Procure no JP

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Portuguesa toma 2x0 e se complica na semi da Copa Paulista

Texto e fotos: Fernando Martinez


Na tarde de sábado rolou um daqueles jogos geniais repletos de tradição pela fase semi-final da Copa Paulista. A Portuguesa recebeu o bom time da Ferroviária no Estádio Oswaldo Teixeira Duarte com o pensamento fixo em não ficar de fora do cenário nacional em 2018. Caso a Lusa não seja campeã da competição, ela ficará pela primeira vez em décadas fora do Brasileirão. A equipe grená seria uma adversária dura em busca desse objetivo.

Sem perder desde a primeira fase - 0x1 contra o Noroeste em 2 de setembro - os araraquarenses são os atuais vice-campeões da Copa e podemos dizer que são os maiores favoritos ao título desse ano. Depois que subiram para a Série A1, voltaram a ser adversários de respeito no cenário futebolístico do estado. Pelos lados do Canindé, a esperança era a dupla Guilherme Queiroz/Marcelinho Paraíba.


Associação Portuguesa de Desportos - São Paulo/SP


Ferroviária Futebol S/A - Araraquara/SP


O árbitro Flavio Rodrigues de Souza, os assistentes Evandro de Melo Lima e Vladimir Nunes da Silva, o quarto árbitro Daniel Carfora Sottile e os capitães dos times

A Lusa começou a peleja tomando toda a iniciativa e passou dez minutos dentro do campo de defesa adversário. Para azar dos comandados de PC Gusmão, no primeiro ataque da AFE o placar foi inaugurado. Alisson fez ótima jogada e tocou para Léo Castro. O artilheiro chutou e a bola passou debaixo de João Lopes. Os locais não desanimaram e quase empataram aos 20, quando Fernando cobrou falta perigosamente e Tadeu espalmou.

No lance seguinte, em nova cobrança de falta, Marcão mandou pro fundo da rede. Seria o empate lusitano caso o assistente número 2 não tivesse levantado a bandeira alegando impedimento. Tive a impressão de lance legal, e ela se confirmou com o replay na transmissão de TV. Um lamentável equívoco que prejudicou os paulistanos, que mesmo assim continuaram jogando melhor do que seu adversário.


Início de ataque lusitano no começo da partida


Marcão deixando tudo igual aos 22 do tempo inicial... pena que o assistente anulou o gol de forma equivocada


Agora a Lusa atacando pela esquerda


De pênalti, Marco Damasceno fez o segundo da Ferroviária


Guilherme Queiroz teve a chance de marcar mas bateu um penal de forma bisonha e Tadeu defendeu

No momento em que a Lusa era mais efetiva, a Ferroviária descolou um raro contra-ataque que terminou com Íkaro caído dentro da área. O árbitro marcou pênalti, porém a meu ver nada aconteceu. Marco Damasceno bateu bem a ampliou a vantagem grená aos 35. Dois minutos depois foi a vez de Guilherme Queiroz cair dentro da área e o senhor juiz marcar nova penalidade. Só que o camisa 7 bateu muito mal e Tadeu fez fácil defesa.

Aliás, o camisa 1 da gloriosa agremiação interiorana foi o grande nome a partir desse lance. O que o arqueiro fez o segundo tempo foi incrível. A Portuguesa, mesmo sentindo a pressão de estar com 2x0 contra, fez o que podia para pelo menos deixar tudo igual. Tadeu fez quatro ou cinco defesas sensacionais e impediu que os locais marcassem. Com essa magnífica atuação, ele praticamente colocou a AFE na final.


O camisa 7 rubro-verde em lance agudo dentro da área visitante


Investida paulistana pela direita


Bola aérea dentro da área grená no tempo final

O placar de Portuguesa 0-2 Ferroviária deixou a situação lusitana muito complicada. Somente um triunfo por três gols coloca o clube na decisão. Uma vitória por dois gols leva a decisão para a marca de cal. Tudo bem que futebol é bola na rede, mas que os rubro-verdes mereciam mereciam melhor sorte, isso eles mereciam. A provável eliminação deixará a equipe sem divisão em 2018.

Essa foi a única cobertura do final de semana. Na noite de terça voltarei á ativa com outra apresentação do Oeste em busca do acesso para a Série A do nacional.

Até lá!

© 2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário