Procure no JP

sábado, 25 de setembro de 2010

Nacional vira e se garante na Quarta Fase da Segundona 2010

Fala, pessoal!

Quarta-feira à tarde com futebol é algo que merece sempre nossa presença, ainda mais quando o jogo é válido pelo Campeonato Paulista da Segunda Divisão. Pela penúltima rodada da Terceira Fase, Nacional e Olé Brasil jogaram no Estádio Nicolau Alayon, e o JP esteve presente em massa para a peleja.

Além do que vos escreve, o Emerson, o Victor e o David foram para a Comendador Souza acompanhar o primeiro jogo do time de Ribeirão Preto na capital paulista. Aliás, graças ao nosso amigo cinéfilo que tenho as fotos da peleja, pois num momento "esclerose" eu esqueci a bateria da minha máquina em casa.

De qualquer forma, fui para o campo nacionalino pelos trilhos da CPTM, algo que gosto bastante. É um trajeto no qual respiramos história, e que é recomendado a todos. Cheguei cedo no Nicolau Alayon e aos poucos os amigos foram chegando, e não demorou para que as equipes entrassem em campo para as fotos oficiais. Vale também deixar um abraço para o simpaticíssimo trio de arbitragem escalado para essa peleja.




Nacional AC - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


Olé Brasil FC S/A - Ribeirão Preto/SP. Foto: Fernando Martinez.


O árbitro Vinícius Furlan, os assistentes Alex Alexandrino e Alberto Poletto Masseira, o quarto árbitro Alysson Fernandes Matias e os capitães das equipes. Foto: Fernando Martinez.

As duas equipes somavam sete pontos até o começo dessa rodada, junto com o Taboão da Serra. Uma vitória, independente do lado, classificaria o vencedor com uma rodada de antecedência para a Quarta Fase da Segundona. Por jogar em seus domínios, o onze ferroviário precisava mostrar força para não depender de um resultado jogando contra o Elosport fora de casa.


Chute de longe em ataque nacionalino. Foto: Fernando Martinez.


Jogadores em posição "estátua" após escanteio dentro da área do Olé Brasil. Foto: Fernando Martinez.

Mas logo aos 3 minutos, quem fez a festa foi a equipe de Ribeirão Preto. O zagueiro Juninho foi ao ataque e aproveitou bobeira da zaga local e deixou o Olé Brasil com vantagem no marcador. Só que o Nacional não se desesperou e empatou o jogo aos 7, em belíssima jogada individual do camisa 10 Vinícius Ramos. Ele seguiu com a bola dominada até a entrada da área e bateu com classe no canto esquerdo do goleiro Alex.


Uma das belíssimas defesas do goleiro Alex no primeiro tempo. Ele se estica todo e evita a virada do Naça. Foto: Fernando Martinez.

E foi justamente o goleiro do Olé Brasil o destaque desse tempo inicial. Num jogo muito equilibrado, ele fez a diferença em duas defesas brilhantes em chutes certeiros do ataque paulistano. Graças a isso, a partida chegou com um empate de 1x1 merecido ao seu intervalo.


Mais uma bola cruzada dentro da área ribeirão-pretana. Foto: Fernando Martinez.


Intervenção "voadora" do arqueiro Alex em lance do primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez.

No intervalo resolvemos ir acompanhar o jogo fora do gramado, mas novamente junto ao ataque nacionalino. Só que o Olé Brasil voltou melhor, e comandou as ações durante toda a etapa final. Mas apesar do domínio territorial, faltava objetividade ao ataque ribeirão-pretano. O Nacional tentava escapar pelas laterais, mas não levava sucesso.


Começo de ataque dos donos da casa. Foto: Fernando Martinez.

A partida seguia nesse esquema, e o cheirinho de empate ficava cada vez mais forte no Nicolau Alayon. Mas aos 40 minutos a torcida ferroviária pode fazer a festa da classificação dentro de casa. Num contra-ataque rápido, a zaga do Olé falhou e a a bola sobrou para o jogador camisa 18 Marcos Nunes (ou como é conhecido por lá, Romarinho). Ele entrou na área e com categoria chutou cruzado para virar o jogo para o Nacional.


Romarinho entrando na área para fazer o segundo do Nacional... O gol da classificação. Foto: Fernando Martinez.

Os minutos seguintes foram de pressão, mas nada que assustasse o time da casa. Final de jogo: Nacional 2-1 Olé Brasil. A vitória classificou o onze paulistano para a Quarta (e decisiva) Fase da Segundona com uma rodada de antecedência. A partida contra o Elo servirá para definir em qual chave a equipe cairá. Para o Olé, uma vitória em casa contra o também já classificado CATS deixa o time com a vaga assegurada.

Mas o que importa é que o Nacional vai jogar com 50% de chances de voltar à Primeira Divisão estadual na Série A3, lugar de onde nem deveria ter saído. Torço muito para que essa equipe de 91 anos possa conseguir o esperado acesso.

E depois de conversar com os amigos que trabalham no Nacional, consegui uma carona "ishperta" até o metrô Armênia. de lá, segui para o meu lar sem perrengue nenhum, e ainda vi pela TV a vitória corintiana em cima do Santos pelo Brasileiro.

Até a próxima!

Fernando

Despedida melancólica do PAEC na Copa Paulista

Opa,

Acabou a Primeira Fase da Copa Paulista 2010! E na última rodada o JP foi acompanhar um jogo praticamente amistoso na despedida do futebol do Estádio Conde Rodolfo Crespi nesse ano. O Pão de Açúcar, também conhecido como PAEC, enfrentou o Palmeiras em busca de um milagre para se classificar. Antes de falar sobre esse jogo, vamos às fotos oficiais da peleja, mais uma vez exclusivas aqui no JOGOS PERDIDOS:


Pão de Açúcar EC - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


SE Palmeiras - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


Capitães dos times e o trio de arbitragem da partida, composto pelo árbitro Eduardo César Coronado Coelho e os assistentes Maurício Helder Luiz Alexandrino e Luiz Antonio Corrêa. Foto: Fernando Martinez.

Para se classificar para a Segunda Fase da competição, o time amarelo precisava vencer o Palmeiras e torcer por uma derrota do São Bento para o Sport Barueri em Sorocaba. Um empate do Bentão já levaria a equipe para a próxima fase. E junto comigo para ver esse jogo decisivo, o amigo Mílton também se fez presente na Moóca.



Ataque do PAEC pelo alto, mas a bola foi longe da meta. Foto: Fernando Martinez.


Jogador do Palmeiras dominando a bola no meio de campo. Foto: Fernando Martinez.

Durante todo o primeiro tempo vimos uma partida de "ataque contra defesa" na Javari. O PAEC criou todo o tipo de chance de gol mas não marcou. Chegou a ser irritante ver tantos gols perdidos de uma só vez. O Palmeiras não fez nada, e foi um mero coadjuvante.


Início de ataque do Pão de Açúcar. Foto: Fernando Martinez. Foto: Fernando Martinez.

O jogo poderia ter terminado até 4x0 para os "donos da casa" que não seria nenhum exagero. Mas a partida chegou ao intervalo com o zero ainda estampado no placar. Nesses minutos de descanso, ficamos sabendo que o São Bento já estava vencendo sua partida e que dificilmente esse panorama seria alterado.


Mais um ataque desperdiçado pelo time amarelo. Foto: Fernando Martinez.


Outra chance pelo alto, e mais um gol perdido. Foto: Fernando Martinez.

Graças a isso, o Pão de Açúcar desanimou de vez e viu o alvi-verde abrir o marcador na primeira chance do segundo tempo, a primeira também na partida. O jogador Gílson aproveitou uma bola espirrada para o seu ataque e fez o gol verde aos 32 segundos. Isso acabou com qualquer chance de bom jogo de futebol na etapa final.


Confusão dentro da área palmeirense no segundo tempo Foto: Fernando Martinez.

O ritmo da peleja estava mais para um "casados e solteiros", graças ao desânimo do PAEC e a falta de qualidade palmeirense. O Palmeiras ainda tentava terminar de forma honrosa o torneio, já que fez uma campanha bastante ruim. Aos 38 minutos então, a equipe da Barra Funda aumentou o placar com gol do jogador Danilo. Um belo gol, por sinal.


Ataque amarelo pela esquerda. Foto: Fernando Martinez.

Final de jogo: PAEC 0-2 Palmeiras. A equipe amarela é eliminada ainda na Primeira Fase, coroando um campeonato aonde não foi bem, algo raro na recente história do clube. Mas o time quer mesmo subir para a Série A1 em 2012, e promete uma equipe de muita qualidade para buscar o acesso na A2 de 2011. Detalhe triste para nós do JP que as duas equipes que jogam na Javari - PAEC e Juventus - foram eliminadas.

Após o jogo ainda fui fazer uma visitinha para o David, que mora do lado da Javari, para depois voltar para casa!

Até a próxima!

Fernando

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Nacional vence o Taboão da Serra em bom jogo no Nicolau Alayon

Opa,

No sábado passado era dia de jogo importante válido pelo Campeonato Paulista da Segunda Divisão. Mais uma vez fui até o Estádio Nicolau Alayon, pois lá Nacional e Taboão da Serra se enfrentariam pela primeira rodada do returno do Grupo 15 da competição. Foi a quarta vez que as duas equipes se enfrentaram nesse ano de 2010.

Mas passei um perrengue para chegar na Comendador Souza, pois peguei uma "operação tartaruga" conjunta do metrô e do sistema de ônibus da capital, e só na hora do apito inicial consegui entrar no estádio. Mas ainda bem que o David estava ligadão e fez as fotos oficiais da peleja:


Nacional AC - São Paulo/SP. Foto: David Libeskind.


CA Taboão da Serra - Taboão da Serra/SP. Foto: David Libeskind.


O árbitro Marcelo Aparecido de Souza, os assistentes João Bourgalber Chaves e Daniel Luís Marques e os capitães das equipes. Foto: David Libeskind.

Após tomar uma surra de 3x0 no jogo do primeiro turno contra o CATS, o Nacional precisava urgentemente mostrar reação e fazer o placar dentro dos seus domínios. Mas do outro lado a forte equipe taboanense prometia uma boa apresentação, pois o time vem fazendo uma campanha impecável e é um dos fortes candidatos ao acesso para a A3 em 2011. Promessa de bom jogo na histórica casa nacionalina.


Escanteio para o Nacional que não levou perigo à meta taboanense. Foto: Fernando Martinez.

E para ver essa peleja tivemos a presença do amigo Paulo Gregori e seus dois filhos nacionalinos Lorenzo e Victorio. Foi o debut de seu menino mais novo no Nicolau Alayon e quem sabe ele não traria bons fluidos ao time da Barra Funda. Mas durante os primeiros 45 minutos não tivemos uma partida interessante. O Nacional não jogou bem, e viu o CATS levar muito perigo em rápidos ataques pelo meio.


Chute sem muita direção do camisa 7 do time ferroviário. Foto: Fernando Martinez.

Por duas vezes o time visitante mereceu marcar o seu gol, mas nas duas oportunidades o goleiro nacionalino fez ótimas defesas. O primeiro tempo valeu mesmo para ver o menino Lorenzo mostrar todos seus fantásticos conhecimentos futebolísticos mundiais e assustar o que vos escreve. O garoto sabe a posição da Armênia no ranking da FIFA, quem jogou contra a Noruega no começo do mês e o nome de atletas do Cazaquistão. Com apenas 8 anos, provavelmente ele fará parte da turma de 2020 do JP.


Jogada confusa no ataque do Nacional no começo da segunda etapa. Foto: Fernando Martinez.

Bom, para o segundo tempo resolvi adentrar o campo de jogo para ver a partida no ataque dos donos da casa. E o tempo final foi muuito melhor do que o tempo inicial. Logo aos 7 minutos, o time feroviário abriu o marcador num golaço de cabeça do camisa 11 André Marques. Ele subiu sozinho após cruzamento preciso da esquerda e, mesmo longe do gol, colocou a bola no ângulo direito do arqueiro taboanense.


Disputa de bola no meio de campo. Foto: Fernando Martinez.

O gol acordou o CATS e fez com que o time melhorasse em campo. E a igualdade no marcador chegou aos 18 minutos com um chutaço de fora da área de Leandro. A bola entrou no canto esquerdo do goleiro, para a festa da boa torcida visitante presente na Comendador. Mas nem deu tempo de comemorar direito, pois dois minutos depois a zaga do Taboão fez lambança e entregou a bola no pé do atacante Careca. Ele tocou para André Marques, que tocou cruzado para ver a bola ainda bater na trave antes de entrar nas redes do CATS.


Zaga do CATS conseguindo interceptar perigosa investida ofensiva do Naça. Foto: Fernando Martinez.

A partida continuou muito movimentada até seu final, com o Naça buscando se defender e o Taboão buscando a nova igualdade no placar. Aos 36 minutos, o jogador Betinho foi expulso e complicou um pouco a vida nacionalina. Mas apesar du sufoco nos últimos 10 minutos, a equipe paulistana conseguiu a vitória.


Contra-ataque perigoso para os donos da casa no final da partida. Foto: Fernando Martinez.

Final de jogo: Nacional 2-1 Taboão da Serra. Vitória essencial do Naça em busca da vaga na quarta e decisiva fase da Segundona. Uma vitória contra o Olé Brasil na quarta-feira deixa o time praticamente classificado. Ao ótimo time do CATS resta também vencer o Elosport em casa na próxima rodada e garantir a vaga. Acho que esse grupo irá determinar um dos dois terceiros colocados que continuam vivos ao final dessa fase.


David, Paulo, Victorio e Lorenzo - que equivalem a 10% da torcida atual do Nacional - marcando presença no Nicolau Alayon. Foto: Fernando Martinez.

Conversei com os amigos Sandro, Rodrigo, Giulio e Miguel após o jogo e todos esperam mais uma vitória em casa contra o Olé Brasil, em peleja que contará com a nossa presença. Depois disso o amigo Paulo deu uma caroninha básica até uma estação do metrô paulistano e de lá voltei tranquilão para casa.

Mas domingo teve mais jogo, e a despedida da Rua Javari em 2010...

Até lá!

Fernando

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Massacre das Sereias da Vila na Copa do Brasil Feminina

Fala pessoal!

Na última quinta-feira tive a chance de acompanhar um jogo praticamente "fantasma" da Copa do Brasil Feminino. Quem sabia que Santos e o Aliança de Goiás se enfrentariam às seis e meia da tarde de um dia útil na Arena Barueri? Então, eu também não sabia, e somente na quarta-feira fiquei sabendo da existência do mesmo.

Mas essas são as partidas que mais curtimos acompanhar, até pela aura de ineditismo que paira nessas pelejas. fui então para "curtir" as famosas duas horas de viagem da minha residência até o fantástico estádio da Grande São Paulo. O David estava também lá para representar o JP e além disso o amigo Rodrigo Colucci também deu as caras.

Cheguei na Arena e logo já estava no gramado do estádio. Percebi que a Arena foi finalmente "fechada", e agora só falta mesmo a cobertura. Sem dúvida é um dos mais belos palcos para se ver futebol nessas bandas. E como estava ali para as fotos oficiais do jogo, não perdi tempo e quando as equipes adentraram o campo de jogo já registrei as imagens para as páginas do JP:



Santos FC (feminino) - Santos/SP. Foto: Fernando Martinez.



Aliança FC (feminino) - Goiânia/GO. Foto: Fernando Martinez.


O quarteto de arbitragem composto pela árbitra Francielli da Costa Bento (MG), as assistentes Maria Núbia Ferreira Leite (SP) e Tatiana Sacilotti Camargo (SP) e a quarta árbitra Regildênia de Holanda Moura (SP) posam para o JP junto com as capitães do Aliança e do Santos. Foto: Fernando Martinez.

Esse foi o jogo de volta entre as agremiações na segunda fase da competição. No primeiro as Sereias da Vila ganharam por 6x0 em Goiás. Ou seja, só uma hecatombe nuclear inesperada tiraria a vaga das paulistas para as Quartas de Final. Graças a isso a equipe escalou suas atletas reservas. Mas para o Aliança, que joga apenas futebol feminino, a vitória já estava conquistada.

Vir para São Paulo e ter a chance de enfrentar a referência brasileira no futebol feminino atual foi encarado como um verdadeiro troféu para os goianos. No futebol feminino ain da existe uma disparidade enorme entre os "grandes" e os "pequenos". Conversei com o presidente da equipe do Aliança Luiz César da Rocha e ele comentou da alegria de ter vindo à São Paulo para enfrentar, nas palavras dele, "o maior time de futebol do mundo".



Cruzamento santista para dentro da área do Aliança FC. Foto: Fernando Martinez.



Marcação firme da zaga goiana para cima das atacantes do Santos. Foto: Fernando Martinez.

Depois das conversas na lateral do gramado, fui então acompanhar o ataque santista. E aos 6 minutos de jogo o placar já apontava a vantagem de 2x0 para as Sereias. Os dois gols foram marcados pela norueguesa Thorunn, o primeiro em tiro da entrada da área e o segundo em chutaço de longe. Aos 20 minutos aconteceu o terceiro gol, através da ótima jogadora camisa 11 do santos, Raquel. Ela recebeu bola na pequena área e chutou firme, sem defesa para a goleira goiana.



Lance do primeiro gol das Sereias da Vila na Arena Barueri. Foto: Fernando Martinez.

O Aliança tentava algumas bolas longas para o seu ataque, mas mesmo jogando com as reservas, o time do Santos é superior demais. O primeiro tempo terminou com o placar parcial de 3x0, mas se fosse 5 ou 6 não seria nenhum exagero.



Atacante santista encarando a camisa 16 do Aliança, Janaína. Foto: Fernando Martinez.



Chute da jogadora alvinegra travado na hora H. Foto: Fernando Martinez.

A segunda etapa então veio com o Santos dominando completamente as ações, mas esbarrando na ótima atuação da goleira Nuriah. Até metade do tempo final ela fez pelo menos três defesas ótimas, e impediu que o placar fosse ampliado. Mas dos 25 até os 33 minutos não teve jeito de segurar o poderio ofensivo das locais, e as Sereias fizeram quatro gols nesse curto espaço de tempo.



Escanteio para as "donas da casa" na etapa final. Foto: Fernando Martinez.

A camisa 11 Raquel fez o quarto, sexto e sétimo gol santista, respectivamente aos 25, 31 e 33 minutos. O quinto gol foi marcado por Carol Gaúcha aos 29. A equipe alvi-negra fazia por merecer o marcador, e o ataque do time é algo absolutamente implacável com os adversários. Aos 42 a jogador Jenyffer fechou a goleada com um golaço de longe, em que a bola bateu na trave antes de entrar no fundo das redes do Aliança.



Bola no fundo das redes do Aliança no oitavo gol santista na Arena Barueri. Foto: Fernando Martinez.



Placar final da partida e detalhe do raro escudo do Aliança Futebol Clube de Goiás. Fotos: Fernando Martinez.

Final de jogo: Santos 8-0 Aliança. A equipe paulista, além de ser a atual bi-campeã da Copa do Brasil feminino, tem número absolutamente esmagadores na competição: são 19 jogos de invencibilidade com 12 vitórias seguidas. Desses 12 triunfos o time marcou mais de três gols em 8 oportunidades. Além disso, a equipe não toma gols na Copa do Brasil há 9 jogos. Nem preciso falar que o time é ultra-favorito para a o tri, certo? Na próxima fase, as Sereias enfrentam o Foz do Iguaçu.

Mas independente disso, parabenizamos a equipe do Aliança, pois sabemos como é complicado manter uma equipe de futebol feminino por aqui. Somente em épocas bissextas alguma "otoridade" dá o devido valor à essa categoria no nosso país. Quem sabe algum dia isso não mude... e se for nesse século ainda seria uma boa.

Bom, após o jogo ainda descolei uma carona espetacular até a Barra Funda, e dali voltei para o aconchego do meu lar para um bom descanso.

Até mais!

Fernando

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Juventus eliminado da Copa Paulista 2010

Opa,

No último domingo tive a oportunidade de acompanhar o que viria a ser a despedida do Moleque Travesso da sua casa nesse ano de 2010. Pela penúltima rodada da primeira fase Copa Paulista, o Juventus enfrentou o São Bento num clássico que definiria quem continuaria com o sonho da classificação para a segunda fase ainda vivo.

Mas olha, sair de casa cedo com o clima desértico que paira nos céus da capital paulista é tarefa de leão. De qualquer forma, lá estava eu no Estádio Conde Rodolfo Crespi com tempo suficiente para todos os trâmites comuns aqui no JP. Para esse jogo, tive a companhia do Emerson, algo raro em pelejas matutinas na Mooca. Fomos então devidamente autorizados e seguem agora as fotos exclusivas dos times e do trio de arbitragem:


CA Juventus - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


EC São Bento - Sorocaba/SP. Foto: Fernando Martinez.


Capitães dos times e trio de arbitragem da partida. Foto: Fernando Martinez.

Até tive oportunidade de permanecer no campo de jogo para as fotos da partida, mas o sol insuportável fez com que fosse garantir um lugar nas cadeiras da Javari. Esperava um jogo bom, já que somente a vitória deixaria o Juventus com chance de vaga na próxima fase. Um resultado positivo da equipe azul eliminaria os paulistanos.


Boa intervenção do arqueiro sorocabano no primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez.

Só que os primeiros 45 minutos foram de uma inoperância ofensiva do Moleque Travesso que chegou a dar sono. Só não dormi efetivamente graças aos papos que foram da confecção do número #2 da revista No Esquinado até os grandes mestres do blues dos anos 20. Se não fosse isso, certamemte teria cochilado.


O camisa 5 Valdinei levantando bola para a área adversária. Foto: Fernando Martinez.


Bola dominada por atleta do Bentão na segunda etapa. Foto: Fernando Martinez.

Nem parecia que os grenás precisavam da vitória para seguirem com chances na competição. A equipe foi dominada pelo São Bento, e a situação piorou ainda mais aos 43 minutos, quando o camisa 9 Gílson aproveitou pane na defesa grená e marcou o primeiro dos visitantes. O intervalo veio com a vantagem mínima para o time de Sorocaba.


Saída segura do goleiro Edinho. Foto: Fernando Martinez.

A tarefa do onze grená não seria fácil, então resolvemos colocar a mufla para queimar e fomos acompanhar o ataque da equipe no tempo final. Na base do tudo ou nada, o Juventus tentou chegar, mas a pressão exercida foi bastante estéril. Sentíamos que a equipe poderia estar jogando até agora que o gol não sairia. A melhor oportunidade foi num chutaço da pequena área que bateu na trave superior do goleiro Edinho.


O camisa 2 Wesley Silva cruzando bola pela esquerda do ataque grená. Foto: Fernando Martinez.

E para coroar a partida zicada dos meninos da Móoca, o camisa 4 Nelinho marcou de cabeça o segundo gol do Bentão aos 21 minutos do tempo final. Era o golpe de misericórdia contra os donos da casa. Durante todo o tempo restante o panorama não mudou, e a equipe visitante só administrou a peleja fazendo o básico no seu setor defensivo.


Camisa 4 do São Bento mandando a bola para bem longe da sua área. Foto: Fernando Martinez.

Final de jogo: Juventus 0-2 São Bento. Com a vitória o time azul depende apenas de um empate em casa contra o já classificado Sport Barueri para chegar na segunda fase. Já o Moleque Travesso foi eliminado da Copa com essa triste derrota. Podemos pensar que os seis pontos perdidos contra o fraquíssimo time do Palmeiras podem ter custado a classificação, mas a verdade é que a equipe ainda precisa melhorar muito, pois está em formação e uma campanha decente na Série A-3 de 2011 ainda é ilusão.

O ruim mesmo é que não teremos mais os geniais jogos do time paulistano na sua casa até o começo do ano que vem. Mas talvez isso seja positivo, pois já ficamos sabendo que o gramado possivelmente será trocado, melhorando a qualidade das pelejas na Javari... tomara.

Depois do jogo cada um tomou seu rumo, e voltei para o aconchego do meu lar para acompanhar a final do Mundial de Basquete entre EUA e Turquia e após isso continuar com as correrias do No Esquinado #2, que deve ficar pronto até o final da semana.

Abraços!

Fernando