Procure no JP

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Oeste e Inter maltratam a pelota no acesso do Colorado

Texto e fotos: Fernando Martinez


Na noite de terça-feira mais uma vez segui a rota do Oeste no Campeonato Brasileiro da Série B. Mesmo com 38 graus de febre e uma tosse absurda, subi a serra só para ver o confronto do rubro-negro com o Internacional de Porto Alegre pela 36ª rodada da competição. Já tinha visto Palmeiras, Corinthians, Vasco da Gama, Atlético/MG e Grêmio quando estes disputaram a segundona, logo, não poderia perder a oportunidade de ver outro grande ao vivo nesse certame.

Diferente dos seus companheiros do G-12, o Colorado fez uma Série B muito abaixo do esperado. Foram raros os momentos de destaque e os gaúchos passaram perrengues que nem imaginavam. Mesmo assim, chegaram a esse duelo precisando de um empate para se garantirem na Série A com duas rodadas de antecedência. Sem dúvida bem pouco em se tratando de uma agremiação tão vencedora.

Pelos lados do rubro-negro de Barueri, a equipe ainda luta por uma vaga na elite nacional. O time somava 57 pontos e estava na quinta colocação, atrás do Paraná com 59. Um triunfo contra o alvirrubro dos pampas era absolutamente essencial nessa disputa cabeça-a-cabeça com o tricolor da Vila Capanema. Agora, vale registrar que se alguém me falasse há 15 anos que eu assistiria um Oeste x Inter em 2017 com promessa de um encontro equilibrado pela Série B do nacional eu acharia que a pessoa era digna de internação. Nem em delírios mais profundos eu imaginaria que isso realmente iria acontecer. Duvido que alguém pudesse acreditar nisso.

Passei um sufoco danado para chegar na Arena Barueri, mas deu tudo certo. Eu entrei de boa por conta da credencial, porém quem dançou foi a torcida. Várias filas davam a volta no estádio e teve gente entrando no segundo tempo apenas, tamanha foi a desorganização. Basta o local receber um público maior do que o normal que vira tudo uma enorme bagunça. Ano vai, ano vem e nada muda nessa terra.

Fiquei na parte alta da Arena junto com um monte de gente que nunca aparece por ali. Todos presenciaram uma das piores pelejas da década, sem nenhum exagero. Isso muito por conta da atuação ridícula e vergonhosa do SC Internacional, clube três vezes campeão nacional e bi da América. Não que o Oeste tenha sido uma máquina, beeeeeem longe disso, mas muito pela total inoperância dos atletas alvirrubros.


Visão geral da Arena Barueri para Oeste x Inter


Jogada pela lateral esquerda do ataque colorado


O time gaúcho fez uma partida horrível e praticamente não criou nenhuma chance de gol

Somente um se salvou, o goleiro Danilo Fernandes. Ele fez uma defesa ótima em chute de William Cordeiro aos 42 minutos e impediu que os locais abrissem o marcador. Tirando isso, uma partida modorrenta que teve duas horas e meia. Do alto dos meus 38 graus de febre, não foi fácil me manter acordado. E se o negócio foi ruim no tempo inicial, no final ficou ainda pior.

As duas agremiações não mostraram nenhuma criatividade e erraram passes em profusão. Cada minuto demorava 400 segundos pois nada acontecia em campo. O primeiro e único lance de "perigo" (entre aspas) do Inter em todo o duelo aconteceu aos 24 minutos em chute de Edenílson que Rodolfo defendeu sem sustos. O Oeste tentava emplacar uma pressão, sem que isso fosse traduzido em oportunidades boas ou lances de perigo.

Depois dos 40 minutos comecei a ver uma das cenas mais melancólicas dos últimos tempos: todo o banco colorado pedindo o fim do jogo. Sim, o poderoso Internacional de Porto Alegre sofrendo para segurar um 0x0 com o Oeste de Barueri, ex-Itápolis. Uma situação impensável durante décadas e que virou realidade na noite de terça. Com todo o respeito, foi constrangedor acompanhar esses longos minutos.


O Oeste poderia ter vencido caso tivesse acredito mais


Ataque rubro-negro pelo alto e boa saída de Danilo Fernandes

O placar final de Oeste 0-0 Internacional recolocou os gaúchos na Série A do nacional, só que eles subirão muito provavelmente sem o título da Série B, já que o América Mineiro abriu quatro pontos de vantagem faltando duas rodadas. Podemos dizer que eles fizeram menos do que a obrigação. Pelos lados do onze paulista o acesso não está nada fácil. A equipe é sexta colocada com 58 pontos junto com o Londrina, dois atrás do Paraná, o quarto. Os baruerienses visitam o ABC e recebem o Goiás na rodada derradeira.

Menos de 24 horas depois de sair da Arena Barueri morrendo de frio, voltei ao estádio na tarde do dia seguinte debaixo de um sol absurdo para um confronto decisivo na Copa do Brasil sub-17. Dia de cozinhar a moleira...

Até lá!

© 2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário