Procure no JP

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Jogo épico na Javari e mais uma vitória do Barcelona na Segundona

Texto e fotos: Fernando Martinez


A atual temporada do futebol brasileiro está pífia. Fato. Vi uma série de jogos ruins e minha média de gols é a pior desse século. Com tanta ruindade rolando por aí, foi um presente divino ter tido o privilégio de assistir o confronto entre Barcelona e CA Lemense, válido pela 8ª rodada do Campeonato Paulista da Segunda Divisão, no Estádio Conde Rodolfo Crespi, no último domingo.

O Elefante tem um time muito superior ao de 2015 e apostava na fase invicta para tentar emplacar novo triunfo, agora contra o vice-líder do Grupo 3 antes da rodada. O CAL teve um início avassalador com três vitórias consecutivas - a primeira delas num 5x0 contra o próprio Barcelona - mas nos últimos quatro confrontos venceu apenas um deles. Uma derrota embolaria demais a luta pelas vagas da chave na próxima fase.


Barcelona Esportivo Capela Ltda - São Paulo/SP


Clube Atlético Lemense - Leme/SP


Capitães dos times junto com o árbitro Thiago Luis Scarascati e os assistentes Mauro André de Freitas e Marcela de Almeida Silva

Mesmo com uma chuva que não parou de cair desde a sexta-feira, não tive problemas para ir até a Rua Javari. São Pedro deu uma trégua no caminho de casa até o estádio, porém bastou eu entrar no gramado e o dilúvio voltou com tudo, deixando eu e meu guarda-chuva furado em apuros para captar as fotos oficiais.

O gramado claramente estava bem prejudicado, só que isso não atrapalhou o jogo em si. A peleja foi simplesmente sensacional, cheia de alternativas e emoção para todos os gostos. Os 151 torcedores que pagaram ingresso viram uma grande exibição do onze local, certamente a melhor desde que o time voltou ao profissionalismo na temporada passada.

A melhor campanha do Lemense - atuando com uma bela camisa laranja - não entrou em campo, pois o Barcelona iniciou os trabalhos bastante empolgado, tendo mais posse de bola e chegando mais vezes perto da área. Infelizmente para a animada torcida local o último toque era falho. O CAL não conseguiu mostrar um futebol de encher os olhos, mas mesmo assim inaugurou o placar no primeiro ataque perigoso realizado aos 29 minutos. James fez o gol em chute de longe que entrou no canto.

O Elefante continuou um pouco melhor e chegou ao esperado empate aos 37. Numa falta na intermediária, a bola foi alçada na área pelo camisa 8 Diego. A zaga deixou para o arqueiro e o arqueiro deixou para a zaga. Resultado: a pelota entrou direto no gol. Debaixo da insistente chuva o primeiro tempo terminou com o 1x1 estampado no placar não-eletrônico na Javari.


Jefferson cortando cruzamento dentro da área do Lemense


De longe, detalhe do gol de empate do Barcelona, marcado por Diego


Zaga do time visitante se livrando da pelota sob forte marcação

No tempo final o dilúvio deu uma parada e o jogo ficou ainda melhor. O Barcelona criou boas chances e continuava tentando acertar o último toque quando o Lemense fez o segundo. Numa bola levantada na área pela direita, um atleta do CAL resvalou na pelota e um dos zagueiros acabou tocando de leve na sequência, atrapalhando o arqueiro Alisson.

O gol foi injusto com o que acontecia em campo, porém o escrete paulistano precisava ajeitar as finalizações caso quisesse melhor sorte. Além disso, o Lemense teve a oportunidade de fechar a fatura num lance aonde o imenso lamaçal de dentro da área serviu como zagueiro. Se tivesse tempo seco, fatalmente o terceiro teria saído.

E se não teve como acertar os chutes, a questão para o escrete local foi resolvida com a cabeça. Eram decorridos 27 minutos quando o Barcelona armou um ataque pela esquerda. A bola foi levantada na pequena área e Thiago apareceu livre entre os zagueiros para colocar no canto direito de Jefferson.

O novo empate deixou a partida mais dramática. Sentindo o bom momento, os locais encurralaram os atletas da Lemense para o campo de defesa e o que se viu foi uma série de investidas perigosas a favor do clube da Zona Sul. Teve gol perdido na frente da meta e também defesa difícil de Jefferson até que uma falta na entrada foi marcada quase em cima da linha da grande área.

Dois atletas do Barcelona se posicionaram para a cobrança, que por fim ficou a cargo de Gabriel Alves. Ele bateu de forma primorosa, colocando a pelota no ângulo esquerdo de Jefferson. O arqueiro ainda tocou na bola só que não teve como impedir a espetacular virada. A comemoração foi alucinante, e infelizmente o artilheiro foi expulso por ter ido comemorar no alambrado e tomado o segundo cartão amarelo. É regra, eu sei, mas não existe nada mais cretino no futebol atual do que isso.


Marcação firme do time local no tempo final


Meio desfocado, Thiago deixa tudo igual aos 27 do tempo final. Era o segundo do Barcelona



Gabriel Alves virou o placar para a equipe paulistana em belíssima cobrança de falta. A emocionada comemoração valeu o segundo cartão amarelo para o camisa 18


O Lemense tentou, sem sucesso, o novo empate nos minutos finais

Os minutos restantes foram de blitz do CAL e felizmente para os locais não aconteceu novo empate. O placar final de Barcelona 3-2 CA Lemense foi histórico para o time paulistano em vários sentidos. Esse foi o terceiro triunfo seguido em casa, algo que havia acontecido apenas uma vez na história do time, em 2004. O time não marcava mais de dois gols como mandante desde abril de 2007. Os onze pontos conquistados até aqui superam as campanhas de 2009 e 2015, as duas últimas no profissionalismo. Além de tudo isso, a vitória aproximou o time no G4 e agora o quarto colocado está a dois pontos de distância. Quem sabe o Elefante não belisca um lugarzinho na segunda fase?

O mais importante a respeito da grande sessão de futebol é que mais uma vez aqueles que dizem que só assistimos "jogos ruins" realmente não manjam absolutamente nada do lance. Esses figuras e os que acham que futebol se resume aos doze grandes deveriam ser obrigados a assistirem a peleja na íntegra várias vezes seguidas. Quem sabe assim acabariam com esse preconceito idiota com os times e torneios que não são "de ponta".

Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário