Procure no JP

quarta-feira, 8 de junho de 2016

JP na Argentina 10 (2/9): Triunfo dos Mil Rayitas no Islas Malvinas

Texto e fotos: Fernando Martinez


Depois de curtir a primeira noite em Buenos Aires com direito a um passeio genial pelo maravilhoso centro da capital, o domingo começou não tão cedo e logo o cronograma futebolístico pediu passagem. Pela 11ª rodada do Campeonato de Primera B Nacional, fui ao genial Estadio Islas Malvinas para o sensacional confronto entre All Boys e Los Andes. O primeiro com 103 e o segundo com 99 anos de vida. Ou seja, pouca tradição em campo.

Diferente do que fiz na minha primeira viagem à Buenos Aires em 2009, dessa vez fui a alguns cotejos de táxi. Isso pois são bem baratos e o custo benefício vale muito a pena. Também escolhi isso porquê, como a agenda estava cheia, deu mais tempo para fazer coisas típicas de turistas comuns. Saí do meu QG na Avenida 9 de Julio e percorri pouco mais de 12 quilômetros até o bonito bairro de Monte Castro, local aonde se situa a cancha blanquinera.

O estádio, inaugurado em 1963 num duelo contra o Deportivo Riestra, fica no meio de uma simpática vizinhança repleta de bonitas casas de classe média. Por ser totalmente residencial, não havia nenhuma movimentação além da rapaziada chegando para o cotejo. A capacidade atual dali é de 21.500 pessoas, obtida na última reforma em 2007. Em 2008 o local ganhou torres de iluminação, permitindo a realização de jogos noturnos. Não que seja uma arena super moderna com instalações de primeira linha, longe disso, mas ele segura bem as pontas.

Uma das coisas mais peculiares da cancha é que quem fica no nível do gramado não consegue ver a arquibancada superior do lado oposto. O teto é tão baixo que fecha completamente o campo de visão. Vale também dizer que a proximidade do gramado é genial. Como fiquei ali no primeiro tempo, vi o ataque da casa muito de perto. Fazia sol e a temperatura era deliciosa, cerca de 18 graus. Um verdadeiro presente dos deuses do futebol.


Fachada do Estadio Islas Malvinas com todos os escudos da história do All Boys


Placa dando boas vindas aos torcedores


Visão do estádio vazio. Uma bela cancha, sem sombra de dúvida

Quem acompanha o futebol argentino sabe que a AFA, diferente do que temos aqui, só divulga a tabela desmembrada da rodada dois dias antes da realização da mesma. Se isso é ruim para quem mora lá imagina pra quem é de fora e quer se programar de alguma forma. Dessa vez dei sorte, pois calhou de ver times que sempre estiveram na lista de metas a serem alcançadas. O All Boys, fundado em 15 de março de 1913 como All Boys Athletic Club, era um deles.

O alvinegro nunca ficou de fora do certame nacional, e já passeou pelos cinco níveis do certame portenho. A grande parte das participações foi na segunda divisão, competição que venceu em 1972. Eles também conquistaram a terceirona em 1946, 1950, 1992-93 e 2007-08. Foi legal colocar essa agremiação na Lista, porém é fato que assistir uma apresentação do genial Club Atlético Los Andes, fundado em 1917 e dono de um dos mais belos uniformes do futebol portenho, foi ainda mais sensacional.

Conheci o CALA ainda moleque numa Placar dos anos 70 e desde então sempre me interessei pelos rumos do clube. A equipe de Lomas de Zamora é apelidada de "Mil Rayitas" por conta da sensacional camisa cheia de listras verticais vermelhas e brancas. São tantas que de longe parece que a vestimenta é cor de rosa. Já tinha ouvido falar sobre e ao vivo a impressão é exatamente essa. Fiquei um bom tempo acreditando que a camisa era rosa mesmo.

Campeões da Primera C em 1938 e 1957 e da Primera B em 1960, nunca mais levantaram um caneco de um torneio oficial. Por seis vezes disputaram a primeirona e foram recém-promovidos à Primera B Nacional depois de vencerem a Zona B do Campeonato de Primera B 2014. O onze visitante chegou a esse duelo ocupando a ótima sexta posição entre os 22 participantes, enquanto o All Boys era o 15º. O favoritismo, apesar de atuar longe de casa, era do El Grande del Sur.


Atletas se cumprimentando antes do apito inicial


De longe até parece que a camisa do Los Andes é rosa. Cortesia das inúmeras listras em branco e vermelho, o que deixa a camisa mais genial 


Goleiro do All Boys se esticando todo para fazer belíssima defesa no primeiro tempo


Escanteio a favor do time da casa

Esse favoritismo entrou em campo e desde o início os visitantes tomaram a inciativa. Aos oito minutos, em boa jogada do volante Marcelo Scatolaro, a bola foi tocada para Emanuel Moreno. O camisa 10 definiu de voleio e o goleiro Gastón Losa fez boa defesa. O mesmo Moreno quase abriu o placar aos 25 em outro belo chute e mais uma boa defesa de Losa. O onze mandante não conseguia fazer nada e aos 34 o CALA finalmente abriu o marcador com Rodrigo Salinas acertando um chutaço de canhota que entrou no ângulo.

O All Boys se viu na obrigação de sair mais pro jogo depois de sofrer o tento. Os locais criaram dois momentos, um deles com Vazquez cara-a-cara e outro com uma cabeçada firme de Germán Lessman que bateu na trave de Maximiliano Gagliardo. O tempo inicial chegou ao fim com a vantagem visitante e eu fui fazer aquela boquinha esperta com deliciosas hamburguesas vendidas na pequena (e concorrida) lanchonete. Mesmo com os preços não sendo tão baratos quanto em 2009, deu para matar a fome de forma satisfatória.


Cobrança de falta no ataque alvirrubro


Ataque do All Boys pela esquerda sob o atento olhar dos defensores do Los Andes


Camisa 11 do "Mil Rayitas" com a marcação adversária

No tempo final fui até a parte alta da arquibancada e a visão dali é mais ampla do que a do anel de baixo. O All Boys voltou com mudanças no time e isso fez com que a equipe melhorasse. Aos quatro minutos uma alteração já deu resultado quando Facundo Nassif derrubou Mauro Milano dentro da área e cometeu pênalti. Germán Lessman, artilheiro do certame e apelidado de "Rooney da Floresta", bateu bem e deixou tudo igual.

Com o empate, os blanquineros se animaram em busca da virada. Facundo Nasif, que tinha tomado o amarelo no lance do pênalti, recebeu o segundo e foi expulso de campo aos 21 minutos. O Los Andes se retraiu e viu os donos da casa partirem com tudo na tentativa de virar o marcador. Apesar da insistência, o domínio não se traduziu em gols.

Aos 35, o CALA se aproveitou de um grande vacilo da zaga mandante. Francisco Martinez, mais um primo perdido pelas Américas, avançou e foi derrubado fora da área. O árbitro, totalmente fora do lance, marcou pênalti. Eu estava na linha da falta e posso dizer que ela foi MUITO fora. A reclamação local não adiantou e Walter García bateu bem a penalidade, fazendo o segundo dos visitantes. O tento foi um duro golpe nas pretensões blanquineras, e quando o jogo terminou não teve choro nem vela, revoltando a hinchada.


Visão geral da arquibancada principal do Islas Malvinas com os hinchas locais


Camisa 2 se preparando para tentar o gol mesmo de longe


Detalhe do gol do All Boys, marcado em cobrança de pênalti


Num lance polêmico, o Los Andes passou de novo à frente do marcador em novo pênalti


Placar final da peleja e derrota do onze local

O resultado de All Boys 1-2 Los Andes colocou o "Mil Rayitas" na terceira posição com 19 pontos, seis atrás do líder Talleres, da Primera B Nacional após onze rodadas realizadas. A equipe da Floresta caiu para a 16ª posição com 12 pontos, se complicando ainda mais. Da minha parte, ficou a alegria de ter incluído dois times absolutamente geniais na Lista. Ainda teria mais na noite do domingo com a divisão principal, mas acabei desistindo por conta da logística.

A pedida era ir a pé até o Estadio Autocrédito Diego Armando Maradona, casa do Argentinos Juniors para o confronto do "Semillero del Mundo" contra o Newell's Old Boys. Pena que a partida começaria às 17h45, e eu teria apenas quinze minutos para percorrer os quase três quilômetros. Chegar um pouco atrasado tudo bem, só que nesse caso perderia boa parte do cotejo, ainda mais tendo que comprar ingresso. Deixei a oportunidade de matar o Newell's para o futuro.

Voltei para o centro da cidade com aquele ânimo sempre sensacional quando estou em Buenos Aires. Fui pela primeira vez numa churrascaria maravilhosa na Avenida Corrientes para comer um dos melhores bifes que já tive o prazer de degustar nos meus quase 40 anos de vida. Na segunda-feira o futebol voltou ao esquema com uma peleja pela Primera B Metropolitana e mais dois clubes na Lista.

Até lá!

© 2019

Nenhum comentário:

Postar um comentário