Procure no JP

quarta-feira, 22 de março de 2017

Oeste e Barretos maltratam a bola e empatam sem gols

Texto e fotos: Fernando Martinez


Na noite da terça-feira começou a 12ª rodada da primeira fase do Campeonato Paulista da Série A2. Foram dois jogos realizados, um em São Caetano do Sul e outro em Barueri. Acabei escolhendo a segunda opção, e ao final dos 90 minutos ficou claro que não dei sorte, Numa vazia Arena Barueri, o Oeste enfrentou o Barretos em peleja importante na luta contra o rebaixamento.


Oeste Futebol Clube - Barueri/SP


Barretos Esporte Clube - Barretos/SP


Os capitães dos times junto com o quarteto de arbitragem com Adriano de Assis Miranda, Osvaldo Apipe Filho, Ricardo Luis Buzzi e Saulo Samuel Felix

Ao final da 11ª rodada, o rubro-negro estava no 12º lugar com 13 pontos ganhos enquanto o Touro do Vale ocupava uma posição abaixo com um ponto a menos. Nada indicava que a partida pudesse ser disputada na base da emoção, mas que ela podia ter sido um pouco melhor, ah, isso podia.

Sem vencer em Barueri há quatro jogos o Oeste até que ficou mais tempo com a bola nos pés durante o primeiro tempo, só que isso não se traduziu em chances de gol. A única real oportunidade aconteceu aos 23 minutos num chute de longe que terminou com sensacional defesa do goleiro barretense Wanderson.

O Barretos apostou nos contra-ataques, teve alguns escanteios a favor e bons ataques pelas laterais, porém nem chegou perto de abrir o marcador. Com esse panorama árido de emoções, no intervalo o marcador estava em branco.


Início de investida do Oeste no começo da peleja


Bola que passou por todos na área do Barretos, inclusive pelo atacante local


Bom ataque rubro-negro pela direita


Nesse lance, os jogadores do Oeste pediram pênalti (que não aconteceu) ao árbitro

Enquanto os times estavam nos vestiários, fui dar aquela volta pela Arena e vi apesar do estádio estar vazio, a área VIP estava animadíssima, com direito até a show ao vivo. É fato que a maior parte do pessoal ali não se preocupava muito com o que rolava no gramado.

Resolvi não encarar o show que fazia a cabeça da rapaziada e retornei ao gramado pro tempo final, na esperança de que algum heroi, independente da agremiação, salvasse a noite. Pena que ficou só nisso, já que a falta de inspiração geral ainda era mais forte do que qualquer outra coisa.

Os visitantes foram mais tímidos nesse segundo tempo e ficaram apenas nos contra-ataques. O rubro-negro atacou bastante mas pecou nas finalizações e no preciosismo. Mesmo assim Wanderson ainda foi capaz de fazer três grandes defesas, a melhor delas nos acréscimos num chute à queima-roupa pela direita.


Chance local pelo alto no começo do tempo final


O Oeste ficou quase o segundo tempo inteiro com a bola nos pés, mas não transformou esse domínio em gols


Boa saída do arqueiro visitante para fazer a defesa

No final, o Oeste 0-0 Barretos foi ruim para baruerienses e barretenses, pois ambos ainda estão próximos demais na zona de rebaixamento faltando sete rodadas pro término da primeira fase. Como caem seis equipes, o futebol precisa urgentemente ser melhor do que o atual, caso contrário a A3 em 2018 é uma enorme realidade para ambos.

Barueri é longe de casa e confesso que estava bem cansado ao final dessa jornada no quarto dia seguido de futebol, tanto que dormi de ponta a ponta no trem que me trouxe à capital. Só que a luta não pára, e na quarta-feira teve mais, também seguindo pelos trilhos da Linha 8 - Diamante da CPTM, agora pela Série A3 e com a volta do Projeto 40.

Até lá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário