Procure no JP

sexta-feira, 13 de março de 2020

Ótimo duelo tricolor em Cotia na abertura do Brasileiro sub-17

Texto e fotos: Fernando Martinez


Foram alguns dias de descanso depois da mini-turnê pelo Centro-Oeste, mas ontem, quinta-feira, pintou a chance de fazer uma boa rodada dupla fora da capital bandeirante. A jornada começou com uma sessão vespertina, a minha estreia no Campeonato Brasileiro sub-17 na atual temporada. Pela primeira rodada do Grupo B, clássico tricolor entre São Paulo e Fluminense no Estádio Marcelo Figueiredo Portugal Gouvêa, o famoso CT de Cotia.

Essa é a segunda edição do torneio e no ano passado o campeão foi o Flamengo depois de duas vitórias em cima do Corinthians na decisão. O Flu caiu nos pênaltis nas quartas jogando contra o time de Parque São Jorge e o clube do Morumbi foi eliminado pelo campeão, também nas penalidades, só que na semi final. Os 20 participantes estão divididos em duas chaves e jogam em turno único para a definição dos oito melhores, os quatro primeiros de cada grupo. A partir daí, quartas, semi e final.

Junto com a dupla Renato Rocha, o amigo-abelha, e Caio Buchala, o mago das Copas, fiz o caminho todo até a cidade da Grande São Paulo pensando exclusivamente no pastel que é vendido na lanchonete que fica debaixo da arquibancada, uma das melhores iguarias de estádios que já tive o prazer de experimentar e que ganha fácil o Selo JP de qualidade. Quando cheguei fiz aquela boquinha esperta e subi até a parte coberta da bela e simpática cancha. Preferi ficar na sombra curtindo a peleja próximo dos amigos presentes.


São Paulo Futebol Clube (sub-17) - São Paulo/SP


Fluminense Football Club (sub-17) - Rio de Janeiro/RJ

O que eu não esperava é que estava prestes a ver o meu melhor jogo em 2020 até agora. Ele foi recheado de lances perigosos, bons ataques, muita movimentação e gols, vários gols. Estava sentindo uma falta enorme de ver uma partida desse jeito. O escrete local começou avassalador e chegou fácil aos 2x0. O primeiro gol saiu aos 8 minutos. Eduardo, camisa 5 do Flu, recuou mal e Lucas Bauru se aproveitou. O jogador são-paulino driblou o goleiro e marcou sem dificuldade. Aos 12, Patryck cobrou falta e no caminho ela desviou em Léo, enganando o goleiro e morrendo no lado esquerdo.

Meia dúzia de torcedores do Fluminense que estavam perto de nós e que até então não tinham parado de gritar se assustaram com o bom começo mandante. Pena que, para o desespero de todos que estavam próximos desse pessoal, isso tenha durado apenas alguns minutos, já que eles voltaram a cantar com ainda mais intensidade quando o Flu começou a se encontrar no gramado. Aos 16, Matheus Martins bateu colocado e assustou Felipe. O mesmo Felipe fez boa defesa aos 23 em finalização de Lucas Felipe.

A equipe do Rio de Janeiro agora jogava melhor e num espaço de apenas três minutos chegou ao até então inacreditável empate. Jefté fez grande jogada pela esquerda e lançou até Kayky. O camisa 7 dominou com classe, tirou do zagueiro e chutou colocado no canto direito. Aos 28, em nova jogada de Jefté, Matheus Martins recebeu passe açucarado. Ele matou com a direita e sem deixar a zaga chegar chutou firme, deixando tudo igual.


Denzel, não o Washington e sim o 9 são-paulino, cortando cruzamento dentro da área local


Lucas Felipe (11) encarando a marcação


Flávio (2) em boa trama do ataque do São Paulo


O Fluminense começou mal, mas empatou a peleja num espaço de apenas três minutos

Com o 2x2 o ritmo diminuiu um pouco e até o final da etapa inicial o clube das Laranjeiras foi melhor. No intervalo, já pensando em não passar fome até a sessão noturna, fui obrigado a comer outro pastel... que tarefa complicada. Quando o tempo final começou os visitantes criaram o primeiro bom momento aos quatro minutos. Lucas Felipe recebeu na área, tirou do arqueiro e chutou. Patryck salvou o gol certo em cima da linha.

O São Paulo não conseguia chegar com propriedade, porém em apenas três minutos, assim como o Flu já tinha feito na etapa inicial, o tricolor paulista voltou a abrir vantagem no marcador. Aos 23 Lucas Bauru fez o seu segundo gol na tarde depois de aproveitar boa troca de passes dando um bicão da entrada da área. Aos 26 Talles fez um golaço em tiro colocado após cruzamento de Pet. O mesmo Talles quase fez o quinto aos 37 em cabeçada que tirou tinta da trave.


Jogadores apostando corrida no gramado do CT de Cotia


Lance no meio de campo quando o tricolor do Morumbi já vencia por 4x2



Detalhe do terceiro gol do Fluminense marcado aos 50 do tempo final e a comemoração de Daniel

Nos acréscimos os visitantes se lançaram para o tudo ou nada dentro da área e aos 50 marcaram outra vez. Numa bola cruzada da esquerda, Daniel acertou um belo sem pulo dentro da pequena área... mas já era tarde. O placar de São Paulo 4-3 Fluminense foi justo e refletiu bem como a peleja foi boa e de alto nível. Deu até gosto ver a molecada jogando tanta vontade. Tá difícil ver algo parecido no profissional. Agora é aguardar saber se vamos ter próxima rodada na semana que vem.

Bom, a previsão do GPS nos assustou pois dizia que chegaríamos na sessão noturna com o jogo já em andamento. Sem mais delongas, saímos rapidinho do belo estádio tricolor pois tínhamos que ganhar minutos importantes na estrada. Tinha time novo na pauta livre do JP.

Até lá!

_________________________

Ficha Técnica: São Paulo 4-3 Fluminense

Local: Estádio Marcelo Figueiredo Portugal Gouvêa (Cotia); Árbitro: Adriano de Assis Miranda; Público e renda: Portões abertos; Cartões amarelos: Léo, Metinho, Rafael Monteiro; Gols: Bauru 8, Patryck 13, Kayky 25 e Matheus Martins 28 do 1º, Bauru 23, Talles 26 e Daniel 50 do 2º.
São Paulo: Felipe; Flávio, Negrucci, Beraldo e Patryck; Léo (Renan), João Adriano (Moreira), Bauru (Belém) e Palmberg (Kaiky); Denzel (Talles) e Caio (Pet). Técnico: Rafael Paiva.
Fluminense: Cayo Fellipe; Daniel, Justen, Caio (Joilson) e Jefté (Rafael Monteiro); Eduardo, Kayky (Gustavo), Metinho (Thiago) e Matheus Martins; João Neto e Lucas Felipe (Abner). Técnico: Felipe Canavan.
_____________

Nenhum comentário:

Postar um comentário