Procure no JP

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Palmeiras derrota o Guaratinguetá em jogo do Paulista sub20

Opa,

Enquanto muitos amantes do futebol ligaram suas televisões no último sábado à tarde para a transmissão da final da Liga dos Campeões, eu, como sempre, resolvi curtir um jogo no estádio. Saí do Parque São Jorge com destino ao bairro da Mooca, mais precisamente ao Estádio Conde Rodolfo Crespi. A agradável tarde na Rua Javari marcou a estreia do Palmeiras no Campeonato Paulista sub20 da Primeira Divisão jogando "em casa". O adversário foi o Guaratinguetá.

A equipe paulistana fez a primeira peleja no certame jogando fora de casa contra o Red Bull e conquistou um empate por 1x1. O Guará jogou no Ninho da Garça contra o Taubaté e foi derrotado por 2x1. Ambas as equipes fazem parte do Grupo 4 do sub20, que também conta com as presenças de Flamengo, Guarani, Taubaté, Bragantino, Red Bull e São José.

Como o seu Natal desistiu da rodada vespertina, fui sozinho para o tradicional bairro paulistano. Antes de seguir em definitivo para a casa grená, claro que rolou um pit-stop para o almoço com ótimas esfihas. Sem pressa e num clima bastante sonolento, fui para o campo fazendo aquela digestão marota.


SE Palmeiras (sub20) - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


Guaratinguetá FL (sub20) - Guaratinguetá/SP. Foto: Fernando Martinez.


Trio de arbitragem e capitães dos times. Foto: Fernando Martinez.

O Palmeiras era favorito para a vitória, ainda mais levando em conta o histórico no campeonato. Campeão em 1992, 1998, 2002 e 2009, e vice em 1982 e 2010, o time foi eliminado na semi-final no ano passado e ocupa a terceira posição no Ranking JP do Futebol Paulista sub20. O Guará tem desempenhos muito mais modestos e atualmente ocupa a 26ª colocação no nosso Ranking. A melhor posição do clube nos últimos anos foi o 17º lugar em 2009.


O Guaratinguetá atacando pela direita. Foto: Fernando Martinez.

Mas na hora do jogo tudo isso ficou para trás e o duelo foi muito equilibrado. O Palmeiras teve menos posse de bola, mas criou as chances mais perigosas. Nessa hora apareceu o bom trabalho do goleiro Ariovaldo, responsável por três milagres durante a etapa inicial. A Garça jogou bem e ficou mais tempo com a bola nos pés, mas teve apenas uma oportunidade clara de gol, também com boa intervenção do camisa 1 adversário.


Marcação firme da zaga palmeirense. Foto: Fernando Martinez.


Atleta da Garça desfilando pelo gramado da Javari. Foto: Fernando Martinez.

No intervalo o placar "eletrônico" da Javari mostrava o sempre chato 0x0. Decidi subir para as tribunas e acompanhar dali o tempo final junto ao juventino Ricardo Pucci, que aos poucos está sendo infectado pelo vírus dos jogos perdidos. E para nossa tristeza, o segundo tempo foi muito menos inspirado do que o primeiro.


Lance pelo alto dentro da zaga local. Foto: Fernando Martinez.


Disputa de bola pelo alto. Foto: Fernando Martinez.

As equipes voltaram a campo sem muita inspiração e a peleja foi bastante arrastada. Aquele incômodo aroma do "ocho" já incomodava quando o camisa 2 alviverde Bruno Oliveira resolveu quebrar o galho da galera presente. Aos 30 minutos ele avançou pela bem postada zaga do Guaratinguetá, entrou na área pela direita e chutou cruzado para vencer o bom camisa 1 Ariovaldo.


Zagueiro do time visitante tirando a bola do seu campo de defesa. Foto: Fernando Martinez.


Jogo aéreo no gramado da Javari. Foto: Fernando Martinez.

O Guará até fez bons ataques na busca pelo empate, mas no final o Palmeiras ampliou sua vitória. O inspirado Bruno Oliveira acertou um chute incrível em cobrança de falta e selou o primeiro triunfo alviverde no certame.


Detalhe da bela cobrança de falta que originou o segundo gol palmeirense no campo juventino. Foto: Fernando Martinez.

O placar final de Palmeiras 2-0 Guaratinguetá deixou quatro equipes empatadas na liderança do Grupo 4 com quatro pontos ganhos. Além do time do Palestra Itália, Flamengo, Guarani e Taubaté somam a mesma pontuação. A Garça continua sem nenhum ponto conquistado e ocupada a lanterna junto com o São José.

Até a próxima!

Fernando

Na volta do Corinthians ao Parque São Jorge, Santos vence a primeira pelo Paulista sub20

Opa,

A agenda futebolística do JP se resumiu a uma rodada dupla no sábado válida pelo Campeonato Paulista sub-20 da Primeira Divisão. Longe de ser algo comum, o jogo de abertura da rodada foi bastante especial, pois marcou a volta triunfal do Corinthians ao Estádio Alfredo Schurig, o tradicionalíssimo Parque São Jorge. Na segunda rodada do certame, o alvinegro recebeu o atual campeão da categoria, o Santos FC.

De 1998 até 2006 assisti 45 jogos na Fazendinha, e confesso que não imaginei que o dia de assistir o 46º chegaria. Utilizado regularmente pelas equipes de base até 2004, o local ainda viu pelejas esporádicas nos dois anos seguintes até ser praticamente abandonado a partir de 2007. Tirando duas rodadas do sub11 e sub13 em 2011, o Parque São Jorge sumiu do cenário futebolístico. Nem para treino o campo serviu mais.

Para piorar, as notícias que chegavam eram as mais desanimadoras possíveis. Alguns diziam que o clube iria demolir o estádio, outros diziam que seria adaptado somente para jogos de futebol americano. De concreto, só a realização de uma horrenda prova de rali (!) há alguns anos, responsável pela destruição completa do gramado.

De dois anos pra cá o campo foi milagrosamente reformado e tudo ficou arrumadinho novamente. Faltava apenas alguém ter a ideia de marcar novamente jogos da base ali. Nesses anos todos, e descontando estádios em jogos esparsos, a base corintiana jogou no antigo (e extinto) CT de Itaquera (de 2005 até 2010) e no Antônio Soares de Oliveira (em 2011 e 2012).

Felizmente (pelo menos para nós) no começo de 2013 algum cidadão iluminado teve o lampejo de indicar o estádio para os jogos do time sub20. Isso depois de mais de sete anos, já que a última vez que o Corinthians jogou ali pela categoria foi em 28 de outubro de 2005, numa derrota para o XV de Jaú que custou a eliminação do time. Explicado tudo isso, não tinha como faltar nesse compromisso.

De onde moro é fácil ir para o Corinthians. Basta seguir até a avenida Tiradentes e dali pegar um ônibus que passa na porta do estádio. Mas nem precisei encarar o sistema de transporte coletivo da capital paulista, já que o seu Natal surgiu de última hora e então peguei uma carona com o amigo taxista. Sem demora logo estávamos nas dependências do clube.

O sol brilhava forte e por isso a parte social da sede do alvinegro estava cheia. Muitos dos presentes aproveitaram a deixa e foram para a Fazendinha ver o clássico mais antigo do estado. Calculo que o público presente foi de cerca de 500 pessoas, com certeza um bom número.


SC Corinthians P (sub20) - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


Santos FC (sub20) - Santos/SP. Foto: Fernando Martinez.


Trio de arbitragem e capitães dos times. Foto: Fernando Martinez.

Apesar do equilíbrio nos números da história do confronto em jogos do paulista desde 1980, ano em que a FPF reorganizou as categorias de base no estado, nos tempos atuais quem manda nas estatísticas é o time santista. Até hoje foram disputados 34 jogos entre os dois, com 11 vitórias do Santos, 11 empates e 10 do Corinthians (são desconhecidos resultados de duas pelejas, ambas de 1993). Mas o Timão, que venceu pela última vez em 2002, soma quatro derrotas seguidas contra seu rival praiano.

Disputa de bola no meio-campo. Foto: Fernando Martinez.

E mesmo com o time paulistano tendo aplicado um sonoro 5x0 contra o Juventus na estreia, considerava o Peixe (que folgou na rodada inicial) favorito "simplesmente" pelo fato do time ser o atual campeão estadual da categoria e também atual campeão da Copa São Paulo de Juniores. Os 90 minutos acabaram me dando completa razão.


Escanteio para o Corinthians. Foto: Fernando Martinez.


Zaga corintiana aliviando a barra. Foto: Fernando Martinez.

Quando o árbitro trilou seu apito e deu início ao jogo o Corinthians buscou impor o famoso "fator casa" e tentou fazer pressão na zaga santista. Só que não demorou muito para o time do litoral colocar a bola no chão e mostrar um futebol de maior qualidade. Aos 15 minutos o Santos foi premiado com o gol de Pedro Castro, um dos destaques do time na Copinha.


Chance do time local pelo alto. Foto: Fernando Martinez.

Na base do abafa o Mosqueteiro chegava mas não conseguia criar chances perigosas. Aos 32, na primeira boa jogada do time, aconteceu a igualdade. Paulinho apareceu livre no meio da área e completou uma bola cruzada da direita. Apesar de boas situações de gol dos dois lados nos minutos finais, no intervalo o placar era de 1x1.



Depois de boa jogada pela direita, Paulinho apareceu livre para encher o pé e empatar o jogo para o time do Parque São Jorge. Fotos: Fernando Martinez.

O time local começou o segundo tempo melhor e mandou no jogo durante os primeiros 15 minutos. A melhor oportunidade de virar o placar foi novamente do camisa 7 Paulinho. Ele entrou livre na área, mas na hora do chute o taco espirrou e a pelota saiu pela linha de fundo. A resposta do Santos foi rápida, e aos 16, Neílton, outro destaque da Copinha, fez um golaço e colocou o Peixe mais uma vez na frente.


Visão geral do belo Estádio Alfredo Schurig, histórica casa corintiana. Foto: Fernando Martinez.

Daí pra frente o que se viu foi um Corinthians desordenado em busca de nova igualdade e um Santos extremamente perigoso nos contra-ataques. A equipe visitante criou três chances claras de gol, perdidas por certo preciosismo dos seus atacantes.


O Corinthians tentou o empate, mas os atacantes não acertaram o pé. Foto: Fernando Martinez.


Ataque do Santos pela direita no fim da peleja. Foto: Fernando Martinez.

No final, o jogo terminou mesmo com o placar de Corinthians 1-2 Santos. Essa foi o quinto triunfo seguido do alvinegro da Vila Belmiro em cima do seu maior rival pelo estadual. Ao final da segunda rodada, o líder do Grupo 6 é o São Bernardo FC e o vice-líder o São Vicente, ambos com quatro pontos. O Corinthians está em terceiro e o Peixe em quarto, mas com um jogo a menos. A chave também conta com Audax e Santo André, além do já citado Juventus.

Feliz por ter visto novamente um jogo no Parque São Jorge, aproveitei a presença no clube e fui conferir como estão as instalações da sede social, lugar que frequentei muito na minha infância. Bom ver que mudanças foram feitas (a maioria para melhor) e que também o antigo bonde ainda está no mesmo lugar. Depois de curtir demais esse clima de nostalgia, peguei o rumo do metrô até a Estação Bresser-Mooca, pois a segunda peleja do dia estava marcada para a Rua Javari.

Até lá!

Fernando

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Mesmo jogando na Caneleira, Jabuca é derrotado pelo Água Santa

Buenas!

Mesmo com a Roubada Cultural rolando na capital no último final de semana, segui até Santos para assistir Jabaquara x Água Santa, no Estádio Espanha, jogo válido pela quarta rodada do Grupo 8 do Campeonato Paulista da Segunda Divisão. Além da atração natural que já é ver o Jabuca, o jogo proporcionava mais um time na minha Lista e isso é raro acontecer com equipes do estado de São Paulo. Acompanhem as fotos oficiais da partida:


Jabaquara AC - Santos/SP. Foto: Emerson Ortunho.


EC Água Santa - Diadema/SP. Foto: Emerson Ortunho.

O jogo começou com o Jabaquara melhor em campo, mostrando um futebol competitivo, o mesmo que o levou a vitória na última partida. Dominando o jogo, o Leão conseguia sempre estar no campo de ataque, mas na hora de finalizar sempre ficava faltando um toque mais refinado. O que de certa forma deixou a partida cômoda para o visitante.


Detalhe do primeiro confronto entre Jabaquara e Água Santa em todos os tempos. Foto: Emerson Ortunho.

Quando o Jabuca finalmente conseguiu levar um perigo eminente numa boa cobrança de falta de Thiago, veio o revés. No ataque seguinte, aos 41 minutos, numa boa jogada da equipe visitante, saiu o gol da partida através de Rafael Oliveira.


Camisa 10 da equipe de Diadema encarando marcação local. Foto: Emerson Ortunho.


Disputa de bola pelo alto. Foto: Emerson Ortunho.

No segundo tempo o dever da equipe da casa era buscar o empate, mas com um futebol bem desanimado, a vida do visitante ficou bem fácil. A equipe de Diadema administrou bem o jogo e conseguiu mais uma vitória na competição.


No final, o Água Santa derrotou o Jabuca mesmo jogando na baixada. Foto: Emerson Ortunho.

Final de jogo: Jabaquara 0 x 1 Água Santa. A equipe do Jabaquara conseguiu melhorar um pouco desde sua estreia no campeonato, mas como não há indícios de novas contratações, vai ter que se esforçar muito para se classificar. O Água Santa tem um time arrumadinho, o melhor que vi desde o começo da segundona, deve passar fácil de fase. Vale ressaltar também o grande número de pessoas que vieram torcer pela equipe em Santos, quase mil pessoas estiveram na Caneleira.

Foi isso!

Abraços!

Emerson

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Com boa atuação, Nacional vence o Atibaia no Grupo 5 da Segundona

Fala, pessoal!

No sábado passado fui novamente cumprir o cívico dever de assistir um jogo do glorioso Nacional AC na sua peregrinação no Campeonato Paulista da Segunda Divisão. No segundo compromisso marcado para o Estádio Nicolau Alayon, o onze ferroviário recebeu o Atibaia buscando a primeira vitória em casa na disputa do Grupo 6.

As duas últimas partidas da equipe paulistanas não foram nada boas, como todos puderam conferir aqui no JP. Dois empates (0x0 contra o Primavera e 1x1 contra o Guarulhos no último lance) e a saída do técnico Toninho Moura deixaram o ambiente um tanto quanto em ebulição. No banco, o estreante Paulo Tognasini esperava nada além de uma vitória contra o líder.


Nacional AC - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


SC Atibaia - Atibaia/SP. Foto: Fernando Martinez.


Árbitro Alessandro Darcie e os assistentes Giulliano Neri Colisse e Leandro Matos Feitosa posando para as lentes do JP junto com os capitães dos times. Foto: Fernando Martinez.

E de forma bastante animadora para o time da Comendador Souza, o futebol apresentado durante os 90 minutos foi muito superior em relação aos dois jogos anteriores. Em nenhum momento o Naça sofreu pressão e o time encurralou os atibaienses.


Toque de bola no ataque nacionalino. Foto: Fernando Martinez.


Zaga atibaiense tentando ganhar o leitão da tarde. Foto: Fernando Martinez.

Logo aos 8 minutos o camisa 9 Victor Sapo abriu o marcador com um belo gol. O único "senão" da apresentação ferroviária foi que o toque final precisa ser melhorado urgentemente. Sem exagero nenhum, o primeiro tempo poderia ter terminado com o placar de 4x0 que não seria nenhum absurdo. Foram dois chutes na trave e mais outras claras chances desperdiçadas.


Marcação firme de atacante local. Foto: Fernando Martinez.


Escanteio para os donos da casa. Foto: Fernando Martinez.

No segundo tempo o panorama não mudou. O onze paulistano continuou infernizando a zaga do Atibaia e chegou muito perto de ampliar sua vantagem. Pena para a torcida local que o grito de gol ficou entalado na garganta durante mais de 80 minutos.


Bola alçada na área visitante. Foto: Fernando Martinez.


Goleiro Carlão saindo do gol para fazer a defesa. Foto: Fernando Martinez.

No final, mesmo com um pequeno sufoco atibaiense, o marcador ficou em Nacional 1-0 Atibaia. Além de ainda não ter perdido no certame, o Naça agora ocupa a segunda colocação da chave com oito pontos. O líder é o SEV, com a mesma pontuação, mas com um saldo de gols maior. O Falcão agora está na terceira posição com sete pontos.

O pós-jogo foi sensacional, pois uma verdadeira seleção de craques (que reuniu os amigos Sérgio, Ricardo, Cosme e Alexandre Giesbrecht) permaneceu durante muito tempo num bate-papo simplesmente sensacional nas dependências do estádio. Para fechar com chave de ouro, voltamos pelos trilhos da antiga São Paulo Railway até o centro da cidade.

Até a próxima!

Fernando

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Taboão da Serra vence a primeira na Segundona 2013

Opa, 

A quarta rodada da primeira fase do Campeonato Paulista da Segunda Divisão rolou nesse final de semana e o JP foi conferir três pelejas in loco. A rodada começou no Estádio Antônio Soares de Oliveira, em Guarulhos, mas não num jogo da equipe local, e sim do "sem teto" Taboão da Serra. O CATS recebeu o Cotia em duelo do Grupo 5. 

Esse foi o nono jogo seguido do time taboanense longe de sua verdadeira casa, o Estádio Vereador José Feres. A última vez que a equipe jogou por lá, e registrando também que foi uma partida com portões fechados, foi em 29 de janeiro do ano passado, quando perdeu por 2x1 para o Sertãozinho na estreia da Série A3. Com presença "normal" de público, o último jogo foi em 3 de abril de 2011, num 1x1 contra o Taubaté. 

Apesar dessa longa sequência atuando fora dos seus domínios, não podemos dizer que jogar longe da sua cidade faça diferença para a equipe tricolor. Contando as pugnas dos últimos três anos - o título da segundona de 2010 e as duas campanhas na Série A3 - o CATS levou apenas 1463 torcedores (!) nas 35 partidas realizadas com seu mando de campo. A média de 41 torcedores por peleja (!) com certeza é uma das mais baixas do estado. 

Seguindo com essa pequena "tradição", apenas 26 testemunhas pagaram ingresso para acompanhar o confronto contra o Cotia. O Cão Pastor vinha de dois jogos sem vitória e sem nenhum gol marcado. Era a hora da reabilitação. 


CA Taboão da Serra - Taboão da Serra/SP. Foto: Fernando Martinez. 


Cotia FC - Cotia/SP. Foto: Fernando Martinez. 


Trio da partida com o árbitro Luciano Monteiro dos Santos e os assistentes Vitor Carmona Metestaine e Ricardo Pavanelli Lanutto. Na imagem o capitão do Cotia, e o veterano goleiro Sérgio, capitão do CATS. Foto: Fernando Martinez. 

E na fria tarde guarulhense, vi, junto com os amigos Ricardo Espina e Sérgio Oliveira, um jogo bom e bastante disputado. O equilíbrio foi a tônica da peleja e as duas equipes criaram muitos lances de perigo. 


Ataque do CATS pelo alto. Foto: Fernando Martinez. 

Após uma série de oportunidades desperdiçadas, o Taboão da Serra abriu o marcador aos 40 minutos. Juliano completou de cabeça para o fundo das redes e deixou o time "local" em vantagem. Logo após do gol porém, o CATS teve um jogador de defesa expulso. 


Mais uma bola alçada na área, agora no setor ofensivo do Cotia. Foto: Fernando Martinez. 


Comemoração pelo gol de Juliano. Foto: Fernando Martinez. 

Essa foi a terceira expulsão de atleta taboanense em três jogos disputados, com certeza uma situação que atrapalha bastante o conjunto durante as pelejas e que precisa ser melhorada urgentemente. Para o tempo final, imaginávamos que o Cotia fosse se lançar pra cima do Cão Pastor em busca do empate. 


Escanteio para o Cotia no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez. 

E foi exatamente isso que aconteceu. O ataque do onze visitante mostrou bastante disposição, mas infelizmente para sua torcida pecou no último toque. Para deixar o jogo ainda melhor, o CATS tinha o contra-ataque à sua disposição. Em brechas monstro da defesa cotiana, o Taboão perdeu oportunidades que nem o David ou o seu Natal perderiam. 


Outro chuveirinho na área do time "local". Foto: Fernando Martinez. 

E mesmo após um segundo tempo muito bom, o placar final foi de Taboão da Serra 1-0 Cotia. A vitória fez o CATS subir para a terceira colocação do Grupo 5 com quatro pontos ganhos. O líder isolado e com 100% de aproveitamento é o Osasco FC. Na vice-liderança está o próprio Cotia, com a mesma pontuação e mesmo saldo de gols, mas com mais gols marcados. 

A cobertura seguinte do JP foi novamente no Nicolau Alayon, para outro joguinho do Nacional AC pela segundona. 

Até lá! 

Fernando

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Portuguesa Campeã Paulista da Série A2 2013

Opa, 

No último domingo estive presente na 57ª final da história do JP, a quinta válida pelo Campeonato Paulista da Série A2 (já que cobrimos as finais de 2005, 2008, 2009 e 2012). A Portuguesa recebeu o Rio Claro no Estádio Osvaldo Teixeira Duarte buscando seu segundo título na segunda participação no certame. 

Em 2007 perdi a chance de acompanhar a conquista lusitana no mesmo campeonato (o time ficou com o caneco naquele ano depois de golear o Rio Preto na decisão) por motivos de saúde... Logo, não poderia perder essa nova, e talvez última, oportunidade. Pouco mais de 5 mil pagantes também acordaram cedo para conferir a peleja. 

No primeiro jogo o rubro-verde venceu o Azulão por 2x1, e agora podia até perder por um gol de diferença que ficaria com a taça por ter feito melhor em todas as fases. Antes das equipes desfilarem pelo gramado do Canindé, captei as imagens oficiais. Vale registrar que só no JP todos os 20 times da A2 2013 tiveram espaço e foram mostrados com o respeito que merecem. 


A Portuguesa de D - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez. 


Rio Claro FC - Rio Claro/SP. Foto: Fernando Martinez. 


Trio de arbitragem para a grande final com o árbitro Vinícius Furlan e os assistentes Daniel Paulo Ziolli e Fausto Augusto Viana Moretti. Na imagem também os capitães das equipes. Foto: Fernando Martinez. 

E o primeiro tempo da decisão até que foi bem movimentado. O Rio Claro buscou fazer alguma pressão nos primeiros minutos, mas logo foi dominado pela Lusa. O time paulistano chegou pertinho de abrir o marcador por três vezes, a melhor delas numa perigosa cobrança de falta de Corrêa pela direita. 


Portuguesa iniciando ataque na intermediária do Rio Claro. Foto: Fernando Martinez. 


Ataque lusitano pela direita. Foto: Fernando Martinez. 

Graças ao futebol razoável, nem o 0x0 ao final dos primeiros 45 minutos desanimaram a maior parte da torcida local. O pessoal ainda imaginava que o time venceria seu adversário sem problemas. Para o segundo tempo, fui captar algumas imagens das cabines de imprensa. 


Mais uma boa chegada do time da casa pela lateral. Foto: Fernando Martinez. 


Falta para o Azulão. Foto: Fernando Martinez. 

Mas na volta para o tempo final o Rio Claro quis estragar o script da festa preparada para a Portuguesa e abriu o marcador aos 7 minutos. O camisa 11 Jocinei fez boa jogada e chutou forte para vencer o goleiro Glédson. Foi o que bastou para parte da torcida local perder a paciência. 


Marcação firme do Rio Claro. Foto: Fernando Martinez. 

As primeiras vaias começaram a ser ouvidas pelo Canindé mesmo com o onze rubro-verde criando chance atrás de chance em busca do empate. Aos 20 minutos o arqueiro Cléber fez milagre em chute de Moisés. No lance seguinte, Gilberto salvou o gol certo de Lima tirando a pelota em cima da linha. 


Chute de Moisés que obrigou o goleiro rio-clarense a fazer milagre. Foto: Fernando Martinez. 


Cabeçada de Lima que o camisa 7 Gilberto tirou em cima da linha. Foto: Fernando Martinez. 

O meia Souza também chegou muito perto de deixar tudo igual no placar por duas vezes, uma delas com a bola batendo no travessão. Só que pelo astral no estádio, o time poderia estar jogando até agora que o empate não aconteceria. Menos mal para a exigente torcida local que o Rio Claro não conseguiu acertar nenhum contra-ataque e o marcador ficou no limite para a conquista do time da capital. 


Zagueiro do Rio Claro subindo no terceiro andar. Foto: Fernando Martinez. 


Visão geral do Canindé com um público razoável para a final da A2 2013. Foto: Fernando Martinez. 

Final de jogo: Portuguesa 0-1 Rio Claro. Logo após o apito final do árbitro uma sonora vaia tomou conta do estádio, algo provavelmente inédito em todos os tempos. Não houve festa nas arquibancadas, nas numeradas, nas sociais... Somente na parte reservada à torcida visitante, já que o Azulão comemorou bastante o vice-campeonato. Fellini ficaria ruborizado com a surrealidade do momento. 


Grande comemoração do Rio Claro pela conquista do vice-campeonato. Foto: Fernando Martinez. 

Apesar do pouco interesse, a Portuguesa soma seu segundo título na história da A2 (algo que nenhum torcedor da equipe queria ter no currículo). A campanha, marcada negativamente pelo inesquecível 7x0 sofrido contra o Comercial, teve um total de 27 jogos com 18 vitórias, 4 empates e 5 derrotas. O time marcou 43 gols e sofreu 23. Agora o rubro-verde voltará a disputar a principal do estado em 2014 junto com Audax, Comercial e o próprio Rio Claro. 


Jogadores da Portuguesa levantando o caneco pelo "bi" na A2. Foto: Fernando Martinez. 


Atletas posando com a taça. Foto: Fernando Martinez. 


O capitão Valdomiro mostrando a bela taça. Foto: Fernando Martinez. 

Após o jogo rolou a tradicional festa para os vencedores. Agora, falando a real, fica uma menção nada honrosa ao "gênio" que montou o palco da festa ao lado da torcida visitante. Tudo bem que os lusitanos não estavam muito felizes com o título (chamada por muitos de "Taça da Vergonha"), mas até aí ver o campeão do torneio subir ao palco tomando cusparada e vaia do pessoal no alambrado é demais, não? 


O capitão lusitano mostrando a taça para a torcida. Foto: Fernando Martinez. 

Bom, essa foi mais uma final da A2 com cobertura JP e aproveito para parabenizarmos a Portuguesa por essa conquista. Murcha ou não, sem graça ou não, é mais uma taça para a Sala de Troféus do Canindé. 

Até a próxima! 

Fernando