Procure no JP

segunda-feira, 7 de março de 2005

JP com dois jogos na capital paulista

Aê povo,

Mais um final de semana na vida do JP (tudo bem que um tanto quanto desfalcado). Mais uma vez estivemos presentes nas rodadas do nosso querido futebol. Sabadão estivemos no Parque Antártica, para acompanhar a partida entre Palmeiras B e Mauaense. Eu, o Jurandyr (o Décio Piccinini das arquibancadas), o Mílton e o David acompanhamos a partida logo abaixo do Placar do Parque, em virtude de insuportável sol. Vale registrar que ainda tivemos a presença do grande Seu Natal, acompanhado de seu neto, e grande incentivador do Clube, com suas indefectíveis caronas.

Fiz que nem o Estevan, e só consegui chegar (por alguns imprevistos em casa) quando o jogo já estava 3 a 0, e ainda por sorte vi o quarto gol, por sinal um golaço. O jogo foi extremamente fácil para a equipe da casa, que, jogando em ritmo de treino, nem fez força para ganhar de 4 a 0. E poderia ter sido muuuuito mais.


Lance do segundo tempo da partida. Foto: Fernando Martinez.


Jogador do Mauaense corre atrás da bola. Foto: Fernando Martinez. [150411]

Ontem só consegui acompanhar a sessão da tarde dos jogos. E fui sofrer (de novo) junto com o grande Mílton, indo assistir mais uma sessão de tortura no Canindé, no jogo Portuguesa e Marília.


Lance do primeiro tempo, ataque da Portuguesa. Foto: Fernando Martinez.

Acredito que esse seja o pior time da Portuguesa em muitos anos. Ele joga, joga, joga e nada acontece. Até que começou a partida pressionando a equipe do interior, mas nada de útil foi criado. Ainda ganhou um penal do finalzinho do 1º tempo, mas o grande craque (!) Neném fez o favor de perder o pênalti. Coisa que não deve acontecer num time na situação da Lusa. (Mas vale registrar, foi um roubo o que aconteceu, já que o bandeira acusou que o goleiro do MAC tinha se adiantado e o juiz entendeu a marcação de outra forma, ele entendeu impedimento (!).


O jogador Neném perde um pênalti para a Lusa no final do primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez.

No segundo a coisa foi pior ainda. Logo no começo a Lusa tomou um golaço de fora da área que gerou o desespero na equipe. O juiz, acredito que para compensar a asneira no penal do 1º tempo, começou a inventar algumas faltas sem-vergonhas para a Lusa, todas cobradas de forma bisonha. A Lusa só chegou ao empate de uma forma estranha: Num pênalti que não foi. Posso ser xingado até, mas como o juiz queria compensar, ele enxergou pênalti numa jogada que tinha sido falta do atacante luso no beque do Marília, mas o juiz não viu (!?!) assim.


Empate da Lusa (foto meia-boca, mas vale o registro). Foto: Fernando Martinez.

Quando a galera já estava indo embora (inclusive eu e o Mílton), numa grande, mas grande asneira da zaga lusitana e grande jogada do jogador do Marília, eles fizeram 2 a 1, e empurraram a Portuguesa mais um pouquinho para a Série A2. Quero muito que a Portuguesa fique na A1, mas sinceramente, com esse time, acho que o rebaixamento é quase certo.

Ah, só mais uma coisinha. Sábado assisti o jogo entre São Bento e Taubaté pela TV Cultura, e fiquei felicíssimo com o uniforme do Taubaté. Acho (se não estou ficando louco) que vi o Taubaté jogando com esse uniforme nos anos 40 e 50, mas não lembro. Mesmo assim, vale registrar que achei o uniforme genial. E para todos os 'colecionadores' de fotos de uniformes, vai aí uma força:


Esse uniforme lembra a grande equipe do General Motors, que pintava nos campeonatos de acesso nos anos 60, e que o glorioso Valentin, figura esquecida da Javari, assistiu várias vezes.

É isso, na semana tem mais, com rodada fantástica na Libertadores.

Abraços

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário