Procure no JP

terça-feira, 19 de julho de 2011

JP na rodada inaugural do Brasileiro da Série C

Olá,

Seguindo com o domingo futebolístico, após ter visto, na parte da manhã, a estreia do Audax São Paulo no estádio do Nacional AC, segui até a cidade de Santo André, indo mais precisamente até o Estádio Bruno José Daniel, local da partida E.C. Santo André x G.E. Brasil da cidade de Pelotas/RS, que valeu pelo Grupo D do Campeonato Brasileiro da Série C, na sua primeira rodada da primeira fase.

Esse Brasileirão está sendo disputado por 20 equipes, divididas em 4 grupos de 5 times cada, que jogarão partidas de ida e volta contra adversários do próprio grupo, classificando-se apenas as duas melhores de cada grupo, num total de 8, que seguirão na disputa, agora no sistema de mata-mata, até a definição das 4 que ascenderão a Série B em 2.012, além do Campeão da competição. Vale lembrar, que os últimos colocados de cada grupo, após conclusão da primeira fase, no total de 4, serão rebaixados à Série D do próximo ano.

Ao chegar ao meu destino, pude observar que as obras de reforma do estádio estão em andamento, sendo que a cobertura do setor de cadeiras já foi demolida, deixando um visual bem diferente para quem estava acostumado com as cadeiras e a marquise vistas ao longo dos anos.


Visão geral do setor que tinha cadeiras e era coberto. Foto: Orlando Lacanna.

Após fotografar a área em fase de reforma, fui em busca das escalações e acertar o esquema para fazer as tradicionais fotos oficias, as quais apresento abaixo. Vele destacar que a foto do Brasil de Pelotas foi feita na pista de atletismo, pois os seus jogadores fizeram questão que a torcida também saísse na foto.


E.C. Santo André - Santo André/SP. Foto: Orlando Lacanna.


G.E. Brasil - Pelotas/RS, Foto: Orlando Lacanna.


Quarteto de arbitragem comandado por André Luís Paes Ramos (RJ), seus assistentes Luiz F. Scafield Guerra Costa (RJ) e Alberto Poletto Masseira (SP), além do 4º árbitro Leandro Bizzio Marinho (SP) ao lado dos dois capitães. Foto: Orlando Lacanna.

A partida foi iniciada e logo nos primeiros movimentos, o time de Pelotas deu mostras que não iria ficar só se defendendo, visando tentar a conquista de um ponto fora de casa. Pelo contrário, foi ao ataque e, aos 3 minutos, abriu a contagem através de um gol contra do camisa 4 Sandoval, após boa arrancada e cruzamento da esquerda em jogada do camisa 6 Jackson.


Momento exato do toque de Sandoval marcando contra o primeiro gol gaúcho. Foto: Orlando Lacanna.

O Santo André assimilou o golpe e tratou logo de buscar a igualdade, tendo criado três bons momentos em apenas quatro minutos, como aconteceu aos 12, 15 e 16 minutos, em lances concluídos por Vanderlei, Jefferson e Andrezinho. Como os arremates foram para fora ou morreram nas mãos do goleiro Vanderlei, a rede gaúcha não balançou.


Jogada ofensiva do Santo André pelo lado direito. Foto: Orlando Lacanna.

A insistência dos donos da casa deu resultado ao 19 minutos, quando o atacante Vanderlei (ex-Paulista de Jundiaí e Juventus) invadiu a área pelo setor esquerdo, cortou o zagueiro e mandou um torpedo no meio do gol, empatando a partida. Três minutos depois, o Ramalhão quase chegou à virada, numa boa trama pelo lado direito, cuja conclusão de Mika tocou no travessão e saiu pela linha de fundo, no melhor momento do Santo André na partida.


Bola indo contra o travessão da meta pelotense. Foto: Orlando Lacanna.

A partir dos 25 minutos, o jogo ficou rigorosamente equilibrado, com os dois times buscando a vantagem no placar, porém as defesas prevaleceram e as poucas conclusões não tiveram o endereço certo. Diante disso, a primeira etapa foi encerrada com a igualdade em 1 x 1, ficando para o segundo tempo a expectativa de quem levaria os três pontos.


Arrancada ofensiva do Brasil, ainda no primeiro tempo, com o setor em reforma ao fundo. Foto: Orlando Lacanna.

O segundo tempo teve início e o equilíbrio continuou sendo a tônica da partida, com as equipes se alternando na criação de jogadas mais perigosas. Nesse contexto, a primeira grande chance da segunda etapa foi do Santo André, aos 7 minutos, numa jogada que nasceu pelo lado esquerdo em mais uma arrancada do bom atacante Vanderlei. O gol não saiu por um triz.


Início de jogada de ataque do Santo André no começo do segundo tempo. Foto: Orlando Lacanna.


Chance de ouro desperdiçada pelo Ramalhão. Foto: Orlando Lacanna.

Como a partida estava aberta, com qualquer uma das equipes podendo chegar ao seu segundo gol, o Brasil pulou novamente à frente do placar ao marcar, aos 10 minutos, o seu segundo gol, anotado pelo camisa 11 Juninho que pegou o goleiro andreense André Luiz no contra-pé, após receber passe perfeito vindo da esquerda.


Bola indo morrer no fundo da meta andreense no 2º gol do Brasil. Foto: Orlando Lacanna.

Dois minutos após ter reconquistado a vantagem no marcador, o Brasil teve o seu camisa 8 Léo Medeiros, expulso por ter recebido o segundo cartão amarelo de forma infantil, depois de ter chutado a bola para longe, mesmo com o árbitro tendo apitado e paralisado a partida. Os jogadores dos visitantes cercaram o árbitro carioca, mas nada adiantou e o Brasil ficou com um homem a menos.

Com um homem a mais, o Santo André foi com tudo na busca de nova igualdade, só não a conseguindo aos 19 minutos, por pura infelicidade do zagueiro Sandoval, que chegou um milésimo de segundo atrasado, numa bola cruzada da esquerda. Foi outra boa chance não aproveitada pelos anfitriões. Três minutos depois, a vantagem de um homem a favor do Santo André acabou, pois o seu camisa 5 Juninho, também recebeu o cartão vermelho.

Com 10 contra 10, o time do ABC chegou novamente à igualdade, aos 24 minutos, num belo gol marcado, mais uma vez por Vanderlei, que bateu de primeira, após receber passe da esquerda.


Vanderlei chutando de primeira e empatando o jogo pela segunda vez. Foto: Orlando Lacanna.

Nos últimos 20 minutos, os dois times mantiveram suas posturas ofensivas, objetivando conseguir o terceiro gol, sendo que o Santo André esteve próximo de consegui-lo aos 39 e 41 minutos em lances com as participações de Andrezinho e Cristiano Brasília. O Brasil também teve sua chance, aos 44 minutos, através de Kim.

Quando tudo indicava que a partida iria terminar empatada, eis que, na marca dos 46 minutos, time gaúcho chega ao seu terceiro gol, anotado de cabeça pelo centroavante Marcos Dener (ex-Santo André), levando os atletas e a torcida rubro-negra presente ao delírio.


Marcos Dener saltando todo torto e marcando o terceiro gol do Brasil. Foto: Orlando Lacanna.

Nos últimos minutos dos acréscimos o Santo André, mesmo baqueado, tentou mais uma vez chegar ao empate, mas não teve jeito e a partida foi encerrada com o resultado de Santo André 2 - 3 Brasil, que premiou a equipe que aproveitou melhor as chances. Se a vitória tivesse sido do time da casa, teria sido normal, uma vez que a partida foi equilibrada. Numa competição de tiro curto, vencer fora é importantíssimo e o Brasil começou bem a competição.

Por outro lado, a derrota em casa é preocupante para o Ramalhão, que agora terá que conseguir bons resultados frente aos outros adversários do grupo, que são Caxias, Joinville e Chapecoense. Não será fácil, mas há tempo para a recuperação, pois ainda restam 7 jogos. Fim de partida e rápido retorno para a Capital, com tempo suficiente para assistir a maravilhosa sequência de cobrança de tiros livres da marca de pênalti pelos craques da Seleção Brasileira. Foi isso.

Abraços,

Orlando

2 comentários:

  1. Opa e ae blz?

    Sou torcedor do Santo André e gostei muito do seu blog achei que nunca veria nenhum registro detalhado sobre alguns desses jogos. Será que teria como você me enviar as fotos do jogo contra o Brasil e contra o Caxias em uma resolução maior?

    Fico no aguardo da resposta
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Olá,

    As fotos podem ser negociadas pelo nosso e-mail: jogosperdidos@yahoo.com.br .

    Abraços

    Equipe Jogos Perdidos

    ResponderExcluir