Procure no JP

segunda-feira, 9 de setembro de 2019

Nacional perde outra na Copa Paulista, agora para o Mirassol

Texto e fotos: Fernando Martinez


Se dependesse de boa vontade eu não teria saído de casa no sábado em virtude do forte calor. que assola a capital bandeirante Só saí na base da teimosia para não quebrar a sequência de jogos consecutivos do Nacional atuando no Estádio Nicolau Alayon, agora em 51 pelejas. O desânimo é justificado, já que a campanha nacionalista na segunda fase da Copa Paulista promete ser incrível negativamente falando. Vindo de goleada sofrida contra o XV e atuando contra o Mirassol e suas duas vitórias, nada fazia crer que os paulistanos iriam surpreender.

Os times tinham se enfrentado treze vezes através dos tempos e o retrospecto mostrava quatro triunfos nacionalistas, seis do Mirassol e três empates. Eles não duelavam há doze anos. Também atuando na capital, em 14 de fevereiro de 2007 o onze interiorano fez 4x2, de virada, em duelo válido pela Série A2. Desde então, nunca mais se enfrentaram.Marcamos presença naquela peleja junto com a equipe da RedeTV. Saudosa época em que estávamos todos os domingos na TV aberta ao vivo e a cores para todo o Brasil.


Nacional Atlético Clube - São Paulo/SP


Mirassol Futebol Clube - Mirassol/SP


O trio de arbitragem formado pelo árbitro Humberto Jose Junior e pelos assistentes Fernando Afonso de Melo e Evandro de Melo Lima posam para a foto junto com os capitães

Contando com o retorno do bom e velho comunista Milton Haddad, sempre com suas ideias de luta armada, aos campos, a partida começou com o Nacional abrindo o placar de forma inesperada logo aos dois minutos. Negueba recebeu bom passe na direita, entrou na área e chutou firme. O tento animou os presentes, todos incrédulos por estarem vendo o escrete ferroviário em vantagem no marcador. Foram poucas as vezes que isso aconteceu nesse terrível ano do centenário.

O choque de realidade durou pouco, pois dois minutos depois quase acontece o empate em finalização de Gabriel Taliari que Guilherme salvou em cima da linha. A partir daí, só deu Mirassol. O alvi-celeste não conseguiu criar praticamente nada e viu os visitantes dominarem por completo as ações ofensivas. Juninho aos 16 e Taliari aos 28, aqui com ótima defesa de Felipe Lacerda, tiveram as melhores oportunidades.

A insistência deu resultado aos 32 minutos quando Cleiton serviu Claudinho. O atleta entrou na área e chutou forte no canto esquerdo, finalmente deixando tudo igual. O Leão da Alta Araraquarense chegou perto da virada ainda na etapa inicial, mas ela ficou para o segundo tempo. No intervalo desisti de ficar no sol e subi até as sociais fazer companhia ao amigo que estava ausente das canchas há dois meses por conta de um problema de saúde.


A comemoração dos atletas nacionalistas pelo gol de Matheus Lu aos dois do primeiro tempo


Disputa de bola pelo alto no meio de campo


Agora a comemoração pelo gol de empate do Mirassol


Zagueiro visitante fazendo o desarme em ataque local pela direita

Dali vimos somente uma equipe buscar o gol. O clube verde e amarelo foi amplamente superior, criando a primeira clara chance aos seis minutos em tiro de Mota que passou perto da trave. Aos nove saiu o segundo e merecido tento em cabeçada perfeita de Reniê escorando cruzamento da esquerda. Apesar de agora estarem em desvantagem, os nacionalistas não foram capazes de assustar o setor defensivo do Mirassol em nenhuma situação.

Aos 15 quase Mota fez o terceiro em tiro que parou no travessão. Jogando na boa, a agremiação do interior do estado não teve trabalho e segurou com tranquilidade as tímidas e insípidas investidas paulistanas. Não foi dessa vez que o Nacional emplacou uma boa atuação em casa na Copa Paulista. Esse futebol deixa quem gosta do clube bem preocupado pensando na A3 de 2020.


Atletas apostando corrida dentro da área paulistana no início do tempo final


Poses plásticas no gramado da Comendador Souza. Aqui, o jogo ainda estava em 1x1


Detalhe da virada do Mirassol em gol de cabeça do camisa 4 Reniê. Ele subiu sozinho e só teve o trabalho de colocar na rede


O Nacional não foi capaz de pelo menos não sair de campo derrotado mais uma vez nessa Copa Paulista

Ao final dos 90 minutos, o Nacional 1-2 Mirassol manteve os 100% de aproveitamento do Leão na segunda fase. O Naça é último com um ponto e vai precisar de um milagre divino para conquistar uma vaga entre os oito. Dá para cravar com antecedência que são carta fora do baralho. A agenda futebolística do JP retornou com tudo no domingo com um joguinho genial do Paulista Feminino sub-17. Tinha cheirinho de goleada no Parque São Jorge e, felizmente para quem estava na Fazendinha, ela se confirmou.

Até lá!

_________________________

Ficha Técnica: Nacional 1-2 Mirassol

Competição: Copa Paulista; Local: Estádio Nicolau Alayon (São Paulo); Árbitro: Humberto Jose Junior; Público: 204 pagantes; Renda: R$ 2.470,00; Cartões amarelos: Kevin, Leandro Caju, Denner (Nac); Cartão vermelho: Luciano Pintinho 48 do 2º; Gols: Matheus Lu 2 e Claudinho 32 do 1º, Reniê 9 do 2º.
Nacional: Felipe Lacerda; Veloso, Guilherme, Luiz Felipe e Denner; Kevin, Matheus Lu, Rogério Maranhão e Rodrigo Sabão (Emerson Mi); Laécio (Vinícius Faria) e Leandro Caju (Luciano Pintinho). Técnico: Felipe Alves.
Mirassol: João Paulo; Cleiton, Victor, Reniê e Reverson; Maicon, Gabriel Taliari (Victor Neves), Neto Moura (Talles) e Juninho (Guilherme); Bruno Mota e Claudinho. Técnico: Ricardo Catalá.
_____________

Nenhum comentário:

Postar um comentário