Procure no JP

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Red Bull Brasil na Série A3 em 2010

Olá,

No domingo pela manhã, foram realizados os quatro últimos e decisivos jogos válidos pela quarta fase do Campeonato Paulista da Segunda Divisão, os quais iriam definir os quatro novos integrantes da Série A3 em 2.010. Devido a importância da rodada, o JP teria que se fazer presente em pelo menos uma partida e, por conta disso, viajei até a cidade de Campinas para conferir tudo o que rolou durante o confronto entre e Red Bull F.E.L. contra o Desportivo Brasil P.L., realizado no Estádio Moisés Lucarelli, valendo pelo Grupo 16 da competição.

Por conta de alguns desencontros de informações, saí de casa meio atrasado e viajei com a dúvida se chegaria a tempo para fazer as fotos oficiais. Mesmo chegando em cima da hora, felizmente, consegui fotografar os protagonistas do espetáculo, cujas fotos estão abaixo:


Red Bull F.E.L. - Campinas/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Desportivo Brasil P.L. - Porto Feliz/SP. Foto: Orlando Lacanna.


O árbitro Leonardo Ferreira Lima e os assistentes Vicente Romano Neto e Marco Antonio Gonzaga da Silva acompanhados pelos capitães das equipes. Foto: Orlando Lacanna.

Essa partida poderia definir o acesso de uma das equipes ou até mesmo das duas, dependendo do resultado do outro jogo do grupo (Taubaté x Palestra São Bernardo) que estava sendo realizado no Vale do Paraíba no mesmo horário. Diante disso, vários colaboradores dos dois times iriam assistir a partida, porém os ouvidos ficariam grudados nos celulares, acompanhando os acontecimentos de Taubaté que seriam transmitidos pelos informantes que lá estavam.

A partida foi iniciada a todo vapor, com as duas equipes demonstrando uma vontade incrível de chegar à área adversária e, numa dessas, logo aos 2 minutos, o meia Luciano Mandi escapou pela esquerda e cruzou na medida para o interior da área, encontrando o avante Alex Rafael, livre de marcação, para tocar para o fundo da meta e abrir o marcador a favor do Red Bull. Cinco minutos depois, o Red Bull quase ampliou a contagem, numa cabeçada à queima-roupa, desferida por Zé Maria que passou muito perto.


Cabeçada de Zé Maria que quase resultou no segundo gol do Red Bull. Foto: Orlando Lacanna.

A partida continuou num ritmo excelente, com as jogadas ofensivas ocorrendo de lado a lado, indicando que o placar poderia ser alterado a qualquer momento e, não deu outra, pois aos 16 minutos, o time de Porto Feliz chegou ao empate, num gol anotado por Edu Bayer ao desviar um cruzamento vindo da direita em cobrança de escanteio.


Acirrada disputa de bola junto à lateral. Foto: Orlando Lacanna.

Depois de conseguir o empate, o Desportivo Brasil diminuiu o ritmo, uma vez que a igualdade no placar lhe garantia o acesso e, com isso, permitiu ao Red Bull dominar as ações e sair mais ao ataque, visando reconquistar a vantagem no placar, o que acabou acontecendo na marca dos 39 minutos, quando o lateral Jefferson cobrou escanteio pela direita, colocando a bola na cabeça do zagueiro Henrique que estava posicionado no primeiro pau e, num leve desvio, permitiu ao avante Cezar completar, também de cabeça, para o fundo da meta do time visitante.


Segundo gol do Red Bull anotado por Cezar. Foto: Orlando Lacanna.

Esse gol provocou uma instabilidade, por alguns minutos, no time visitante e, por conta disso, quase sofreu o terceiro gol aos 41 minutos, numa jogada em que a zaga desviou para escanteio uma bola que tinha endereço certo, assustando o goleiro Vagner, pois quase acontece um gol contra. Logo depois desse lance, o primeiro tempo foi encerrado com o placar de 2 a 1 favorável ao Red Bull que lhe garantia o acesso naquele momento, juntamente com o Palestra São Bernardo que vencia o Taubaté fora de casa.


Bola desviada pela zaga que quase resulta em gol contra. Foto: Orlando Lacanna.

Durante o intervalo, permaneci sentado num banco atrás do gol do portão principal do estádio, juntamente com outros repórteres, avaliando e especulando quem conseguiria o acesso, considerando os resultados daquele momento e levando em conta que só restavam mais 45 minutos para tudo ser decidido. As opiniões eram das mais variadas e o jeito era esperar o término dos jogos para conhecer os promovidos. Vale ressaltar que o intervalo durou pelo menos cinco minutos a mais, pois o Desportivo Brasil demorou para retornar ao gramado. Quando do retorno, o Taubaté já havia empatado e isso garantia o acesso do Desportivo Brasil, mesmo com a derrota de 2 a 1.

A segunda etapa finalmente começou e o que se viu foi o Desportivo Brasil um pouco mais cauteloso e o Red Bull mais atrevido no campo de ataque, tanto que, a primeira oportunidade foi dos donos da casa, aos 13 minutos, nos pés de Cezar que invadiu a área e mandou um chute cruzado que foi defendido pelo goleiro Vagner. Aos 21 minutos, o Red Bull chegou outra vez com perigo, novamente através de Cezar que mandou outro tiro cruzado, mas para sua infelicidade, a bola se chocou contra o poste esquerdo.


Numa imagem aberta, boa defesa de Vagner em arremate de Cezar. Foto: Orlando Lacanna.

Enquanto a bola rolava, várias pessoas ligadas ao Desportivo Brasil continuavam acompanhando, via celular, o desenrolar da partida em Taubaté que, naquele momento, continuava empatada, mas esse resultado era perigoso para as pretensões do time de Porto Feliz, pois um outro gol do Palestra ou até mesmo do Taubaté, poderia colocar em risco o seu acesso. Os atletas ouviam as informações que vinham do lado de fora e saíram com tudo para cima da defesa do Red Bull, visando chegar ao empate, que esteve muito próximo de acontecer, aos 25 minutos, quando Paulinho mandou um foguete com a bola explodindo contra o travessão da meta defendida por Luiz Fernando.

A preocupação já havia tomado conta dos atletas do Desportivo Brasil que lutavam bravamente em busca do gol de empate, só não o conseguindo na marca dos 28 minutos, por pura infelicidade do artilheiro Erivelto que chutou por cima do travessão uma bola recebida próxima à pequena área, levando seus torcedores ao desespero, mas como o jogo em Taubaté continuava empatado, o acesso ainda estava ao seu alcance.


Uma das chances desperdiçadas pelo Desportivo Brasil. Foto: Orlando Lacanna.

Nos últimos dez minutos, a partida caiu de ritmo e, ao mesmo tempo, chegava a informação que o Taubaté havia marcado o seu segundo gol e, com isso, a situação do Desportivo Brasil ficou ainda mais perigosa, pois se sofresse mais um gol, a vaca ia para o brejo. Dessa forma, o time de Porto Feliz passou a se resguardar no seu campo de defesa, tocando bola e esperando o tempo passar. Os atletas só aguardavam o término da partida para comemorarem o acesso junto com o Red Bull, mas aí chegou a trágica informação de que o "Burro da Central" havia marcado o seu terceiro gol e, dessa maneira, acabava o sonho do Desportivo Brasil.

Partida encerrada com o placar indicando Red Bull Brasil 2 - 1 Desportivo Brasil que garantiu o time da casa na Série A3 no próximo ano e manteve o time de Porto Feliz na Segundona. Vale lembrar que além do Red Bull, Taubaté, Atlético Araçatuba e Lemense também conseguiram o tão sonhado acesso. Além disso, Red Bull e Atlético Araçatuba disputarão o título em jogos de ida (em Araçatuba) e volta (em Campinas) já marcados pela FPF para os dias 15 e 22 de novembro.

Aproveito a oportunidade para parabenizar os atletas, dirigentes, comissões técnicas e torcedores dos quatro times que ascenderam à Série A3 pela brilhante conquista, desejando também muito boa sorte no próximo ano, pois disputarão um campeonato de nível técnico mais elevado. Por fim, vale citar que tão logo a partida foi encerrada, teve início uma grande comemoração no interior do gramado envolvendo atletas, alguns torcedores e dirigentes pela conquista do acesso que no ano passado bateu na trave.


Início das comemorações no interior do gramado. Foto: Orlando Lacanna.


Atletas do Red Bull indo ao encontro da galera comemorar a conquista. Foto: Orlando Lacanna.

Fim de festa e imediato retorno a São Paulo para um merecido descanso. Foi isso.

Abraços,

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário