Procure no JP

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Centro Olímpico vence mais uma no Brasileiro Feminino

Fala, pessoal!

No meio dessa semana marcamos presença numa genial rodada noturna, cortesia da agenda maluca do Campeonato Brasileiro Feminino. O jogo entre Centro Olímpico e São Francisco/BA estava marcado para o Pacaembu na parte da tarde, depois mudou para o Baetão (!), também de tarde. Por fim, a peleja acabou acontecendo no estádio de São Bernardo do Campo à noite. Mesmo com tantas mudanças, não dava pra perder essa.


A Centro Olímpico (feminino) - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.

A competição foi interrompida depois da rodada do dia 23 de outubro para a disputa da Libertadores Feminina, competição que teve o São José como campeão. Antes da volta do campeonato em definitivo, o Brasil ainda jogou, e perdeu, um amistoso contra os Estados Unidos. Após tudo isso, o Brasileiro voltou a ser disputado na sua terceira rodada da segunda fase na quarta-feira.


AA São Francisco (feminino) - São Francisco do Conde/BA. Foto: Fernando Martinez.

Esse confronto era de fundamental importância para o Centro Olímpico. A equipe precisava fazer valer o fator campo contra o lanterna do Grupo 5. O time paulistano teve como maior destaque a estreia da atacante Cristiane, a maior artilheira da história dos Jogos Olímpicos. o onze baiano, terceiro colocado na Copa do Brasil feminina de 2009, queria vencer a primeira nessa fase.


Quarteto de arbitragem paulista com a árbitra Regildenia de Holanda Moura, as assistentes Renata Ruel de Brito e Maria Nubia Leite e a quarta árbitra Edilar Maria Ferreira. Na imagem também as capitãs Cristiane (ADECO) e Míriam (AASF). Foto: Fernando Martinez.

Apesar da transmissão ao vivo pela TV, esse é um daqueles jogos que podemos classificar como "jogo fantasma" facilmente. Na arquibancada torta do Baetão não havia ninguém, e nas sociais somente amigos e parentes das atletas. Tinha mais gente dentro de campo, incluindo os amigos Renato e Luiz, do que fora.


Ataque paulistano no começo da peleja. Foto: Fernando Martinez.


A ótima Paty, camisa 77 do ADECO, em outra jogada pela direita. Foto: Fernando Martinez.

Pior que o primeiro tempo da peleja ficou bastante aquém do esperado. O Centro Olímpico não conseguiu mostrar um bom futebol e criou pouco, mesmo chegando várias vezes dentro da área do São Francisco. Perigo maior somente num chute pela direta de Tamires. O time baiano também não fez muita coisa e foi poucas vezes ao ataque. De bom, apenas a sempre surreal conversa com os amigos presentes.


A única chance de real perigo do Centro Olímpico na etapa inicial. Foto: Fernando Martinez.


Lance de ADECO x São Francisco pelo Brasileirão Feminino no Baetão. Foto: Fernando Martinez.

Já no segundo tempo finalmente as paulistanas acordaram. Logo no terceiro minuto a árbitra marcou pênalti após uma das zagueiras do São Francisco tocar a mão na bola dentro da área. A camisa 10 Gabi foi para a cobrança e abriu o marcador. Ela mesma ampliou aos 12, agora em bela cobrança de falta.


Primeiro gol das meninas paulistanas na cobrança de pênalti de Gabi. Foto: Fernando Martinez.


Cobrança de falta que originou o segundo tento do time local. Foto: Fernando Martinez.

Aos 21, Cristiane fez o primeiro com a camisa do ADECO após belíssima jogada. Tamires avançou pela esquerda e tocou para a área. Juci recebeu a pelota e com um toque classudo de calcanhar deixou a camisa 11 livre para fazer o terceiro das paulistanas. Para fechar a goleada, a mesma Tamires marcou o mais belo gol da noite aos 32 minutos após uma série de dribles em cima da zaga baiana.


Toque final de Tamires no quarto gol do ADECO. Foto: Fernando Martinez.


Cristiane atacando pela esquerda sob o olhar atento das marcadoras do São Francisco. Foto: Fernando Martinez.

No fim, o placar de Centro Olímpico 4-0 São Francisco/BA deixou o time paulistano na vice-liderança isolada da chave com seis pontos. O líder é o São José com nove. O ADECO joga agora duas vezes fora de casa antes de fechar sua participação na segunda fase recebendo a Águia do Vale, também no Baetão, no próximo dia 24.

Graças ao horário avançado, a volta para São Paulo foi feita com o quesito "emoção" à mil, pois cheguei na Estação Jabaquara apenas dois minutos antes do fechamento do metrô. Cheguei tarde em casa e mesmo com sono durante toda a quinta-feira, encarei mais uma sessão noturna de futebol na véspera do feriado.

Até lá!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário