Procure no JP

domingo, 16 de maio de 2021

O eliminado Juventus vence o rebaixado São Bernardo na Javari

Texto e fotos: Fernando Martinez


Sempre gostei de assistir futebol nos sábados à tarde. Após nove semanas de ausência, matei a saudade dessa tão genial sessão futebolística no Estádio Conde Rodolfo Crespi com a última rodada da fase inicial do Campeonato Paulista da Série A2. Na pauta livre do JP, o encontro entre o eliminado Juventus e o rebaixado São Bernardo, uma espécie de amistoso de luxo em meio a tantas decisões.

A expectativa em torno das duas equipes era enorme. Pelo lado grená, a contratação do técnico Sérgio Soares foi o principal motivo para acreditarmos que o Moleque Travesso garantiria pelo menos uma vaga entre os oito melhores, repetindo o feito de 2020. Antes da paralisação na quarta rodada eles estavam na sexta colocação e invictos. Quando tudo voltou, a obrigação da FPF em marcar rodadas noturnas os tirou da Rua Javari. Além disso, a maratona de sete jogos em apenas 14 dias quebrou fisicamente o grupo.

O comandante juventino foi demitido após o revés contra o Velo Clube na 11ª rodada quando ocupavam a 9ª posição. Nos três compromissos seguintes, duas derrotas, um empate e a precoce eliminação com uma rodada de antecedência. Claro que a performance frustrou, porém levando em conta a insana maratona e o fato de estarem longe de casa são motivos suficientes para darmos uma colher de chá. Não tem como treinar, corrigir erros ou testar novos esquemas num calendário bisonho como o que foi montado.

Já do lado do Bernô... ah, a coisa foi bem diferente. Escorado no vice da A3 de 2020, a diretoria achou por bem renovar o contrato com a maioria dos atletas e trouxe nomes de pouco impacto. Só que a A3 é uma coisa e a A2 é outra completamente diferente. O retorno depois de 32 anos de ausência foi decepcionante do começo ao fim. Nas quatro primeiras rodadas, nenhum ponto conquistado e nenhum gol marcado. No retorno, um triunfo contra o Monte Azul e um empate fora de casa contra o Taubaté, velho rival dos anos 80, pareciam ser o prenúncio de uma recuperação.

Pena que a redenção ficou no sonho dos fiéis torcedores e na nona rodada o técnico Renato Peixe foi demitido. O semifinalista da Copa Paulista de 2019 e um dos principais responsáveis pelo acesso ano passado foi mal em 2021. Ele não tirou do time atletas visivelmente sem condições técnicas e afundou junto com eles. A diretoria trouxe o técnico Oliveira, de péssima passagem em 2019, na busca pelo milagre. Claro que não funcionou e o rebaixamento foi sacramentado com o vergonhoso 5x0 sofrido no ABC contra a Portuguesa no meio da semana. Nas 14 jornadas, a melhor posição foi o 13º lugar nas rodadas 4 e 5. Não tinha como dar certo.

Hoje o alvinegro pode ser resumido no esquema "muito cacique para pouco índio". O que mais tem ali é aspone dando pitaco sem conhecer nada do assunto. Nesse cenário, faltou um planejamento melhor, contratações melhores, organização dentro de campo, espírito de luta e cabeça no lugar (vale lembrar que os empates contra o Burro da Central e o lanterna Sertãozinho foram sofridos nos acréscimos). Agora resta saber se todo o pessoal que surgiu na boa fase entre 2017 e 2020 vai permanecer nesse período ruim. Espero apenas que o principal nome da diretoria, o grande personagem desde que o Bernô voltou ao profissionalismo em 2010, fique no clube. Sem ele o medo é que retornem aos anos 90, época de tenebrosa lembrança.



Dessa vez temos o Juventus e a foto dos capitães com o quarteto de arbitragem. Nada do fotógrafo do Bernô chamar o time. Típico

Falando um pouco da despedida, esse foi o primeiro confronto entre eles válido pelo Paulistão. Não à toa, já que nunca tinham disputado a mesma divisão. Mas não foi algo inédito em torneios oficiais. Na gloriosa Copa 50 Anos da FPF/20 Anos da TV Globo de 1985, uma das precursoras da atual Copa Paulista, eles caíram na mesma chave na segunda fase, num grupo que contava também com São José e o saudoso Guapira. Foram dois empates por 1x1 e o escrete paulistano se garantiu no quadrangular final. Em tempo, o São Bento de Sorocaba foi o campeão.

Por se tratar de um amistoso, eu esperava uma partida animada e sem muita preocupação com a defesa. Acabou que foram 90 minutos bastante animados, com bons momentos e muita correria sob uma tarde bem agradável na capital paulista. O primeiro lance agudo foi local aos nove minutos. Allan Thiago tocou errado, nos pés de Alfredo. O camisa 9 entrou na área sozinho e chutou em cima do arqueiro visitante.

O Bernô respondeu com duas boas investidas. Aos 16 Victor Sapo recebeu passe na esquerda, finalizou e Vítor Omena fez grande defesa. Aos 22, o camisa 9 lançou Felipe Souza na direita. Ele passou pelo defensor, mandou cruzado e a bola saiu por cima. Os locais voltaram a assustar aos 28 quando Dudu cruzou da esquerda e Raphinha chegou um pouco atrasado, chutando pela linha de fundo.


Jogadores apostando corrida no gramado da Rua Javari


Alfredo perdendo gol cara-a-cara após falha do goleiro Allan Thiago



Dois lances do bom primeiro tempo de Juventus x São Bernardo

Eu juro que estava preocupado com a chance de uma peleja sem gols, mas na etapa final as agremiações voltaram ao gramado com ainda mais disposição. Aos sete minutos Negueba, ex-Nacional, avançou pela direita e rolou para trás. Nathan, da entrada da área, jogou por cima. Na sequência Negueba novamente cruzou da direita. Dudu cabeceou, Vítor Omena espalmou e Alfredo completou livre de marcação, deixando os paulistanos em vantagem. O São Bernardo respondeu em chegada pela esquerda com tiro de Victor Sapo, boa defesa do goleiro grená e a zaga afastando o rebote.

A partida continuou em um ritmo legal. Decorridos 26 minutos, Athirson recebeu passe do lado direito e chutou tirando tinta da trave. Aos 28, a melhor oportunidade do Bernô quando Chuck, o eterno atleta alvinegro, avançou pela direita e obrigou Vítor Omena a mostrar serviço de forma brilhante, mandando pela linha de fundo.

A insistência visitante foi premiada aos 36. A pelota foi roubada na intermediária e Murilo lançou Luiz Fernando na esquerda. O atacante invadiu a área e, mesmo sofrendo a marcação do zagueiro, finalizou cruzado, no alto, e deixou tudo igual. Acontece que o Juventus nem deixou o alvinegro comemorar. Aos 38 Athyrson foi até a linha de fundo e cruzou baixo. Rubens chegou tropeçando, tocou meio sem querer e fez o segundo tento grená.



No segundo tempo, as duas equipes criaram bons momentos na busca pelo gol


Luiz Fernando armando o chute que deixou tudo igual no marcador aos 36 minutos



Rubens, meio sem querer, fez o segundo gol juventino mesmo tropeçando e depois saiu para comemorar com seus companheiros


O Bernô buscou o novo empate e aqui, em poses plásticas, quase conseguiu

O Bernô foi em busca de uma nova igualdade e não teve sucesso. No contra-ataque, o Moleque Travesso chegou perto de ampliar o triunfo. Quando a peleja terminou, o Juventus 2-1 São Bernardo deixou os grenás na 10ª posição com 17 pontos ganhos, quatro atrás do G8. Uma campanha fraca, sem sombra de dúvida. Do lado do onze do ABC o 15º lugar com míseros nove pontos e aproveitamento de 20%. Espero que eles possam arrumar a casa se possível já na Copa Paulista.

A Série A2 continua na semana com as quartas sendo realizadas na terça e sexta-feira. Os confrontos são: Oeste x XV de Piracicaba, Água Santa x Portuguesa, Rio Claro x Red Bull e Atibaia x São Bernardo FC. Os times de Barueri e Diadema foram absurdamente superiores aos demais e vai ser difícil tirar o acesso deles. Detalhe: o Netuno ainda está invicto. Desde que a Lei do Acesso nasceu, no fim dos anos 1940, somente o Paulista de Jundiaí foi campeão sem perder nenhum jogo, isso em 1968.

Da minha parte, a semana promete mais coberturas do que qualquer outro período de 2021. Vamos ver se vai rolar aquele ânimo maroto de sair de casa. Tem coisa bem legal que vai pintar no cronograma.

Até a próxima!

_____________

Ficha Técnica: Juventus 2x1 São Bernardo

Local: Estádio Conde Rodolfo Crespi (São Paulo); Árbitro: Ilbert Estevam da Silva; Público e renda: Portões fechados; Cartões amarelos: Raphinha, Pablo, Gabriel Bonet, Felipe Souza, Vieira, Victor Sapo; Gols: Alfredo 10, Luiz Fernando 36 e Rubens 38 do 2º.
Juventus: Vítor Omena; Cristian Renato, Pablo, João Paulo (Nicholas) e Rubens; Negueba, Lucas Ybom, Raphinha (Athyrson) e Gabriel Bonet (Nathan); Alfredo e Dudu (Gabriel Masson). Técnico: Fahel Júnior.
São Bernardo: Allan Thiago; Yuri (Tatá), Raphael, Diego e Iago (Vieira); Luís Phelipe, Djalma (Murilo), Felipe Souza e Dener (Chuck); Felipe Sussai (Luiz Fernando) e Victor Sapo. Técnico: Oliveira.
._________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário