Procure no JP

quarta-feira, 18 de abril de 2012

JP no Distrito Federal: A entrada triunfal do Sobradinho na Lista

Fala, pessoal!

Depois de duas semanas um tanto quanto paradas em São Paulo, sábado passado retomei meu atual projeto e viajei pela primeira vez para Brasília, a capital do nosso Brasil varonil. Cheguei no Distrito Federal no final da tarde de sábado e logo estava com os amigos que tem me acompanhado nas últimas viagens para curtir o sábado à noite com aquele bate-papo que sempre faz um bem danado.

Já no domingo resolvi desbravar o desconhecido para fazer minha estreia futebolística na região Centro-Oeste num jogo válido pelo Campeonato Brasiliense da primeira divisão. Com as coordenadas da jornada fornecidas pelo Raul (do ótimo blog Campo de Terra), fui para a cidade-satélite de Taguatinga, pois ali rolaria uma peleja entre o Brasiliense e o genial Sobradinho, meu 539º time novo na Lista no meu 1973º jogo em todos os tempos. O palco foi a casa do Jacaré, o Estádio Elmo Serejo Farias, também conhecido como Serejão.


Entrada sem identificação alguma do Estádio Serejão, também conhecido como Boca do Jacaré. Foto: Fernando Martinez.

O meu QG por essas bandas é no fim do mundo (pra variar), então o caminho até a Boca do Jacaré teve que ser iniciado com uma "breve" viagem de táxi (esperei mais de uma hora o veículo chegar no hotel) até a Rodoviária do Plano Piloto. Dali segui com o confortável metrô de Brasília até a Estação -, que fica a cinco minutos a pé do estádio. Como estava na pegada de ver o jogo da arquibancada mesmo, comprei o ingresso entrei nas dependências da casa do Brasiliense sem problemas.

Mas sou obrigado a confessar que o que me fez mesmo sair do hotel e ir longe foi a chance de acompanhar um jogo do Sobradinho Esporte Clube, bi-campeão brasiliense em 1985/86. Essas duas conquistas coincidiram com o período que comecei a acompanhar melhor o futebol de fora de São Paulo graças à saudosa revista Placar. Aliás, esse primeiro título credenciou o Leão a jogar o Campeonato Brasileiro de 1986, o último com fórmulas surreais e que contou com a participação de times "perdidos". O alvinegro inclusive chegou à segunda fase e, entre outros jogos importantes, arrancou um empate em 0x0 contra o Corinthians jogando no Pacaembu.

Já devidamente instalado nas cadeiras do Serejão, acompanhei a entrada em campo das duas agremiações. O Sobradinho entrou todo de branco e logo foi cumprimentar a sua torcida, que compareceu em bom número. Em seguida foi a vez do Brasiliense subir ao gramado também todo de branco. Bom, com os dois times vestindo a mesma cor, foi definido que o Sobradinho teria que mudar o uniforme. A equipe voltou aos vestiários e logo voltou com calções e meias pretas e camisa listrada. Muito mais legal ver a equipe assim.


Os dois times vestidos de branco saudando seus torcedores. Óbvio que não teríamos jogo dessa forma. Fotos: Fernando Martinez.


O Sobradinho indo saudar (novamente) sua torcida, agora já vestindo o seu uniforme 2. Foto: Fernando Martinez.

O Campeonato Brasiliense está no seu segundo turno. No primeiro, o Luziânia foi o vencedor e consequentemente garantiu vaga na final do certame. Os outros times agora buscam a conquista dessa fase atual para ainda terem chance de se tornarem campeões metropolitanos em 2012. Nesse segundo turno (também chamado de Taça Mané Garrincha), o Brasiliense somava três pontos em duas pelejas, enquanto o Sobradinho conseguiu duas vitórias. Os dois estão no Grupo A.


Boa saída para o ataque do Brasiliense no começo do jogo. Foto: Fernando Martinez.

Apesar da relativa melhora da situação do Jacaré em relação ao primeiro turno, poucos torcedores pagaram ingresso para apoiar o Brasiliense. Esse pessoal viu a peleja começar com muito estudo e com as ações concentradas no meio-campo. Só que na primeira chance de gol o primeiro zero saiu do placar. E quem marcou foi o Jacaré através de Luiz Carlos. Ele completou bom passe após grande jogada pela direita do ataque.


Ataque do Sobradinho pelo alto. Foto: Fernando Martinez.


Chute de longe do camisa 10 do onze visitante. Foto: Fernando Martinez.

Mas quem pensava que isso animaria os atletas do time de Luiz Estevão se enganou redondamente. Logo o Sobradinho passou a incomodar bastante em bolas alçadas na área, deixando a torcida impaciente. Fiquei ao lado de um pessoal que torcia para o extinto Taguatinga (tetra-campeão do DF nos anos 90) e todos, sem exceção, reclamaram muito das limitações do atual time do Brasiliense.


Bola alçada dentro da área do Leão. Foto: Fernando Martinez.

O time da casa não acertava o pé e o time visitante pecava no último toque. Resultado: o jogo foi para o intervalo apenas com a vantagem mínima para o onze amarelo. E esse intervalo foi de fundamental importância para que eu fizesse o que sempre faço em lugares que visito pela primeira vez. Uma criteriosa análise geral da qualidade e da diversidade das guloseimas vendidas para o público.

Posso dizer que o Serejão já faz parte do Top 10 de melhores locais (ou piores, depende do ponto de vista) para se alimentar num jogo de futebol. Além de água, refrigerante e suco para matar a sede, a fome pode ser saciada com mini-pizza, pipoca, batata frita, cocada, bombons de chocolate e salgadinhos de bacon. Degustei metade dos itens e eles ganharam fácil o Selo JP de qualidade. Só não acho que uma nutricionista iria gostar tanto do cardápio como eu, mas tá valendo.


Camisa 7 do Sobradinho começando mais um bom ataque no avassalador começo de segundo tempo do time. Foto: Fernando Martinez.


Duelo ataque contra defesa no campo de ataque do alvinegro. Foto: Fernando Martinez.

Com um copo de Coca-Cola numa das mãos e um saquinho de batata frita na outra, voltei às cadeiras para acompanhar o segundo tempo. Diferente da etapa inicial, o Sobradinho voltou dos vestiários a milhão, empatando a peleja logo no primeiro minuto com um gol de Edicarlos, que se aproveitou da indecisão do goleiro local após um cruzamento da direita, e dominando por completo o jogo até os 20 minutos.


O Brasiliense até tentou passar de novo na frente do placar, mas insistiu muito em bolas aéreas sem sucesso. Foto: Fernando Martinez.

O Brasiliense não se encontrava no gramado, e escapou de sofrer a virada em mais de uma oportunidade. Somente depois da metade do tempo final que os donos da casa foram colocaram a cabeça no lugar e passaram a equilibrar as ações. Após o trigésimo minuto, o Sobradinho resolveu recuar e viu o Jacaré tomar contra do jogo.


Último ataque do onze local, comandado pelo atacante Acosta. Foto: Fernando Martinez.

Só que foi uma pressão não tão efetiva assim, já que os jogadores locais insistiam em bolas cruzadas sem direção dentro da área. Quando resolviam ir pelo meio, a zaga do alvi-negro mostrava serviço. O tempo foi passando e a rigor, não tivemos mais nenhuma grande emoção. Final de jogo: Brasiliense 1-1 Sobradinho. Esse empate deixou os dois times líderes das suas chaves no segundo turno após três rodadas realizadas.


Placar final da peleja no Serejão. Foto: Fernando Martinez.

Após o jogo voltei exatamente pelo mesmo caminho ao meu QG na capital federal. E para completar meu dia de alimentação saudável, ainda mandei brasa em dois deliciosos pastéis na Rodoviária do Plano Piloto. Fazia tempo que não comia um pastel tão bom. Dali segui de táxi para o meu QG me preparar para a semana, bastante corrida, mas muito divertida.

Até a próxima!

Fernando

Um comentário:

  1. Muito legal. Pena que eu estava longe e não pude te acompanhar nessa cobertura. Mas que bom que as minhas dicas ajudaram. Grande abraço.

    ResponderExcluir