensores de Belgrano estava nas primeiras posições brigando pelo ascesso, e o Altanta apenas ocupava o meio da tabela, sem maiores pretenções ou com perigo de rebaixamento, imaginei que o time da casa iria partir para cima do adversário logo no início do jogo, mas não foi o que aconteceu. Muito pelo contrário, na primeira metade da etapa inicial o que se viu foi o Atlanta com maior posse de bola e buscando o gol adversário, porém, sempre esbarrava na excelente atuação do goleiro do Defendores de Belgrano.


Ataque do time do Atlanta no primeiro tempo da partida contra o Defensores. Foto: Victor Minhoto.

Na segunda metade do primeiro tempo, inspirado na boa atuação de sua defesa, o time mandante foi se soltando e passou a dominar por completo as ações do jogo, tanto que não tardou a marcar seu primeiro gol em um belo chute no ângulo esquerdo da meta do Atlanta, levando ao delírio o grande e animado público.


Detalhe do primeiro gol do time do Defensores, no primeiro tempo da partida. Foto: Victor Minhoto.

A partir deste momento o que se viu foi um completo domínio por parte do time rubro-negro, que logo no início da segunda etapa marcou seu segundo gol e continuou pressionando o adversário, sendo que somente não ampliou ainda mais o marcador devido as boas intervenções do arqueiro do Atlanta e um certo preciosismo nas conclusões.


Ataque do Defensores no segundo tempo da partida contra o Atlanta. Foto: Victor Minhoto.

Com o final da partida se aproximando o Atlanta mudou de atitude a passou a forçar mais o ataque, assim abriu espaço para os contra-golpes da equipe da casa. Apesar do jogo ficar aberto e com várias chances de gol o placar ficou mesmo em Defensores de Belgrano 2x0 Atlanta.


Defesa arrojada do goleiro do Atlanta quase no meio de campo. Foto: Victor Minhoto.

Em resumo, pude perceber que o jogo teve a típica característica do futebol argentino, muito disputado e corrido os 90 minutos, dando mais importância a raça do que a técnica. Em relação ao público é incrível como tanto os torcedores do time da casa, como do visitante ficam cantando durante todo o jogo, inclusive no intervalo e até mesmo nos momentos em que a equipe está sendo dominada em campo.


Ataque do Atlanta no início do segundo tempo. Foto: Victor Minhoto.

Assim chegou ao fim minha lua-de-mel e restou voltar a dura realidade brasileira, aguardando que um dia eu tenha outra oportunidade de acompanhar mais alguns jogos internacionais.

Até a próxima,

Victor