Procure no JP

quinta-feira, 24 de outubro de 2019

O surreal encontro entre Audax e Tadjquistão (!) no Rochdale

Texto e fotos: Fernando Martinez


Nos quase 15 anos de Jogos Perdidos já vimos muita coisa diferente. Vários confrontos insólitos, amistosos surreais e duelos que ninguém imaginava que aconteceriam. Na última terça-feira tive o enorme prazer de acompanhar uma partida que será lembrada para sempre, bem do jeitinho que achamos genial. No gramado do Estádio José Liberatti, em Osasco, o time sub-20 do Audax enfrentou nada menos do que a equipe sub-17 do Tadjiquistão (!).

Apesar dos meus mais de 3 mil jogos no currículo, poucas vezes vi algo tão alternativo na vida. Cheguei a cobrir um São Bento x Cuba em 2012 e acho que somente esse empata no quesito "alternatividade" com o Audax x Tadjiquistão. São aqueles momentos que o futebol se transforma em algo ainda mais especial. Ver uma seleção de um país que faz fronteira com China, Uzbequistão, Afeganistão e Quirquistão zanzando numa noite fria de terça-feira na Grande São Paulo é algo que nem pensamentos 100% surreais poderiam imaginar.

Fiquei sabendo da peleja menos de uma semana antes e, mesmo prestes a ver a seleção asiática na Copa do Mundo sub-17, não tinha como deixar de ir ao Rochdale presenciar esse momento repleto de surrealidade. Junto comigo, claro, um sem número de amigos, todos emocionados até o último fio de cabelo com a raríssima chance de colocar na Lista uma figurinha bem difícil de conseguir. Como a maior parte dos presentes não vai acompanhar o mundial in loco, ninguém queria desperdiçar a oportunidade.

O selecionado asiático se classificou para a Copa após ser vice-campeão do torneio sub-16 da AFC, a confederação asiática. A disputa direta da vaga foi com a Coreia do Norte - seleção que apareceu aqui durante o mundial do Chile em 2015 - e a vitória saiu nos pênaltis. Depois, chegaram ao honroso vice-campeonato perdendo a decisão contra o Japão. Será a segunda vez que participarão da Copa. Na primeira, na Coreia do Sul em 2007, ganharam dos Estados Unidos e foram derrotados por Bélgica e Tunísia na primeira fase. Mesmo assim foram às oitavas e então foram eliminados nos pênaltis pelo Peru.

Chegamos em 2019 e, às vésperas do certame organizado pela FIFA (que infelizmente não terá sede em São Paulo), o Tadjiquistão passou por Osasco somente para esse amistoso internacional contra o sub-20 do clube osasquense. Se a presença de público foi diminuta e levou cerca de 60 torcedores à cancha, nas redes sociais e na internet foi bem diferente. O jogo foi transmitido pelo Facebook, teve presença do pessoal do globoesporte.com e a simples menção no perfil oficial do JP no Twitter dobrou o número de seguidores.


Grêmio Osasco Audax Esporte Clube (sub-20) - Osasco/SP


Seleção do Tadjiquistão (sub-17)


Capitães dos times e quarteto de arbitragem


Banco de reservas do Tadjiquistão com atletas e comissão técnica passando frio em Osasco

Chegamos no Rochdale e logo vimos que as duas equipes estavam no aquecimento e que o quarteto de arbitragem também estava no gramado. Tudo ok para o cotejo. Conversamos com integrantes da diretoria da agremiação local, da delegação visitante e também da imprensa presente. Descobrimos ali que Musashi Mizushima, ex-atleta do São Paulo que serviu de inspiração para o desenho "Super Campeões", faz parte da comissão técnica do Tadjiquistão. Também fui humildemente entrevistado pelo pessoal super gente boa do GE. Poucas vezes vimos uma matéria ser feita de forma tão cuidadosa como fizeram.

No horário marcado, exatamente às oito da noite, finalmente a bola começou a rolar. O Audax começou mostrando serviço e criou boas chances de gol, todas defendidas pelo goleiro Shohrukh. O camisa 1 era o nome da peleja até que, aos 27 minutos, tomou um frangaço e viu o clube paulista inaugurar o marcador. Zainidin Rahimov, seu técnico, resolveu substituir o atleta em virtude do erro e o pobre rapaz saiu de campo chorando. Os visitantes sofreram o segundo gol e, por ser uma equipe sub-20 contra uma sub-17, chegamos a achar que poderia pintar uma goleada.

Só que aos poucos o Tadjiquistão foi entrando no clima e diminuíram a contagem numa jogada individual de Islam Zoirov e no último lance deixaram tudo igual numa boa cobrança de pênalti de Sharifbek Rakhmatov. Como a alternatividade estava em alta, até a luz acabou no intervalo, levando cerca de dez minutos para voltar. Deu tempo de fazer aquela marota disputa de penais no breu com os amigos enquanto os refletores não acenderam.


Detalhe do pouco surreal amistoso entre o time sub-20 do Audax e o sub-17 do Tadjiquistão


Defensor do Tadjiqustão trocando passes no campo de defesa


Joe (10) levantando a bola na área visitante


Gui Angelo (3), tocando a pelota sob a marcação de Islom Zairov (10)


Islom Zairov (10) correndo livre no campo de defesa do Audax prestes a fazer o primeiro da sua seleção


Sharifbek Rahmatov deixando tudo igual de pênalti no fim do primeiro tempo

Na segunda etapa rolou a grande história da noite. Mukhriddin, o goleiro que tinha entrado após as falhas de Shohrukh, se machucou e o substituído retornou ao gramado (em amistoso pode acontecer isso). Logo após o Audax teve um pênalti marcado a seu favor. A cobrança foi no canto esquerdo, e o ex-vilão se transformou em heroi ao defender de forma brilhante.

A peleja teve lances ríspidos durante o tempo final e alguns integrantes da comissão técnica do Tadjiquistão chegaram a pedir ao técnico local orientar seus atletas a pegarem leve, afinal, o grande motivo da viagem, a Copa do Mundo sub-17, estava prestes a começar. O treinador do Audax atendeu com simpatia as solicitações, mas não passou nada aos seus comandados.


O goleiro Mukhriddin Khasanov fazendo bela defesa em chute de longe


Finalização perigosa do Audax de Erick Rosales (16)


De heroi a vilão: o goleiro Shohrukh Qirghizboev se redimiu das falhas do tempo inicial e voltou a campo para pegar um pênalti


Umedzhon Kholikov (17) em lance pela esquerda


Zetão (22) tocando na bola com a marcação de Umedzhon Kholikov (17)


Mehrobjon Azimov (12) em ofensiva do Tadjiquistão pela esquerda

No fim, o placar ficou em Audax 2-2 Tadjiquistão, um bom resultado do onze osasquense contra um adversário internacional e um ótimo teste do selecionado asiático às vésperas do mundial. Eles farão parte do Grupo E junto com Camarões, Argentina e Espanha. Estaremos orgulhosamente presentes no duelo contra os europeus no penúltimo dia da viagem que começará em breve.

Depois dessa noite épica peguei o caminho da capital para nova noite de plantão no trabalho. Antes de seguir com destino à Copa, fiz a despedida momentânea da capital bandeirante no dia seguinte com outro joguinho da base no Pacaembu. Aliás, o que está tendo de partida no velho Paulo Machado de Carvalho não é brincadeira... sorte nossa.

Até lá!

_________________________

Ficha Técnica: Audax 2x2 Tadjiquistão

Competição: Amistoso Internacional; Local: Estádio José Liberatti (Osasco); Árbitro: Pietro Dimitrof Stefanelli; Público e renda: Portões abertos; Cartões amarelos: Brasília (Aud), Amadoni Kamolov, Emomali Ahmadkhon, Rustam Soirov (Tad); Gols: Joe 27, Ramires 29, Islom Zairov 38 e Sharifbek Rahmatov (pênalti) 45 do 1º.
Audax: Mário Sérgio (Zetão) (João Gabriel); Lucas Felix (Erick Rosales), Gui Angelo (Gustavo Victor), Matheus Lins (Brasília) (Gabriel Anjos) e Gabriel Poti (Lucas Carvalho); Ifeanyi Valentine (Cleyson), Dudu (Wictinho), Marco (Henrique Estevão) e Joe (Cadu); Ramires (Tche Tche) e Müller (Mascarenhas). Técnico: Jean Rodrigues.
Tadjiquistão: Shohrukh Qirghizboev (Mukhriddin Khasanov) (Samandar Karimov) (Shohrukh Qirghizboev); Shahrom Nazarov (Azizbek Hasanov), Isroil Kholov, Jonibek Sharipov (Mehrobjon Azimov), Muhammadrasul Litfullaev (Parviz Khodzhiev) e Shohrukh Sangov (Emomali Ahmadkhon); Amadoni Kamolov (Ozodbek Panzhiev), Shuhrat Elmurodov (Rustam Soirov), Nidoyor Zabirov (Umedzhon Kholikov) e Sharifbek Rahmatov; Islom Zairov (Sunatullo Ismoilov). Técnico: Zainidin Rahimov.
_____________

Nenhum comentário:

Postar um comentário