Procure no JP

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Nacional vence a segunda partida pelo Grupo X da Copinha

Opa,

Graças ao dilúvio que caiu em São Paulo e adjacências na tarde de sábado, e a uma rodada dupla de futebol americano na TV, acompanhei somente dois jogos na segunda rodada da primeira fase da Copa São Paulo de Juniores, isso no domingo. Mas foram jogos especiais num tradicional palco do futebol paulista. Mesmo com portões fechados, estive no Estádio Nicolau Alayon para o segundo dia de disputas do Grupo X. E o primeiro jogo da minha jornada foi entre o Nacional e o pernambucano Vitória das Tabocas. Vale lembrar que essa equipe era antigamente conhecida somente como Vitória.

Entrei sem problemas para fazer as matérias dos dois jogos, praticamente de forma exclusiva. As arquibancadas estavam às moscas, somente com a presença de alguns membros das comissões técnicas, e só. Mas independente disso, as fotos foram obtidas sem problema algum.


Nacional AC (sub-18) - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


AAD Vitória das Tabocas (sub-18) - Vitória de Santo Antão/PE. Foto: Fernando Martinez.


Quarteto de arbitragem da partida. Foto: Fernando Martinez.

Vitorioso na rodada inicial, o Nacional buscava mais uma triunfo para ficar com grandes chances de se classificar para a próxima fase, algo que não acontece desde 2005. Aliás, nos últimos 14 anos, o time da Barra Funda só foi além da primeira fase uma vez. Uma situação bastante ruim para um time que já foi duas vezes campeão da Copinha.

Para os pernambucanos, que sofreram uma doída derrota apenas no último minuto na estreia contra a Portuguesa, a ordem era sacudir a poeira e tentar os três pontos. Estreante na competição, o Vitória é o oitavo time pernambucano a disputar a Copinha. E na minha lista eu já tenho jogos dos outros sete times, graças a isso "completei a coleção" nessa partida.


O Nacional chegou sempre pela esquerda do ataque durante o primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez.

Mas os atletas não corresponderam tanto na primeira etapa. A partida foi muito embolada no meio de campo, sem que as duas equipes criassem chances claras de gol. Como sempre, o calor atrapalhou bastante, inclusive o que vos escreve, e a maior emoção foi saber como conseguiria copinhos d'água gelados para saciar a interminável sede.


Boa oportunidade para os donos da casa. Foto: Fernando Martinez.

O tempo inicial terminou com o placar em branco. Aproveitei então o intervalo para conversar com o supervisor do clube, o sempre simpático Carlinhos, sobre os planos do Naça para 2011. Com uma parceria de uma empresa de marketing, o time busca planos de sucesso nesse ano. O diretor da empresa, Roberto, discorreu sobre as ideias para todas as dependências do time ferroviário, e posso dizer que os planos são fantásticos. Eles incluem até uma eventual instalação de iluminação no estádio. Torço desde já para que dê certo.


Disputa de bola no meio de campo. Foto: Fernando Martinez.

Interrompi o bom papo para acompanhar o segundo tempo das tribunas da Comendador Souza, já que não sou de ferro. E o Vitória das Tabocas simplesmente morreu fisicamente durante o tempo final, e o Nacional se aproveitou disso.

Bom, na verdade não se aproveitou muito, já que seus atacantes conseguiram perder muitos, mas muitos ataques com oportunidades agudas de gol. O pessoal da comissão técnica do Naça chegou às vias do desespero com as chances perdidas. Pior que o tempo era implacável, e o jogo corria rápido para o seu final sem o gol dos donos da casa.


Ótima saída do goleiro pernambucano ao final do tempo inicial. Foto: Fernando Martinez.

Pior que eu já me preocupava com a chance do segundo 0x0 em três jogos, algo inédito na minha sequência de mais de 1800 jogos ao vivo. Mas aos 42 minutos o jogdor Rodrigo salvou o dia para o time paulistano e conseguiu acertar um chute que milimetricamente foi parar no canto esquerdo do goleiro pernambucano.


Bola que percorreu toda a pequena área sem nenhum atacante do Nacional para a finalização. Foto: Fernando Martinez.

Final de jogo: Nacional 1-0 Vitória das Tabocas. O resultado deixou o Nacional com seis pontos conquistados e cinco gols de saldo. A posição na chave para a rodada final seria definida após o jogo de fundo. O time do Nordeste brasileiro foi eliminado logo na primeira fase, mas fez duas boas partidas, aonde foi somente derrotado nos minutos finais em virtude da grande diferença física. Mas o dia ainda não tinha terminado na Comendador Souza...

Abraços!

Fernando

Um comentário: