Procure no JP

quinta-feira, 17 de junho de 2021

Mirassol derrota o Oeste entra no G4 do Grupo B da Série C

Texto e fotos: Fernando Martinez


Na tarde de quarta-feira pintou um jogo perdido bom e velho de guerra na Arena Barueri, na minha primeira cobertura fora da capital desde 27 de fevereiro. Retornei ao Campeonato Brasileiro da Série C após quase quatro anos com um encontro que não era possível até o ano passado: Oeste x Mirassol. Um rebaixado da Série B contra o atual campeão da Série D.

Durante um bom tempo o torneio mais legal do país era a terceirona nacional. Acompanhei com afinco de 1996 até 2008, colocando na Lista um total de 37 times. Em 2009, o certame foi reorganizado com a criação da Série D. A partir de então ficou complicado acompanhar in loco, principalmente pelo ocaso dos clubes da Grande São Paulo. Os únicos da região que disputaram foram Santo André em 2011/2012, Grêmio Barueri em 2013, São Caetano em 2014 e a Portuguesa em 2015/2016. Não à toa minha última vez na Série C tinha sido em julho de 2017, vitória do Ypiranga de Erechim contra o São Bento em Sorocaba.



Dei uma vacilada e nem tirei a foto do Oeste posado, mas aqui estão as imagens oficiais do Mirassol e dos capitães com o quarteto de arbitragem

O rubro-negro vizinho da capital disputa pela segunda vez a competição, a primeira como uma agremiação barueriense. Quando jogou em 2012 (e sagrou-se campeão), ainda tinha como sede a cidade de Itápolis. Após oito temporadas na B, foram rebaixados com a lanterna em 2020. Já o Leão da Alta Araraquarense chega com o status de ser o atual detentor do título da quarta divisão e o melhor time do interior no Paulistão por dois anos seguidos. É a terceira vez que participam da terceirona e nas outras duas, 1995 e 2008, não foram bem.

Vindo de uma ótima campanha na A2, que não foi premiada com o acesso em uma fatídica disputa de pênaltis, o Oeste começou a Série C sendo derrotado pelo Figueirense e empatando com o Novorizontino, ambos fora de casa. O escrete verde e amarelo foi derrotado pelo Ypiranga com o mando de campo e venceu o Botafogo em Ribeirão Preto. Numa chave em que metade das equipes é de São Paulo, qualquer vacilo pode custar caro.

Sob uma temperatura maravilhosa que oscilou entre 16 e 18 graus a peleja na Arena não foi boa. No minuto inicial o Mirassol assustou Rodolfo em ataque de Giovani e depois disso só deu Oeste, atuando com a bizarra camisa azul com detalhes amarelos e vermelhos, em homenagem às cores de Barueri. O problema foi que pintou uma pressão meio bleh, sem muita efetividade e com nenhuma chance real de gol. Léo Artur chegou a anotar o seu aos 23, porém estava impedido. Nada além.






Lances do primeiro tempo de Oeste x Mirassol. Jogo bem movimentado, mas com poucas chances de gol

Na etapa final mudei de lado junto com os avantes locais e a ação ficou do lado oposto. O Mirassol retornou ao gramado bem mais inspirado e teve dez minutos de blitz total. Macena, que entrou no intervalo, foi o principal nome desse período. Com poucos segundos ele finalizou bem e a bola passou raspando. Aos oito ele marcou e o tento foi anulado. Aos 10 não teve jeito. Ele completou cruzamento de Giovani da esquerda, bateu no canto e fez. Rodolfo tocou e não conseguiu impedir o gol visitante.

O rubro-negro buscou o empate no mesmo esquema do primeiro tempo, uma pressão meio sem graça e com pouca objetividade. Matheus Aurélio, arqueiro do Mirassol, fez apenas uma boa defesa em conclusão de fora da área que ele espalmou pela linha de fundo. Aos 23 chegaram a empatar, só que de novo o árbitro anulou por posição irregular. O Leão foi quem criou outros momentos, nada primoroso, o suficiente para se garantirem com a vantagem.



Giovani (9) cruzando da esquerda no gol de Macena e a bola dentro das redes de Rodolfo




O Oeste buscou o empate no restante da etapa final só que errou demais e teve apenas um grande momento

Quando os 90 minutos regulamentares terminaram, o rubro-negro contabilizou novo tropeço, agora no seu estádio: Oeste 0-1 Mirassol. Foi a terceira apresentação do clube de Barueri sem vencer e sem anotarem um golzinho sequer. Apesar disso, Paraná e Ituano conseguem estar abaixo na tábua de classificação pois tem saldo pior. De qualquer forma, o sinal amarelo já está aceso. O Leão agora está na terceira posição com seis pontos ganhos, atrás apenas de Novorizontino e Criciúma. Não duvidem de um novo acesso!

Como a agenda futebolística está incerta, não sei qual será a próxima cobertura. Se tudo der certo, no fim de semana teremos alguns jogos na pauta livre. Resta saber se a CBF vai me autorizar.

Até a próxima!

_____________

Ficha Técnica: Oeste 0x1 Mirassol

Local: Arena Barueri (Barueri); Árbitro: Ilbert Estevam da Silva/SP; Público e renda: Portões fechados; Cartões amarelos: Tite, Douglas, Kauã Jesus, Léo Artur; Gol: Macena 10 do 2º.
Oeste: Rodolfo; Luís Ricardo, Júnior Alves, Douglas e Salomão; Alison (Jeffinho), Tite (Léo Ceará), Marcinho (Bruno Miguel) e Kauã Jesus (Davi); De Paula (Kaio) e Léo Artur. Técnico: Roberto Cavalo.
Mirassol: Matheus Aurélio; Jeferson, Renan Diniz, Renan Dutra e Foguinho; Daniel, Mateus Anderson (Macena), Bruno Xavier (Lucas Silva), Neto Moura e Rafael Silva (Octávio); Giovani (Samuel Santos). Técnico: Eduardo Baptista.
._________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário