Procure no JP

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Portuguesa Santista passa à terceira fase da Segundona

Olá,

No último domingo foi realizada a 6ª e última rodada da segunda fase do Campeonato Paulista da Segunda Divisão, com a realização de doze partidas que iriam definir os nove classificados restantes, uma vez que Capivariano, Fernandópolis e ECUS já haviam garantido suas vagas. Diante de tantos jogos importantes, o JP saiu a campo e se fez presente em quatro partidas em três cidades diferentes.

A mim coube a missão de descer a Serra do Mar, pela segunda vez na semana, e seguir até a cidade de Santos, indo ao lendário Estádio Ulrico Mursa, com o objetivo de ver de perto tudo que rolou na partida A.A. Portuguesa x Brasilis F.C.L. da cidade de Águas de Lindóia.

Nessa partida iriam medir forças, o 1º colocado do Grupo 12, a Port.Santista com 10 pontos, e o 3º colocado, o Brasilis com 7 pontos, sendo que as atenções também estariam voltadas para o outro jogo do grupo (Votuporanguense x Olé Brasil), pois além de definir os dois times que iriam seguir na competição, os resultados também iriam definir a ordem dos classificados para efeito da composição dos novos grupos da terceira fase.

Deixei São Paulo em companhia do amigo Milton Haddad e, após pouco mais de 50 minutos, já estávamos no reduto da Lusa das praias, sendo que após conseguir as duas escalações, me dirigi ao gramado para esperar a entrada dos atletas e dos árbitros, que posaram com exclusividade para as lentes do JP. As fotos estão abaixo:


A.A. Portuguesa - Santos/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Brasilis F.C. L. - Águas de Lindóia/SP. Foto: Orlando Lacanna.


O árbitro Flávio Rodrigues de Souza, os assistentes Celso Barbosa de Oliveira e Bruno Salgado Rizo e o quarto árbitro Marcio André Moreira junto aos goleiros-capitães das equipes. Foto: Orlando Lacanna.

Como o time visitante necessitava vencer, por no mínimo dois gols de diferença, para não depender do resultado do outro jogo do grupo, acreditava que o Brasilis iria sair com tudo na busca dos gols necessários, porém me enganei redondamente, pois o time ficou na dele, não agredindo a defesa lusa. Por outro lado, como a Portuguesa poderia perder por um gol de diferença e mesmo assim se classificar, também não saía para o ataque e, por conta disso, tivemos um jogo chato e monótono até por volta dos 25 minutos, não acontecendo rigorosamente nada que merecesse destaque.


Atletas dos dois times olhando pra cima e esperando a bola cair. Foto: Orlando Lacanna.


Tentativa da Lusa em sair para o ataque. Foto; Orlando Lacanna.

Para os leitores do JP terem uma ideia, somente aos 30 minutos, aconteceu o primeiro lance que poderia ter resultado em gol e foi do Brasilis, numa falha do zagueiro Edigar que acabou dando uma furada e permitindo que o camisa 9 Gian ficasse com a bola na cara do gol, mas para sorte do time santista, o avante chutou contra o poste direito, provocando um alívio geral no time e na torcida local.


Chance desperdiçada por Gian do Brasilis ao chutar contra o poste direito. Foto: Orlando Lacanna.

A resposta da Briosa foi dada aos 36 minutos, quando o camisa 10 Miranda chutou da entrada da área e o goleiro Adriano, com um leve toque, desviou a trajetória da bola, que foi se chocar contra o poste direito da meta visitante.


Goleiro Adriano no chão desviando a bola que iria se chocar contra o poste. Foto: Orlando Lacanna.

Os dois lances descritos acima foram os únicos que provocaram preocupações às duas defesas. Aos 40 minutos, num choque entre o goleiro Luciano da Portuguesa e o centroavante Gian, o avante do Brasilis levou a pior e teve que deixar o estádio à bordo da ambulância, por conta de um corte na altura da testa que sangrou muito. Mais alguns minutos de bola rolando e o primeiro tempo chegou ao seu final com o placar fechado, ficando a expectativa de que a partida pudesse melhorar na segunda etapa.

A bola voltou a rolar e, logo nos primeiros minutos, a Portuguesa deu mostras que havia voltado com outra disposição, tanto que, aos 2 e 4 minutos, o time luso chegou com perigo através do camisa 11 Filipe e do camisa 9 Leandro Kivel, animando os 270 pagantes. No primeiro ataque do Brasilis, os visitantes chegaram ao gol, aos 8 minutos, numa cobrança de falta executada pelo camisa 10 Alex, num arremate bem colocado, que para alguns, o goleiro Luciano poderia ter defendido.


Bola indo morrer no fundo da meta lusitana no gol de abertura do Brasilis. Foto: Orlando Lacanna.

Depois dos dois lances ofensivos no início do segundo tempo, a Briosa voltou a apresentar um futebol sem objetividade, causando uma grande preocupação aos seus torcedores, pois naquele momento o Votuporanguense estava vencendo o Olé Brasil e, um eventual segundo gol do Brasilis, tiraria o time praiano da competição. Esse perigo quase virou realidade, na marca dos 20 minutos, quando o camisa 7 do Brasilis, João Paulo invadiu pela esquerda e tocou cruzado, com a bola tirando tinta do poste esquerdo da meta lusitana, deixando os torcedores santistas com o coração na mão.


Numa imagem aberta, visão da chance perdida pelo Brasilis. Foto: Orlando Lacanna.

Após o susto, a Portuguesa mudou totalmente a postura em campo, partindo com frequência ao ataque e não dando espaço ao Brasilis de voltar a incomodar a sua defesa. Aos 23 minutos, o atacante Leandro Kivel chegou com perigo, porém o goleiro Adriano saiu nos pés do avante e acabou com a festa. Dois minutos depois, o mesmo Leandro Kivel, mandou a bola contra o travessão, numa cabeçada perigosa, após cruzamento da direita.


Bola indo se chocar contra o travessão após cabeçada de Leandro Kivel. Foto: Orlando Lacanna.

A partida entrava nos últimos 15 minutos e a Portuguesa não chegava ao empate que daria mais tranquilidade. Naquele momento, o Votuporanguense vencia por 2 x 0 (o jogo terminou 3 x 1) e um vacilo luso, poderia acabar com a chance de seguir na competição. Diante disso, a Lusa das praias forçou o ataque e, por três vezes, chegou muito próximo ao empate, com aconteceu aos 33, 37 e 38 minutos, em jogadas concluídas por Leandro Kivel, Filipe e Edigar, sendo que no terceiro lance, a bola se chocou mais uma vez contra o travessão.


Um dos vários ataques da Portuguesa no final da partida. Foto: Orlando Lacanna.

Os últimos minutos foram disputados sob tensão, com os torcedores locais na bronca com o time, mas para alívio geral, o camisa 15 Theo, nos acréscimos, anotou o gol de empate, ao escorar com perfeição um cruzamento vindo da direita, levando alívio ao torcedor luso.


Detalhe do gol de empate da Lusa marcado por Theo nos acréscimos. Foto: Orlando Lacanna.

Tão logo foi dada nova saída, o árbitro encerrou partida com o resultado Port.Santista 1 - 1 Brasilis, que classificou o time praiano à próxima fase, quando fará parte do Grupo 15 ao lado de Independente de Limeira, Olímpia e ECUS de Suzano. Pelo futebol apresentado, a Lusa terá que evoluir para brigar por uma vaga à quarta e decisiva fase, quando serão definidos o 4 times que ascenderão a Série A3 em 2.012. Aliás, a estreia da Lusa na terceira fase será no próximo domingo, pela manhã, contra o ECUS fora de casa. Quanto ao Brasilis, fiquei com a impressão que faltou um pouco mais de pegada na busca do segundo gol que lhe daria a classificação.

Fim de jogo, um breve passeio pelo centro de Santos e retorno à Capital em seguida, pois haveria um festival de clássicos pelo Brasileirão que seriam exibidos pela TV. Foi isso.

Abraços,

Orlando

Um comentário:

  1. Foi um dos piores jogos da Briosa na competição, acho que isso aconteceu por entrar em campo jogando pelo empate. O grupo 15 é difícil, mas espero que a mais Briosa consiga o acesso. Abraço e parabéns pelo espaço que dão as equipes menores.

    Gustavo

    ResponderExcluir