Procure no JP

terça-feira, 15 de março de 2005

Fútbol Argentino, volume II: Lugano/Yupanqui/Huracán

Buenas!

Já fazia tempo que eu tava devendo a continuação da série sobre minha viagem à Argentina. Vou seguir aquela linha meio guia informativo, que a turma gostou bastante. No primeiro dia de peregrinação, o bairro escolhido foi a Villa Lugano, por ser um dos locais mais distantes do centro, aonde eu estava hospedado. Lá, eu fui rever o Lugano e conhecer o Yupanqui.

Peguei meus guias e saí à luta. Quando eu fui para esse bairro, há uns dez anos atrás, eu fui de trem, então decidi fazer o mesmo caminho, porém eu não lembrava mais qual trem tomar. Fui então perguntar a um policial. Bom, o cara simplesmente se desesperou quando eu disse que queria ir para a Villa Lugano. Uma mulher que estava perto, na hora entrou na conversa e também disse para eu desistir de ir para Lugano. Eles diziam que era muito perigoso e eu não deveria ir, não querendo sequer ensinar o caminho.

Com muita insistência, a guarda disse que me indicaria o caminho, contanto que eu desistisse de ir de trem e fosse de ônibus. Concordei com ele e peguei o número do busão.

Após aproximadamente uma hora de viagem, cheguei na Villa Lugano. Lugar tranqüilo, gente humilde, casas simples. Confesso que não vi nada que justificasse o desespero do guarda e da mulher. Logo comecei a sacar que o pessoal lá está meio assustado com a crescente criminalidade. O Orlando me contou que em uma de suas viagens à Argentina, um taxista fez ele desistir de ir a um jogo do Nueva Chicago, tamanho o terrorismo que o cara fez. Essa gente não conhece o Rio de Janeiro...

Vamos ao que interessa: primeiramente fui à sede do Lugano que fica exatamente ao lado da Estação de trem Villa Lugano. Não tirei foto da fachada porque não tinha nenhuma identificação do clube. Fui muito bem recebido e visitei toda a sede social, junto com um diretor e o técnico da equipe.


CA Lugano - Villa Lugano - Buenos Aires - Argentina. Fonte: www.limites.zip.net

O Club Atlético Lugano foi fundado em 18/11/1915 e disputa hoje a Primeira D do torneio metropolitano, correspondente a quinta divisão argentina. O departamento de futebol é mantido pelo Boca Juniors e todos os jogadores e comissão técnica pertecem as categorias de base do Boca. São utilizados principalmente os jogadores que já estouraram a idade de juniores.

Após conhecer a sede, fui visitar o estádio do Lugano, que fica um pouquinho mais distante, mas bem fácil chegar. É só pegar o trem e andar acho que três estações, até a Estação Tapiales. Da estação você já vê o estádio. Para chegar até a porta do estádio o caminho é fantástico, você tem que cruzar as linhas de trem passando entre alguns vagões abandonados. As ruas que cercam o estádio são todas de terra, num cenário altamente bucólico.


Fachada do Estádio Lugano. Foto: Emerson Ortunho.

Olha que genial os cavalos pastando e a arquibancada:


Arquibancada oposta do Estádio Lugano. Foto: Emerson Ortunho.

Agora veja a arquibancada principal do Estádio, nunca vi no Brasil um estádio tão tosqueira, mas como a gente gosta é disso mesmo, eu estava me deleitando.


Arquibancada principal do Estádio Lugano. Foto: Emerson Ortunho.

Fiz questão de fotograr essas cadeiras de madeira, que acho que são usadas pelos convidados especiais durante a partida (he he!).


"Cadeiras" do Estádio Lugano. Foto: Emerson Ortunho.

Dando seqüência a aventura, voltei de trem à Villa Lugano para visitar a sede do Club Social y Deportivo Yupanqui. Fundado em 12/10/1935, o clube não possui estádio próprio e manda seus jogos no estádio do Deportivo Riestra (vocês verão fotos desse estádio quando eu falar dessa equipe). No sítio da AFA aparece um endereço de estádio, mas é hoje um estacionamento. O Yupanqui luta na justiça para recuperar o terreno.


CS y D Yupanqui - Villa Lugano - Buenos Aires - Argentina. Fonte: www.limites.zip.net

O nome da equipe é de origem inca e a pronúncia correta é [Djupanqui]. O Yupanqui disputa a mesma divisão do Lugano, porém é um dos clubes mais conhecidos da Argentina. Tudo por causa de sua torcida organizada, que é formada por nada menos que cinco pessoas. Esses torcedores vão a todos os jogos do clube dentro de um Fitito, que é o apelido do FIAT 600, um carro que é antecessor do FIAT 147, porém menor e menos potente.

Esses torcedores e a equipe ficaram conhecidos nacionalmente porque eles protagonizaram uma bem humorada propaganda da Coca-Cola, que caiu no gosto do povo. Já faz um tempo que a propaganda saiu do ar, mas ninguém na Argentina esquece.

Segue uma foto da fachada da sede social, onde também fui muito bem recebido, conseguindo inclusive uma linda camisa:


Fachada do CS y D Yupanqui - Villa Lugano - Buenos Aires - Argentina. Foto: Emerson Ortunho.

Resolvi então voltar de trem para espantar de vez a uruca colocada pelo guarda e pela mulher. Não é nenhum metrô, e é até meio podrera, mas foi tudo tranqüilo. E ainda tive o prazer de relembrar da fantástica estação Buenos Aires e rever, na minha opinião, o mais bonito estádio da Argentina, o do Club Atlético Huracán. Olhem que genial essa estação, é feita em madeira:


Fachada da estação de trem Buenos Aires. Foto: Emerson Ortunho.

O Club Atlético Huracán, de Buenos Aires, foi fundado em 01/11/1908 e disputa hoje a Divisão B Nacional, correspondente a segunda divisão. Não confundir com o Huracán do partido de Tres Arroyos, que está hoje na primeira divisão. O Huracán é um time muito tradicional e segundo apurei por lá, sua torcida é maior que a do Velez, por exemplo. Não tive como checar essa informação, mas das seis pessoas que trabalhavam na recepção do hotel em que eu estava hospedado, duas torciam para o Huracán, duas para o Boca, uma para o River e uma para o San Lorenzo. E levando em conta também o tamanho do estádio, dá pra acreditar na informação.


CA Huracán - Parque Patricios - Buenos Aires - Argentina. Fonte: Site Oficial do Clube - www.clubahuracan.com.ar

O estádio do Huracán fica pertinho da estação e é simplismente magnífico:


Estádio Tomás Adolfo Ducó (Palácio), do Club Atlético Huracán. Foto: Emerson Ortunho.

Segue outra foto do estádio:


Fachada do Estádio Tomás Adolfo Ducó. Foto: Emerson Ortunho.

Bom gente, esse foi meu primeiro dia de passeio. Para alguns uma loucura sem fundamento, para outros um dia inesquecível. Eu confesso que retornei ao hotel muito feliz. Ver paisagens diferentes; gente diferente; cultura diferente; futebol diferente, foi genial.

Abraços e aguardem o volume III da série, com o segundo dia de visitas.

Emerson

Nenhum comentário:

Postar um comentário