Procure no JP

sexta-feira, 4 de março de 2005

Copa do Brasil: Guarani 2-1 CRAC

Opa,

Como o Estevan já citou no post abaixo, ontem teve o segundo capítulo da série ESPECIAIS DO ANO, tudo em virtude da visita da gloriosa equipe do CRAC de Catalão/GO, ao nosso belo estado. O jogo valeu, e valeu mais ainda porque ganhei mais um trunfo, na minha pequena coleção de tais feitos. E como se ganha um trunfo? Com o desânimo coletivo (casos do Jandir e do David), ou falta de grana (o Mílton) ou com compromissos profissionais (Orlando e Emerson). É só misturar tudo isso, que sobra um membro do Clube para honrar as tradições do nosso estatuto e acompanha sozinho um time fantástico, que sempre quis assistir, desde os tempos mais primórdios.

Peguei o busão para Campinas às 6 e 15 da tarde, depois de uma correria (com o pé machucado) até o metrô e outra para pegar o ônibus no horário. Chegando em Campinas, dei a sorte de pegar o ônibus Jardim Proença, que passa do lado do Brinco de Ouro, logo quando cheguei ao ponto. Resultado: às 7 e 50 eu estava nas dependências do estádio do Guarani.

Só tinha ido lá uma vez (no famoso jogo entre Guarani e New England Revolution dos EUA. É, a história que saiu na Placar é minha, e ela ainda será contada lá no HISTÓRIAS DO FUTEBOL), e como o jogo que fui era de graça, eles não tinham aberto todos os lugares, então não pude conhecer o estádio todo. Ontem foi diferente, pude conhecer a parte coberta, abaixo das arquibancadas, e vi que o estádio é muito legal, muito legal mesmo, agradabilíssimo para se assistir uma partidinha de futebol. Principalmente na arquibancada superior: Nunca vi um jogo de lugar tão alto, a visão que você tem de lá é maravilhosa, faço questão de colocar uma foto que tirei de lá:


Times alinhados para o início do segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.

O jogo em si foi uma daquelas partidas que nos fazem entender o porquê da paixão pelo futebol. O jogo em Catalão tinha sido 0 a 0, e o Guarani precisava ganhar para classificar, e o CRAC poderia empatar com gols para a classificação. No primeiro tempo, o Guarani até vinha jogando bem, quando numa bobeada tomou o 1 a 0. Agora para classificar precisava virar o jogo.


Lance do primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez.


Mais um ataque para o Guarani no primeiro tempo da partida. Foto: Fernando Martinez.

O segundo tempo que foi maravilhoso, acredito que nunca tenha visto brutal diferença de posse de bola, só deu a equipe da casa (ainda que o CRAC tenha perdido um gol feito, ainda quando ganhava por 1 a 0), e mesmo o Guarani tendo atacantes limitadíssimos, o goleiro Dênis, do CRAC, ainda fez umas 4 ou 5 defesas milagrosas, e conseguia segurar o 1 a 0. (Em tempo, no Pelé.net está escrito: "Apesar do grande números de avante, o Bugre não teve força para sufocar como no início do primeiro tempo", acho que eles não viram o jogo, pois o segundo tempo foi SÓ sufoco por parte do Bugre. Ê imprensa que não vê jogo!!!).

O melhor ficou para o final, com o goleiro Jean tendo abandonado as metas, o Guarani ficou sem goleiro, com 11 jogadores no ataque, com isso conseguiu empatar aos 42 minutos, e depois de uma bola na trave do próprio Jean aos 45', o Bugre conseguiu o milagroso resultado de 2 a 1 aos 49' do segundo tempo.


Lance do segundo tempo. Mais um gol perdido pelo Guarani. Foto: Fernando Martinez.

O melhor é que TODO o banco de reservas veio na direção de onde eu estava, para xingar os torcedores que vaiaram o Bugre durante o jogo. Que palhaços, devem estar se limpando das babadas que ganharam dos torcedores mais estressados até agora.

É isso, foi legal, esse com certeza é um dos Top 10 do ano, como Especial e Melhores... valeu a pena. Com o caixa 2 vazio, os especiais dão um tempo até segunda ordem... hehe

Abraços

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário