Procure no JP

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Madureira vira em cima do América/AM em jogo insólito pela Série D

Opa,

Depois de muitos meses longe das viagens futebolísticas por uma série de fatores, consegui voltar à ativa e fiz um verdadeiro "Especial do Mês" na cidade de Guaratinguetá. Afinal de contas, o JP não poderia ficar de fora do jogo mais perdido do ano no futebol brasileiro: América/AM x Madureira, pela partida de ida das Semi-finais do Campeonato Brasileiro da Série D no Estádio Dario Rodrigues Leite.

Não é sempre que vemos uma equipe amazonense mandar um jogo em solo paulista... aliás, acredito que essa tenha sido a primeira vez. De qualquer forma, a partida foi confirmada para a cidade interiorana no meio da semana passada, e graças a um "patrocínio" muito bem vindo, peguei um ônibus na Rodoviária do Tietê no domingo à tarde para meu primeiro jogo na cidade que fica no Vale do Paraíba.


A bela visão do Rio Paraíba do Sul e a entrada do Estádio Dario Rodrigues Leite em Guaratinguetá. Fotos: Fernando Martinez.

A viagem foi extremamente sossegada, sem percalços e ainda com a chance de passar em frente à Basílica de Nossa Senhora de Aparecida, no município que leva seu nome e que é colado em Guará. Cheguei na cidade faltando ainda duas horas para o jogo. Como tinha tempo de sobra, fui a pé até o estádio, curtindo aquele clima de interior, sempre com ar puro. No caminho ainda temos a chance de atravessar o Rio Paraíba do Sul.

Após meia hora de andanças, cheguei no Dario Rodrigues Leite e logo fui para o campo de jogo fazer o devido credenciamento. Já no gramado, encontrei o amigo Cláudio Burger, sempre atento com as suas coberturas de times do Rio de Janeiro. Muita conversa depois, fomos fazer as fotos oficiais da partida:


América FC - Manaus/AM. Foto: Fernando Martinez.


Madureira EC - Rio de Janeiro/RJ. Foto: Fernando Martinez.


O simpaticíssimo quarteto de arbitragem da partida, com o árbitro Raphael Claus, os assistentes Vicente Romano Neto e Alberto Poletto Masseira e o quarto árbitro Vinícius Furlan. Junto com eles, os capitães das equipes. Foto: Fernando Martinez.

Falando um pouco da Série D de 2010, além do América e do Madureira, Guarany de Sobral e Araguaína também conquistaram o acesso para a Série C em 2011. Tirando a equipe cearense, que já disputou a Série B em 2002, as demais não tem nenhuma tradição em campeonatos nacionais, o que deixa o acesso com um sabor ainda mais especial.


Um buraco no muro providencial que foi bastante disputado por torcedores locais e faixa da torcida fiel do Madureira presente em Guará. Fotos: Fernando Martinez.

Mas independente disso, alguém pode se perguntar: Por qual motivo uma equipe amazonense mandou seu jogo em São Paulo? A explicação oficial é que devido aos altos custos da viagem que teria que fazer até a Região Norte, a equipe carioca se prontificou a cobrir todo o custo de viagem e hospedagem dos amazonenses caso o primeiro jogo fosse numa cidade próxima ao Rio. O América topou na hora, e sem pestanejar solicitou a alteração. Nem preciso dizer que achei a notícia fantástica, já que tive a chance de incluir meu quarto time do Amazonas para a Lista.


Ataque do Madureira nos primeiros minutos de partida. Foto: Fernando Martinez.


Jogador do América se preparando para mandar a bola longe da sua área. Foto: Fernando Martinez.

Bom, mas era a hora do jogo começar e lá fui eu com os amigos do Rio de Janeiro para acompanhar o ataque do Madureira na primeira etapa. Mas a primeira emoção veio aos 5 minutos, pois o jogador americano Cleiton Amaral arriscou chute de muito longe e, após a bola quicar no morrinho artilheiro e enganar o arqueiro do MEC, fez o primeiro da partida, justamente para os "donos da casa".


Chute de longe do time do MEC que foi interceptado pelo zagueiro. Foto: Fernando Martinez.

Amparada por uma campanha ótima, que contou com uma aniquilação do Operário/PR na fase anterior, o Madureira se lançou ao ataque para buscar o empate. Após duas ótimas defesas do arqueiro Naílson, o Tricolor Suburbano empatou aos 24, com Serginho chutando forte no canto direito.


Detalhe fantástico da bola estufando as redes do América no gol de empate do Madureira na partida. O ótimo goleiro Naílson nada pode fazer. Foto: Fernando Martinez.


Comemoração do Tricolor Suburbano pela igualdade no marcador. Foto: Fernando Martinez.

Animado com o gol, o MEC pressionou mas não conseguiu a virada ao término do tempo inicial. Já o América se preocupou mais em se defender do que tentar o segundo. O intervalo chegou com o 1x1 estampado no marcador do Dario Rodrigues Leite.

Nesse intervalo acompanhei o pessoal do Rio de Janeiro tomando um baile da lanchonete local, que vendia refrigerante quente e um cachorro-quente que não fez sucesso entre os simpatizantes do onze fluminense. Uma pesquisa de satisfação ali seria cruel com os pobres vendedores locais.


Visão do alto no começo do segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.


Lance em que a torcida do onze fluminense pediu pênalti. Para mim, jogada normal. Foto: Fernando Martinez.

Acompanhei o começo do segundo tempo das cabines e logo depois voltei para o campo de jogo. Mas o tempo final não foi bom, pois os times caíram demais de produção. A melhor chance foi do time visitante, quando o camisa 11 Maciel recebeu livre dentro da área, driblou o goleiro, mas se atrapalhou com a bola e não conseguiu concluir.


Início de ataque com o camisa 11 Maciel. Foto: Fernando Martinez.

O jogo seguia em banho-maria, sem maiores emoções e com uma nuvem de chuva gigante se aproximando do estádio. Fiquei na torcida para que não chovesse, enquanto também torcia para que a partida melhorasse um pouquinho. A torcida deu certo, e a partir dos 30 minutos o Madureira passou a insistir mais em busca do segundo gol, e outra vez o goleiro Naílson, para mim o melhor em campo, foi obrigado a fazer mais um milagre.


Goleiro Naílson saindo firme para fazer a defesa. Foto: Fernando Martinez.

Mas aos 40 minutos nem o milagroso arqueiro conseguiu impedir a virada carioca. Num lançamento longo pela direita, o jogador Victor entrou livre na área e, quase sem ângulo, chutou forte para fazer o segundo gol do MEC. Muita festa com a boa torcida do time presente no estádio. Dali até o apito final, nada mais foi mudado.

Final de jogo: América/AM 1-2 Madureira. A vitória deixou o Tricolor Suburbano com uma mão e meia na vaga para a Final da Série D 2010, já que agora o time amazonense precisa vencer por dois gols de diferença o jogo no Rio para se classificar. Uma vitória por um gol, desde que a partir de 3x2, também classifica a equipe.


Dois personagens da partida: O presidente do Madureira ligado no jogo e o técnico do América Sérgio Duarte. Fotos: Fernando Martinez.

Mas os dois confrontos podem ser anulados, pois o Joinville entrou na justiça devido a uma possível escalação irregular de um jogador americano na próxima sexta-feira. Caso o América perca a vaga, o JEC sobe para a Série C e enfrenta o time do Rio.

Bom, após o final do jogo, uma rápida conversa com personagens da partida antes de ir para a rodoviária num moto-táxi, fantástico meio de condução do nosso interior. Cheguei na Rodoviária com um ônibus de saída para São Paulo e eu conseguindo o último lugar no coletivo. Duas horas e meia depois, já estava na capital paulista... cansado, mas com aquele velho sentimento de dever cumprido de volta!

Até a próxima!

Fernando

2 comentários: