Procure no JP

segunda-feira, 14 de junho de 2021

Corinthians ataca durante 90 minutos, mas é derrotado pelo Furacão no sub-17

Texto e fotos: Fernando Martinez


Pelo menos até o final do mês de julho a agenda futebolística vai ser bem mirrada. No sábado acompanhei meu segundo e último jogo da semana no Estádio Alfredo Schurig, mesmo palco da cobertura de quinta-feira no nacional de aspirantes. Corinthians e Athletico/PR se enfrentaram pela sexta rodada da fase inicial do Campeonato Brasileiro sub-17. Um duelo complicado do mosqueteiro, então sexto colocado do Grupo B, contra o líder.

O alvinegro vinha de vitória, porém a campanha não tem sido uma coisa assim tão brilhante. Na real a atual geração juvenil corintiana não é nenhuma maravilha e pelo menos dentro de campo os resultados parecem que não serão tão bons. Apesar das dificuldades, ainda há a chance de classificação para as quartas de final do nacional. Já o time paranaense, atual vice-campeão, tem plenas condições de ir longe.


Visão geral do Parque São Jorge antes do jogo do último sábado



O elenco corintiano posado para a foto oficial e os capitães com o quarteto de arbitragem

Falei aqui na matéria da partida do sub-23 contra o Santos que o credenciamento de imprensa no Parque São Jorge está sendo feito no portão mais longe para quem está a pé. Entendi o recado, andei cerca de dez minutos e notei que não tinha ninguém credenciando por ali. Resultado: fui obrigado a dar a volta no estádio, de novo, e me credenciar no lugar de sempre. Viva a (des)organização. O padrão é: se tem como dificultar ao invés de facilitar, vamos fazer.

Estava um sol belíssimo e o céu azul foi a tônica da tarde. Tudo debaixo de um frio enorme, o clima perfeito de fim do outono. Nessa temperatura super agradável, o Corinthians atacou durante 90 minutos, além dos acréscimos. Os atletas da casa ocuparam o setor defensivo visitante e criaram um sem-número de oportunidades. O único problema, e infelizmente o mais importante, foi o nível das finalizações. Os atletas simplesmente não conseguiram marcar.

Felipe Augusto criou o primeiro bom momento paulista aos sete minutos quando acertou a trave em precisa cabeçada. Na sequência Pedrinho foi derrubado na área e o árbitro não deu pênalti. Aos 16, Mycael fez grande defesa em tiro de Felipe Augusto. O atleta corintiano foi o maior nome da etapa inicial e foi responsável por outras duas investidas, ambas defendidas pelo arqueiro visitante.

O escrete mosqueteiro continuou atacando. Aos 29 Wesley acertou a trave em cruzamento de Pedrinho e no rebote um zagueiro salvou em cima da linha belo arremate de Felipe Augusto. O Athletico foi atacar pela primeira vez aos 40 pelo lado esquerdo. Marcos Vinícius recebeu de Lucca Prior e foi derrubado dentro da área. Emersonn - assim mesmo com dois "enes" - bateu no canto esquerdo e inaugurou a contagem.





Durante o primeiro tempo, praticamente só o Corinthians atacou. O Athletico chegou perto da área local poucas vezes



Quando o Furacão chegou, saiu na frente. Marcos Vinícius foi derrubado dentro da área e Emersonn cobrou o pênalti com precisão

Na segunda etapa os alvinegros permaneceram atacando direto e os atleticanos se defenderam com precisão. O número de lances reais diminuiu. Difícil até se lembrar de uma investida realmente perigosa dos avantes locais. O Furacão ficou na boa vendo o relógio correr. Nos minutos finais rolou aquele abafa velho de guerra sem nenhuma defesa relevante de Mycael. Como desgraça pouca é bobagem, nos acréscimos o Athletico fechou a fatura em bela jogada individual de Felipe Chiqueti e chute fatal no canto.





Os paulistas diminuíram o ritmo no tempo final e criaram poucas chances de perigo


A animada comemoração atleticana pelo segundo gol no apagar das luzes na Fazendinha

O resultado de Corinthians 0-2 Athletico/PR não foi o que os paulistas esperavam. Nem tem como falar que foi injusto pois o que vale é bola na rede. Criar um monte de chances e não as aproveitar não adianta muita coisa. O Furacão criou duas e fez. O rubro-negro manteve a liderança, agora somando 15 pontos. O Timão caiu para o sétimo lugar com oito. Faltando três rodadas, o alvinegro precisa melhorar bastante caso queira estar entre os oito da próxima fase.

Voltei ao QG tremendo de frio e esperando uma noite tranquila. Não foi muito por conta de cachorro do vizinho hipster chorando a noite toda e uma festa de grandes proporções na rua do lado. Com a pandemia ainda pegando fogo, tem gente que não entende o que estamos vivendo. O futebol deve voltar no meio da semana com um torneio que não acompanhamos com frequência faz tempo.

Até lá!

_____________

Ficha Técnica: Corinthians 0x2 Athletico/PR

Local: Estádio Alfredo Schürig (São Paulo); Árbitro: João Vitor Gobi/SP; Público e renda: Portões fechados; Cartões amarelos: Caio Moraes, Léo Maná, Juan Torres; Cartão vermelho: Gregory Plachta (TG-A) 49 do 2º; Gols: Emersonn (pênalti) 41 do 2º, Felipe Chiqueti 48 do 2º.
Corinthians: Kauê Vinícius; Léo Maná, Vinícius Cressi, Thomas Argentino e Vítor Meer (Adryan); Thomas Rafael (Pedro Afonso), Caio Moraes (Murilo Puliero), Guilherme Biro e Pedrinho (Alysson Paulistinha); Felipe Augusto (Kayke) e Wesley (Léo Agostinho). Técnico: Gustavo Almeida.
Athletico/PR: Mycael; João Vítor, Dourado, Carlos Eduardo e Arthur Zanella (Kevyson); Murilo, Marcos Vinicius (Felipe Chiqueti) e Lucca Prior (Juan Torres); Diego Caito, Athyrson (Islan) e Emersonn. Técnico: Fernando Seabra.
._________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário